Segunda semana

Segunda semana
No Orient Cineplace Boulevard - 15 - 19h15 - 21h30

*

*

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Lula vira réu pela sétima vez

O juiz federal Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal do Distrito Federal (MPF), aceitou na terça-feira, 19, denúncia do Ministério Público Federal  e colocou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pela sétima vez no banco dos réus. O petista vai responder pelo crime de corrupção passiva por, supostamente, ter participado da "venda" da Medida Provisória (MP) 471, de 2009, que prorrogou os incentivos fiscais para montadoras instalavas nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. O caso é investigado na Operação Zelotes.
A denúncia recebida por Vallisney é assinada pelos procuradores Frederico Paiva e Hebert Mesquita e, além de Lula, acusa o ex-ministro Gilberto Carvalho, os lobistas Mauro Marcondes e Alexandre Paes dos Santos, o APS, o ex-conselheiro do Carf José Ricardo da Silva e os executivos Carlos Alberto de Oliveira Andrade e Paulo Arantes Ferraz em suposta corrupção na aprovação da medida provisória, editada no segundo mandato do ex-presidente e transformada em lei em 2010
Segundo o MPF, a empresa Marcondes e Mautoni Empreendimentos, de Mauro Marcondes, representava os interesses da Caoa (Hyundai) e da MMC Automotores (Mitsubishi do Brasil) e teria oferecido 6 milhões de reais a Lula e Carvalho. O dinheiro seria destinado ao financiamento de campanhas do PT. Como prova dos repasses indevidos, o MPF elencou uma série de troca de mensagens e anotações apreendidas com os alvos da Operação Zelotes.Fonte: http://veja.abril.com.br

Campanha



Enquete no site 'Diário do Poder', já com mais de 3.500 votantes, sobre quem será eleito presidente em 2018, Jair Bolsonaro lidera com 24%, seguido de João Dória (19%) e Álvaro Dias (16%). Em 4º, Alckmin (12%) e Lula em 5º, com (11%). Marina tem 8% e Ciro 7%.
Fonte: Cláudio Humberto

Distinção

Entre os contemplados pela Ordem Municipal do Mérito de Feira de Santana, está Simone Savegnago responsável pela publicação dos atos oficiais no "Diário Oficial Eletrônico do Município de Feira de Santana". Ela recebeu a distinção no grau de Oficial das mãos do prefeito José Ronaldo, grão-mestre da Ordem (Foto: Washington Nery).

Baiano eleito presidente da CNA

O pecuarista baiano João Martins da Silva Junior (Foto: Reprodução) - com fortes laços com Feira de Santana - foi eleito na terça-feira, 19, como presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), recebendo apoio de todas as 27 federações do país. Ele ficará à frente da CNA pelos próximos quatro anos. 
João Martins - seu pai denomina o Parque de Exposição João Martins da Silva - tem mais de 50 anos de atividade ligada à área pecuária. Ele também é presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado da Bahia (Faeb) e é acionista e presidente da Agropecuária João Martins S/A.

terça-feira, 19 de setembro de 2017

4.000.000 de visualizações



Desta terça-feira, 19, para a quarta-feira, 20, o Blog Demais chega a quatro milhões de visualizações, segundo estatística do Blogger. Nenhum outro blog revela dado como esse.

Trailer de "O Assassino: O Primeiro Alvo"


Assista

Trailer de "O Assassino: O Primeiro Alvo", que tem lançamento nacional nesta quinta-feira, 21, no Orient Cineplace Boulevard.

Trailer de "Divórcio"


Assista
Trailer da comédia "Divórcio", que tem lançamento nacional nesta quinta-feira, 21, no Orient Cineplace Boulevard.

Thriller e comédia nas telas




1. Dylan O'Brien e Michael Keaton  em "O Assassino: O Primeiro Alvo"
2. Murilo Benício e Camila Morgado em "Divórcio"
Fotos: Divulgação

No thriller "O Assassino: O Primeiro Alvo", Stan Hurley, veterano da Guerra Fria, recebe a tarefa de treinar um ex-soldado das forças especiais abalado psicologicamente em decorrência da morte de sua noiva. O filme de ação, não recomendado para menores de 16 anos, é uma das novidades desta 39ª semana, no Orient Cineplace Boulevard, a partir desta quinta-feira, 21.
A outra novidade é a comédia "Divórcio", de Pedro Amorim, com Murilo Benício e Camila Morgado mais Sabrina Sato. Julio e Noeli enriquecem quando o molho de tomate Juno, criado pelo casal, torna-se um sucesso. Mas a rotina distancia o casal e eles se separam. Para defender o patrimônio, cada um tenta achar o melhor advogado para si, o que gera um processo de divórcio cheio de confusões. 
O drama brasileiro "Polícia Federal: A Lei É Para Todos", de Marcelo Antunez, entra em terceira semana, mas somente em um horários, às 18h50. Conta a história da Operação Lava Jato a partir da ótica de um delegado e de sua equipe da Polícia Federal, em conjunto com a força-tarefa do Ministério Público Federal. Mostra ainda o papel decisivo da Justiça para que a investigação não fosse destruída pelas forças políticas envolvidas.
Mais continuações: o drama de ação "Feito na América", com Tom Cruise; o filme de terror "Amityville: O Despertar", ambos em segunda semana; Também continuam as animações "Emoji - O Filme", em quarta semana, e "Lino", em terceira semana, bem como o filme de terror "It A Coisa", em terceira semana.

"A esquerda fazendo arte"

Por Rodrigo Constantino
Na semana que passou, estive preocupado em me proteger do devastador furacão Irma, enquanto o Brasil falava da mostra "cultural" do Banco Santander. São imagens devastadoras também, ao menos para o cérebro das crianças (e elas estiveram na exposição, sem limite de idade). Tinha até pedofilia racista e zoofilia, um espetáculo de baixaria promovido com recursos públicos da Lei Rouanet.
A arte sempre teve um tom subversivo, e muitas vezes chegou a chocar. Mas eis a mudança na era pós-moderna: hoje tudo que choca é considerado arte. O intuito é só chocar, quebrar tabus, os poucos que restam. E se tudo é arte, nada é arte. Os "artistas" passaram a chamar lixo de arte, e isso é a morte da verdadeira arte.
Inúmeros brasileiros se revoltaram nas redes sociais, e milhares de correntistas do banco ameaçaram cancelar suas contas. O MBL assumiu a liderança de uma campanha contra a mostra, e o próprio Santander achou melhor encerrar a coisa, para desespero do curador, um sujeito ligado ao Psol, que defende a ditadura venezuelana.
Após a decisão do banco, teve começo uma campanha de difamação da esquerda organizada. O MBL passou a ser acusado de "nazista", uma ofensa aos judeus vítimas de Hitler. Boicote voluntário não é censura, e quem acabou com a mostra foi o próprio banco, percebendo que o tiro saíra pela culatra em termos de marketing de imagem.
A seletividade hipócrita da esquerda ficou exposta uma vez mais. O argumento de liberdade de expressão artística é claramente falso. Basta algumas comparações para deixar isso claro.
Enfiar uma cruz no ânus em praça pública é demonstração artística, mas desenhar uma charge de Maomé com bomba no turbante é uma ofensa gravíssima que justifica um atentado terrorista como resposta. Proibir com o uso do estado livros de Monteiro Lobato por racismo é reparação às injustiças passadas dos brancos malvados, mas boicotar voluntariamente uma mostra pornográfica com pedofilia e zoofilia bancada com verba pública é censura nazista de reacionário obscurantista.
Como não perceber a hipocrisia? O duplo padrão da esquerda salta aos olhos, e o destaque está no denominador comum de toda essa marcha das minorias oprimidas: demonizar o homem branco ocidental e o cristianismo. Alguém consegue imaginar a mesma turma de "intelectuais" falando em liberdade de expressão diante de um quadro com um Maomé gay sendo sodomizado por Trump?
Quando eu era moleque e fazia alguma besteira, minha avó falava que eu estava "fazendo arte", ou seja, aprontando. É a "arte" que a esquerda faz hoje: só porcaria! E para atacar os valores morais burgueses estão dispostos até a defender um banco internacional. Vale tudo para destruir o Ocidente "patriarcal".
Fonte: http://istoe.com.br/esquerda-fazendo-arte/

Designer feirense na Casa Cor Bahia


1. Designer Interiores Silvana Rosemberg
2. Quarto da Malu
Fotos: Divulgação

Na sua 22ª edição baiana, a Casa Cor 2017 recebeu nesta segunda-feira, 18, imprensa e convidados para apresentar a mostra.

Entre os destaques, o quarto do bebê, chamado "Quarto da Malu", extremamente funcional, para estimular a  criatividade da criança. Uma mini cama dossel, um Moisés, arandela em cristal rosa, objetos artesanais, fazem do quarto um encanto. 
A designer de interiores Silvana Rosemberg pensou nos mínimos detalhes para criar o quarto. "Tive a preocupação de fazer um ambiente que a criança brinque, se divirta junto aos pais num quarto aconchegante e funcional", afirma a única profissional de Feira de Santana que participa da Casa Cor 2017.
A abertura da Casa Cor Bahia será nesta quarta-feira, 20, e vai até dia 29 de outubro, de terça-feira a sábado, das 16 horas às 21h30 e aos domingos até às 21 horas, na avenida Marques de Leão, 317, Barra. O ingresso custa R$ 40,00.
(
Com informações de Lilia Campos)

"Prisão, nada"



As delações de uma centena de executivos da Odebrecht e OAS ainda não renderam a prisão do ex-presidente Lula. Já a delação de Joesley e seus cúmplices quase derrubaram o presidente Michel Temer.
Lula = seis Geddéis
Na sua delação, Marcelo Odebrecht confirmou que Antonio Palocci fez pedidos de dinheiro vivo à Odebrecht, que era retirado da conta "Amigo", de Lula. Os R$ 300 milhões correspondem a seis Geddéis.
Cadeia inevitável
As regras de asilo, em voga em todo o mundo, não beneficiam foragidos. Se Lula pedir asilo em embaixada "amiga", como defendem petistas, essas regras impedem salvo-conduto para ele deixar o Brasil.
Fonte: Cláudio Humberto

"Segunda denúncia terá menos votos que a primeira"



Líderes na Câmara avaliam que a segunda denúncia de Rodrigo Janot contra o presidente Michel Temer, bem mais fraca, será rejeitada com margem maior de votos. É o caso do secretário-geral do PSDB, deputado Silvio Torres (SP), experiente vice-líder do partido, e já no sexto mandato parlamentar. Para Torres, que falou na primeira pessoa, a impressão geral é a que a denuncia foi feita de maneira açodada.
Conexão
Parlamentares apontam como maior problema a tentativa de Janot de misturar supostos fatos do passado com a presidência Temer.
Blindagem
A 2ª denúncia, dizem os deputados, parece ignorar que a Constituição protege o presidente de processos sobre fatos pretéritos ao mandato.
Racha menor
Na primeira denúncia, o PSDB rachou ao meio. Desta vez, deverá se unir mais. E a tendência dos tucanos é rejeitar a nova acusação.
No muro
Os tucanos poderão definir uma posição partidária após o julgamento de recurso da defesa de Temer, nesta quarta-feira.
Fonte: Cláudio Humberto

Bombando nas bilheterias

O filme "Polícia Federal: A Lei É Para Todos", de Marcelo Antunez, continua bombando nas bilheterias no país. Está em sua segunda semana em exibição, inclusive em Feira de Santana, no Orient Cineplace Boulevard - às 15 horas, 19h15 e 21h30. Até domingo, 17, o filme foi visto por 840 mil espectadores e arrecadou R$ 13,5 milhões.

Editorial da "IstoÉ": "Lula, o recordista de processos"


4.7K
Por Carlos José Marques
Ele agora mudou de patamar. Coleciona novas peças acusatórias em ritmo quase semanal. É denúncia para todo lado. Neste início de mês já foram três consecutivas contra ele. Mesmo quem acompanha perdeu a conta. Como réu o líder petista figura em seis processos. Sentença de condenação também não falta: quase dez anos de cadeia o aguardam por um único dos malfeitos que cometeu. A ficha corrida do ex-presidente não é para qualquer um e sim digna de criminosos de alta estirpe. 
Mesmo assim ele insiste em posar de injustiçado, perseguido da lei. A lorota caiu por terra quando o parceiro de todas as horas, Antônio Palocci, deu com a língua nos dentes e relatou os esquemas nos quais Lula teria recebido a bolada de R$ 300 milhões como reserva técnica. Isso de apenas uma das empresas que lhe fazem gentilezas. Dinheirama sem fim além - é claro - de benesses imobiliárias e reformas na qualidade de mimos extras. Palocci figurava como homem da mais estreita relação e confiança de Lula. E nessa condição relatou com requintes de detalhes o caudaloso fluxo de corrupção em torno do antigo chefe e aliado. Haja lambança. 
Lula, por sua vez, para não fugir ao figurino habitual, comportou-se como um dissimulado de marca maior. Em escala ascendente, as suas reações contra quem o acusa - e já somam mais de 30 delatores entre empreiteiros, correligionários, operadores e amigos do calibre de Bumlai, Delcídio e quetais - soam inverossímeis, espetaculosas. Estariam todos mentindo, menos ele. Quem não se condói de tamanha crueldade? 
Há poucos dias disse ao juiz Moro, em mais um dos enésimos depoimentos, que prefere "a morte" a passar por mentiroso. Por essa ótica, o enterro já deveria ter ocorrido faz tempo. Lula mente com a cara de pau de um Pinóquio incorrigível. 
Na semana passada, quando confrontado com as evidências de propina dada a seu instituto, chegou ao limite de dizer que não participava da direção executiva da organização. Figurava somente como "presidente de honra". Em outras palavras, deixou entender que o Instituto Lula não é propriedade dele, Lula. Saibam todos de antemão. 
O cacique do pau oco debocha de qualquer circunstância. Mesmo as mais constrangedoras a ele. Cria ao seu redor espetáculos deprimentes. As passeatas recentes, organizadas durante as suas andanças pelos currais do Nordeste, reuniram meia dúzia de áulicos seguidores. Nada além. Situações anedóticas foram registradas. Tome-se, por exemplo, o comentário da presidente da agremiação petista e senadora, Gleisi Hoffman, ao tratar da devastadora paulada do antes festejado quadro partidário, Palocci. Ela alegou que o ex-ministro estava a serviço da CIA, agência de investigações americana. Patético, para dizer o mínimo. Os petistas perderam o senso de ridículo. Apegam-se a qualquer lorota em busca da única tábua de salvação que enxergam: a candidatura presidencial de Lula como saída para livrá-lo do xilindró. Lula quer travestir-se de candidato e dessa maneira fugir da condição de investigado. 
Seria deveras inacreditável a situação de uma chapa a presidente encabeçada por um dos mais encalacrados malfeitores políticos de que se tem notícia, o "chefe da quadrilha", como denominam procuradores federais. Imagine, caro leitor, o bizarro contexto desse personagem concorrendo, repleto de processos, condenações em vias de segunda instância, provas de corrupção em profusão (quatro discos rígidos referentes a pagamentos clandestinos na Suécia em seu nome também acabam de ser entregues à PF) e novas falácias em campanha? 
Mais grave: na eventualidade de sair vencedor das urnas, Lula teria de apresentar-se ao Planalto com a sua ficha corrida que, entre outras razões a impedi-lo de tomar posse, esbarra diretamente na Constituição. Em um dos artigos está prevista a proibição a qualquer brasileiro de assumir a presidência da República tendo pendências com a Justiça. Surrealismo além da conta. É aconselhável acreditar no bom senso dos senhores magistrados para evitar tamanha patacoada. 
Lula, pela ordem natural das coisas, já está fora da corrida a Brasília - a não ser que escolha a Papuda. O próprio partido estuda alternativas. Quanto ao faroleiro-mor dos contos da carochinha, nada mais restará que o cumprimento de penas por tantos desvios que colecionou.

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Governador também desinformado



Está no relise da Secretaria de Comunicação Social do Governo da Bahia: "Hoje nós completamos uma grande obra, que é a Noide Cerqueira, essa maior avenida feita em Feira de Santana (...)", afirmou Rui.
Como o jornal "Folha do Estado", edição desta sexta-feira, 15, o governador Rui Costa não deve saber da existência da avenida Fróes da Motta, o Anel de Contorno, com mais de 20 quilômetros de extensão.

"Uma Viagem a Cavalo a Feira de Santana"



"Uma Viagem à Bahia da Segunda Metade do Século XIX", texto, pesquisa e seleção de imagens de Osvaldo Augusto Teixeira, da série "Viagem de Naeher".
Em 1878, Julius Naeher (1824-1911), engenheiro alemão, passou quatro meses na Bahia, visitando Salvador, Santo Amaro, cidades do Recôncavo e fez "Uma Viagem a Cavalo a Feira de Santana", que é um dos capítulos do livro, publicado em 2011 pela Fundação Pedro Calmon.
Trata-se da contextualização histórica dos relatos de viagem de Julius Naeher. Sua estadia na Bahia, a maior parte desse período, no Recôncavo Baiano, foi como hóspede do seu concunhado Pedro Ferreira de Vianna Bandeira, barão e depois visconde de Ferreira Bandeira, que era senhor do Engenho Subaé, que ficava próximo a Santo Amaro, e membro das famílias Bandeira, Vianna e Moniz, pertencentes a aristocracia açucareira baiana. Entre os anos de 1864 e 1869, estudara Filosofia na Universidade de Heidelberg, Alemanha, onde conheceu e se casou com a alemã Marie Sophie Franzinger Schmidt, uma irmã da esposa de Naeher.

Poema da Feira de Sant'Ana

Escrito em Salvador, em março de 1926, "Poema da Feira de Sant'Ana", de Godofredo Filho, foi publicado em livro em 1977, com capa ilustrada por Carybé, sob os auspícios da Fundação Cultural do Estado da Bahia, como parte da edição das Obras Completas do autor.

Trecho do longo poema

Feira de Sant'Ana do grande comércio de gado
nos dias poeirentos batidos de sol compridos
Feira de Santa’ Ana
Das segundas feiras de agitações mercenárias
correrias de vaqueiros encourados
tabaréus suarentos abrindo chapéus enormes
barracas esbranquiçadas à luz
e as manadas pacientes que vêm para ser vendidas
de bois do Piauí de Minas do Sertão brabo
                                    até de Goiás
(meu bisavô Zé carneiro era o bicho em negócio e gado
meus parentes todos ricos que hospedaram o Imperador
quando ele foi à Feira ver a feira
seu Pedreira
meu tio Cerqueira)
ali eu tive tudo
meus cinco anos
meus brinquedos todos
o automovinho que papai trouxe quando veio na Bahia
a roça de meu avô com os carneiros as cabras os tanques
[...]
meus tios engraçados
casa da Rua Senhor dos Passos da minha meninice
que fontes eu cavei nos fundo do teu quintal
[...]
também a casa da minha tia Pombinha com corredor escuro
lá eu morei
a vizinha era D. Olívia professora
o sobrinho dela Genaro
tinha um outro que esqueci do nome
[...]
minhas primas filhas de meu tio que eu tinha medo dele
deslumbramento do meu primeiro beijo escondido
                          gostinho quente da primeira namorada
                                                                  prima
foi numa volta de picula
                           você lembra?
Feira de Sant'ana
a de hoje tão diferente
também é boa
riscadinha de eletricidade
torcida esticada retesada de fios aéreos longos
Fords estabanados raquíticos
levando no bojo viajantes de xarque
ó Fords arados desvirginadores de sertão
horizontes da minha terra que me educaram
Ainda quero ser limitados por eles
minha terra boa boa
minha terra minha
É lá que eu quero dormir ao acalento daquele céu tão manso
dormir o meu grande sono sem felicidade ou tortura de
                                                                   sonho




domingo, 17 de setembro de 2017

"Opção de Lula pode ser asilar-se em embaixada"



Com o agravamento da situação penal de Lula, que tem grande chance de cumprir pena de prisão em regime fechado, parlamentares voltaram a discutir a hipótese de fuga do País. Fontes do PT confirmam que essa opção tem sido considerada pelo próprio Lula. O problema é que ele seria preso sem demora, mediante mandado internacional de captura. Por isso a opção seria asilar-se em embaixada "amiga", tipo Equador, Bolívia ou Venezuela. Mas, pelas regras internacionais, um condenado em ação penal não recebe status "asilado político" e sim de fugitivo da Justiça.
Lula Assange
Os defensores do asilo em embaixada lembram a Lula o caso de Julian Assange, do WikiLeaks, que fez isso em Londres para fugir da Justiça.
Sem salvo conduto
Há 5 anos na embaixada do Equador, Assange não tem direito a salvo conduto para sair do país: como Lula o seria, ele é fugitivo da Justiça.
Ele merece
As embaixadas da Bolívia de Evo Morales e da Venezuela do ditador Nicolás Maduro seriam os mais prováveis destinos de Lula.
Diferença
A diferença é que Lula foi condenado por corrupção. Assange é acusado de violência sexual por não usar camisinha, na Suécia.
Fonte: Cláudio Humberto

