No Aprisco

No Aprisco

quarta-feira, 31 de outubro de 2007

O porque de Feira não ter delegacia da Polícia Federal

(Com a participação de Carina Góes, Ludimila Oliveira, Mário Rodrigues e Marlene Rodrigues, estudantes de Jornalismo da Unef)
Por que Feira de Santana não tem uma delegacia da Polícia Federal? A questão foi feita ao superintendente regional da Polícia Federal na Bahia, delegado César Nunes, na noite desta quarta-feira, 31, pelo radialista Carlos Valadares (da Rádio Subaé), também estudante, durante a palestra "O Tráfico de Drogas no Contexto do Crime Organizado" para alunos de Comunicação Social (Jornalismo e Publicidade) e Administração da Unidade de Ensino Superior (Unef).
"A instalação passa por outras situações administrativas da corporação. Não vejo como viável, pela proximidade com Salvador. Sempre estamos dando assistência", respondeu César Nunes, que atua no combate ao tráfico em todo o país há muito tempo, inclusive com incursões nesta cidade.
Ele reconheceu que Feira de Santana é rota do tráfico de drogas e que o consumo de cocaína, crack e maconha é expressivo aqui. "Dizer que maconha não faz mal é conversa fiada", considerou. Para o delegado, "as drogas são a degeneração da sociedade", pois "corrói e desmantela esta sociedade", bem como "corrompe autoridades". Ele lamentou que parlamentares, artistas e formadores de opinião façam campanha em favor da descriminalização das drogas. Sobre o artista Tom Zé ter feito apologia às drogas durante show na abertura (quinta-feira, 25) da II Conferência Estadual de Cultura, no campus da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) e jovens terem sido fotografados fumando maconha, ele afirmou que a lei deveria ser cumprida contra quem faz apologia ao uso de drogas.
César Nunes disse mais que "o usuário é vítima do tráfico e mais vítima é a sua família". Também reconheceu que "a gente é muito impotente para combater o tráfico" e que "a prevenção é a arma mais eficaz para combater o problema", mas reconheceu que a "repressão é vertente importante" no combate a esse "problema de todos nós".
Ele ainda demonstrou preocupação sobre a Bahia estar sediando grandes laboratórios de crack ("uma droga muito devastadora, pelos malefícios que causa") e afirmou que o consumo de heroína no Brasil é pequeno porque o usuário brasileiro não tem dinheiro para bancar - o quilo da droga custa cerca de 130 mil dólares.
A atividade foi programada pela professora Maria da Conceição Nogueira, de Metodologia Científica, com apoio dos professores Andréa Souza, de Teoria do Jornalismo, e Andrews Pedra Branca, de História da Comunicação. Todos presentes, assim como o diretor presidente da Unef, professor Newton Oliveira.

490 anos da Reforma Protestante na Câmara

Nils Bergsten palestra na sessão especial em homenagem aos 490 anos da Reforma Protestante

Vicen Ferreres/Ascom


A Câmara Municipal realizou na manhã desta quarta-feira, 31, uma sessão especial para comemorar o 490 anos da Reforma Protestante. O pastor Nils Alberto Bergsten ministrou uma palestra sobre a importância da fé e do respeito mútuo. A falta de diálogo e de respeito mútuo, conforme o evangélico, são responsáveis pela proliferação de guerras e mortes. “Não se concebe que alguém mate o seu semelhante simplesmente por não concordar com suas idéias”, falou. A Reforma Protestante, observou, motivou graves conflitos religiosos em todo o mundo.
A fé foi outro tema abordado pelo pastor. Para ele, a fé deve ser pessoal, não institucional. Nils Bergsten defendeu que o ser humano não atinge a plenitude de sua fé simplesmente por tornar-se membro de uma instituição, e que a religião precisa ser exercida pessoalmente.
“Bênçãos e graças acontecem pela fé em Deus. As pessoas não têm mais ou menos importância por seus títulos. O doutor, perante Deus, pode alcançar a mesma graça que o ignorante”, ressaltou Nils Bergsten.
O palestrante, que é líder evangélico da Comunidade Videira, também chamou a atenção dos vereadores para o perigo de “misturar” o poder político com o poder religioso. “Toda vez que o poder político emprestar sua força ao poder espiritual o resultado é negativo e vice-versa”, considerou.
A sessão especial foi realizada através de requerimento do vereador José de Arimatéia, que é pastor evangélico. O presidente da Casa, Antônio Carlos Passos Ataíde, comandou os trabalhos. O secretário de Serviços Públicos, o vereador licenciado Justiniano França, representou o prefeito José Ronaldo de Carvalho na solenidade, que contou com a presença de várias outras autoridades e lideranças evangélicas.

Público de "Tropa de Elite"

"Tropa de Elite": Público de mais de 1, 6 milhão

Divulgação
"Tropa de Elite", de José Padilha, alcançou domingo, 28, o público de 1.639.348 espectadores, em quatro semanas (a primeira, somente em cinemas do Rio de Janeiro e São Paulo). Está com 301 cópias em exibição no país, inclusive em Feira de Santana, no Orient Cineplace, continuando em cartaz.

Mais de 100 a menos

O governo petista gabou que percorreu 383 (91%) dos municípios baianos promovendo encontros de cultura. Assim, causa estranheza que 114 deles não tenham sido representados na II Conferência Estadual de Cultura, realizada em Feira de Santana, entre quinta-feira, 25, e domingo, 28. Segundo informações da própria Secretaria de Cultura, foram 269 municípios representados no evento.

Bye, bye Rubinho

Segundo a edição de novembro da revista inglesa “F1 Racing”, a Honda está pensando em emprestar Rubens Barrichello para a sua equipe B, a Super Aguri, para a temporada 2008. Pesa contra o piloto brasileiro, que preferiu deixar de ser o segundo do mundo (quando estava na Ferrari) para estar entre os últimos, seu bisonho desempenho no Campeonato Mundial de Fórmula 1, não marcando um mísero ponto em toda a competição.

Mais notado

Nota na coluna de Samuel Celestino, em "A Tarde", edição desta quarta-feira, 31:

Ironia do deputado baiano José Carlos Aleluia, do DEM: "A ausência de Pelé em Zurique foi mais notada e noticiada do que a presença de Lula".

terça-feira, 30 de outubro de 2007

Filme de terror em lançamento nacional




Cenas de "Vira-Lata" e "1408", novidades nas telas a partir de sexta-feira
Divulgação
O filme de terror “1408”, baseado em livro de Stephen King, é o lançamento nacional desta semana cinematográfica, no Orient Cineplace, que se inicia na sexta-feira, 2 de novembro. Outra novidade é o filme de aventura destinado ao público infantil, “Vira-Lata”. Continuam em cartaz: “Tropa de Elite”, em quarta semana; “Jogos Mortais 4” e “Tá Dando Onda”, os dois em segunda semana.
“1408” (o título se refere a um número de quarto de hotel - a soma dos números dá 13, que tem outras referências no filme) foi motivado a partir de uma série de reportagens publicadas sobre um parapsicólogo que investigou um quarto mal-assombrado em hotel na Califórnia.
Em quatro semanas (a primeira somente em salas no Rio de Janeiro e São Paulo), o filme “Tropa de Elite” já foi visto por cerca de 1,6 milhão de espectadores. Uma produção brasileira que deve ser vista pela contundência com que mostra a violência do tráfico de drogas.

Carlos Lucena aprovado para novo período na Procuradoria

O advogado Carlos Lucena teve seu nome aprovado pela Câmara Municipal para continuar no cargo de procurador geral do Município. A indicação do prefeito José Ronaldo de Carvalho obteve a aprovação da maioria dos vereadores.
Carlos Lucena está na função desde o governo do prefeito José Raimundo de Azevêdo, tendo atuado nas administrações de José Falcão, Clailton Mascarenhas e em duas gestões de José Ronaldo. Antes de ser nomeado procurador para o primeiro período, ele era chefe de Gabinete do então prefeito João Durval, em 1993.
O vice-líder governista Renildo Brito (PTC) disse que Carlos Lucena tem honrado a confiança do prefeito e realizado trabalho de competência. “Se depender de mim, já apoiaria o seu nome para procurador no futuro governo, que tenho certeza será um aliado de José Ronaldo”, afirmou.
Para o vereador Antônio Carlos Coelho (DEM), Carlos Lucena tem sido importante em várias questões de ordem jurídica envolvendo o Governo Municipal em todo esse período que está no cargo. “Na realidade, o Município jamais perdeu uma causa sob a assistência do doutor Lucena”, disse.
Coelho observou que, pouco tempo atrás, no embate jurídico com a Toldos São Paulo - responsável pelos camarotes da Micareta 2006 - Carlos Lucena comandou uma ação judicial que resultou na aquisição de um grande prédio como parte do débito da empresa com a Prefeitura. “Também teve relevante atuação no processo licitatório em que o Governo conseguiu arrecadar R$ 18 milhões junto ao Banco Itaú, que passou a administrar as contas-salário dos servidores municipais”, disse Antônio Carlos Coelho.
O vereador Roberto Tourinho (PSB), que é procurador municipal, disse que chegou a votar contra a indicação de Carlos Lucena na primeira vez em que seu nome foi proposto para a Procuradoria, no governo José Raimundo de Azevêdo. Mas a partir da primeira recondução dele ao cargo, já na administração de José Falcão, decidiu apoiá-lo. “Hoje, conheço de perto a sua competência”, considerou.

Como os livros queimam



Sugestivas cenas de "Fahrenheit 451"
Divulgação

O que seria da sua vida se você não tivesse o direito de ler? Esta a premissa do filme “Fahrenheit 451”, de François Truffault, realizado há 41 anos, ainda atual. Foi visto no Cine Santanópolis, no final dos anos 60. Também em VHS e agora em DVD, que foi adquirido para coleção. É baseado no romance homônimo de Ray Bradbury. Tem Oskar Werner e Julie Christie no elenco.
O título é uma referência à temperatura que os livros são queimados. Convertido para Celsius, esta temperatura equivale a 233 graus. O filme faz refletir sobre a necessidade de liberdade de expressão. Faz apologia à livre circulação de idéias. O tema da manipulação de informações também está contido na obra.
Em um futuro hipotético, em Estado totalitário, os bombeiros têm como função principal queimar qualquer tipo de material impresso, pois foi convencionado que literatura é um propagador da infelicidade. Mas um bombeiro começa a questionar essa linha de raciocínio quando vê uma mulher preferir ser queimada com sua biblioteca ao invés de permanecer viva.
Os créditos iniciais do filme não são escritos, mas narrados, para antecipar o clima de leitura proibida. Também são mostradas várias antenas de televisão nas casas, indicando ironia com as grandes invenções tecnológicas dos anos 50, pela influência exercida desde então nos lares, bem como com o futuro da humanidade.
Detalhe é que não tem nada a vez com o superstimado documentário “Fahrenheit 451 - 11 de Setembro” realizado por Michael Moore, em 2004.

Plugados e Afins

Toda quarta-feira, a partir das 19 horas, no Jeca Total, está acontecendo o Projeto Plugados e Afins. São artistas musicais que se reúnem para oferecer num dia diferenciado da semana, música de qualidade para aqueles que saem do trabalho e chamam os amigos para relaxar. É um happy hour, que já é considerado, o melhor de Feira de Santana.
Nesta quarta-feira, 31, tem: Paulo Costa, acompanhado por Minduim e Rangele. Para a próxima semana, no dia 7: Maria Vai Com os Outros e Paulo Costa. O ingresso custa R$ 3,00 por pessoa e lá encontra-se a deliciosa carne do sol com cuscuz do dono do negócio, Eudes.

Vinculação

Ainda sobre o anúncio de obras, o presidente Lula vinculou a concretização à prorrogação da CPMF. Também ressaltar que antes o anúncio foi de Parceria Pública-Privada (PPP), agora a forma é concessão.

De olho na embromação

Notícias nos jornais desta terça-feira, 30, dão conta que na modelagem das rodovias BR-116 e BR-324 está prevista a duplicação do contorno rodoviário de Feira de Santana. O projeto é a preparação das estradas para a privatização. Um trecho de 84 quilômetros da BR-116, de Feira de Santana ao rio Paraguaçu, será duplicado até o segundo ano de concessão. A BR-324 será reformatada e também receberá obras de recuperação e duplicação.
Modelagem, prevista, projeto, reformatada. É bom ficar de olho nesses termos empregados pelo governo petista. Outra coisa: a BR-324 não já é duplicada? Então, por que a colocação? Ela precisa realmente de recuperação das duas pistas, acostamento, sinalização.

