Venda antecipada de ingressos no Orient Cineplace Boulevard

Venda antecipada de ingressos no Orient Cineplace Boulevard

Em lançamento mundial no Orient Cineplace Boulevard

Em lançamento mundial no Orient Cineplace Boulevard
13 - 15h40 - 18h25 (Dub) - 21h10 (Leg) no Orient Cineplace Boulevard

sábado, 10 de fevereiro de 2018

Um conto de fadas adulto

Referências a cinema e televisão em "A Forma da Água"
Fotos: IMDb


"A Forma da Água" (The Shape of Water), drama de Guillermo del Toro, tem aventura, fantasia (um conto de fadas?, a Bela e a Fera?, uma fábula do outro mundo?), romance, suspense e horror. Trata sobre crueldade e solidão. O romance é inter-espécies, entre diferentes - uma mulher muda, mas não surda e uma criatura anfíbia, um humanoide aquático. Assim, sobre amor diferente e o tratamento dado à questão. Anti-semitismo e racismo também são tratados.
Como pano de fundo, a Guerra Fria e a corrida espacial entre Estados Unidos e União Soviética. 
A ação se passa em 1962, em um laboratório secreto do governo com alta segurança, em Baltimore. É onde trabalha Elisa Esposito (Sally Hawkins), presa em uma vida de isolamento, quase solitária. Ela tem como vizinho, o artista homossexual Giles (Richard Jenkins). Sua vida é alterada para sempre quando ela e sua colega na faxina Zelda (Octavia Spencer) descobrem a forma, a criatura anfíbia (Doug Jones), que está sendo mantida em cativeiro, após ser capturada no rio Amazonas.
"A Forma da Água" tem muitas referências ao cinema, a filmes, a começar por "O Monstro da Lagoa Negra" (Creature From the Black Lagoon), de Jack Arnold, 1954, assumidamente, fonte de inspiração para del Toro. Como no filme atual, a criatura também foi capturada no rio Amazonas. Faz referência também à televisão.
Tem seqüência em sala de cinema (Orpheum), onde está sendo exibido o filme bíblico "The Story of Ruth" (A História de Ruth), de Henry Koster, 1960. A fachada com letreiros também aparece, incluindo, em programa duplo, o musical "Mardi Grass" (As Noites de Mardi Grass), de Edmund Goulding, 1958.
Outros filmes referenciados: "A Mascote do Regimento" (The Little Colonel), de David Buttler, 1935, em cena com Shirley Temple passando na TV; "Nas Águas da Esquadra" (Follow the Fleet), de Mark Sandrich, 1936, com Fred Astaire e Ginger Rogers dançando; "Uma Noite no Rio" (That Night in Rio), de Irving Cumings, 1941, passando na TV, com Carmen Miranda cantando "Chica Chica Boom Chic"; "Quero Casar-me Contigo" (Sun Valley Serenade), de Bruce Humberstone, 1941, passando na TV: "Aquilo, Sim, Era Vida!" (Hello Frisco, Hello), de Bruce Humberstone, 1943, com Alice Faye, na TV; "Amores Clandestinos" (Summer Place), 1959, com música tema, de Max Steiner, sendo cantada por Andy Williams, quando o personagem Richard Strickland (Michael Shannon) está na concessionária de Cadillac. O sapateador Bojangles Robinson aparece em filme na TV, assim como a atriz Betty Grable. Entre os programas de TV, são citados "Bonanza", "Dobie Gillis", "Mister Ed", e "Mr. Magoo". A conhecida música "Babalu", com interpretação de Caterina Valente e Silvio Francesco, está na trilha sonora no filme. 
Mais referências: passagem bíblica da traição de Dalila para com Sansão é citada. Pandora, a primeira mulher criada na mitologia grega, também. Tem sequência em preto & branco.
"A Forma da Água" ganhou vários prêmios, incluindo o Globo de Ouro de Melhor Diretor e Melhor Trilha Sonora. 
Tem 13 indicações ao Oscar: Melhor Filme, Melhor Diretor - Guillermo Del Toro, Melhor Atriz - Sally Hawkins, Melhor Ator Coadjuvante - Richard Jenkins, Melhor Atriz Coadjuvante - Octavia Spencer, Melhor Roteiro Original - Guillermo Del Toro e Vanessa Taylor, Melhor Fotografia - Dan Laustsen, Melhor Edição - Sidney Wolinsky, Melhor Trilha Sonora Original - Alexandre Desplat,  Melhor Design de Produção - Paul D. Austerberry, Shane Vieau e Jeffrey A. Melvin, Melhor Figurino - Luis Sequeira, Melhor Edição de Som - Nathan Robitaille e Nelson Ferreira, Melhor Mixagem de Som - Christian T. Cooke, Glenn Gauthier e Brad Zoern.
É um filme diferente, que faz refletir sobre sentimentos. Que assusta, emociona e até diverte. E deixa a mensagem de que o homem é que é monstro. 

Nenhum comentário: