No Aprisco

No Aprisco

domingo, 30 de setembro de 2012

Deu em Claudio Humberto


Distante de José Neto


O deputado federal Sérgio Carneiro apoia seu par na Câmara Federal Nelson Pelegrino, candidato a prefeito de Salvador (Foto: Perfil de Sérgio Carneiro no Facebook). Sérgio vota em Feira de Santana, mas apoia o petista da capital e quer distância de José Neto, o candidato petista feirense. Ele dá o troco. Nas eleições de 2008, José Neto cruzou os braços.

"A hora da saideira"


Por João Ubaldo Ribeiro
 

"É forçoso concluir que o lulismo não tem conteúdo,

não é nada além do permanente empenho em manter

o ex-presidente numa posição de poder e influência"

Na semana passada, li um artigo do professor Marco Antonio Villa, que não conheço pessoalmente, mostrando, em última análise, como a era Lula está passando, ou até já passou quase inteiramente, o que talvez venha a ser sublinhado pelos resultados das eleições. Achei-o muito oportuno e necessário, porque mostra algo que muita gente, inclusive os políticos não comprometidos diretamente com o ex-presidente, já está observando há algum tempo, mas ainda não juntou todos os indícios, nem traçou o panorama completo.
O PT que nós conhecíamos, de princípios bem definidos e inabaláveis e de uma postura ética quase santimonial, constituindo uma identidade clara, acabou de desaparecer depois da primeira posse do ex-presidente. Hoje sua identidade é a mesma de qualquer dos outros partidos brasileiros, todos peças da mesma máquina pervertida, sem perfil ideológico ou programático, declamando objetivos vagos e fáceis, tais como "vamos cuidar da população carente", "investiremos em saneamento básico e saúde", "levaremos educação a todos os brasileiros" e outras banalidades genéricas, com as quais todo mundo concorda sem nem pensar.
No terreno prático, a luta não é pelo bem público, nem para efetivamente mudar coisa alguma, mas para chegar ao poder pelo poder, não importando se com isso se incorre em traição a ideais antes apregoados com fervor e se celebram acordos interesseiros e indecentes.
A famosa governabilidade levou o PT, capitaneado por seu líder, a alianças, acordos e práticas veementemente condenadas e denunciadas por ele, antes de chegar ao poder. O "todo mundo faz" passou a ser explicação e justificativa para atos ilegítimos, ilegais ou indecorosos.
O presidente, à testa de uma votação consagradora, não trouxe consigo a vontade de verdadeiramente realizar as reformas de que todos sabemos que o Brasil precisa - e o PT ostentava saber mais do que ninguém.
No entanto, cadê reforma tributária, reforma política, reforma administrativa, cadê as antigas reformas de base, enfim? O ex-presidente não foi levado ao poder por uma revolução, mas num contexto democrático e teria de vencer sérios obstáculos para a consecução dessas reformas.
Mas tais obstáculos sempre existem para quem pretende mudanças e, afinal, foi para isso que muitos de seus eleitores votaram nele.
O resultado logo se fez ver. Extinguiu-se a chama inovadora do PT, sobrou o lulismo. Mas que é o lulismo? A que corpo de ideias aderem aqueles que abraçam o lulismo? Que valores prezam, que pretendem para o país, que programa ou filosofia de governo abraçam, que bandeiras desfraldam além do Bolsa Família (de cujo crescimento em número de beneficiados os governantes petistas se gabam, quando o lógico seria que se envergonhassem, pois esse número devia diminuir e não aumentar, se bolsa família realmente resolvesse alguma coisa) e de outras ações pontuais e quase de improviso?
É forçoso concluir que o lulismo não tem conteúdo, não é nada além do permanente empenho em manter o ex-presidente numa posição de poder e influência. O lulismo é Lula, o que ele fizer, o que quiser, o que preferir.
Isso não se sustenta, a não ser num regime totalitário ou de culto à personalidade semirreligioso. No momento em que o ex-presidente não for mais percebido como detentor de uma boa chave para posições de prestígio, seu abandono será crescente, pois nem mesmo implica renegar princípios ou ideais. Ele agora é político de um partido como qualquer outro e, se deixou alguma marca na vida política brasileira, esta terá sido, essencialmente, a tal "visão pragmática", que na verdade consiste em fazer praticamente qualquer negócio para se sustentar no poder e que ele levou a extremos, principalmente considerando as longínquas raízes éticas do PT. Para não falar nas consequências do mensalão, cujo desenrolar ainda pode revelar muitas surpresas.
O lulismo, não o hoje desfigurado petismo, tem reagido, é natural. Os muitos que ainda se beneficiam dele obviamente não querem abdicar do que conquistaram. Mas encontram dificuldades em admitir que sua motivação é essa, fica meio chato. E não vêm obtendo muito êxito em seus esforços, porque apoiar o lulismo significa não apoiar nada, a não ser o próprio Lula e seu projeto pessoal de continuar mandando e, juntamente com seu círculo de acólitos, fazendo o que estiver de acordo com esse projeto.
Chegam mesmo à esquisita alegação de que há um golpe em andamento, como se alguém estivesse sugerindo a deposição da presidente Dilma. Que golpe? Um processo legítimo, conduzido dentro dos limites institucionais?
Então foi golpe o impeachment de Collor e haverá golpe sempre que um governante for legitimamente cassado? Os alarmes de golpe, parecendo tirados de um jornal de trinta ou quarenta anos atrás, são um pseudoargumento patético e até suspeito, mesmo porque o ex-presidente não está ocupando nenhum cargo público.
É triste sair do poder, como se infere da resistência renhida, obstinada e muitas vezes melancólica que seus ocupantes opõem a deixar de exercê-lo. O poder político não é conferido por resultados de pesquisas de popularidade; deve-se, em nosso caso presente, aos resultados de eleições.
O lulismo talvez acredite possuir alguma substância, mas os acontecimentos terminarão por evidenciar o oposto dessa presunção voluntarista. Trata-se apenas de um homem - e de um homem cujas prioridades parecem encerrar-se nele mesmo. Mas sua saída de cena não deverá ser levada a cabo com resignação.
Ele insistirá e talvez ainda o vejamos perder outra eleição em São Paulo. Não a do Haddad, que aparentemente já perdeu. Mas a dele mesmo, depois que o mundo der mais algumas voltas e ele quiser iniciar uma jornada de volta ao topo, com esse fito candidatando-se à prefeitura de São Paulo.
* João Ubaldo Ribeiro é escritor
Fonte: "O Globo"

"Mensalão: Chegou a vez de José Dirceu e companhia"


Depois de condenar os políticos que receberam propina
e sepultar definitivamente a versão de caixa dois eleitoral,
o Supremo Tribunal Federal julga nesta semana
o núcleo do PT acusado de montar e operar
o maior esquema de corrupção da história

 
CÚPULA MENSALEIRA - O STF vai julgar os petistas José Dirceu, Delúbio Soares e José Genoino por crimes de corrupção ativa e formação de quadrilha (Montagem sobre fotos Caio Guatelli/Folhapress/Cristiano Mariz e Dorivan Marinho)
Falta apenas a viga mestra no edifício legal que vem sendo construído pelo Supremo Tribunal Federal (STF ) nos trabalhos de julgar o milionário esquema de compra de apoio parlamentar comandado pelo PT no primeiro mandato do ex-presidente Lula.
Essa peça fundamental começa a ser delineada nesta semana, quando os ministros passam a julgar o núcleo político do esquema, os cabeças do alto comando do partido do governo, os principais réus do mensalão. Uma importante fase foi superada na semana passada, quando os ministros condenaram por corrupção passiva réus de quatro partidos que receberam dinheiro do maior escândalo de corrupção política da história do Brasil.
Punições foram impostas a mensaleiros de proa, entre eles Roberto Jefferson, presidente do PTB e delator do esquema, e Valdemar Costa Neto, deputado mandachuva do PR (antigo PL ). O STF tirou do horizonte a tese da defesa de que as montanhas de recursos repassados a parlamentares faziam parte de compromissos de campanha que estavam sendo saldados com dinheiro oriundo do caixa dois do PT e, assim, abriu o caminho jurídico para punir os responsáveis ativos pelo suborno de parlamentares, o que deverá ocorrer a partir desta semana.
Depois de 29 sessões de julgamento, já foram comprovados os desvios de recursos dos cofres públicos, a contratação de empréstimos fraudulentos para esconder a origem e o destino do dinheiro sujo e a venda de apoio político de parlamentares ligados ao PP , PMDB , PTB e PR . Resta punir quem articulou a ação criminosa e atuou como corruptor, papéis que, segundo a denúncia apresentada pelo Ministério Público Federal, foram desempenhados pelos integrantes da cúpula petista.
Ou seja, chegou a hora da verdade para José Dirceu, ex-ministro da Casa Civil, José Genoino, ex-presidente do PT , e Delúbio Soares, ex-tesoureiro do partido. Eles serão julgados em primeiro lugar pelo crime de corrupção ativa. Dado o veredicto, os ministros vão analisar as responsabilidades da trinca petista por formação de quadrilha, crime pelo qual também respondem o empresário Marcos Valério e outros operadores do mensalão.
Chegou a fase crucial do processo. As condenações dos companheiros são dadas como certas pelos petistas, antes iludidos com a miopia de que a biografia e o legado de Lula ficariam livres dessa mancha. Ninguém mais compra aquela história da carochinha de que o PT e Lula são vítimas de uma conspiração das elites em que a imprensa e o STF se uniram para dar um golpe e blá-blá-blá…
Convenhamos que golpe em ex-presidente é uma contradição em termos. Mas, para salvar a hagiologia lulista, desprezar a lógica é apenas a parte menos obscena das manobras. Os petistas de sempre retomaram as ameaças às instituições. André Vargas, deputado paranaense encarregado do setor de desinformação do PT , vem atacando o STF com o argumento de que a transmissão ao vivo do julgamento é "uma ameaça à democracia".
Outro deputado petista, José Guimarães, mais conhecido por ter tido um assessor preso com dezenas de milhares de dólares escondidos na cueca, anda dizendo que a elite quer derrotar o PT "via Judiciário e via mídia". Esses senhores deveriam dar uma olhada em volta para constatar que o Brasil não aceita mais o retrocesso bolchevique de implantação de um sistema político sem Justiça independente nem imprensa atuante, à moda de Cuba e da Coreia do Norte - países vitimados pela miséria moral do totalitarismo e em que nossos Vargas e Guimarães enxergam democracias.
Os petistas têm motivos para se preocupar. A situação de Dirceu, Genoino e Delúbio Soares complicou-se não apenas pela condenação dos subornados, mas porque ministros do Supremo Tribunal Federal foram contundentes ao rechaçar a tese do caixa dois de campanha - a chicana pela qual os petistas sonhavam em escapar do julgamento por crimes do colarinho-branco insistindo na tese de que tudo o que fizeram foi bater umas carteiras, o que, sustentam eles, todo político fez e faz no Brasil.
A semana passada foi crucial para o sepultamento dessa manobra. "Nunca se viu caixa dois com dinheiro público. Quando se verifica a presença de dinheiro público, não há que se falar em caixa dois", disse o ministro Carlos Ayres Britto, presidente do Supremo. O ministro Gilmar Mendes manifestou a mesma convicção: "A inventiva tese do caixa dois não se sustenta devido à origem ilícita dos recursos.
Falar de recursos não contabilizados é o eufemismo dos eufemismos. Sem argumento para explicar o inexplicável, a defesa se viu obrigada a admitir a prática de um crime menor". Por sua vez, o ministro Luiz Fux afirmou ter ficado perplexo "com a leveza com que se disse que esse dinheiro não poderia aparecer porque era caixa dois".
Uma referência aos advogados de defesa, que sustentaram essa tese da tribuna, ou ao revisor do processo, ministro Ricardo Lewandowski, o único que, até agora, parece ter encampado a tese da defesa.
Lewandowski foi categórico ao defender a tese de que os repasses de recursos foram fruto de "um acordo de financiamento de campanhas" e a acusação de compra de votos não passou de "mera inferência ou simples conjectura". Os ministros do STF abordam os casos que lhes chegam às mãos com base em seu saber jurídico, sua experiência passada em tribunais inferiores ou sua atuação como advogados.
É natural que alguns enxerguem um copo vazio onde outros o vejam transbordando. É assim nas supremas cortes de todos os países onde a Justiça funciona em sua plenitude. Foi o que ocorreu na semana passada no STF , em Brasília. No mesmo fato em que outros ministros viram a prova inequívoca de um crime maior, Lewandowski divisou apenas um delito corriqueiro.
Ele contou que em 2003, pouco depois da morte de José Carlos Martinez, então presidente do PTB , o deputado Roberto Jefferson pediu a Delúbio Soares 200 000 reais que pretendia repassar à namorada do falecido, a qual, nas palavras dele, "estava desamparada".
Delúbio autorizou o saque, e o pai da moça foi ao banco pegar o dinheiro. Lewandowski viu nessa história um fato que desqualifica a amplitude política do mensalão. Disse ele: "Isso mostra que esse dinheiro não financiou apenas campanha nem suposta compra de votos, mas se prestou a amparar uma ex-namorada". Uma análise leiga, baseada apenas no senso comum, diria que "pau que dá em Chico dá em Francisco" - a farra era tanta que o dinheiro desviado dos cofres públicos servia a diversas finalidades.
Quem sabe a "desamparada" não tenha usado os recursos para comprar remédios ou um pedaço de pão? Os depoimentos de testemunhas mostram que é correta a convicção da maioria do STF , para quem o mensalão é um crime bem mais complexo e profundo do que quer admitir o ministro Lewandowski.
Disse Gilmar Mendes: "Essa história da namorada só comprova que havia privatização desses recursos. Não era para atividade partidária". Lewandowski, o revisor do processo, e Joaquim Barbosa, o relator, são os que divergem mais forte e ruidosamente.
Em debate acalorado, Barbosa acusou Lewandowski de ignorar provas. Foi rebatido pelo revisor e até por colegas. A tensão deve se manifestar mais uma vez nesta semana, quando para os corruptores ativos chegar a hora da verdade.
"O DINHEIRO ERA PARA TUDO"
A secretária Rosa Alice Valente é uma das centenas de testemunhas do processo do mensalão ora em julgamento pelo STF. Apesar de ter sido escalada pelo ex-líder do PP José Janene, já falecido, para ajudar na defesa dos réus, seu depoimento acabou contribuindo para sepultar a farsa do PT segundo a qual o megaescândalo de corrupção não passava de um esquema de caixa dois eleitoral.
Rosa é taxativa. Confirma que o dinheiro desviado pelos petistas era usado para o pagamento de despesas pessoais do ex-patrão, e não para quitar dívidas de campanhas políticas. O dinheiro era dado mesmo como propina em troca de apoio político. A pedido de José Janene, Rosa Alice abriu e administrou uma conta bancária especificamente para receber, por meio da corretora Bônus Banval, a mesada proveniente da parceria financeira ilícita montada entre o PT e o empresário mineiro Marcos Valério.
Qual foi a participação da senhora no esquema do mensalão?
Eu nunca tinha ouvido falar em mensalão. O José Janene me mandou abrir uma conta no Banco do Brasil. Eu era tipo um office boy dele. Não tinha noção da quantidade de dinheiro que passava por essa conta. Quando estourou tudo, fiquei chocada com o valor. Não sei se foi inocência minha, burrice, mas hoje vejo tudo com muito mais clareza.
Quanto essa conta recebeu em recursos?
Acho que foi em torno de 1 milhão e meio de reais. Eu só emprestava a conta para o Janene. Nunca recebi benefício algum. Nunca peguei nada para mim. Assim que o dinheiro entrava, eu pagava despesas para ele. Sempre tive conta no Banco do Brasil, minha, particular, mas abri essa conta paralela, na mesma agência, para não misturar (o dinheiro dela com o do mensalão).
De onde vinha o dinheiro?
O Janene me deu um cadastro, para eu preencher, da corretora Bônus Banval. Nunca tinha ouvido falar nela. Ele me disse que era para telefonar avisando e que o dinheiro apareceria, mas nunca imaginei que existisse um esquema. Nunca tinha ouvido falar de Marcos Valério. O dinheiro passou a chegar à conta. O Zé (José Janene) sempre foi um cara rico.
O que a senhora fazia quando o dinheiro era repassado pela Bônus Banval?
Pagava as contas do Janene. Contas de tudo o que você imagina. Grande parte do dinheiro foi para aquela casa dele em Londrina. Eu fazia uma planilha e colocava o que tinha de pagar - funcionários, leasing de carro, insumos para a fazenda dele, arame e até supermercado, tudo. Ele me perguntava de quanto eu ia precisar numa determinada semana. Eu respondia. Aí, ele me mandava ligar para a Bônus Banval e pedir o dinheiro. No fim da semana, eu prestava contas, mostrava os recibos.
A senhora chegou a distribuir dinheiro a candidatos no estado?
Não. Eu nunca saí aqui de Londrina.
A vida da senhora mudou depois do mensalão?
Estou com os bens bloqueados. Não sei quando isso vai se resolver. Recebi uma multa pesada da Receita por causa da movimentação financeira naquela conta paralela. Minha vida virou de cabeça para baixo, mas não quero falar muito sobre esse esquema, porque essas coisas só sobram para os pequenininhos. O Zé sempre foi uma pessoa muito boa para mim. Eu sofri muito com a morte dele.
Fonte: "Veja"

ACM Neto participa de quatro atividades neste domingo

 
Foto: Valter Pontes
No último domingo de campanha antes da realização do primeiro turno, o candidato a prefeito pela coligação "É Hora de Defender Salvador", ACM Neto, participou de quatro atividades de campanha. Pela manhã, Neto esteve no Vale do Matatu em um evento organizado por Cal Me Ajude, candidato a vereador. Durante o café da manhã, que reuniu cerca de 200 pessoas, ACM Neto disse que, se for eleito, a principal reivindicação da comunidade será atendida. "Assumo o compromisso de construir uma unidade de saúde para vocês", afirmou o candidato.
Em seu discurso, ACM Neto disse também que vai ampliar a rede de creches, melhorar o transporte público e investir em esporte e educação. "Comigo na Prefeitura vocês terão um representante que conhece todos os problemas do Vale do Matatu, bem como de toda a cidade." Depois, ACM Neto participou do culto dominical da Igreja Batista do Caminho das Árvores.
O pastor Átila Brandão, que já foi candidato ao governo estadual, disse que Neto merece o voto dos fiéis pela "competência, profissionalismo, integridade e sinceridade". De acordo com o pastor, que falou para cerca de 3.000 fiéis, ACM Neto não está envolvido no mensalão e outros escândalos de corrupção. "Salvador é, infelizmente, a capital da droga e da insegurança. Temos de mudar esta triste realidade e o melhor nome para governar a nossa cidade é ACM Neto."
O terceiro compromisso de Neto foi uma caminhada com o candidato a vereador Carlos Muniz, em Nova Brasília. Em um rápido comício, ACM Neto disse que quer ser prefeito para colocar a casa em ordem. "Vou trabalhar por quem mais precisa, pois vivemos em uma cidade com muita exclusão social e ruas sem asfalto." No começo da tarde, no Alto do Cruzeiro, ACM Neto terminou as suas atividades de campanha neste domingo participando de um encontro organizado pelo candidato a vereador Reinaldo Saback. A professora Célia Sacramento, vice na chapa, também prestigiou o evento. (Com informações da Assessoria de Comunicação)

Campanha "“Voto Jovem"” do TRE-BA estimula participação da juventude nas eleições

No próximo domingo, 7 de outubro, será o dia de decidir o prefeito e os vereadores que irão administrar a cidade pelos próximos quatro anos. E os jovens constituem uma grande camada de eleitores que podem decidir um pleito. Para muitos deles, esta será a primeira eleição.
Pensando nisso, o Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA) acaba de lançar a campanha "Voto Jovem" para estimular a juventude a votar consciente ao comparecer às urnas nestas eleições municipais. A criação da peça contou com a colaboração dos servidores Camila Guerra e Adriano Shibasaki, da Coordenadoria de Jurisprudência e Documentação (Cojud). “"A iniciativa veio a partir de um pedido feito pela presidente do TRE-BA, desembargadora Sara Brito, para incentivar a participação ativa do eleitorado jovem", explica o Assistente da Assessoria de Comunicação do Tribunal, Venícios Belo.
Estampam a campanha três jovens que fazem parte do Projeto Menor Cidadão, programa de estágio implantado em 2006 pelo TRE-BA, voltado a estudantes de escolas públicas, com idade entre 16 e 18 anos, integrantes de famílias de baixa renda ou estudantes com necessidades especiais. O objetivo do Projeto é promover o desenvolvimento pessoal e profissional dos participantes. Até o momento, 128 alunos já foram contemplados pelo projeto em Salvador.
Compartilhe a campanha através do Facebook do TRE-BA.
Fonte: Ascom TER-BA

José Ronaldo propõe melhorias para as feiras-livres da cidade


Fotos: ACM
Neste domingo, 30, há exatamente sete dias da eleições municipais, o candidato a prefeito  José Ronaldo (Democratas) visitou as feiras-livres da Cidade Nova, Sobradinho e Estação Nova. Locais que tradicionalmente em Feira de Santana, neste dia, as famílias fazem suas compras de frutas, verduras, hortaliças e carnes.
Reformada na gestão do democrata e transformada em Complexo Comercial Norte, em 2004, a feira da Cidade Nova foi a primeira a receber a visita do prefeiturável. Em meio as bancadas com produtos, José Ronaldo andou cumprimentando fregueses e feirantes.
O proprietário do box Triunfo, Braz Cordeiro, 77 anos, atua há 34 anos neste entreposto comercial e lembra que foi José Ronaldo quem melhorou a infraestrutura do local. "Tudo aqui foi ele quem fez, mais do que a gente esperava. José Ronaldo é um grande governante, um homem verdadeiro e do bem", observou.
"Sei que o povo de Feira de Santana me conhece, conhece a minha vida política de 32 anos de mandato. Sempre governei com honestidade", afirmou José Ronaldo. E, ainda de microfone em punho, acrescentou: "Todos os compromissos assumidos cumpri rigorosamente. Quero retomar o trabalho com respeito e dedicação".
Receptividade - Enquanto esteve nas feiras, o prefeiturável foi acolhido com entusiasmo e ouviu inúmeras exclamações de apoio, como: "É a vitória dos feirantes". A vendedora Jamile Ferreira lembrou que antes das intervenções, a feira da Cidade Nova não tinha sequer banheiros. "As nossas condições de trabalho melhoraram bastante e o movimento também", disse.
Durante as visitas, o prefeiturável observou a necessidade de executar novas obras de infraestrutura na feira da Cidade Nova, com a ampliação da cobertura, assim como na Estação Nova; de cobrir a feira do Sobradinho, além de melhorar os serviços de limpeza e a segurança nesses espaços comerciais.
O candidato a prefeito esteve acompanhado do deputado estadual Carlos Geilson (PTN), vereadores Roberto Tourinho (PV) e Alcione Cedraz (PSD), além de candidatos a vereador pela coligação "O Trabalho Vai Voltar" e lideranças políticas. No período da campanha, o democrata também visitou a feira-livre do Tomba e o Centro de Abastecimento.
(Com informações da Assessoria de Comunicação da Coligação "O Trabalho Vai Voltar")
 

 

"O novíssimo truque de Lula"


Por Mary Zaidan
Não se deve levar a sério o que Lula diz. Fala pelos cotovelos, não raro pelos calcanhares, a exemplo da exortação para que militantes arrancassem materiais de adversários das ruas de São Bernardo. E não tem qualquer apreço pela coerência entre o que disse ontem, o que diz hoje e o que dirá amanhã. Muito menos pela verdade.
Sobre o mensalão, navegou entre o traído que de nada sabia ao humilde que pede desculpas à nação pelo escândalo que pegou de calças curtas os seus mais caros auxiliares. Daí, migrou para a fantasiosa versão do caixa 2, expressa em entrevista mais fantasiosa ainda, transmitida pelo Fantástico, da TV Globo, em julho de 2005, dois dias depois de ser gravada em Paris.
A esse enredo, Lula e sua turma penduraram adereços. A ênfase de que culpados seriam punidos "doa em quem doer" ecoou no vazio.
A fala dura do ex-presidente do PT e hoje governador gaúcho Tarso Genro preconizando a refundação do partido deu lugar à de um Ricardo Berzoini (PT-SP): "A prioridade é reeleger o presidente Lula. Depois veremos isso (a apuração) com calma. E essa história do mensalão é uma ficção."
E por aí foi. Mensalão virou algo que nunca existiu, com Lula assegurando que como ex se dedicaria integralmente a provar que tudo não passara de farsa, coisa da direita para derrubar o primeiro presidente operário. Algo, aliás, que a dócil oposição nem mesmo cogitou.
Se o transmudar dos fatos já era de admirável desfaçatez, o que se vê agora bate todos os recordes dessa categoria.
Antes de o julgamento começar, Lula mexeu vários pauzinhos ou toras inteiras. Tentou em vão convencer ministros pelo adiamento, manobra que veio à tona quando Gilmar Mendes denunciou a tentativa de coação.
Instigou seu partido a conclamar o povo a ir às ruas, tarefa cumprida, pateticamente, pelo deputado Rui Falcão.
Julgamento em curso, constrangeu aliados para que assinassem nota de apoio a ele, contestada no seio dos mesmos partidos que a subscreveram.
Do cineasta Luiz Carlos Barreto, amigo do réu José Dirceu, obteve carta aberta com 264 assinaturas da elite intelectual. Barreto batizou o documento como "filosófico-doutrinário". Seja lá o que isso quer dizer, não é nada filosófico, ou muito menos doutrinário, alertar o país para a presunção da inocência, como se a Suprema Corte não fosse capaz de enxergá-la.
Agora, com condenações se acumulando e a proximidade da análise dos crimes do núcleo petista, Lula já antecipou seu novíssimo truque: o julgamento só está acontecendo porque ele, Lula, combateu como ninguém a corrupção. "Se juntarem todos os presidentes da história do Brasil, vocês vão ver que eles não criaram instituições para combater a corrupção como nós criamos em oito anos. Sintam orgulho porque se tem uma coisa que fizemos, foi criar instrumentos para combater a corrupção."
Mais desfaçatez, impossível.
* Mary Zaidan é jornalista, trabalhou nos jornais “O Globo” e “O Estado de S. Paulo”, em Brasília. Há cinco anos coordena o atendimento da área pública da agência Lu Fernandes Comunicação e Imprensa
Fonte: “Blog do Noblat”

Petista cresce menos de 1% em nova pesquisa

Em pesquisa realizada pelo Instituto Seculus, de Petrolina-PE, encomendada pelo site "Bahia Notícias" e divulgada neste domingo, 30, o deputado estadual José Neto (PT) aparece com 16,67% e mantém a frente para o prefeito Tarcízio Pimenta (PDT) com 11,83%, na disputa pelo segundo lugar. Em relação à pesquisa do Ibope, divulgada na quinta-feira, 27, José Neto cresceu 0,67% em relação ao candidato José Ronaldo (Democratas), que mantém a frente em todas as pesquisas feitas, inclusive as não registradas, indicando que vence em primeiro turno.