Quem te viu quem te vê

O PT agora capitaliza a presença da Ford na Bahia. Os petistas foram contra a implantação da montadora no Estado, possibilitada graças ao carlismo.
Tanto o presidente Lula como o governador Jaques Wagner se posicionaram contra a vinda da Ford. Então deputado federal, Wagner chegou a votar contra na Câmara dos Deputados, em 1999.

Sobre a II Conferência Estadual de Cultura

Saiu no www.bahiaja.com.br, edição de segunda-feira:
O deputado Tarcízio Pimenta (DEM) afirmou nesta segunda-feira, 29, no plenário da Assembléia Legislativa, que não foi pacífica a passagem do governador Jaques Wagner (PT) e do ministro da Cultura, Gilberto Gil, durante abertura da II Conferência Estadual de Cultura, no campus da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), na semana passada.
Denunciou que seguranças do governador agrediram vários professores da Uefs que se manifestaram contra o chefe do executivo, a imprensa foi tratada a safanões, além do encontro ter sido considerado um fiasco, na medida em que não aprovou uma medida sequer para impulsionar a cultura baiana.
Pimenta destacou, ainda, que durante o show de Tomzé "o fumo" correu soltou entre a estudantada e que o ministro Gilberto Gil falou durante 45 minutos para a platéia, que não entendeu quase nada do que ele disse, e só pedia para ele cantar. "Canta Gil, canta Gil", foi o apelo da garotada.
Ainda de acordo com o deputado, o reitor José Carlos Barreto Santana, da Uefs protestou durante o encerramento do encontro porque não usou da palavra na abertura do evento, ao lado do governador e do ministro Gil, além de ter criticado o veto do professor Washinton Moura, vice-reitor da Uefs, às dependências do local onde se encontravam as autoridades.
Pimenta destacou que o encontro foi "um fiasco, discriminatório com os artistas de Feira de Santana, Carlos Pita, Dionorina, Beto Pitombo, na medida em que trouxeram um safoneiro de fora que sequer sabia tocar", alfinetou Pimenta.

segunda-feira, 29 de outubro de 2007

Começa construção do primeiro viaduto

As fundações para os pilares do viaduto da avenida Getúlio Vargas, a partir da avenida João Durval Carneiro começaram a ser abertas na manhã desta segunda-feira, 29. Ao todo serão construídos dez pilares. Cada um terá quatro estacas. As estacas terão 18 metros de profundidade. O viaduto, dos cinco previstos até o próximo ano, terá 94 metros de extensão. A previsão da construtora é de que até abril a obra seja concluída.
“Tudo está sendo feito do planejado pelo Município. Dentro de mais algum tempo vamos iniciar o viaduto da rotatória da Cidade Nova”, afirmou o prefeito José Ronaldo de Carvalho. “O primeiro passo para a modernização viária, bem como preparar a cidade para o futuro, está sendo dado. Feira, afirmo, está entrando numa nova era. A partir de agora, novos vetores de crescimento e de desenvolvimento serão implantados”, disse.
Serão construídos viadutos, além dos citados, nos cruzamentos das avenidas Maria Quitéria//Eduardo Fróes da Motta/Francisco Maia, João Durval/Eduardo Fróes da Motta e Getúlio Vargas/Eduardo Fróes da Motta/Noide Cerqueira. As obras são financiadas pela Corporação Andina de Fomento (CAF), que tem sede na Venezuela, com contrapartida da Prefeitura de Feira de Santana. Os viadutos serão construídos pelo consórcio Top/Tranenge.
Para o secretário de Planejamento, Carlos Brito, o início da construção do viaduto é um marco para a história local, sob todos os aspectos. “Estes equipamentos são importantes para o município tanto no presente como no futuro. A cidade está sendo preparada para atender a uma demanda que a estrutura atual não iria suportar, se continuasse como está. Portanto, abrem-se novas perspectivas positivas para as próximas décadas, neste setor”, considerou.
Segundo o engenheiro Leonardo Bernardi, a obra vai gerar, diretamente, mais de 30 postos de empregos – isto durante o pico da obra. Outro ponto evidenciado por ele foi com relação ao trabalho de fixação das estacas. “O trabalho não vai oferecer nenhum tipo de perigo às estruturas de casas e prédios vizinhos”. Ao contrário do sistema antigo, a máquina perfura o solo semelhante sem causar nenhum tipo de abalo. A análise do solo foi feita há alguns dias. O material recolhido foi levado para Salvador.
A partir da manhã desta segunda-feira os veículos que vinham da avenida João Durval, em ambos sentidos, não puderam cruzar a avenida Getúlio Vargas. Quem passou no local e se dirigia para a Santa Mônica, também não foi autorizado a entrar à direita.

