sábado, 30 de janeiro de 2016

Cinema há 41 anos

Em 1995, no jornal "Feira Hoje" minha coluna de Cinema era assim apresentada.

Que é um filme feito por nós?

Pérpetua Barreto é a estrela do filme "Corpo a Corpo", a nossa mais recente experiência em Super 8 (legenda original)

Em 20 de dezembro de 1973, escrevi no jornal "Feira Hoje", na coluna "Cinema", que assinava, "Que é um filme feito por nós?".
Eis o que foi escrito, há 43 anos:
Para quem viu "O Vampiro Ralipiu" saca que é uma curtição em torno de uma temática com a devida imaginação e criatividade.
Já com "Corpo a Corpo" existe uma mudança radical em termos de temática, mas não, tratando-se de conotações e simbologias.
Enfim, um filme feito por nós pretende ser, antes de tudo, um alento artístico no marasmo intelectual que assola esta cidade, para depois chegar a ser um caminho que abre para proposições no campo cinematográfico.
Pérpetua (Petinha) Barreto é a personagem central ao lado de Cezar Ubaldo, Luís Pimentel. Aparições de, Carlos Piter (hoje Pitta), Edmundo Zahmm (hoje, Caroso), Gastão Correia, José Roberto (Berni) Nailson Chaves, Paulo Norberto, Zé Raimundo Diogo, na sequência mais sugestiva do filme, como escrevi na época. 
Este filme, aos cuidados de Jonicael Cedraz, participou de um festival de Super 8 em Curitiba-PR. Nunca mais se teve notícia sobre o seu paradeiro.

Charge de Sponholz



sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Como a APLB/Sindicato se mantém

A APLB/Sindicato recebe 1% de cada professor municipal, que autoriza a Prefeitura o desconto mensal.
Multiplicando o número de professores - são milhares - pela remuneração bruta de cada um chega-se ao valor que o Sindicato recebe.

Lembrando aventura e fantasia ítalo-germânico

Assista ao trailer: http://youtu.be/FpCd0HAiNX4
No meu segundo caderno de filmes o registro do 210º filme assistido, em 1962, com 14 anos, no Cine Madrid. Foi o filme de aventura e fantasia "Siegfried: A Lenda do Ouro do Reno" ("Siegfried", em alemão, "La Leggenda dei Nibelunghi" em italiano, "Le Chevalier Blanc" em francês), com Sebastian Fischer (Fotos: Reprodução), como o herói Siegfried, mais Ilaria Occhini (Cremilde), Katharine Mayberg (Brunilde), Rolf Tasna (Hagen), Franca Mazzoni (Ute), Giulio Doninini (Alberico), Germano Longo (Gerenot) e Phillipe Hersent (Danwarth).
O filme é de 1957, co-produção ítalo-germânica, com direção de Giacomo Gentilomo (dos filmes "Maciste Contra os Vampiros", 1961; "O Último Viking", 1961; "Breno, Inimigo de Roma", 1962; e "Maciste e a Rainha de Samar", 1964).
No filme, o herói lendário alemão forja uma espada mágica para lutar contra um dragão, cujo sangue tem a propriedade de tornar a pessoa invencível. É baseado na ópera "Lenda dos Nibelungos", de Richard Wagner. Carlo Rambaldi, o mesmo de "ET, o Extra-Terrestre" foi responsável pelos efeitos técnicos e pela criação do dragão.

Morre cineasta francês Jacques Rivette



O cineasta francês Jacques Rivette (Foto: Reprodução), que integrou a Nouvelle Vague e fez parte do grupo de críticos da revista "Cahiers du Cinéma", faleceu nesta sexta-feira, 29. Ele sofria do Mal de Alzheimer há alguns anos.
Seu filme mais destacado foi "A Religiosa", em 1966, com Anna Karina, indicado para a Palma de Ouro do Festival de Cannes.
Filmografia
2001 Quem Sabe?
1995 Lumière e Companhia  (segmento "Jacques Rivette/Paris")
1985 Hurlevent
1976 Noroeste
1976 Duelo
Fonte: IMDb

Charge de Sponholz

"Incidente em avião de Dilma causa apreensão"

No retorno ao Brasil do Equador, na divisa entre o Amazonas e o Acre, o avião presidencial de Dilma perdeu sustentação e sofreu uma queda de cem metros de altura. Houve pessoas sem cinto que bateram com a cabeça no teto. O aspone para assuntos internacionais aleatórios, Marco Aurélio "Top top" Garcia, ficou coberto do vinho que degustava na hora do incidente. Procurada, a Presidência se recusou a comentar.
Responsável, mas nem tanto
O Grupo de Transportes Especiais da Força Aérea Brasileira, que cuida dos aviões que servem às autoridades, também não comentou o caso.
Não tá comigo
A Força Aérea passou a bola para a Presidência da República. O Ministério da Defesa também não quis explicar o que aconteceu.
Susto
O luxuoso jato Airbus A319 de Dilma, comprado por Lula por R$ 156 milhões, é considerado um dos mais seguros do mercado da aviação.
Fonte: Claudio Humberto


Aeroportos ruins


O Aeroporto Internacional Luís Eduardo Magalhães, em Salvador, foi considerado o segundo pior do país pela segunda vez consecutiva. 
É o que mostrou uma pesquisa divulgada na quinta-feira, 28, pela Secretaria de Aviação Civil (SAC).
E o Aeroporto Governador João Durval Carneiro, em Feira de Santana, está em qual classificação? 

Carlos Brito põe luz sobre posição alcançada por Feira de Santana



Artigo "FEIRA MAIOR POLO DE DESENVOLVIMENTO DO INTERIOR DO NORDESTE" revela realidade do PIB Municipal de Feira de Santana publicado na edição desta sexta-feira, 29, do jornal "NoiteDia"

Por Carlos Alberto Oliveira Brito
A 70ª posição alcançada por Feira de Santana, entre os 100 maiores municípios mais ricos do país, quando da divulgação do Produto Interno Bruto (PIB) 2013, publicado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em dezembro de 2015, demonstra o quanto é importante os segmentos organizados da sociedade confiarem em uma  administração pública municipal, comprometida com desenvolvimento do município. O PIB representa o somatório de toda riqueza gerada no município e o volume dos recursos obtidos, no período analisado, é resultado do esforço do segmento empresarial e da postura assumida pela  administração pública com o gerenciamento da cidade em todos seus aspectos, tratem eles do segmento  privado e/ou  do segmento público.
Com a divulgação do ranking do PIB, pelo IBGE, no mês de dezembro de 2015, o município de Feira de Santana, saiu da 76º lugar em 2012, para o 70º lugar em   2013, com  acréscimo nominal  em seu  valor  adicionado na ordem de R$ 10.840.566.000 (dez bilhões, oitocentos e quarenta milhões e quinhentos e sessenta mil reais), representando um crescimento percentual da ordem de 19,53%.
O resultado da posição alcançada foi reflexo de uma administração publica séria, que gerou, ao longo do tempo, confiança nos investidores, a exemplo do segmento da construção civil. Quando o prefeito José Ronaldo de Carvalho, antes de sua posse em janeiro de 2013. assumiu compromissos, com o Governo Federal para execução da infra-estrutura necessária para implantação do  Programa "Minha Casa, Minha Vida", os projetos em análise, no Ministério das Cidades, foram aprovados e as contratações autorizadas. Isto porque,  todos os segmentos envolvidos no processo, tinham a certeza que os compromissos assumidos pelo poder público municipal seriam honrados.
Com o patamar de crescimento atingido, segundo a publicação do IBGE, o município avançou seis posições na classificação geral, entre os 100 maiores municípios brasileiros, em relação ao PIB a preços correntes, representando 0,20% da riqueza total do país.
O aumento percentual de 19,43 %, demonstra um crescimento percentual maior que os resultados obtidos pelos municípios mais ricos do Estado - Camaçari e Salvador - consolidando, desta maneira, a Princesa do Sertão como o 12º maior pólo econômico do Nordeste, conforme demonstrado no quadro 01

Entretanto, se levarmos em consideração o segmento do comércio e de serviços, Feira de Santana se destaca como o maior centro comercial do interior nordestino, tendo em 2013, um valor adicionado de R$ 5.737.072.000 (cinco bilhões, setecentos e trinta e sete milhões, setenta e dois mil reais), ocupando a 1ª colocação.
Complementando o somatório das riquezas de nosso município temos o setor industrial, de grande relevância para a economia local, com um valor adicionado na ordem de R$ 2.296.250.000 (dois bilhões, duzentos e noventa e seis milhões, duzentos e cinqüenta mil reais), representando 6,30 % do valor adicionado do Estado, graças ao crescimento da construção civil e ao Centro Industrial do Subaé (CIS). No setor Administração, saúde e educação pública e seguridade social, o município teve um valor adicionado de R$ 1.165.782.000 (hum bilhão, cento e sessenta e cinco milhões, setecentos e oitenta e dois mil reais),classificando o mesmo em 73º lugar entre os 100 maiores municípios, com uma participação percentual de 0,16%. O setor da Agropecuária teve um valor adicionado da ordem de R$ 43.358.000 (quarenta e três milhões e trezentos e cinqüenta e oito reais).
De acordo com o IBGE (2015), os resultados do PIB dos Municípios, permitem identificar áreas de geração de renda, captando as especificidades do país, podendo se estabelecer uma reação comparativa com o desenvolvimento econômico de uma determinada região e desmistificando noticias da queda de seu crescimento. Para realizar seu cálculo é considerada a soma do valor de todos os serviços e bens produzidos durante um período determinado de tempo, que costuma ser de um ano.
A posição obtida pelo município de Feira de Santana, em 2013, de 12º município mais rico do Nordeste, é reflexo da marca da administração implementada pelo prefeito José Ronaldo de Carvalho, que consegui em sua volta ao Paço Municipal, em 2013, com trabalho e confiança  dos diversos segmentos da sociedade feirense e de sua população,  resgatar o respeito de toda comunidade feirense ao poder público municipal.
Temos a convicção que a posição alcançada é produto de um trabalho sério e pautado na certeza que sem a ajuda da comunidade nenhum município pode prosperar. Esta máxima está muito bem assimilada pelo prefeito José Ronaldo de Carvalho desde  sua passagem pelo governo municipal,  no período de 2001 a 2008, quando Feira de Santana saiu de um PIB, a preços correntes,  de R$ 1.657.584.000 (hum bilhão, seiscentos e cinqüenta e sete milhões e quinhentos e oitenta e quatro mil reais) para R$ 5.379.000.000 (cinco bilhões, trezentos e setenta e nove milhões de reais), representando um aumento percentual de 225%.
Fonte: IBGE

Podemos afirmar que o excelente desempenho de nossa economia, pode ser observado no crescimento das oportunidades que o mercado feirense oferece, provocando uma forte  demanda para realização de novos investimentos na cidade, conforme comprovou a respeitabilíssima empresa americana de Auditoria e Consultoria - Price Waterhouse (PWC), quando realizou o Estudo Sondagem Empresarial, “A FORÇA DE FEIRA DE SANTANA”.
Por fim, queremos louvar e agradecer as palavras proféticas de Dr. Filinto Justiniano Ferreira Bastos, em uma bela conferência realizada no Cine-Teatro Santana, em nossa cidade, no dia 30 de junho de 1917, quando disse: “Sim, meus senhores, meus olhos talvez não possam contemplar, mas verão muitos, com certeza, altear-se sobre este formoso planalto uma cidade rejuvenescida, movimentada, opulenta, aureolada das luzes da instrução e do saber, ostentando as jóias que lhe ofertou a natureza e que o amor da pátria, consagrado pela civilização, poliu e aperfeiçoou, para lhe realçar a beleza, esmerando-se em adorná-la carinhosamente, com extraordinária solicitude, como se o fizesse à própria noiva do sol”. 
Carlos Brito é contador, mestre em Contabilidade Empresarial, professor da Universidade Estadual de Feira de Santana e secretário de Planejamento de Feira de Santana.

"Um engenheiro e um porteiro no meio do caminho da história da carochinha de Lula"

Por Reinaldo Azevedo
Bem, a reportagem de ontem (quarta-feira, 27) do Jornal Nacional, que trouxe o conteúdo do depoimento do engenheiro Armando Dagre ao Ministério Público de São Paulo, parece ter coroado o que, a esta altura, já está claro, não? Dagre foi o responsável pela reforma no apartamento 164 A, no Condomínio Solaris, o tríplex que seria da família do ex-presidente Lula.
O engenheiro conta que a reforma foi contratada pela OAS e teve um custo total de R$ 777 mil, entre instalação de um elevador privativo, construção de uma nova piscina e a troca das escadas. Dagre relatou também o dia em que a mulher de Lula foi conhecer o tríplex. Disse que estava reunido com um representante da OAS no local "quando dona Marisa Letícia adentrou o apartamento acompanhada por um rapaz e dois senhores". O rapaz era um dos filhos do casal, Fábio Luís, o Lulinha, e os "dois senhores" eram um engenheiro da OAS e o ex-presidente da empreiteira, Léo Pinheiro.
A Promotoria também tomou o depoimento do zelador do condomínio, José Afonso Pinheiro, que trabalha no local desde 2013. Questionado se Lula esteve no prédio, Pinheiro disse que já viu o ex-presidente lá. Segundo ele, o chefão petista chegava normalmente em dois carros com seguranças que "prendiam" o elevador para a família, o que provocava reclamações de outros moradores.
O zelador contou, ainda, que a OAS sempre "limpava o prédio e colocava flores para receber a família do ex-presidente". No depoimento, José Afonso Pinheiro disse também que um funcionário da empreiteira pediu a ele que não falasse que o apartamento era de Lula e da mulher, "mas da OAS".
Eis aí: o maior legado pessoal de Lula à cultura política brasileira são as histórias oblíquas, os rolos, as meias-verdades, que mentiras inteiras são. Eis o "homem mais honesto do mundo", segundo ele próprio, visto de perto, à luz da realidade.
Isso vem de longe, não é?, de um tempo em que a imprensa, ocupada demais em incensá-lo como o demiurgo de uma nova era, achava de maus bofes perguntar como, afinal de contas, ele vivia e quem pagava as contas. Desde sempre houve, por exemplo, um Roberto Teixeira no meio do caminho - o mesmo Teixeira que é o dono oficial, diga-se, do apartamento de Luís Cláudio, aquele filho de Lula enrolado na operação Zelotes. E de quem o advogado comprou o imóvel? De uma offshore que fica num paraíso fiscal.
O que há de ilegal em Luís Cláudio seguir os passos do pai e morar de graça no apartamento de um empresário milionário? Nada! O que há de ilegal no fato de esse empresário ter comprado o imóvel de uma offshore? Nada! O que há de ilegal em ser essa offshore situada num paraíso fiscal? Nada também. Essas coisas acontecem todo dia, não é mesmo? Essa é a rotina das pessoas comuns.
Esse imóvel de Luís Cláudio é avaliado entre R$ 1,5 milhão e R$ 2 milhões. Seu irmão mais velho, Lulinha - aquele que era monitor de Jardim Zoológico quando o pai chegou ao poder e se tornou um próspero empresário pouco depois, com a ajuda de uma empresa de telefonia de que o BNDES era sócio -, também mora, até onde se sabe, de graça no imóvel de um outro amigo, este um pouco mais caro: estima-se o valor de mercado em R$ 6 milhões. O proprietário oficial é seu sócio, Jonas Suassuna.
Aí há um sítio em Atibaia, também reformado pela OAS, segundo as vontades e os gostos de Lula. Toda a cidade conhece a propriedade como "o sítio de Lula" - até pelo aparato de segurança que toma o local quando o Primeiro Companheiro chega, né? Suassuna é, oficialmente, o dono desse imóvel também.
A coisa toda já começa a assumir ares de comédia vulgar, de bufonaria.
Há algo de errado quando as verdades do "homem mais honesto do mundo" precisam de um mapa desenhado por advogados para que possam ser compreendidas.
Lula e seus defensores resolveram abraçar o caminho da farsa para não ter de dar explicações claras: a cada vez que surge uma nova evidência de que a história está mal contada, eles gritam: "Ah, querem pegar Lula!". Digamos que isso fosse verdade e que houvesse tal predisposição, cabe a pergunta: e se ele for pego por coisas que realmente fez? A eventual predisposição de seus adversários o absolve previamente de eventuais crimes?
Ninguém mais cai nessa conversa.
Fonte: http://veja.abril.com.br/

"TCU exige demissão da turma de Tiago Cedraz"

Os ministros do Tribunal de Contas da União estão à espera de que o presidente, Aroldo Cedraz, demita três titulares de cargos de direção, dois dos quais indicados por seu filho, advogado Tiago Cedraz, várias vezes citado e alvo de mandado de busca na Lava Jato. Um deles, Daniel Maia, é íntimo e concunhado de Tiago, titular da estratégica secretaria que monitora toda a área de Energia do governo federal.
Acordo não honrado
A demissão da dupla foi acertada antes da recondução de Aroldo Cedraz ao cargo, mas o presidente do TCU reluta em honrar o acordo.
Neonepotismo
Alguns ministros reconhecem que Daniel, o concunhado, é competente, mas a relação familiar pesa contra ele.
Compadrio
Experiente ministro diz que há no TCU a "forte percepção" de que Aroldo Cedraz não segue critérios de meritocracia, e sim de compadrio.
Baixou o nível
Outro ministro afirmou observar que os melhores quadros recusam função de direção e que, hoje, um segundo time dirige o TCU.

Fonte: Claudio Humberto

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

"Lula, o imaculado"

Por Percival Puggina
No último dia 20, o ex-presidente reuniu-se com blogueiros amigos na sede do Instituto Lula. Blogueiros amigos são aqueles regiamente remunerados pela sociedade brasileira para promoverem a defesa do governo em seus blogs e sites. Não conheço a todos, mas os que conheço têm vultoso patrocínio do governo, de seu partido e de empresas estatais (em alguns casos esses patrocínio já alcança, ao longo dos anos, a casa dos sete dígitos). Creio que só isso deveria ser considerado suficiente para estabelecer um clima pouco propício a jactância e brincadeiras. Opinião a soldo? Sei não.
Durante esse encontro, sentindo-se mais protegido pela gratidão dos circunstantes, Lula queixou-se da perseguição que alega estar sofrendo. Logo ele, alma sem jaça, cristal sem trinca, sendo mal falado e tendo seus negócios como objeto de investigações e especulações. Quem o ouve pode ser levado a crer que montou um governo e formou maioria parlamentar para si e para sua sucessora entre a mais nobre elite da política nacional. Até parece que entre os bons, buscou os melhores. Não é mesmo, Celso Daniel? Lula parece esquecer que após 13 anos no poder, seu partido e seus defensores estão constrangidos a se medirem com a régua que usavam para aferir seus adversários. E não conseguem ser muito otimistas. É uma linha de defesa que lembra o Tavares, aquele personagem canalha criado por Chico Anísio: "Sou, mas quem não é?".
O excesso de auto-estima de Lula é muito bem representado por frases como a que proferiu em 8 de abril de 2005, após a missa celebrada durante o funeral de João Paulo II. Inquirido por jornalista se havia confessado para poder comungar, o então presidente de primeiro mandato saiu-se com esta: "Sou um homem sem pecados". O escândalo do mensalão viria a público 36 dias depois.
Pois eis que, agora, durante o encontro com a fagueira comunidade de seus blogueiros, o ex-presidente, subiu o tom da gabolice e disparou: "Se tem uma coisa que eu me orgulho, neste país, é que não tem uma viva alma mais honesta do que eu. Nem dentro da Polícia Federal, nem dentro do Ministério Público, nem dentro da Igreja Católica, nem dentro da Igreja Evangélica. Pode ter igual, mas mais do que eu, duvido."
Pensando sobre a distância que medeia entre essa frase e a vida pessoal, familiar e política de Lula, sou levado a suspeitar de que nosso messias de Garanhuns, o santo, o imaculado, está preparando caminho para ser declarado inimputável por problemas mentais. Convenhamos, Lula!

Sessões lotadas de "Os Dez Mandamentos - O Filme"


Maior fenômeno de público do cinema brasileiro
 
"Os Dez Mandamentos - O Filme" entrou nesta quinta-feira, 28, nos cinemas com mais de três milhões de ingressos vendidos com antecedência em todo o país - em Feira de Santana, não houve venda antecipada no Orient Cinemas Boulevard. A partir de hoje é que os ingressos estão sendo vendidos.
As duas primeiras sessões deste primeiro dia, às 13h30 e 16 horas, tiveram ocupação total da Sala 4, de 261 lugares. As duas sessões restantes, às 18h30 e 21 horas, também estão com ingressos vendidos. 
Segundo a gerente, Cleonice Oliveira, só existem ingressos disponíveis para a segunda-feira, 1º de fevereiro, e quarta-feira, 3. 
Assim, nesses primeiros dias movimentação com lotação no Multiplex. "Os Dez Mandamentos" inicia sua caminhada para ser o maior fenômeno de público do cinema brasileiro.

"Lula e os petistas continuam a exigir a inimputabilidade para o poderoso chefão do partido"



Por Reinaldo Azevedo
Luiz Inácio Lula da Silva, ministros do governo Dilma e a própria presidente se dedicam a um trabalho de intimidação da Polícia Federal e do Ministério Público para tentar impedir que o chefão petista seja investigado. Assim tem sido desde o início da Lava Jato.
Mas, afinal de contas, Lula é ou não é um investigado? A Força Tarefa deflagrou a 22ª fase da operação, batizada de Tiplo X. Não é preciso ser muito bidu para perceber aí o trocadilho com "tríplex", e o tríplex mais famoso da República é um que a assessoria de Lula disse já ter sido seu e que, no momento, pertence oficialmente à empreiteira OAS. Trata-se da unidade 164 A do Edifício Solaris, no Guarujá.
Qual é o busílis? O Edifício Solares pertencia à Bancoop, cooperativa que já foi dirigida por João Vaccari Neto e que deu um beiço em pelo menos três mil associados, que não receberam seus imóveis. A entidade foi acusada de transferir dinheiro para o PT.
A Bancoop passou o edifício para a OAS. A Força Tarefa desconfia que imóveis foram "doados" a petistas em troca de facilidades com a Petrobras. Todos os apartamentos estão sob investigação, concentrada, informa o MP, em 11 unidades. Entre estas, está aquela que já teria pertencido ao ex-presidente, segundo sua própria assessoria.
Em outra frente, o Ministério Púbico Estadual, de São Paulo, já investiga o imóvel que pertenceu a Lula. Em entrevista à mais recente edição da revista VEJA, o promotor Cássio Conserino afirmou que vai denunciar o ex-presidente por lavagem de dinheiro.
Pelo menos oito unidades das onze apontadas nas investigações continuam em nome da OAS, entre eles o apartamento de Lula. Outros dois estão em nome de Freud Godoy (133-A), ex-assessor especial da Presidência da República no governo do PT, e de Sueli Falsoni Cavalcante (43-A), funcionaria da construtora. O apartamento de Sueli seria da mulher do Vaccari. O terceiro está em nome da offshore Murray, alvo principal das investigações desta quarta-feira.
Notem: o apartamento de Lula está sob investigação, mas ele, oficialmente ao menos, não.
Esta quarta foi um Deus-nos-acuda! Tão logo começou a circular a informação de que o imóvel esta na mira da PF, uma porção de autoridades graúdas do partido resolveu se manifestar - inclusive Dilma Rousseff, que disse coisas incompreensíveis. Em nota, o Instituto Lula negou que o ex-presidente tenha cometido alguma irregularidade e acusa uma espécie de complô.
Mas não foi o único. Jaques Wagner, da Casa Civil, esquecendo-se de que deve falar como ministro de Estado, não como esbirro de partido, saiu a anunciar a inocência de Lula. Como ele sabe? Conhece os detalhes do caso?
Embora, para todos os efeitos, Lula não seja um investigado, Wagner saiu em sua defesa e disse que o ex-presidente "virou objeto de desejo".
José Eduardo Cardozo, da Justiça, também falou sobre o caso, afirmando que não passa de especulação a afirmação de que o alvo dessa fase seja Lula.
Gritaria
Já revelei aqui o truque do chefão petista e do partido. Consiste em sair gritando por aí que "estão querendo pegar Lula" para que jamais se pegue Lula mesmo que existam motivos para isso. Em parte ao menos, a manobra funciona. Formalmente falando, o ex-presidente, saibam, não é um investigado. E não deixa de ser um rebaixamento de sua, digamos assim, grandeza o fato de a investigação que mais se aproxima dele ser esta da Bancoop.
Há sinais de que houve lambança nisso tudo? Aos montes. Observem que não existe papo direto e reto com petistas. As explicações são sempre rocambolescas e nebulosas. Dado o número de associados prejudicados, é coisa grande.
Mas pergunto: esse lance de certa lateralidade da Lava Jato faz justiça à importância de Lula na investigação? A resposta, lamentavelmente, é não. Acho um espanto que, depois das delações de Fernando Baiano e de Nestor Cerveró, ambas homologadas, não haja um procedimento formalmente aberto para investigar a atuação de Lula no contrato que o Grupo Schahin fez para administrar um navio-sonda. Uma vez celebrado, o grupo esqueceu uma dívida do PT que estava na casa dos R$ 60 milhões.
Entenderam meu ponto? Mesmo com essa investigação em curso, Lula continua a ser tratado como inimputável. Sim, é certo que ele pode se enrolar se ficar provada uma tramoia envolvendo o apartamento. Mas convenham: isso é muito pouco, não é mesmo?, depois das delações de Baiano e Cerveró?
Alguém dirá que se trata de uma tática do Ministério Público Federal. Pode ser. Mas eu acho que chegou a hora de parar com esse negócio. Ao contrário do que sugere Jaques Wagner, Lula não está acima de qualquer suspeita. A considerar as delações de Baiano e Cerveró, ele é o fio que ajuda a desenrolar o resto.

