Segunda semana

Segunda semana
No Orient Cineplace Boulevard - 15 - 19h15 - 21h30

*

*

terça-feira, 29 de agosto de 2017

Banda evangélica Rebanhão de volta


Assista "Palácios"

A banda Rebanhão faz apresentação em Feira de Santana, no Teatro Ângela Oliveira, do Centro de Cultura Maestro Miro. Sábado, 9 de setembro, às 20 horas, com produção do Aprisco. Trata-se do projeto "Rebanhão 35 Anos", um revival histórico. Os ingressos já estão à venda online e no local.
O grupo foi responsável por uma verdadeira revolução musical na Igreja evangélica brasileira, levando a mensagem cristã para os ouvintes das novas gerações que se encontravam cada vez mais distantes dos púlpitos das igrejas. Lutando por esta causa, eles enfrentaram muitas críticas e a resistência de líderes que não aceitaram o novo estilo musical. É inevitável concluir que, sem a ousadia do Rebanhão, a música evangélica não teria alcançado o patamar que tem hoje.
O Rebanhão gravou seu primeiro disco de vinil em 1981. A Banda foi batizada por Janires M. Manso, seu fundador. O Rebanhão rompeu com as "quatro paredes" das igrejas. A banda conseguiu atingir audiências ecléticas e divulgar de forma marcante a música cristã, se apresentando em locais até então pouco convencionais para grupos de origem evangélica, como praças públicas, escolas, presídios e praias. O Rebanhão foi a primeira banda evangélica a lotar palcos profissionais como o famoso Canecão, no Rio de Janeiro. Foi também a primeira banda gospel a assinar contrato com gravadoras multinacionais como a Polygram e a Warner. Com um repertório diverso, marcado por ritmos jovens e linguagem contemporânea, a banda quebrou paradigmas e contribuiu para a formação de uma nova identidade na música evangélica brasileira.
A trajetória do Rebanhão é apontada como o marco inicial do movimento que deu origem à chamada música gospel brasileira. A banda é pioneira no rock cristão brasileiro: o estilo "Rebanhão de cantar para Deus" fez história não só pelo sucesso e adesão dos jovens, o que já havia acontecido nos anos 70 com conjuntos musicais. Ele foi marcado pelo rompimento radical com o estilo tradicional musical evangélico. Radical aqui significa a adoção de ingredientes então considerados profanos para a musicalidade religiosa evangélica: linguagem, postura cênica, visual dos músicos, apresentação no estilo espetáculo.
O destaque do Rebanhão no cenário da música cristã brasileira pode ser constatado também pela inserção do verbete "Rebanhão" no Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira, uma das principais obras de referência para os estudiosos da música no país.

Nenhum comentário: