Nesta quinta-feira

Nesta quinta-feira
14h30 - 16h40 - 18h50 (Dub) - 21 (Leg)

*

*

*

*

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Aniversário de Raidira



Quem está aniversariando nesta sexta-feira, 28, é a bancária Raidira Paz (Foto: Facebook), bacharela em Administração, personal stylist, leitora e admiradora do Blog Demais.

Lançamentos 2014 da Walt Disney Motion Pictures




"Walt nos Bastidores de Mary Poppins", com Emma Thompson e Tom Hanks como Walt Disney
Foto: Divulgação


A Walt Disney Motion Pictures divulgando o calendário com as estreias programadas para este ano de 2014. A partir de "Need For Speed - O Filme" as estreias passam a ser às quintas-feiras. 
"Walt nos Bastidores de Mary Poppins" (Saving Mr. Banks)
Data de lançamento: 7 de março
"Tinker Bell: Fadas e Piratas" (Tinker Bell - The Pirate Fairy)
Data de lançamento: 7de março
"Need For Speed - O Filme" (Need For Speed)
Data de lançamento: 13 de março
"S.O.S. Mulheres ao Mar" (produção nacional)
Data de lançamento: 20de março
"Capitão América 2 - O Soldado Invernal" (Captain America: The Winter Soldier)
Data de lançamento: 10 de abril
"Muppets 2 - Procurados e Amados" (Muppets Most Wanted)
Data de lançamento: 15 de maio
"Malévola" (Maleficent)
Data de lançamento: 29 de maio
"Ursos" (Bears)
Data de lançamento: 12 de junho
"Guardiões da Galáxia" (Guardians of the Galaxy)
Data de lançamento: 31 de julho
"O Inventor de Jogos" (The Games Maker)
Data de lançamento: 21 de agosto
"The Hundred Foot Journey"
Data de lançamento: 28 de agosto
"Aviões 2 - Heróis do Fogo ao Resgate" (Planes Fire & Rescue)
Data de lançamento: 11 de setembro
"Alexander and the Terrible, Horrible, Not Good, Very Bad Day"
Data de lançamento: 9 de outubro
"Big Hero 6"
Data de lançamento: 6 de novembro
"McFarland"
Data de lançamento: 20 de novembro
(Com informações de Gláucia Zachariadhes, Atendimento Disney, de Selma Santos Produções e Evento)

Geddel recebe Aécio junto com ACM Neto



No segundo dia de Carnaval de Salvador, o peemedebista Geddel Vieira Lima foi cedo para o circuito Dodô, no Campo Grande, curtir a folia do Furdunço ao lado do prefeito ACM Neto. Do camarote da Prefeitura eles puderam conversar e também recepcionar o pré-candidato à presidência da República Aécio Neves (PSDB), juntamente com os deputados federais Antônio Imbassahy e Jutahy Magalhães, o ex-governador Paulo Souto e João Gualberto, ex-prefeito de Mata de São João, entre outras autoridades (Fotos: Divulgação). 
 (Com informações de Adriana Nogueira e Cinara Pereira,da Assessoria de Imprensa do PMDB da Bahia)

Feirantes


Não em Feira de Santana, mas em Paulo Afonso.
Foto: IBGE

"O PT está eufórico com a grande notícia: os companheiros presidiários não são quadrilheiros. São apenas corruptos"



Por Augusto Nunes
"O PT não róba nem dexa robá", recitava José Dirceu antes da descoberta do mensalão. Hoje, como resumiu Joelmir Betting, o partido dos ex-presos políticos se tornou um partido de políticos presos.
Antes do julgamento do mensalão, Dirceu reinava na Casa Civil, governava o PT e sonhava com a presidência da República. Hoje só reina na cela S13 da Papuda e sonha com a vida fora da cadeia.
Antes do mensalão, a seita que tem como único Deus um palanque ambulante posava de detentora do monopólio da ética. Nesta quinta-feira, a notícia de que os companheiros presidiários escaparam do regime fechado foi suficiente para antecipar o Carnaval dos devotos de Lula.
O PT, quem diria, está grávido de felicidade com a decisão que anulou a condenação de Dirceu, José Genoino e Delúbio Soares pelo crime de formação de quadrilha. Graças à bancada dos ministros da defesa, o STF resolveu que os três delinquentes não devem ser qualificados de quadrilheiros. Vão continuar engaiolados porque são a