"Cúpula petista entra na mira de Joaquim Barbosa"


Sete anos depois das primeiras denúncias, chegou a hora de o ex-ministro José Dirceu, o ex-deputado José Genoino e o ex-tesoureiro Delúbio Soares, três peças-chaves da eleição do ex-presidente Lula em 2002, prestarem contas à Justiça. O relator do processo do mensalão, ministro Joaquim Barbosa, começará a ler nesta semana o voto sobre os três e os demais réus acusados de corrupção ativa - a parte mais eletrizante do julgamento, na definição do ministro Marco Aurélio Mello. Dirceu e Genoino não escondem o receio de uma eventual condenação ou até mesmo da prisão, embora aleguem inocência. Delúbio, segundo interlocutores, seria o menos aflito entre os três.
"Todo mundo que está vivo pode ser preso. Eu posso ser preso hoje, você também. Mas nós, em primeiro lugar, temos convicção da absolvição. Em segundo lugar, ainda que viéssemos a pensar na eventual condenação, não teríamos nenhuma providência a tomar, a não ser esperar", tenta minimizar Luiz Fernando Pacheco, advogado de Genoino.
Leia em O Globo.

"Lula, o nosso Maomé frustrado, não reconhece o poder do Supremo, a legitimidade da oposição e a autoridade do povo. A menos, claro!, que façam o que ele manda!"


Por Reinaldo Azevedo
Luiz Inácio Inconformado da Silva não está sendo julgado no Supremo Tribunal Federal, embora, a meu juízo, devesse. Supor que a quadrilha do mensalão tenha se reunido naquela orgia de corruptos ativos e passivos, no embalo de peculatos e gestão fraudulenta, sem a sua anuência vai além da ingenuidade, não é? Trata-se mesmo de uma forma de cretinice. A Procuradoria-Geral da República, de todo modo, diz não ter conseguido reunir indícios suficientes para denunciá-lo. Nas conversas que mantém com interlocutores, reveladas por VEJA, Marcos Valério diz o que a todos parece óbvio: "Lula era o chefe". É bem verdade que há outros inquéritos que investigam outras franjas do mensalão - inclusive aquele que diz respeito ao BMG e que corre na Justiça Federal de Minas. Nunca é tarde para chegar ao Babalorixá de Banânia. Naquele caso, as pegadas de Lula parecem muito claras.
O Apedeuta resiste, para usar palavra de sua predileção sobre si mesmo, a "desencarnar". E agora, na sua compreensão sempre perturbada da democracia - espero que aquele rapaz que resenhou meu livro, o tal Bernardo Mello Franco, não se abespinhe por eu estar "atacando" Lula -, resolveu que existe uma contradição inelutável entre o "STF" e o "povo". Um estaria de um lado, e o outro, de outro!!! Na coluna Holofote da VEJA desta semana, lemos a seguinte nota:
"'Eu não vou deixar que o último capítulo de minha biografia seja escrito pelos ministros do Supremo Tribunal Federal. Quem vai escrevê-lo é o povo'. Foi com essa frase que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva encerrou um almoço com um ex-ministro há duas semanas. Lula não aceita a interpretação corrente de que a condenação dos mensaleiros e o fracasso do PT nas eleições representarão o fim de sua carreira política. O interlocutor ficou em dúvida se ele pretende voltar às urnas em 2014 ou se liderará uma campanha para tentar reverter a condenação dos mensaleiros."
Voltei
As dúvidas desse interlocutor não fazem sentido político e jurídico. Comecemos por este último: a decisão do STF é irrecorrível. Os "embargos infringentes" então mais para "embargos auriculares", que se fazem só nas orelhas do interlocutor. A maioria dos réus, até agora, está condenada por placar expressivo. Há casos de 11 a zero, 10 a zero (depois da saída de Cezar Peluzo), 10 a 1, 9 a 2… O que Lula pretende fazer? Mandar os bate-paus do petismo cercar o Supremo de tacape na mão? É retórica balofa para realidade frouxa, oca.
No que concerne à política, qual a saída? Dar um pé em Dilma e tomar o lugar dela como candidata natural à reeleição? No petismo, atenção!, há entusiastas de sua candidatura ao governo de São Paulo. É… Talvez pudesse tentar. Não custa lembrar que este senhor perdeu todas as disputas se considerarmos só o eleitorado do Estado. Se dependesse só de São Paulo, ele e Dilma nunca teriam sido eleitos presidentes da República. Luiz Inácio Faroleiro da Silva pode correr esse risco? Muitos ficarão francamente melados de emoção. Se der certo, bem… Se não der, será um enterro político sem glórias.
O desempenho vexaminoso do PT nas capitais - e tudo indica que o resultado será muito ruim nacionalmente - demonstra que seus poderes mágicos eram frutos da mística e da mistificação. Não! O eleitorado não faz o que Lula manda. E ponto! Se Fernando Haddad passar para o segundo turno em São Paulo, o projeto do chefão manco do PT ganha sobrevida porque é bem provável que Russomanno não tenha fôlego para a segunda rodada. Se não passar, os tais coelhos que ele prometeu assar quando se tornasse ex-presidente o aguardam…
Lula está desesperado. Ontem, os petistas fizeram dois comícios na Zona Leste da cidade. O Apedeuta, que disputou uma vez o governo de São Paulo e cinco vezes a Presidência - tendo sido eleito, então, depois de quatro derrotas para cargos executivos -, recomendou, com a grosseria que lhe é peculiar, que José Serra se aposentasse… Sabem o que é fabuloso? No próximo dia 27, o petista completará 67 anos. É apenas três anos mais novo do que o tucano - diferença que, convenham, a partir, sei lá, dos 20, já não faz mais… diferença! Dia desses, afirmou que, caso Dilma não queira se candidatar à reeleição (era um convite…), ele aceitaria a parada. Se isso viesse a acontecer, estaria com 69 anos…
Não pensem que Lula está brincando quando recomenda que o adversário se aposente! Ele fala a sério. E agora começo a ligar os pontos, leitor: o homem que não reconhece a autoridade do Supremo e pensa em apelar ao "povo" para contraditar o tribunal é o mesmo que não reconhece a legitimidade do adversário e da oposição. Quando sugere a aposentadoria de Serra, está deixando claro que não quer vencer o seu opositor, mas eliminá-lo do jogo político.
Esse demiurgo inescrupuloso pode avançar também para a delinquência política pura e simples. Referindo-se a Marta Suplicy, que estava presente ao comício, afirmou que "não deixaram Marta se reeleger" por ela "se meter a fazer coisas para os pobres".
"Não deixaram"??? Quem "não deixaram", cara-pálida? Em 2004, Serra foi eleito contra Marta pelo povo. Em 2008, Kassab foi eleito prefeito contra Marta pelo povo! Entendi: o Babalorixá de Banânia não reconhece o poder do Supremo, não reconhece a legitimidade da oposição e não reconhece nem mesmo a autoridade do povo se este não votar em quem ele manda. Entendo seu nervosismo: o PT perdeu a eleição para o governo de São Paulo duas vezes (2006 e 2010) e a para a Prefeitura duas vezes (2004 e 2008) com ele na Presidência da República, tentando dar ordens aos paulistas e paulistanos.
Lula não se conforma de não ser o nosso Maomé, ainda que certa imprensa faça esforço para isso. É que eu não sou um exímio desenhista, viu, Mello Franco? Se fosse, agora faria uma charge de Lula pendurado na brocha do próprio rancor.
Fonte: "Blog Reinaldo Azevedo"

Uma semana


Faltam sete dias para as eleições municipais.

20 anos da saída de Collor


Há 20 anos: 30 de setembro de 1992. Fernando Collor de Mello abandona o governo
Assista vídeo:

Nem crescer menos e nada de caminho velho

Criado por Jadson Will


Agenda de José Ronaldo


Agenda do candidato a prefeito José Ronaldo (Democratas) para este domingo, 30:
- 6 horas - Visita á feira livre da Estação Nova;  
- 7h30 - Visita à feira livre do Sobradinho;
- 8h30 - Visita à feira livre da Cidade Nova.
(Com informações da Ascom da coligação "O Trabalho Vai Voltar")

Agenda do candidato José Neto


Agenda do candidato José Neto (PT) neste domingo, 30:
- 8 horas - Caravana em Maria Quitéria;
- 11h05 - Entrevista no "Programa Silvério Silva", na Rádio Subaé;
- 16 horas - Gravação do programa eleitoral;
- 19 horas – Reunião com moradores da Chácara São Cosme, na rua Jovelino Carneiro, 66.
(Com informações da Ascom da coligação "Um Novo Caminho Para Feira")

Agenda de Jhonatas Monteiro


Agenda do candidato Tarcízio Pimenta para este domingo, 30:
- A assessoria do candidato não informa a agenda.

Agenda de Jhonatas Monteiro


Agenda de Jhonatas Monteiro para este domingo, 30:
- Manhã - Panfletagem na feira livre da Estação Nova;
- 11 horas - Participação no "Feijão Socialista", almoço de arrecadação, na Paxeco Pastelaria, Cidade Nova;
- 11h30 - Presença na entrevista de candidato a vice na Rádio Sociedade, programa "A Voz da Sociedade".
(Com informações de Paulo Moraes, da Ascom Psol)

Agenda de ACM Neto em Salvador


Agenda de ACM Neto, candidato a prefeito de Salvador pelo Democratas para este domingo, 30:
- 9 horas - Café da manhã com lideranças do candidato Cal Me Ajude, em Luís Anselmo, atrás do Extra da Rótula, Loteamento Santa Tereza, parte baixa;
- 10 horas - Reunião com lideranças do bispo Átila Brandão, em Itaigara;
- 11h30 - Caminhada em Nova Brasília (Majoritária), com ponto de encontro na entrada do bairro, em frente ao abatedouro;
- 12h30 - Reunião com lideranças do andidato Reinaldo Saback, na Praia Grande.
(Com informações de Alexandre Reis, da Assessoria de Informação)

Agenda de Hamilton Assis em Salvador


Agenda de Hamilton Assis, candidato pelo Psol a prefeito de Salvador, para este domingo, 30:
- 8h30 - Reunião com a coordenação de campanha no Comitê da Frente Capital da Resistência, no Largo do Tororó;
- 12 horas - Atividade do candidato a vereador Roberto Leal, na rua Leste 2, quadra 37, lote 1, no Parque São Cristovão;
- 14 horas - Panfletagem em Pituaçú, no jogo do Bahia.
(Com informações de Cecília Silva, do Diretório Municipal de Salvador)
 

sábado, 29 de setembro de 2012

Jornada e Simpósio médicos realizados


O alergologista José Rosa Figueiredo Filho (Foto 1) e o pneumologista Ricardo Gassmann Figueiredo (Foto 2), pai e filho, foram palestrantes da XI Jornada de Pneumologia e do VII Simpósio de Alergia e Imunologia de Feira de Santana, eventos médicos realizados pela Sociedade Feirense de Pneumologia (SAP), entre quinta-feira, 27, e este sábado, 29, no Spazio Eventos. Ambos são companheiros do Rotary Club de Feira de Santana.

Deu em Claudio Humberto


Tania Matos lidera pesquisa do Instituto Compet em Riachão do Jacuipe


Uma nova pesquisa divulgada neste sábado, 29, em Riachão do Jacuípe, aponta a vitória da candidata Tânia Matos (Foto: Divulgação), do PDT, com mais de 12% das intenções e voto.
A pesquisa eleitoral, realizada pelo instituto Compet - Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamento, no período de 26 a 27 de setembro de 2012, traz os seguintes resultados:
Tânia Matos: 54,05%
Dra. Gleide: 41,76%
Fernando de Dudu: 0,98%
Indecisos: 2,51%
Brancos: 0,56%
Não sabe/não opinou: 0,14%
A pesquisa foi encomendada por Virgílio Pereira Filho e registrada no Tribunal Regional Eleitoral-TRE-BA, sob o número 00257/2012.
Foram entrevistados 675 pessoas, na sede e nos principais povoados do município de Riachão do Jacuípe. A margem de erro da pesquisa é de 3,77%, para mais ou para menos.
(Com informações de Evandro Carneiro de Matos)

José Neto a caminho do tri


Pelo andar do triciclo, nas eleições de daqui a uma semana, o petista José Neto deve completar sua trilogia trivial de falta de triunfo em eleições municipais (*). Não deve conseguir triplicar a intenção de votos. Assim, não adianta ter andado no trinque nem fazer trica. A triangulação com Wagner e Lula não deve dar em nada. Resta a tribulação de continuar a ser líder do governo.
* 1996- 1.955 votos
    2004 - 30.576 votos
    2012 - mais ou menos 50 mil votos (pelos números atuais do Ibope).

Documentos comprovam verdade


Clique nas imagens para ampliar
No site José Ronaldo 25 os documentos que comprovam a verdade. Não há nenhum registro de Ação Civil Pública ingressada no Ministério Público em desfavor a José Ronaldo. Os documentos comprovam que a campanha petista mente sobre o adversário. Clique no link: http://joseronaldo.com.br/novo/documentos/

Moradores do Gabriela III, Homero Figueiredo e Alvorada não se intimidam com a chuva e caminham com José Ronaldo