"Malas de Geddel poderiam ter rendido R$ 26 milhões"



Os rendimentos da montanha de dinheiro encontrado no apartamento atribuído a Geddel Vieira Lima, ex-vice-presidente da Caixa de Dilma e ex-ministro de Lula e Michel Temer, reforçam a tese da origem ilícita da grana. Se os R$ 51 milhões fossem investidos e atualizados pela taxa básica de juros (taxa Selic), desde que foi deflagrada Lava Jato, em março de 2014, o rendimento seria de 50,8% (R$ 25,9 milhões).
Bolsa em alta
Se fosse dinheiro limpo aplicado na Bolsa, que bate recordes desde a queda de Dilma, os R$51 milhões teriam rendido R$ 23,3 milhões.
Até a poupança
Até na poupança, que sequer é considerada "investimento" por economistas, a montanha de grana teria crescido em R$ 12,7 milhões.
Doido não é
Para investigadores da força-tarefa, não há dúvida: quem deixa tanto dinheiro guardado em caixas, perdendo valor, "é doido ou ladrão".
Fonte: Cláudio Humberto

sábado, 16 de setembro de 2017

Formatura da primeira turma do Curso de Licenciatura em Música



O Departamento de Letras e Artes da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) anuncia a formatura da primeira turma do Curso de Licenciatura em Música. A colação de grau será na quinta-feira, 21, às 20 horas, no Anfiteatro do Módulo 2 do campus da Uefs.

"Toda a vida europeia morreu em Auschwitz"



Por Sebastian Vilar Rodriguez
Desci uma rua em Barcelona, e descobri repentinamente uma verdade terrível. A Europa morreu em Auschwitz. Matámos seis milhões de judeus e substituímo-los por 20 milhões de muçulmanos. 
Em Auschwitz queimamos uma cultura, pensamento, criatividade, e talento. Destruímos o povo escolhido, verdadeiramente escolhido, porque era um povo grande e maravilhoso que mudara o mundo. A contribuição deste povo sente-se em todas as áreas da vida: ciência, arte, comérrcio internacional, e acima de tudo, como a consciência do mundo. Este é o povo que queimamos.
E debaixo de uma pretensa tolerância, e porque queríamos provar a nós mesmos que estávamos curados da doença do racismo, abrimos as nossas portas a 20 milhões de muçulmanos que nos trouxeram estupidez e ignorância, extremismo religioso e falta de tolerância, crime e pobreza, devido ao pouco desejo de trabalhar e de sustentar as suas famílias com orgulho.
Eles fizeram explodir os nossos comboios, transformaram as nossas lindas cidades espanholas, num terceiro mundo, afogando-as em sujeira e crime. Fechados nos seus apartamentos eles recebem, gratuitamente, do governo, eles planejam o assassinato e a destruição dos seus ingênuos hospedeiros.
E assim, na nossa miséria, trocamos a cultura por ódio fanático, a habilidade criativa, por habilidade destrutiva, a inteligência por subdesenvolvimento e superstição. Trocamos  a procura de paz dos judeus da Europa e o seu talento, para um futuro melhor para os seus filhos, a sua determinação, o seu  apego à vida porque a vida é santa, por aqueles que prosseguem na morte, um povo consumido pelo desejo de morte para eles e para os outros, para os nossos filhos e para os deles.
Que terrível erro cometido pela miserável Europa. O total da população islâmica (ou muçulmana) é de, aproximadamente um bilhão e duzentos milhões  ou seja 20% da população mundial.