Dia Nacional do Livro


O que não é

Será que o governo petista, depois da II Conferência Estadual de Cultura, já sabe o que é cultura? - cultura é o quê? foi o mote do evento. Pelo viés imposto, tudo é cultura, principalmente o que não é. O que vale é quantidade e não qualidade.

Estranheza

A "Carta de Feira de Santana", tirada na II Conferência Estadual de Cultura, foi entregue ao secretário Márcio Meirelles por uma tuxá, que representou as comunidades indígenas. Causou estranheza ela estar vestida com uma camiseta com a face de Che Guevara.

Aperfeiçoamento em Prática de Orquestra

O Curso de Aperfeiçoamento em Prática de Orquestra está em andamento, mas continua com inscrições abertas, no Centro de Cultura Maestro Miro.
Segundo o maestro, músico e trompetista Coltrane Rodrigues, que ministra o curso, o objetivo é o de aprimorar a linguagem musical escrita e pronunciada nos instrumentos.
A duração do curso é de seis meses e o público que se pretende atingir é de músicos iniciantes de filarmônicas. Além de apresentação pública, os alunos recebem certificado de participação.

Al Gore e o ecoterrorismo

Por Ipojuca Pontes, em 29 de outubro de 2007, no site "Mídia Sem Máscara" (midiasemmascara.org):
Assim como o gênero “documentário cinematográfico” presta-se a todo tipo de mistificação, sobretudo política, a chamada “defesa do meio-ambiente”, industrializada pelos ecologistas, incorpora neste início de século uma componente de terror. A simples verificação de que o ser humano, nas últimas décadas, melhorou a qualidade de vida e ampliou em anos a sua existência sobre a face da terra, não parece motivo suficiente para uma reflexão ecológica serena. Antes pelo contrário. Manipulando os fenômenos da natureza ao sabor de suas conveniências ideológicas, políticas e financeiras, os chamados ambientalistas transformaram-se em autênticos profetas do Apocalipse.
Vejamos como funciona a coisa: em data recente o documentário cinematográfico “Uma Verdade Inconveniente” (An Inconvenient Truth), USA, 2006, apresentado pelo ex-vice-presidente dos Estados Unidos Al Gore, ganhou em sua categoria o Oscar de 2007, segundo o júri politicamente correto, “por seus esforços no combate às mudanças climáticas”. Mais ainda: o filme, no seu proselitismo, ajudou a Gore receber o Prêmio Nobel da Paz pelo seu notório ativismo ambientalista. Como se sabe, o político americano, que investe dinheiro grosso em fontes alternativas de energia, vive a mercadejar dia e noite a tese da ação humana como causa do aquecimento global.
Mas na gloriosa caminhada do profeta Al Gore e seu documentário até a total desertificação da terra surgiu, de repente, um obstáculo: o juiz Michael Burton, da Alta Corte Britânica, instado por um indignado diretor de escola em Kent, Stewart Dimmock, considerou o filme não só tendencioso como fraudulento e alarmista. Na sentença, o juiz Burton não proibiu a sua exibição, mas determinou, como obrigatória, a advertência ao público de que o filme contém “imprecisões científicas e que não representa a única posição sobre o assunto”. Em resumo: o magistrado considerou que a verdade de Gore é conveniente para ele mesmo e os fanáticos adeptos da seita ecológica.
O juiz Burton exigiu ainda que, antes de cada sessão, sejam apresentados os argumentos contrários às informações divulgadas pela peça de propaganda, plena de erros – erros que, segundo o magistrado, não resistiriam a uma análise científica imparcial. Repasso aos leitores alguns, entre os 11 destacados pelo juiz:
1) O documentário projeta a ameaça de que o aquecimento global poderia interromper a Corrente do Golfo, lançando a Europa numa Idade do Gelo, embora as evidências demonstrem que isto é uma impossibilidade cientifica;
2) O documentário alega que o nível do mar subirá até 20 pés por causa do derretimento do gelo na Antártida e na Groenlândia, embora esteja comprovado que esta quantidade de água apenas seria liberada nos próximos milênios;
3) São falsas, no documentário, as indicações de que os ursos polares se afogaram ao tentar nadar longas distâncias em busca do gelo. O juiz considerou o alarme falso, visto que o único estudo científico sobre o assunto informa que apenas 4 ursos foram encontrados afogados, não pelo derretimento do gelo, mas por causa de uma tempestade violenta;
4) O documentário projeta imagens dramáticas do furacão Katrina e dá a entender que ele foi causado pelo aquecimento global. O defensor ambientalista teve de admitir que não era possível atribuir a causa do evento ao aquecimento global;
5) O documentário responsabiliza o aquecimento global pela extinção de espécies, inclusive o de desgaste de recifes de corais. Para o juiz Burton não há qualquer evidência que comprove tal afirmativa;
6) O documentário sugere que a cobertura de gelo da Antártida está em processo de degelo. De fato, os dados disponíveis demonstram que ela está aumentando;
7) Segundo o magistrado, os erros “científicos” da obra incluem a falsa observação de que a elevação dos níveis do mar forçou a evacuação de algumas ilhas do Pacífico, tendo as populações tomado o rumo da Nova Zelândia, o que, de fato, não ocorreu;
8) Outro erro do documentário consiste em sugerir que os níveis do mar poderão aumentar em 7 metros nos próximos anos, o que determinaria o deslocamento de milhões de pessoas para as mais longínquas regiões. Tal projeção “científica”, segundo o juiz, não passa de uma falácia: o aumento dos níveis do mar, nos próximos séculos, não ultrapassará os 40 cm – estando eliminada qualquer hipótese de migrações em massa.
Deixando de lado o exame do serviço de desinformação premeditada em que se transformou o documentário, convém esclarecer que o seu apresentador, Al Gore, candidato derrotado à presidência dos Estados Unidos, é um histórico espertalhão político, em grande parte financiado pelo predador Armand Hammer, dono da Occidental Petroleum e parceiro do terrorista Moamar Kadhafi, o ditador da Líbia.
Bem, e daí? E daí o seguinte: Hammer, cujo pai tinha sólidas ligações com o PC russo, se fez bilionário, segundo o historiador Neil Lynpon (“Um Capitalista em Moscou”, editora Bestseller, 1999) como “coordenador financeiro do Komintern e o maior lavador de dinheiro (soviético) de todos os tempos”. Neil acrescenta ainda que Hammer dizia, em conversas privadas, que tinha “Al Gore – pai e filho - no bolso”.
À margem os cuidados específicos que a proteção da natureza deve merecer, a ecologia hoje, para além de feroz instrumento político contra o capitalismo está, tal como Bin Laden, ligada umbilicalmente à palavra “terror”. Suas visões catastróficas anunciando, como uma hecatombe bíblica, inundações, secas, epidemias e ondas de calor mortais transformaram-se, sob o comando da ONU, num negócio espantoso, especialmente para a gula das ONGs internacionais. Segundo avaliação comparativa, de rendimento superior à exploração do petróleo, da droga e dos negócios bancários.


O autor é cineasta, jornalista, escritor e ex-Secretário Nacional da Cultura

Secretário Jorge Solla mede largo e corta estreito

Por Cristóvam Aguiar

Tida e havida como modelo de gestão em saúde pública, a cidade de Vitória da Conquista, terra do secretário estadual de Saúde, Dr. Jorge Solla, promoveu no dia 15 de setembro passado um ato em prol da aprovação da Emenda 29. A emenda tem como objetivo o aumento dos recursos para o Sistema Único de Saúde (SUS) e está emperrada na Câmara dos Deputados. Na oportunidade, o Dr. Jorge Solla se fez presente e, em seu pronunciamento, atacou a Imprensa e tentou passar uma imagem de que a cidade é, realmente, um modelo de saúde pública, o que não é verdade, conforme se pode constatar conversando com médicos e pacientes.
“Eu acho que a gente tem que desmistificar algumas idéias que passam no senso comum, e que os meios de comunicação vivem propagando. O pessoal da comunicação diz que notícia boa não é notícia. É por isso que existem jornais que, quando se espreme, corre sangue. Muitas vezes existem denúncias absurdas, irresponsáveis”, afirmou o secretário.
Segundo ele, a Imprensa se apressa em divulgar notícias ruins, mas não divulga o que o governo Lula faz de bom. “Não divulgam este centro de referência em DST/AIDS (de Vitória da Conquista), que é o maior de todo o interior do Norte e do Nordeste”, disse ele. Mas o Centro a que ele se referiu, foi alvo de matéria do jornal "A Tarde", há cerca de dois meses, denunciado que foi por estar reutilizando material descartável.
“Não divulga (a Imprensa) a quantidade de pacientes que são atendidos aqui todos os dias, não só da região Sudoeste, mas até da região Sul da Bahia, além dos milhares e milhares de Reais gastos com medicamentos de alto custo para tratar estes pacientes do SUS”, acusou o Secretário.
Contudo, pacientes do SUS, como dona Eunice Morais, que teve solicitada uma mamografia e em agosto passado havia completado um ano sem conseguir realizar o exame. Ou então como dona Maria Isabel da Silva, que solicitou uma consulta com um gastroenterologista em março deste ano, e até setembro não havia conseguido. Quanto aos medicamentos, uma paciente denunciou que uma farmácia estava comercializando medicamentos que deveriam estar sendo distribuídos gratuitamente pela Farmácia Básica da Secretaria Municipal de Saúde.
O Dr. Solla afirmou ainda que o município de Vitória da Conquista teve que entrar na Gestão Plena da Saúde, “com menos recursos do que o SUS já investia”. Segundo afirmou, “em 2002 o Secretário Estadual de Saúde foi a Brasília exigir que o Ministério da Saúde não aumentasse os recursos repassados para Vitória da Conquista”.
Mas o Dr. Solla não disse que desde 2002, quando ele era secretário do Ministério da Saúde, os incentivos eram todos para Conquista, e que em 2004 ele graciosamente alocou CR$ 3 milhões acima do teto do município, sem passar pela Comissão Intergestora Bipartite (CIB) que decide onde os recursos devem ser alocados em todo o Estado. Não disse também que Vitória da Conquista, com cerca de 300 mil habitantes, recebe recursos para a Gestão Plena, superiores a outros municípios, que têm o dobro da sua população.
Depoimentos
“A situação da Saúde em Vitória da Conquista não é diferente de nenhum município da Bahia”. A afirmação é do Dr. Sebastião Castro, ex-Secretário de Saúde do município e ex-deputado estadual por dois mandatos, projetista, fundador e ex-diretor do Hospital de Base, o hospital estadual de Vitória da Conquista.
Segundo ele, a saúde pública de Conquista “funciona com todas as deficiências dos outros municípios. Falta pessoal, faltam equipamentos, materiais, medicamentos, tudo. Fisicamente, nós temos uma rede hospitalar boa, mas que na prática não funciona. Quando o município entrou na Gestão Plena, os serviços chegaram a funcionar satisfatoriamente. Eu creio que com a pactuação com outros municípios, estes não estão passando os recursos pactuados ou então estão enviando mais pacientes do que a cota pactuada, o que prejudica o atendimento. As emergências vivem superlotadas, com internamentos feitos nas próprias emergências”, afirmou o médico.
Por sua vez, o Dr. Agnes Souza, também ex-secretário de saúde do município, disse que há necessidade de um melhor atendimento nos postos de saúde, que são muitos, mas faltam médicos. “Os plantonistas das emergências não podem examinar os pacientes como deveriam, dedicando mais tempo, como ocorreria num ambulatório ou num posto de saúde. Ele prescreve um medicamento com base apenas na queixa do paciente e, o que é pior, ele quase sempre não voltará a ver aquele paciente, para lhe dar o devido acompanhamento”, afirmou.
Cientes das declarações do Dr. Jorge Solla, o Dr. Agnes sentenciou: “Dr. Solla mede largo, mas corta estreito”.É importante salientar, que só o Hospital de Base atende a emergências no momento, mesmo com deficiências. A Santa Casa, contratada pelo SUS, nunca tem leitos disponíveis; a clínica Unimec, só atende a emergências clínicas, cirurgias eletivas e Pronto Atendimento; no hospital Esaú Matos falta de tudo. Portanto, os conquistenses não vêem esse exemplo de “Saúde Pública”, tão falado pelo Secretário Jorge Solla , como foi exclamado por alguns munícipes ouvidos.
Mas, com certeza, muitos recursos virão, e quem sabe, toda essa realidade se transforme. Por enquanto, a realidade é essa.
Cristóvam Aguiar é jornalista- DRT/BA 2318