"Capitão América 2 - O Soldado Invernal" ganha novo pôster nacional


Marvel sivulga novo pôster nacional do personagem Falcão que está presente no filme de ação e aventura "Capitão América 2 - O Soldado Invernal" (Captain America: The Winter Sodier), que estreia em todos os cinemas no dia 10 de abril deste ano.
Com direção de Anthony e Joe Russo, o filme tem no elenco Chris Evans, Scarlett Johansson, Sebastian Stan, Anthony Mackie (como Falcão), Cobie Smulders, Frank Grillo, Emily VanCamp e Hayley Atwell, além de Robert Redford como Alexander Pierce e Samuel L. Jackson como Nick Fury.
Após os cataclísmicos eventos em Nova York com "Os Vingadores" (The Avengers), "Capitão América 2: O Soldado Invernal" encontra Steve Rogers, também conhecido como Capitão América, vivendo tranquilamente em Washington, DC e tentando se ajustar ao mundo moderno. Mas quando um colega da S.H.I.E.L.D. é atacado, Steve se vê preso em uma rede de intrigas que ameaça colocar o mundo em risco. Unindo forças com a Viúva Negra, o Capitão América luta para expor a grande conspiração enquanto enfrenta assassinos profissionais enviados para silenciá-lo a todo momento. Quando a dimensão da trama maligna é revelada, o Capitão América e a Viúva Negra pedem ajuda a um novo aliado, o Falcão. Contudo, eles logo se veem enfrentando um inimigo formidável e inesperado - o Soldado Invernal.
É baseado na série de revistas em quadrinhos sempre popular da Marvel, publicada pela primeira vez em 1941. 
(Com informações de Gláucia Zachariadhes, Atendimento Disney, de Selma Santos Produções e Eventos

"MENSALÃO: Como registro para a História, a íntegra do arrasador voto do ministro Celso de Mello"



Por Ricardo Setti

Sim, muitos leitores vão dizer que o julgamento do mensalão virtualmente terminou como terminou graças a ele, o ministro Celso de Mello.
Terminou com prisão em regime aberto até para José Dirceu, que o Ministério Público considerou o "chefe da quadrilha", tese aceita pelo Supremo Tribunal até que houve a reviravolta provocada pelo exame dos embargos infringentes - graças a uma alteração na composição da corte que levou à aposentadoria dois ministros extremamente rigorosos com os mensaleiros por outros dois, mais compreensivos.
Celso de Mello é considerado por muita gente do ramo o melhor ministro do Supremo. Infelizmente, para quem desejava cadeia dura para os mensaleiros, ele chegou à conclusão, após muito estudo, de que a Constituição e as leis asseguravam aos já condenados os embargos infringentes, e os admitiu para exame.
Isso não impediu, porém, de o ministro, na sessão decisiva que - infelizmente - terminou por absolver petistas graúdos da acusação de formação de quadrilha, reduziu-lhes as penas e lhes permitirá o cumprimento de uma punição branda, expusesse um voto brilhante que, entre outros pontos, desconstruiu a tese de que o mensalão não teria passado de uma "farsa".
- Esse processo, ao contrário do que se afirmou, tornou claro que os membros da quadrilha, reunidos em uma verdadeira empresa criminosa que se apoderou do governo, agiram como dolo de planejamento, divisão de trabalho e organicidade, uma sofisticada organização criminosa - bradou o ministro, para acrescentar, em outro ponto:
- O julgamento foi plenamente legítimo e solidamente estruturado em provas lícitas, válidas e produzidas sob a égide do contraditório. A maior farsa da história política brasileira residiu nos comportamentos moralmente desprezíveis, cinicamente transgressores da ética republicana e juridicamente desrespeitadores das leis criminais do país, comportamentos perpetrados por delinquentes agora condenados, travestidos da então condição de altos dirigentes governamentais, políticos e partidários, cuja atuação dissimulou e ludibriou acintosamente o corpo eleitoral, fraudou despudoradamente os cidadãos dignos do país, quando na realidade buscavam, por meio escusos e ilícitos, por meio de condutas criminosas, articular, corromper o exercício do poder e ultrajar a dignidade das instituições republicanas.
Este blog considera que é um registro importante publicar, NA ÍNTEGRA, o voto do ministro Celso de Mello. É peça para a história.
Quem deixar de ler por estar irritado com o ministro estará perdendo uma peça antológica.
Que é a seguinte:
"27/02/2014
PLENÁRIO
EMB.INFR. NA AÇÃO PENAL 470 MINAS GERAIS
V O T O
O SENHOR MINISTRO CELSO DE MELLO: O meu voto, Senhor Presidente, com a vênia daqueles que pensam de forma contrária, nega provimento aos presentes embargos infringentes.
Ao assim julgar, reafirmo os votos que anteriormente proferi sobre a matéria, neste mesmo processo, nas sessões plenárias de 2012.
Acompanho, portanto, o substancioso voto que o eminente Ministro LUIZ FUX, Relator, proferiu na sessão de ontem, dia 26 de fevereiro.
Quero observar – e o faço com a vênia daqueles eminentes Juízes desta Corte que pensam diversamente – que o Supremo Tribunal Federal, ao proceder à operação de dosimetria penal relativamente ao crime de quadrilha, fez corretíssima aplicação do método trifásico, identificandocom plena e pertinente fundamentação, a existência de diversos fatores negativos (que foram reputados desfavoráveis aos condenados) no exame das circunstâncias judiciais a que alude o art. 59 do Código Penal, valorando-os de modo adequado e proporcional à gravidade da conduta punível, tipificada no art. 288 do Código Penal, em que incidiram os ora embargantes.
Foi uma resposta penal severa do Estado, em justa e necessária reação do ordenamento jurídico ao comportamento delinquencial gravíssimo dos condenados, ora recorrentes.
Inexistiu, portanto, segundo penso, qualquer incongruência jurídica ou interpretação arbitrária dos fatores subjacentes à exacerbação da pena-base ou inconsistência sistêmica, por parte desta Suprema Corte, na concreta aplicação da sanção penal aos ora embargantes em razão de seu comportamento delituoso pela prática do crime de quadrilha.
Fonte: Veja.com

Prefeito com governador



Na tarde de quinta-feira, 27, depois da entrega de residenciais do programa "Minha Casa, Minha Vida", no Aviário, o governador petista Jaques Wagner fez questão de que o prefeito democrata José Ronaldo o acompanhasse no carro até o Parque de Exposição João Martins da Silva, que serviu de heliporto (Fotos: Jorge Magalhães).
Não se sabe o que os dois conversaram no trajeto.



"Editorial do Estadão endossa a constatação feita pela coluna há 5 anos: os discursos de improviso de Dilma Rousseff são um desfile de frases inacabadas, parágrafos incompreensíveis e ideias sem sentido"



Por Augusto Nunes
"Os dois discursos de Dilma Rousseff estavam repletos de frases inacabadas, períodos incompreensíveis e ideias sem sentido”.
“Dilma é a representante de todos os brasileiros - e não apenas daqueles que a bajulam e temem adverti-la sobre sua limitadíssima oratória".
"Dilma continuou a cometer desatinos gramaticais e atentados à lógica".
"É possível imaginar, diante de tal amontoado de palavras desconexas, a aflição dos profissionais responsáveis pela tradução simultânea".
"Depois, em discurso a empresários, Dilma divagou, como se grande pensadora fosse, misturando Monet e Montesquieu – isto é, alhos e bugalhos".
"A presidente julgou desnecessário preparar-se melhor para representar de fato os interesses do Brasil e falou como se estivesse diante de estudantes primários – um vexame para o País".
Embora lembrem os textos de Celso Arnaldo Araújo, as seis frases foram extraídas do editorial publicado pelo Estadão na edição de hoje (quarta-feira, 26), sob o título Ela fala pelo Brasil. Há poucos meses, o jornal descobriu o que esta coluna repete desde que abril de 2009, quando nasceu: a presidente da República não se expressa em português, mas em dilmês. Nesta quarta-feira, finalmente se rendeu à constatação aqui reiterada há cinco anos: Dilma Rousseff não fala coisa com coisa. Confira a íntegra do editorial. Volto em seguida.
Até mesmo o lusófono presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, deve ter tido sérias dificuldades para entender os dois discursos da presidente Dilma Rousseff proferidos em Bruxelas a propósito da cúpula União Europeia (UE)-Brasil. Não porque contivessem algum pensamento profundo ou recorressem a termos técnicos, mas, sim, porque estavam repletos de frases inacabadas, períodos incompreensíveis e ideias sem sentido.
Ao falar de improviso para plateias qualificadas, compostas por dirigentes e empresários europeus e brasileiros, Dilma mostrou mais uma vez todo o seu despreparo. Fosse ela uma funcionária de escalão inferior, teria levado um pito de sua chefia por expor o País ao ridículo, mas o estrago seria pequeno; como ela é a presidente, no entanto, o constrangimento é institucional, pois Dilma é a representante de todos os brasileiros - e não apenas daqueles que a bajulam e temem adverti-la sobre sua limitadíssima oratória.
Logo na abertura do discurso na sede do Conselho da União Europeia, Dilma disse que o Brasil tem interesse na pronta recuperação da economia europeia, "haja vista a diversidade e a densidade dos laços comerciais e de investimentos que existem entre os dois países" - reduzindo a UE à categoria de "país".
Em seguida, para defender a Zona Franca de Manaus, contestada pela UE, Dilma caprichou: "A Zona Franca de Manaus, ela está numa região, ela é o centro dela (da Floresta Amazônica) porque é a capital da Amazônia (…). Portanto, ela tem um objetivo, ela evita o desmatamento, que é altamente lucrativo - derrubar árvores plantadas pela natureza é altamente lucrativo (…)". Assim, graças a Dilma, os europeus ficaram sabendo que Manaus é a capital da Amazônia, que a Zona Franca está lá para impedir o desmatamento e que as árvores são "plantadas pela natureza".
Dilma continuou a falar da Amazônia e a cometer desatinos gramaticais e atentados à lógica. "Eu quero destacar que, além de ser a maior floresta tropical do mundo, a Floresta Amazônica, mas, além disso, ali tem o maior volume de água doce do planeta, e também é uma região extremamente atrativa do ponto de vista mineral. Por isso, preservá-la implica, necessariamente, isso que o governo brasileiro gasta ali. O governo brasileiro gasta um recurso bastante significativo ali, seja porque olhamos a importância do que tiramos na Rio+20 de que era possível crescer, incluir, conservar e proteger.”"É possível imaginar, diante de tal amontoado de palavras desconexas, a aflição dos profissionais responsáveis pela tradução simultânea.
Ao falar da importância da relação do Brasil com a UE, Dilma disse que "nós vemos como estratégica essa relação, até por isso fizemos a parceria estratégica". Em entrevista coletiva no mesmo evento, a presidente declarou que queria abordar os impasses para um acordo do Mercosul com a UE "de uma forma mais filosófica" - e, numa frase que faria Kant chorar, disse: "Eu tenho certeza que nós começamos desde 2000 a buscar essa possibilidade de apresentarmos as propostas e fazermos um acordo comercial".
Depois, em discurso a empresários, Dilma divagou, como se grande pensadora fosse, misturando Monet e Montesquieu - isto é, alhos e bugalhos. "Os homens não são virtuosos, ou seja, nós não podemos exigir da humanidade a virtude, porque ela não é virtuosa, mas alguns homens e algumas mulheres são, e por isso que as instituições têm que ser virtuosas. Se os homens e as mulheres são falhos, as instituições, nós temos que construí-las da melhor maneira possível, transformando… aliás isso é de um outro europeu, Montesquieu. É de um outro europeu muito importante, junto com Monet."
Há muito mais - tanto, que este espaço não comporta. Movida pela arrogância dos que acreditam ter mais a ensinar do que a aprender, Dilma foi a Bruxelas disposta a dar as lições de moral típicas de seu padrinho, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Acreditando ser uma estadista congênita, a presidente julgou desnecessário preparar-se melhor para representar de fato os interesses do Brasil e falou como se estivesse diante de estudantes primários - um vexame para o País.
Vamos acabar vencendo porque temos razão, repito a amigos compreensivelmente afetados por algum surto de pessimismo. Hoje ganhamos outra briga. Até agora, além desta coluna, só o Blog do Planalto (cujos editores decerto morrem de medo de alterar discurseiras da chefe) reproduzia sem qualquer correção ou retoque os aterradores improvisos de Dilma Rousseff.  O Estadão é o primeiro grande jornal a publicar exatamente o que a presidente disse em dilmês, não o que os redatores imaginam que o neurônio solitário queria dizer.
O restante da imprensa não demorará a entender que traduzir para o português as falas de Dilma é um desrespeito aos leitores e um pontapé no direito à informação correta. Os brasileiros merecem saber que são governados por alguém incapaz de explicar o que pensa. Se é que consegue pensar.
Fonte: "Direto ao Ponto"