Eles receberam os seguintes Prêmios Nobel:
Literatura
1988 Najib Mahfooz
Paz
1978 Mohamed Anwar El-Sadat
1990 Elias James Corey 
1994 Yaser Arafat                                                                                           1999 Ahmed Zewai
Economia
(ninguém)
Física
(ninguém)
Medicina
1960 Peter Brian Medawar 
1998 Ferid Mourad
TOTAL: 7
O total da população de judeus é, aproximadamente catorze milhões ou seja cerca de 0,02% da população mundial. Eles receberam os seguintes prêmios Nobel:
Literatura
  • 1910 - Paul Heyse
  • 1927 - Henri Bergson
  • 1958 - Boris Pasternak
  • 1966 - Shmuel Yosef Agnon
  • 1966 - Nelly Sachs
  • 1976 - Saul Bellow
  • 1978 - Isaac Bashevis Singer
  • 1981 - Elias Canetti
  • 1987 - Joseph Brodsky
  • 1991 - Nadine Gordimer World
Paz
  • 1911 - Alfred Fried
  • 1911 - Tobias Michael Carel Asser
  • 1968 - Rene Cassin
  • 1973 - Henry Kissinger
  • 1978 - Menachem Begin
  • 1986 - Elie Wiesel
  • 1994 - Shimon Peres
  • 1994 - Yitzhak Rabin
Física
  • 1905 - Adolph Von Baeyer
  • 1906 - Henri Moissan
  • 1907 - Albert Abraham Michelson
  • 1908 - Gabriel Lippmann
  • 1910 - Otto Wallach
  • 1915 - Richard Willstaetter
  • 1918 - Fritz Haber
  • 1921 - Albert Einstein
  • 1922 - Niels Bohr
  • 1925 - James Franck
  • 1925 - Gustav Hertz
  • 1943 - Gustav Stern
  • 1943 - George Charles de Hevesy
  • 1944 - Isidor Issac Rabi
  • 1952 - Felix Bloch
  • 1954 - Max Born
  • 1958 - Igor Tamm
  • 1959 - Emilio Segre
  • 1960 - Donald A. Glaser
  • 1961 - Robert Hofstadter
  • 1961 - Melvin Calvin
  • 1962 - Lev Davidovich Landau
  • 1962 - Max Ferdinand Perutz
  • 1965 - Richard Phillips Feynman
  • 1965 - Julian Schwinger
  • 1969 - Murray Gell-Mann
  • 1971 - Dennis Gabor
  • 1972 - William Howard Stein
  • 1973 - Brian David Josephson
  • 1975 - Benjamin Mottleson
  • 1976 - Burton Richter
  • 1977 - Ilya Prigogine
  • 1978 - Arno Allan Penzias
  • 1978 - Peter L Kapitza
  • 1979 - Stephen Weinberg
  • 1979 - Sheldon Glashow
  • 1979 - Herbert Charles Brown
  • 1980 - Paul Berg
  • 1980 - Walter Gilbert
  • 1981 - Roald Hoffmann
  • 1982 - Aaron Klug
  • 1985 - Albert A. Hauptman
  • 1985 - Jerome Karle
  • 1986 - Dudley R. Herschbach
  • 1988 - Robert Huber
  • 1988 - Leon Lederman
  • 1988 - Melvin Schwartz
  • 1988 - Jack Steinberger
  • 1989 - Sidney Altman
  • 1990 - Jerome Friedman
  • 1992 - Rudolph Marcus
  • 1995 - Martin Perl
  • 2000 - Alan J.. Heeger
Economia
  • 1970 - Paul Anthony Samuelson
  • 1971 - Simon Kuznets
  • 1972 - Kenneth Joseph Arrow
  • 1975 - Leonid Kantorovich
  • 1976 - Milton Friedman
  • 1978 - Herbert A. Simon
  • 1980 - Lawrence Robert Klein
  • 1985 - Franco Modigliani
  • 1987 - Robert M. Solow
  • 1990 - Harry Markowitz
  • 1990 - Merton Miller
  • 1992 - Gary Becker
  • 1993 - Robert Fogel
Medicina
  • 1908 - Elie Metchnikoff
  • 1908 - Paul Erlich
  • 1914 - Robert Barany
  • 1922 - Otto Meyerhof
  • 1930 - Karl Landsteiner
  • 1931 - Otto Warburg
  • 1936 - Otto Loewi
  • 1944 - Joseph Erlanger
  • 1944 - Herbert Spencer Gasser
  • 1945 - Ernst Boris Chain
  • 1946 - Hermann Joseph Muller
  • 1950 - Tadeus Reichstein
  • 1952 - Selman Abraham Waksman
  • 1953 - Hans Krebs
  • 1953 - Fritz Albert Lipmann
  • 1958 - Joshua Lederberg
  • 1959 - Arthur Kornberg
  • 1964 - Konrad Bloch
  • 1965 - Francois Jacob
  • 1965 - Andre Lwoff
  • 1967 - George Wald
  • 1968 - Marshall W. Nirenberg
  • 1969 - Salvador Luria
  • 1970 - Julius Axelrod
  • 1970 - Sir Bernard Katz
  • 1972 - Gerald Maurice Edelman
  • 1975 - Howard Martin Temin
  • 1976 - Baruch S. Blumberg
  • 1977 - Roselyn Sussman Yalow
  • 1978 - Daniel Nathans
  • 1980 - Baruj Benacerraf
  • 1984 - Cesar Milstein
  • 1985 - Michael Stuart Brown
  • 1985 - Joseph L. Goldstein
  • 1986 - Stanley Cohen [& Rita Levi-Montalcini]
  • 1988 - Gertrude Elion
  • 1989 - Harold Varmus
  • 1991 - Erwin Neher
  • 1991 - Bert Sakmann
  • 1993 - Richard J. Roberts
  • 1993 - Phillip Sharp
  • 1994 - Alfred Gilman
  • 1995 - Edward B. Lewis
  • 1996- Lu RoseIacovino
TOTAL: 128
Os judeus não estão a promover lavagens cerebrais a crianças em campos de treino militar, ensinando-os a fazerem-se explodir e causar um máximo de mortes a judeus e a outros não muçulmanos. Os judeus não tomam  aviões, nem matam atletas nos Jogos Olímpicos, nem se fazem explodir em restaurantes alemães.
Não há um único judeu que tenha destruído uma igreja. NÃO há um único judeu que proteste matando pessoas. Os judeus não traficam escravos, não têm líderes a clamar pela jihad Islâmica e morte a todos os infiéis. Talvez os muçulmanos do mundo devessem considerar investir mais numa educação modelo e menos em queixarem-se dos judeus  por todos os seus problemas.
Os muçulmanos deviam perguntar o que poderiam fazer  pela humanidade antes de pedir que a humanidade os respeite.
Independentemente dos seus sentimentos sobre a crise entre Israel e os seus vizinhos palestinos  e árabes, mesmo que creiamos que há mais culpas na parte de Israel, as duas frases que se seguem realmente dizem tudo:
Se os árabes depusessem hoje as suas armas não haveria mais violência. Se os judeus depusessem hoje as suas armas  não haveria mais Israel (Benjamin Netanyahu).
Por uma questão histórica, quando o comandante supremo das Forças Aliadas, General Dwight Eisenhower, encontrou todas as vítimas mortas nos campos de concentração nazi, mandou que as pessoas ao visitarem esses  campos de morte, tirassem todas as fotografias possíveis, e para os alemães das aldeias próximas serem levados através dos campos e que enterrassem os mortos.
Ele fez isto porque disse de viva voz o seguinte: Gravem isto tudo hoje. Obtenham os filmes, arranjem as testemunhas, porque poderá haver algum malandro lá em baixo, na estrada da história, que se levante e diga que isto nunca aconteceu. Recentemente, no Reino Unido, debateu-se a intenção de remover  o Holocausto do curriculum das suas escolas, porque era uma ofensa para a população  muçulmana, a qual diz que isto nunca aconteceu. Até agora ainda não foi retirado do curriculum. Contudo é uma demonstração do grande receio que está a preocupar o mundo e a facilidade com que as nações o estão a aceitar.
Já passaram mais de sessenta anos depois da Segunda Guerra Mundial na Europa ter terminado. O conteúdo deste mail está a ser enviado como uma cadeia em memória dos 6 milhões de judeus, dos 20 milhões de russos, dos 10 milhões de cristãos e dos 1.900 padres católicos que foram assassinados, violados, queimados, que morreram de fome, foram  espancados, e humilhados enquanto o povo alemão olhava para o outro lado.
Agora, mais do que nunca, com o Irã entre outros, reclamando que o Holocausto é um mito, é imperativo assegurar-se de que o mundo nunca esquecerá isso. É intento deste mail que chegue a 400 milhões de pessoas. Que seja um elo na cadeia-memorial e ajude a distribui-lo pelo mundo. Depois do ataque ao World Trade Center, quantos anos passarão antes que se diga . NUNCA ACONTECEU , porque isso pode ofender alguns  muçulmanos nos Estados Unidos.
Fonte: http://simisrael.com.br
Este artigo foi publicado em jornal espanhol em 15 de janeiro de 2008, há nove anos. O autor, espanhol, não é judeu.