Fotos: Divulgação
Nem mesmo a chuva impediu que os moradores do sub bairro Gabriela III e conjuntos Homero Figueiredo e Alvorada saíssem de casa para caminhar com o candidato a prefeito José Ronaldo, na noite de sexta-feira, 28.
Florizete Santos, 59 anos, afirmou que nas administrações passadas José Ronaldo trabalhou não só por Fera de Santana, como pelo Gabriela III e é por isso que ela e toda a família creditam nele novamente o voto de confiança. "As ruas do bairro calçadas foi ele que fez, mas faltaram outras e tenho certeza que ele vai terminar", disse.
A expectativa de Frorizete está em acordo com a dos demais moradores. Ao final da primeira caminhada da noite, o prefeiturável recebeu um abaixo-assinado com a especificação de todas as vias que ainda carecem de pavimento e se comprometeu a atender a solicitação.
No Homero Figueiredo, Orlando Dias, 46 anos, saiu de casa assim que ouviu que José Ronaldo estava passando por sua porta. Ao lado do filho, ele fez questão de cumprimentar o democrata pelo - bom trabalho realizado - , o que, segundo ele, inclui a instalação de uma unidade do Programa de Saúde da Família no conjunto e pavimentação de vias.
Já no Alvorada, o candidato disse estar muito feliz pela atenção dos moradores, que não se intimidaram com a chuva. Entres os compromissos que assumiu, na presença da população local e de candidatos a vereador pela coligação "O Trabalho Vai Voltar", está a busca de parceria com o Governo Federal para instalar uma pré-escola na região e revitalizar a praça principal deste conjunto.
Fonte: www.joseronaldo25.com.br

Gasto diário de Wagner com helicóptero corresponde a 1.785 passagens de ônibus

Foto: Reprodução
"Com os R$ 5 mil que o governador Jaques Wagner gasta dos cofres públicos por dia para seus deslocamentos de helicóptero do Palácio de Ondina ao Centro Administrativo da Bahia, dá para comprar 1.785 passagens de ônibus", calcula o presidente estadual do Democratas, José Carlos Aleluia.
De acordo com o líder democrata, o que se gasta com a mordomia do governador petista só em um dia dá para um trabalhador ir e voltar do trabalho todos os sete dias da semana por 13 anos. "Que triste coincidência para o povo da Bahia, que tanto sofre sob o governo de Jaques Wagner, o patrono da candidatura de Nélson Pelegrino", observa Aleluia.
(Com informações da Assessoria de Comunicação do Democratas)

ACM Neto faz campanha no Subúrbio

Fotos: Valter Pontes
O candidato a prefeito da Coligação "É Hora de Defender Salvador", ACM Neto, dedicou o último sábado (29) de setembro para fazer campanha no subúrbio. Em Plataforma, onde foi recebido por centenas de eleitores, Neto caminhou pela rua das Pedrinhas, conversou com comerciantes e moradores e reafirmou o seu compromisso de implantar o bilhete único integrado. A proposta de ACM Neto, que consta em seu programa de governo, prevê que, caso seja eleito, os moradores de Salvador poderão utilizar por três horas qualquer sistema de transporte pagando apenas um bilhete. "Aqui, para o subúrbio, minha proposta contempla os ônibus e trens. Mas também vale para o metrô, quando a obra que se arrasta há mais de dez anos for concluída", afirmou.
Outros dois projetos de ACM Neto para melhorar o sistema de transporte em Salvador são a renovação total da frota e reformas nas principais estações. Em Plataforma, o candidato conversou com a moradora Monaliza Carvalho, 49 anos, que fez queixas sobre a falta de infraestrutura no bairro. "Quando chove aqui é uma calamidade. A lama invade as nossas casas e as ruas ficam intransitáveis, colocando em risco a saúda dos nossos filhos", afirmou. ACM Neto assumiu o compromisso de regularizar a coleta de lixo e investir em obras para melhorar a vida da comunidade.
(Com informações da Assessoria de Imprensa)

Ninguém é perfeito


Com a presença de autoridades, lideranças políticas, empresários e amigos, o candidato "a perfeito" de Feira de Santana José Neto realizou na sexta-feira, 28, jantar de adesão no Restaurante Cravo e Panela, na Ville Goumet.
Presentes ao evento, o senador Walter Pinheiro, presidente estadual do PT Jonas Paulo e presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) de Feira de Santana Alfredo Falcão.
Observação: O "perfeito" em vez de prefeito está contido no relise enviado pela assessoria do candidato.



"O PT está sendo um parceiro pesado para carregar na eleição"

Em nome de uma coligação que lhe garanta votos, o candidato Fernando Haddad, do PT, em São Paulo, abraçou o polêmico apoio do deputado Paulo Maluf (PP) e tem sido muito cobrado por isso. No caso de Belo Horizonte, um político alvo de denúncias de corrupção reclama por precisar carregar o pesado PT do mensalão nestas eleições. Com os resultados das pesquisas, que mostram o prefeito Marcio Lacerda (PSB) à frente, o polêmico deputado Newton Cardoso (PMDB), responsável pela indicação do deputado Aloisio Vasconcelos (PMDB) como vice na chapa do petista Patrus Ananias, já jogou a toalha. Diz que o impacto do julgamento no Supremo Tribunal Federal está enterrando não só Patrus, mas levando junto candidatos a vereadores do PMDB. Mas, com a desgraça do PT nestas eleições, ele diz acreditar que o PMDB sairá fortalecido nacionalmente, com mais cacife para negociar a composição da chapa, na campanha à reeleição da presidente Dilma Rousseff em 2014.
O senhor acha que dá para reverter a situação de Patrus Ananias? A vinda da presidente Dilma pode mudar essa situação?
É muito difícil, né? Sou do PMDB, que está coligado com o PT em Belo Horizonte, mas acho que o Patrus está muito longe do Márcio Lacerda. O mensalão está prejudicando muito, não só em Belo Horizonte. Está derrubando também em Recife, São Paulo, para todo lado.
Mas em Belo Horizonte, Lacerda nem tem usado o mensalão na campanha contra o Patrus...
Não é o Marcio Lacerda. É o PT que está sendo julgado a nível nacional. O problema é o PT. O Lula e o PT perderam o discurso, não tem mais aquela coisa do apelo do partido novo, da ética e da moral.
Isso está afetando candidaturas do PMDB na coligação do Patrus?
Não só em Belo Horizonte. Estou sentindo isso na pele. Onde vou, ouço que o Lula não é mais o mesmo, que o lulismo está acabando. O Lula esteve aqui no palanque do Patrus e não ajudou em nada! Ele está perdendo força em razão das denúncias contra o PT.
O que fazer para impedir que isso afete o desempenho do PMDB?
Quem diria? Estamos assistindo a ascensão e queda do PT. Tudo que sobe demais cai com mais força, né? O PT está sendo um parceiro pesado para carregar. Estou viajando e trabalhando muito para que isso não atrapalhe a eleição dos vereadores e prefeitos do PMDB.
Quem vai ocupar o espaço que o PT está perdendo nestas eleições?
Julgo que o PMDB vai acabar ganhando com isso. O partido ganha força para negociar a chapa para presidente em 2014.
Fonte: "O Globo"




 



Quem está por baixo parte para bater


O marketing político afirma que "quem bate, perde" e que "só bate quem está por baixo". É o caso das eleições em Feira de Santana, com as máximas se confirmando. O candidato democrata José Ronaldo está apanhando na propaganda eleitoral de José Neto (PT) e de Tarcízio Pimenta (PDT).
 

"Revelações de Marcos Valério afetam imagem do ex-presidente no exterior"

Divulgadas por VEJA, as revelações de Marcos Valério que empurraram o ex-presidente Lula para o pântano do mensalão foram noticiadas com destaque em vários países.

Confira oito exemplos:

Espanha: "O principal acusado do 'julgamento do século' acusa Lula de ser 'chefe' da trama de compra de votos"
Chile: "Réu afirma que Lula 'era o chefe' da rede de corrupção julgada no Brasil"
Panamá: "Lula 'era o chefe' da quadrilha julgada no Brasil"
França: "No Brasil, o operador do escândalo dos anos Lula afirma que o chefe de Estado sabia de tudo"
Argentina: "Lula é acusado de ter liderado uma enorme rede de corrupção"
Honduras: "Lula é acusado de chefiar rede de corrupção"
México: "Empresário acusado por corrupção envolve Lula na fraude"
Venezuela: "Lula é acusado de ser 'o chefe' da corrupção no Brasil"

Nina Bianca, uma surpresa na campanha


Fotos: ACM
Com apenas três anos, Nina Bianca já demonstra carinho por José Ronaldo. Há alguns dias, a equipe de campanha do candidato a prefeito recebeu um vídeo enviado pela mãe, a senhora Nayde Geraldine Nascimento, em que a criança aparece cantando o refrão "Volta Zé Ronaldo" do jingle oficial de campanha do candidato democrata
As imagens da menina, que conquista pela expressão carismática, foram exibidas no programa eleitoral de sexta-feira, 28. No mesmo dia à tarde, Nina conheceu pessoalmente José Ronaldo, acompanhada da mãe e da irmã, Júlia Beatriz.
Momento de surpresa e alegria para o democrata, que foi fotografado com a pequena e fez questão de apresentá-la a todos no núcleo de campanha. José Ronaldo agradeceu à mãe de Nina pelo carinho especial e o apoio recebido.
Link com imagens de Nina cantando  "Volta Zé Ronaldo":
(Com informações da Assessoria de Comunicação da Coligação "O Trabalho Vai Voltar")

Google alega que não responde por conteúdo na Internet

O Google no Brasil encaminhou na sexta-feira, 28, uma defesa à Justiça de Ribeirão Preto, São Paulo, na tentativa de evitar a prisão de seu diretor financeiro Edmundo Luiz Pinto Balthazar, citado por crime de desobediência. Em sua defesa, a empresa argumenta que a decisão judicial não se justifica, pois não pode responder pelo conteúdo publicado na Internet. Alega ainda que, caso faça isso, está ferindo o direito de liberdade de expressão.
O juiz tem até segunda-feira, 1º de outubro, para definir se acata as alegações ou se mantém o Google como responsável no caso. O diretor pode ser enquadrado pelo crime de desobediência a uma ordem judicial com base no artigo 147 do Código Eleitoral. Isso porque a empresa não teria tirado do ar textos inseridos no blog de um jornalista de Ribeirão Preto contrários à prefeita Dárcy Vera (PSD), que é candidata à reeleição. Entre outras coisas, a candidata denunciou que publicações inseridas no blog seriam "abusivas e depreciativas à honra".
O Google foi condenado a tirar seis trechos de textos do ar e a uma multa diária de R$ 50 mil em caso de descumprimento. A decisão foi publicada no dia 13 deste mês. O juiz disse à reportagem que ainda não tinha conhecimento do cumprimento da determinação. "Até a última vez que verifiquei os textos ainda estavam lá", disse. Ele contou que na sua ótica há uma questão envolvendo responsabilidade no que se refere a quem tem o poder de tirar ou manter a publicação na Internet. Para ele, a discussão deveria estar voltada a isso, e não à possível prisão do diretor do Google, que é o que mais tem repercutido neste caso.
Veja matéria completa na Agência Estado.

Agradável como o lar


Receptividade, acolhimento e sustentabilidade em espaços corporativos para que as pessoas se sintam em casa e se mantenham motivadas: essa é a mensagem que o ambiente da arquiteta Renata Basques na Casa Cor 2012 transmite aos visitantes

Obras de arte e ar acolhedor. Essa descrição não lembra um espaço de trabalho, não é? A arquiteta Renata Basques conseguiu levar o clima relax das moradas para o ambiente corporativo. O resultado foi um espaço na medida certa, que inspira e motiva.
Foto: Divulgação
Em geral, as pessoas passam mais tempo no trabalho do que em casa. Convivem mais com seus colegas de trabalho do que com seus familiares. Sendo assim, o ideal é que este ambiente seja saudável o bastante para que os profissionais possam desenvolver suas funções com excelência; característica que está diretamente ligada à motivação. E nada como um espaço confortável, com clima amistoso e receptivo, para deixar as pessoas mais motivadas.
Cientes disso, profissionais de arquitetura e decoração buscam formas para tornar o ambiente corporativo agradável e aconchegante, o mais próximo possível do conforto de um lar. Foi justamente esse conceito que a arquiteta Renata Basques desenvolveu em seu ambiente na Casa Cor Minas 2012. Denominado de Lounge Clube A, o espaço, de aproximadamente 80 metros quadrados, representa o tradicional jornal Estados de Minas.
"O ambiente exalta a solidez e os valores da empresa, ao mesmo tempo em que, valoriza e homenageia os artistas, diagramadores e ilustradores do jornal. Para isso, especificamos várias obras de arte desenvolvidas pelos profissionais da empresa, com destaque para as do cartunista Quinho", conta Renata, enfatizando a importância de personalizar os ambientes corporativos.
O interessante no espaço é que ele é sóbrio, característica reforçada pelos materiais especificados, como madeiras escuras e couro, sem abrir mão do lado divertido, denunciado pelas ilustrações que remetem ao clube de anunciantes do jornal. "A minha intenção, ao criar o espaço, foi ambientá-lo como um grande estar para que as pessoas se sentissem em casa", salienta a arquiteta.
De fato, quem se entrega a admirar as ilustrações se sente em casa, principalmente, caso se deixe levar pela atmosfera do ambiente inspirada no jazz, uma alusão às atividades com as quais o jornal está envolvido, como a Festa da Música e o festival I Love Jazz.
Todavia, não é apenas isso que faz com que os visitantes desse espaço de caráter corporativo se sintam em casa. Hoje em dia, todo mundo se preocupa em ser sustentável. E esse cuidado começa no seio do lar ou no segundo lar, que seria o local de trabalho. Por meio da parede de tijolinho sustentável, o ecobrick, criado pela Santa Luzia Molduras, as pessoas logo fazem a associação do ambiente com suas moradas.
Todos esses cuidados tornam o espaço corporativo confortável, receptivo, leve e dinâmico. A impressão é que não se está em um local de trabalho, mas de lazer e relaxamento - palavrinhas que, geralmente, só encontramos em casa.
(Com informações de Ana Paula Hoerta e Fernanda Pinho, da Mão Dupla Comunicação)