"Lava Jato chega à comunicação do governo"



A força-tarefa da Lava Jato volta suas atenções agora para a área de comunicação do governo, com foco na Petrobras, Caixa e BNDES. Juntas, as três movimentam cerca de R$1 bilhão por ano, em verbas publicitárias. "É hora de abrir essa gaveta", afirmou fonte ligada às investigações. "Gaveta" é como chamam na força-tarefa os temas que aguardam o momento adequado para serem investigados. Nessas "gavetas" estão depoimentos e provas obtidas em mandados de busca.  
Chefia cobiçada
Um dos alvos, Wilson Santarosa ocupou por 12 anos, desde o início do governo Lula, a cobiçada chefia de comunicação da Petrobras.
Elo de André Vargas
Outro alvo, Clauir Santos, ex-diretor de Marketing da Caixa, é suspeito de integrar o esquema do ex-deputado André Vargas, hoje preso.
Aposentadoria
Após perderem os cargos na Petrobras e na Caixa, Wilson Santarosa e Clauir Santos desfrutam atualmente de confortável aposentadoria.
Caixa preta aberta
Além do BNDES, investigadores da Lava Jato devem também devassar as áreas de comunicação de outros órgãos da administração federal.
Fonte: Claudio Humberto

Os primeiros filmes nacionais vistos



Em postagem no Blog Demais em 16 de março de 2013, relacionei os primeiros filmes vistos no período de seis anos, entre 1955 e 1960. Foi um total de 129 títulos, assistidos nos cines Íris, Plaza, Santanópólis e Madrid, as quatro salas existentes no período. Desses, 18 filmes foram nacionais e tão somente um título - "O Ébrio" (Poster) - não foi do gênero chanchada, as comédias musicais que dominavam o cinema brasileiro na época - cinco delas dirigidas por Carlos Manga e quaro por . B. Tanko.
Eis os filmes: O PETRÓLEO É NOSSO, de Watson Macedo, 1954; SAI DE BAIXO, de J. B. Tanko, 1956; CARNAVAL EM MARTE, de Watson Macedo, 1955; ANGU DE CAROÇO, de Eurides Ramos, 1954; METIDO A BACANA, de J. B. Tanko, 1957; COLÉGIO DE BROTOS, de Carlos Manga, 1956; O NOIVO DA GIRAFA, de Vitor Lima, 1957; GAROTAS E SAMBA, de Carlos Manga, 1957; O ÉBRIO, de Gilda de Abreu, 1946; CHICO FUMAÇA, de Vitor Lima, 1958; PAPAI FANFARRÃO, de Carlos Manga, 1956; GUERRA AO SAMBA, de Carlos Manga, 1955; O BOCA DE OURO, de Eurides Ramos, 1956; TRABALHOU BEM, GENIVAL!, Luiz de Barros, 1955; 13 CADEIRAS, de Francisco Eichorn, 1957; DE VENTO EM POPA, de Carlos Manga, 1957; ENTREI DE GAIATO, de J. B. Tanko, 1960; e COM ÁGUA NA BOCA, de J. B. Tanko, 1956.

Chegou o grande dia - "Os Dez Mandamentos - O Filme"

Charge de Sponholz




                                            Fonte: Roque Sponholz

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Filmes em Exibição no Orient Cinemas Boulevard



Período até 3 de fevereiro 
LANÇAMENTOS NACIONAIS
OS DEZ MANDAMENTOS – O FILME,de Alexandre Avancini, 2016. Com Guilherme Winter, Sergio Marone, Camila Rodrigues, Petrônio Gontijo, Gisele Itié, Paulo Gorgulho e Vera Zimmermann. Drama. A saga de Moisés, desde seu nascimento até a chegada de seu povo à Terra Prometida, passando pela fuga do Egito através do Mar Vermelho e o encontro com Deus no Monte Sinai. Não recomendável para menores de 12 anos. Duração: 120 minutos. Horários: 13h30, 16 horas, 18h30 e 21 horas. Sala 4 (261 lugares).
CAÇADORES DE EMOÇÃO: ALÉM DO LIMITE (Point Break) de Ericson Core, 2015. Com Luke Bracey, Edgar Ramirez, Teresa Palmer e Ray Winstone. Ação. Um jovem agente do FBI, Johnny Utah, se infiltra em uma equipe de atletas aventureiros, liderados pelo carismático Bodhi. Eles são os principais suspeitos em uma onda de crimes incomuns. Disfarçado, e com a vida em perigo iminente, o agente se esforça para provar que os atletas são os arquitetos da sequência de crimes. Não recomendável para menores de 14 anos. Duração: 114 minutos. Horários: 16h30 e 18h55, com cópia dublada e 21h20, com cópia legendada. Sala 3 (165 lugares).
CONTINUAÇÕES
A 5ª ONDA (The 5th Wave), de J. Blakeson, 2015. Com Chloe Grace Moretz e Liev Schreiber. Ficção-científica. Uma série de ataques alienígenas atinge a Terra. Na primeira onda, a eletricidade é retirada do planeta. Na segunda, um tsnunami mata 40% da população. Na terceira onda, os pássaros transmitem um vírus que mata 97% dos resistentes. Na quarta, a adolescente Cassie está sozinha e vai ter que descobrir em quem pode confiar. Em segunda semana. Não recomendável para menores de 14 anos. Duração: 112 minutos. Horários: 15h40 e 18h10, com cópia dublada, e 20h40, com cópia legendada. Sala 1 (240 lugares). 
SNOOPY & CHARLIE BROWN: PEANUTS: O FILME (The Peanuts Movie), de Steve Martino, 2015. Animação. Snoopy embarca em sua maior missão, quando ele alcança o céu atrás de seu arqui-inimigo, o Barão Vermelho, enquanto seu melhor amigo, Charlie Brown, inicia a sua própria missão. Em terceira semana. Cópia dublada. Classificação livre. Duração: 88 minutos. Horários: 15h10 e 17h10. Sala 2 (158 lugares). 
REZA A LENDA, de Homero Olivetto, 2015. Com Cauã Reymond, Sophie Charlotte, Humberto Martins e Luiza Arraes. Drama. Ara é o líder de um bando de motoqueiros armados que acredita em uma antiga lenda capaz de devolver justiça e liberdade ao povo da região. Quando realizam um ousado roubo, acabam despertando a fúria do poderoso Tenório. Em segunda semana. Não recomendável para menores de 14 anos. Duração: 87 minutos. Horários: 19h10 e 21h10. Sala 2. 
ALVIN E OS ESQUILOS: NA ESTRADA (Alvin And The Chipmunks: Road Chip), de Phil Lord e Chris Miller, 2015. Com Jason Lee. Live action e animação. Os esquilos Alvin, Simon e Theodore passam a acreditar que Dave vai pedir sua nova namorada em casamento e despejá-los. Eles têm três dias para impedir o pedido, salvando-se não só da perda dele, mas possivelmente de ganhar um meio-irmão. Em sexta semana. Cópia dublada. Classificação livre. Duração: 93 minutos. Horário: 14h30. Sala 3. 
ENDEREÇO E TELEFONES 
Orient Cinemas Boulevard - Multiplex do Boulevard Shopping, telefax 3225-3185 e telefone 3610-1515 para saber informações sobre programas e horários.
(Com informações do Departamento de Marketing de Orient Cinemas)

Um filme sobre circo

Com sete anos de idade, comecei a assistir filmes. Como mantenho até hoje a prática de fazer cadernos de filmes, posso lembrar que o 19º filme visto, então com 10 anos de idade, em 1958, no Cine Íris, uma das quatro salas de cinema existentes na época em Feira de Santana - as outras eram Madrid, Plaza e Santanópólis - foi "A Morte Ronda o Espetáculo" (Ring of Fear), de James Edward Grant, 1954.
Trata-se de um drama de mistério passado em um circo (de Clyde Beatty, que faz seu próprio papel de dono). Na ação, um maníaco homicida (Sean McClory) se integra ao ambiente do circo e provoca uma série de acidentes para arruinar o espetáculo. É quando é chamado um escritor policial (o autor de romances policiais Mickey Spillane como um detetive) para solucionar o caso, que tem como alvo uma bela trapezista (Marian Carr).
Tenho o filme em minha coleção de DVD. Foi lançado pela Paramount, com o nome de "O Circo do Medo". Com o exemplar em mão, a descoberta de que foi produzido por John Wayne para a sua Batjac Production Company. Que além de James Edward Grant, também roteirista, William A. Wellman foi co-diretor. Que o ator Paul Fix foi um dos roteiristas. O escritor Mickey Spillane (09.03.1918-17.07.2006) criou o personagem Mike Hammer (de filmes como "A Morte Num Beijo" (Kiss Me Deadly), de Robert Aldrich, 1954, com Ralph Meeker).
Em "Marty", de 1955, que ganhou o Oscar de Melhor Filme, Melhor Ator (Ernest Borgnine), Melhor Diretor (Delbert Mann) e Melhor Roteiro (Paddy Chayefsky, em uma cena de Marty (Borgnine) caminhando com Clara (Betsy Blair) no Bronx, em Nova York, aparece o poster de "Ring of Fear" na frente de um cinema. 
Interessante que na mesma época, antes de "A Morte Ronda o Espetáculo", a assistência de outros dois filmes sobre a temática circense: "Trapézio" (Trapeze), de Carol Reed, 1956, com Burt Lancaster, Tony Curtis e Gina Lolobrigida, filme que inaugurou reforma com CinemaScope no Íris, em 1958; e "A Tragédia Conduz o Espetáculo", de C. Borghezio, 1955.

Zé Neto se reúne com 14 pré-candidatos a vereador

Com apenas um dos vereadores eleitos do PT, Beldes Ramos, o deputado estadual Zé Neto manteve reunião na terça-feira, 26, com 14 pré-candidatos à Câmara Municipal. O vereador Alberto Nery não esteve presente. Outro vereador eleito em 2013 pelo partido, Pablo Roberto, não é mais filiado e bandeou-se para o PMDB. O ex-vereador Marialvo Barreto não apareceu.
Presentes Conceição Borges (1.976 votos), Weldes Queiroz (1.111 votos), Ronaldo Salomão (1.064 votos), José Rocha (823 votos) e Guilhermino Vaccarezza (803 votos). Também os que vão disputar eleição pela primeira vez, como o sobrinho de Zé Neto, Danilo Ferreira, o assessor de Zé Neto, Tarcísio Branco, mais o presidente do Sindicato Rural Zé Grande e os desconhecidos Ana Rita, Jessé, Neila Reis, Paulo de Tarso e Rosália.  
Segundo relise enviado pela assessoria do deputado o objetivo foi "fazer uma avaliação da conjuntura municipal, estadual e nacional, visando o processo eleitoral".

Lembrando o ator e cantor espanhol Joselito

Joselito - "el niño de la voz de oro, cantando las mas belas canciones de su repertorio mondiale" - teve seu apogeu quando criança, no final dos anos 50 e início dos anos 60, estrelando filmes de grande sucesso de público.
Em Feira de Santana, seus filmes foram exibidos no Cine Santanópolis. A fila para compra de ingresso dobrava a esquina da Prefeitura e ia até a esquina da rua J. J. Seabra, onde ficava o Colégio Santanópolis.
O primeiro filme dele foi "O Pequeno Rouxinol" (El Pequeño Ruiseñor), 1957.
Em Feira, o primeiro filme visto, em 1960, como os demais, foi "Saeta, O Canto do Rouxinol" (Saeta del Ruiseñor), 1957.
Anualmente, ou quase, um filme de Joselito. Em 1961, "Escuta Minha Canção" (Escucha Mi Canción), de 1958. Em 1962, "As Aventura de Joselito" (Aventuras di Joselito en America), e "O Pequeno Coronel" (El Pequeño Coronel), ambos de 1960. Em 1963, "Os Dois Moleques" (Los Dos Golfilos), de 1960; e "Sublime Recordação" (Belo Recuerdo), de 1961. Em 1964, "O Cavalinho Branco" (El Cabalo Blanco), de 1961. E, em 1965, a visão de "O Segredo de Joselito" (El Secreto di Tomy).
À exceção de "O Cavalinho Branco", de Rafael Baledón, os demais filmes foram dirigidos por Antonio Del Amo.
Nos filmes, a presença de atores e atrizes espanhóis como Mari Carmen Alonso, Luz Marques, Enrique Rambal, Pablito Alonso, Roberto Camardiel, Sara Garcia, Barta Barri, Manoelo Zarzo, Felix Fernandez, Tomás Blanco, Fernando Sancho, além de Fabienne Dali, que nasceu nas Bahamas, do mexicano Antonio Aguilar e da argentina Libertad Lamarque, que atuou no cinema mexicano. 
Todos os filmes eram dramalhões que emocionam o público.