Dilma repete Lula



Assim como ontem (27), quando o governo Dilma Rousseff anunciou que em 2015 o Brasil será "autossuficiente em petróleo", o ex-presidente Lula prometeu exatamente o mesmo nesta época, no ano eleitoral de 2006, quando se preparava para a campanha de reeleição. Ele jurou que a Petrobras conquistaria a definitiva autossuficiência na produção de petróleo. Oito anos depois, a promessa não foi cumprida.
Sabido, ele
Lula adotou a estratégia de tentar ofuscar denúncias contra seu governo com "descobertas" frequentes de novas reservas petrolíferas.
Produção fraca
Em março de 2006, o Brasil produzia 1,75 milhão de barris/dia. Pouco mudou: em dezembro de 2013 a média não passou de 1,96 milhão/dia.
A culpa é sua
A explicação do governo para a perda da "autossuficiência" supostamente conquistada em 2006 foi “aumento do consumo”.
Detalhes
Chance de autossuficiência só mesmo no ano de 2020, quando novas refinarias começarem a operar. Até lá o Brasil continuará importando.
Fonte: Cláudio Humberto

"Independência do Supremo - No próximo mandato presidencial, podem ser nomeados até 5 novos ministros do STF"



Por Reinaldo Azevedo
O ministro Joaquim Barbosa, presidente do Supremo, deu a entender que a independência da Corte está sob ameaça. A afirmação procede? Infelizmente, sim. Embora o resultado geral do julgamento do mensalão seja positivo - afinal, ninguém diria, há dois anos, que alguns pesos-pesados da política iriam para a cadeia por roubar dinheiro público -, é evidente que há sinais preocupantes. Por quê?
Já hoje, há apenas três ministros que não foram indicados por governos petistas: Celso de Mello, nomeado por José Sarney em 1989; Marco Aurélio Mello, nomeado por Fernando Collor em 1990, e Gilmar Mendes, nomeado por FHC em 2002. Os outros oito, ou foram escolhidos por Lula - Ricardo Lewandowski, Dias Toffoli, Carmen Lúcia e Joaquim Barbosa - ou por Dilma: Luiz Fux, Rosa Weber, Teori Zavascki e Roberto Barroso. Só para o ouvinte ter em mente: em 11 anos no poder, o PT já nomeou 12 ministros, considerando-se os que não estão mais na corte: Menezes Direito, que morreu, Eros Grau, Cézar Peluso e Ayres Britto, que se aposentaram.
Os petistas sempre demonstram grande insatisfação nos bastidores com a independência de alguns dos ministros que nomeou, especialmente em razão do processo do mensalão. Há dois, em particular, que consideram traidores: Joaquim Barbosa e Luiz Fux. João Paulo Cunha, um dos mensaleiros presos, chegou a cobrar que Barbosa fosse grato a Lula por ter nomeado um negro para a Corte, o que é uma barbaridade. Os exemplos virtuosos na petelândia, claro!, são Lewandowski e Dias Toffoli. Agora, há mais dois queridos.
O comportamento de Teori Zavascki e Roberto Barroso no julgamento dos embargos infringentes, que livraram a cara dos mensaleiros do crime de quadrilha, deixa claro que os petistas não querem mais saber de independência. Querem agora ministros que votem segundo os interesses do partido. E por que há motivos reais de preocupação?
Cresce nos bastidores do Supremo a especulação de que Joaquim Barbosa ou deixa a corte em abril, prazo máximo para poder se candidatar, ou em novembro, quando Ricardo Lewandowski, seu desafeto, assume, por dois anos, a presidência rotativa do tribunal. Celso de Mello tem de se aposentar em novembro do ano que vem, mas já manifestou a intenção de antecipar a sua saída para este ano. Assim, é possível que Dilma Rousseff, ainda que não seja reeleita, indique mais dois ministros. Caso se reeleja, aí vai ser uma festa. Em julho de 2016, chegará a vez de Marco Aurélio sair. Nesse caso, Gilmar Mendes será o único ministro não nomeado por um petista. Em 2018, vão se aposentar, pela ordem, Ricardo Lewandowski, Teori Zavascki e Rosa Weber.
Alguma esperança de o Supremo manter a sua independência? Se nem Barbosa nem Celso renunciarem neste ano, no próximo mandato presidencial, serão nomeados cinco ministros: em 2015, o substituto de Celso; em 2016, o de Marco Aurélio, e, em 2018, os de Lewandowski, Teori Zavascki e Rosa Weber. Com toda a serenidade, observo que uma eventual vitória da oposição pode ser vital também para o Poder Judiciário manter a sua independência em relação ao Poder Executivo. A corte suprema de um país não pode ser a seção de um partido ou uma extensão de um grupo ideológico, a exemplo do que acontece hoje em protoditaduras como a Venezuela, a Bolívia, o Equador ou a Nicarágua.
Fonte: "Blog Reinaldo Azevedo"

Carta Aberta do Rotary à presidente Dilma


Carta escrita pelos ex-diretores brasileiros de Rotary Internacional, enviada à presidente Dilma Rousseff, com sugestões sobre a violência no Brasil. 
23 de Fevereiro de 2014   

Carta Aberta à Excelentíssima Presidente do Brasil

Sra. Dilma Rousseff
O Rotary International, organização voluntária de prestação de serviços humanitários, nesta data em que completa seus 109 anos de ações destinadas, com prioridade, à busca da PAZ e da COMPREENSÃO MUNDIAL, representada pelos ex-diretores brasileiros  ao final mencionados, toma a iniciativa de lhe enviar a presente CARTA ABERTA, em face do que passa a expor.
É evidente, e a todos os brasileiros preocupam, a escalada da insegurança e violência que vem se disseminando pelo País, o que nos leva a uma trágica constatação de que, os fora da lei e desordeiros estão "ganhando o jogo" das forças policiais em todo o Brasil, mormente nas grandes capitais, onde imperam cinturões de pobreza.
Este clima de absoluta insegurança, sem perspectivas de uma breve solução, se arrasta há meses, atingindo a sociedade como um todo, nos segmentos mais altos até os mais pobres, que vivem momentos de constante angústia e incerteza, e que, lamentavelmente, não demonstram sinais de uma solução necessária e definitiva.
Como cidadãos brasileiros, e por priorizarmos a PAZ, a HARMONIA e a CONCÓRDIA, cremos na grandeza desta nossa querida nação, razão pela qual, tomamos a iniciativa de lhe dirigir esta CARTA ABERTA, como forma de materializarmos os nossos sentimentos e apresentarmos nossas modestas sugestões, que estamos certos, comungam com os de Vossa Excelência.
Nós e os mais de 56.000 rotarianos brasileiros, acreditamos que tal estado de coisas ultrapassou os limites da simples "preservação da ordem pública", com a proteção dos cidadãos e do patrimônio público e privado para situações excepcionais, e que, como tal, merecem soluções no mesmo diapasão.
Com o esgotamento das estruturas de segurança pública, quando a lei e a ordem estão sob ameaça, e a paz e a segurança da família brasileira correm risco, nos sentimos na obrigação de alertar as autoridades constituídas, e que tem em Vossa Excelência sua líder maior, sugerindo basicamente três enfoques principais.
Primeiro - A curto prazo
Um esforço concentrado e imediato das forças de  segurança pública, em todos os níveis, em relação aos fora da lei e arruaceiros "de encomenda", que estão se aproveitando do momento, particularmente, em face da tolerância e leniência de pessoas inconsequentes e sem compromissos com as comunidades que deveriam servir.
Segundo - A médio prazo. 
Que haja uma justa e equânime fixação dos salários de qualquer classe dos servidores públicos, incluso os profissionais de segurança pública, tendo como referencial os salários dos profissionais similares do mercado, posto que, este é um referencial saudável e justo, não recebendo influencias da vontade humana e sim do valor que a comunidade confere a utilidade do serviço prestado. 
Terceiro - A longo prazo 
O reconhecimento profissional, através de critérios justos e claros, tendo por base a meritocracia, como forma equânime do promover o necessário aproveitamento e promoção dos mais capazes.
Estas senhora Presidente, no momento, são as nossas sinceras sugestões, visando a melhoria da vida de todo o Povo Brasileiro, sem descurar dos princípios democráticos e do respeito à lei, que devem reger todas as ações, como principio dominante do estado de direito, e que, lamentavelmente, não vem ocorrendo nos lamentáveis acontecimentos que todo o povo brasileiro vem sofrendo,  verdadeiramente acuado e agredido de forma violenta, numa verdadeira negação do que acreditamos e esperamos ver praticado na busca da PAZ e da COMPREENSÃO MUNDIAL.
Atenciosamente
Mario de Oliveira Antonino
Gerson Gonçalves
José Alfredo Pretoni
Hipólito Sérgio Ferreira
Alceu Antimo Vezozzo
Luiz Coelho de Oliveira
Themístocles Américo Caldas Pinho
Antonio Hallage
José Antônio Figueiredo Antiório
Enviado por Jordivar Filgueira, do Rotary Club Brasília Lago Sul - Imagem pública do clube e do Distrito 4530

Filmes em Exibição no Orient Cineplace


Período de 28 de fevereiro a 6de março
LANÇAMENTOS NACIONAIS
SEM ESCALAS(Non-Stop), de Jaume Collet-Serra, 2014. Com Liam Neeson, Julianne Moore, Michelle Dockery, Scoot McNairy e Lupita Nyong’o. Thriller. Um policial federal precisa entrar em ação no meio de um voo internacional entre Nova York e Londres. A 40 mil pés de altitude, ele recebe uma série de mensagens de texto em código, exigindo que a companhia aérea deposite 150 milhões de dólares em uma conta corrente. Até que a transferência esteja garantida, um passageiro do voo morrerá a cada 20 minutos. Cópia dublada. Não recomendável para menores de 10 anos. Duração 109 minutos. Horários: 14h20, 16h40,19 horas e 21h20. Sala 1 (243lugares).
AS AVENTURAS DE PEABODY E SHERMAN (Mr.Peabody & Sherman), de Rob Minkoff, 2014. Animação. Sr. Peabody é um magnata, inventor, cientista, ganhador do prêmio Nobel, chef, duas vezes medalhista olímpico, gênio e também é um cachorro. Usando sua invenção, a Wabac, ele e seu filho adotivo Sherman viajam no tempo para vivenciar eventos que mudaram o mundo e interagir com as maiores personalidades da história. Mas quando Sherman quebra as regras da viagem, os dois entram em uma corrida para reparar a história e salvar o futuro, enquanto o Sr. Peabody enfrenta o maior desafio de sua vida: ser pai. Cópia dublada. Classificação Livre. Duração: 99 minutos. Horários: 14h10, 16h30, 18h50 e 21 horas. Sala 3 (167 lugares)
CONTINUAÇÕES
HÉRCULES (The Legend of Hercules), de Renny Harlin, 2014. ComKellan Lutz, Gaia Weiss e Roxana McKee. Ação e aventura.  Em 1200 antes de Cristo, na Grécia, o semi-deus Hércules, filho de Zeus, é enganado por um maléfico rei e vendido como escravo. A história também centraliza na relação de amor entre ele e a princesa mortal de Creta. Em quarta semana. Cópia dublada. Não recomendável para menores de 14 anos. Duração: 98 minutos. Horários: 14 horas, 18h30 e 20h40. Sala 2 (160 lugares).
UMA AVENTURA LEGO (The Lego Movie), de Phil Lord e Christopher Miller, 2014. Animação. Conta a história de Emmet, uma minifigura Lego® seguidora de regras e perfeitamente comum, que é erroneamente identificada como a pessoa mais extraordinária e a chave para salvar o mundo. Ele é recrutado para integrar uma sociedade de estranhos e seguir uma jornada para deter um tirano. Em quarta semana. Cópia dublada. Classificação: Livre. Duração: 104 minutos. Horário: 16h10. Sala 2.
ROBOCOP(RoboCop), de José Padilha, 2014. Com Joel Kinnaman, Michael Keaton, Gary Oldman, Samuel L. Jackson e Abbie Cornish. Ação. O ano é 2029 e o conglomerado OmniCorp é o centro da tecnologia robótica. Alex Murphy é um marido carinhoso, pai e bom policial, dando o seu melhor para conter a onda de crimes e corrupção em Detroit. Após ser ferido no cumprimento do dever, ele tem a sua vida salva pela tecnologia e retorna às ruas da cidade com novas habilidades, mas com desafios que um homem normal nunca teve de encarar antes. Em segunda semana. Cópia dublada. Não recomendável para menores de 14 anos. Duração: 117 minutos. Horários: 13h30,16 horas, 18h30 e 21 horas. Sala 4 (264lugares).
ENDEREÇO E TELEFONES
Orient Cineplace - Multiplex do Boulevard Shopping, telefax 3225-3185 e telefone 3610-1515 para saber informações sobre programas e horários.
(Com informações do Departamento de Marketing de Orient Cinemas)

Deu em Claudio Humberto


O time de Ney é fraco; nem vice vai ser



O Vitória não vai ser vice da Copa do Nordeste. O time rubro-negro não resistiu ao Ceará e foi goleado na noite de quinta-feira, 27, no Estádio Presidente Vargas, em Fortaleza, por 5 a 1. O time de Ney é fraco.

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

"A nota patética do advogado de Dirceu. Ou: segundo advogado de petista, STF prova que seu cliente é corruptor"



Por Reinaldo Azevedo
Já escrevi aqui que José Luís de Oliveira Lima, advogado de José Dirceu, se apaixonou pela causa do cliente, assim como um humorista que se apaixonasse pela piada e já não conseguisse viver sem ela.
Aproveitou o resultado da votação do Supremo para emitir uma nota, em que diz:
"O STF entendeu que jamais existiu a imaginada organização criminosa e que José Dirceu nunca foi chefe de quadrilha.
A absolvição do ex-ministro José Dirceu do crime de formação de quadrilha atinge o coração, o cerne da acusação, demonstrando de maneira cabal a peça de ficção apresentada pelo Ministério Público."
Retomo
Então tá. Converteu-se em humorista e se apaixonou pela piada. Se a decisão de hoje do Supremo prova que seu cliente não é um quadrilheiro, a outra decisão então prova que é um corruptor, certo? Ou José Dirceu não está condenado a 7 anos e 11 meses por corrupção ativa?
A nota é condizente com a pregação petista, que já está nos blogs sujos financiados por estatais e na Al Qaeda eletrônica: tomam o resultado desta quinta como a prova de que não houve mensalão. Farsantes.
Fonte: "Blog Reinaldo Azevedo"

Feira by night



Panorama de Feira de Santana à noite

Foto de Ângelo Pinto


Deputado do Psol defende pedofilia



Fonte: Comunismo Tô Fora

Trilha sonora de "O Lobo de Wall Street" com temas de outros filmes



Na trilha Sonora de "O Lobo de Wall Street", em cartaz até esta quinta-feira, 27, no Orient Cineplace, sessão às 21h10, dezenas de músicas, incluindo temas conhecidos de outros filmes. São exemplos:
"Can't Help Falling in Love", de Luigi Creatore, Hugo Peretti e George Weis.  Do filme "Feitiço Havaiano" (Blue Hawaii), 1961, com Elvis Presley.
"Goldfinger", de John Barry, Leslie Bricusse e Anthony Newlwy, com performance de Sharon Jones e The DAP-Kings. Do filme "007 Contra Goldfinger" (Goldfinger), 1967, com Sean Connery.
"Mrs. Robinson", de Paul Simon, com performance de The Lemonheads. Do filme "A Primeira Noite de um Homem" (The Graduate), 1967, com Dustin Hoffman.
"Surrey With the Fringe on Top", de Richard Rodgers e Oscar Hammerstein, com performance de Ahmad Jamal Trio. Do filme "Harry e Sally: Feitos um Para o Outro", 1989, com Billy Cristal e Meg Ryan.
"C'est Si Bon", de Henri Betti e Andre Hornez, com performance de Eartha Kitt. Do filme "Amor à Tarde" (Love in the Afternoon), 1957, com Gary Cooper e Audrey Hepburn.

"O Rumbeira"

"O Rumbeira",  Super 8 realizado em 1979, por Antonio Miranda, com assistência de Dimas Oliveira e com Galdino Neto no papel título. O filme foi digitalizado pela Fundação Senhor dos Passos. Convertido por Robson Roberto



Gaban rebate declarações de líder governista e diz que falta sintonia entre o governo e a população




O líder do Democratas na Assembleia Legislativa, deputado Carlos Gaban, considerou "lamentáveis" as declarações feitas pelo líder do governo, deputado José Neto (PT), sobre o caso da emenda apresentada pela oposição à PEC dos Royalties, e criticou a postura "equivocada" do Governo do Estado ao articular a derrubada da emenda.
Após a aprovação em primeiro turno da PEC que prevê a antecipação do uso dos recursos provenientes dos royalties do petróleo, a oposição apresentou uma emenda para destinar parte destes recursos ao setor de segurança pública, mas o governo conseguiu derrubar a emenda ao exigir que cinco deputados de sua base retirassem as suas assinaturas.
Gaban considerou "humilhante" a afirmação do líder governista de que os sete deputados de sua base que assinaram a emenda - Maria Luiza Orge, Pastor Sargento Isidório e Vando (todos do PSC); Cacá Leão (PP); Deraldo Damasceno (PSL); Capitão Tadeu (PSB) e Temóteo Brito (PSD) - não sabiam o que estavam assinando.
O democrata criticou também a declaração do petista de que a oposição queria atrasar a votação da PEC. "O atraso seria de apenas quatro dias e tenho convicção de que a segurança do nosso estado vale mais que os quatro dias de atraso", disse Gaban.
Governo sem sintonia
Gaban lamentou a postura do Governo do Estado ao derrubar uma emenda que destinaria mais recursos para a segurança pública.
"Totalmente equivocada a postura do governo ao derrubar uma emenda que possibilitaria, tanto ao atual governo como aos futuros, ter mais recursos para a segurança. Uma atitude inconcebível que mostra a falta de sensibilidade e de sintonia do governo com a população baiana, que clama por uma segurança melhor", concluiu.
 (Com informações da Agência Web Bahia