Nada consta

No "Portal Uefs" (www.uefs.br/portal/news), nenhuma nota sobre a II Conferência Estadual de Cultura, realizada entre quinta-feira, 25, e domingo, 28, no campus da Universidade Estadual de Feira de Santana.

Nem tudo

Foi dito na II Conferência Estadual de Cultura que o compromisso da Secretaria de Cultura do Estado é “transformar as propostas em ações executivas”. Mas uma ressalva foi logo feita: “nem tudo vai ser possível executar”.
Já se tem desculpa antecipada para o nada.

O que é cultura

Comunidades quilombolas, etnias indígenas, movimentos sociais, feirantes, foram segmentos que apoiaram moção pela política "descentralizadora" da Secretaria de Cultura, durante a II Conferência Estadual de Cultura, encerrada no domingo, 28, em Feira de Santana.
Pelo visto, artistas que fazem cultura ficaram de fora.

Sem afetação

O deputado federal Sérgio Carneiro e o deputado estadual José Neto vão se enfrentar em prévias do PT para decidir quem será o candidato a prefeito de Feira de Santana. Decisão que não deverá afetar em nada o quadro sucessório, pois nenhum dos dois será eleito.

domingo, 28 de outubro de 2007

A última aula

Leia o que disse Weber Figueiredo, paraninfo da turma de formandos em Engenharia, professor da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), na sua última aula para seus ex-alunos, diante de uma platéia de formandos, acompanhados de seus pais. Um discurso de um verdadeiro patriota:
Ilustríssimos colegas da Mesa, senhor presidente, meus queridos alunos, senhoras e senhores. Para mim é um privilégio ter sido escolhido paraninfo desta turma. Esta é como se fora a última aula do curso. O último encontro, que já deixa saudades. Um momento festivo, mas também de reflexão.
Se eu fosse escolhido paraninfo de uma turma de direito, talvez eu falasse a importância do advogado que defende a justiça e não apenas o réu. Se eu fosse escolhido paraninfo de uma turma de medicina, talvez eu falasse da importância do médico que coloca o amor ao próximo acima dos seus lucros profissionais. Mas, como sou paraninfo de uma turma de engenheiros, vou falar da importância do engenheiro para o desenvolvimento do Brasil.
Para começar, vamos falar de bananas e do doce de banana, que eu vou chamar de bananada especial, inventada (ou projetada) pela nossa vovozinha lá em casa, depois que várias receitas prontas não deram certo. É isso mesmo. Para entendermos a importância do engenheiro vamos falar de bananas, bananadas e vovó. A banana é um recurso natural, que não sofreu nenhuma transformação. A bananada é igual a banana mais outros ingredientes mais a energia térmica fornecida pelo fogão mais o trabalho da vovó e mais o conhecimento, ou tecnologia da vovó. A bananada é um produto pronto, que eu vou chamar de riqueza. E a vovó? Bem a vovó é a dona do conhecimento, uma espécie de engenheira da culinária.
Agora, vamos supor que a banana e a bananada sejam vendidas. Um quilo debanana custa um real. Já um quilo da bananada custa cinco reais. Por que essa diferença de preços? Porque quando nós colhemos um cacho de bananas na bananeira, criamos apenas um emprego: o de colhedor de bananas. Agora, quando a vovó, ou a indústria, faz a bananada, ela cria empregos na indústria do açúcar, da cana-de-açúcar, do gás cozinha, na indústria de fogões, de panelas, de colheres e até na de embalagens, porque tudo isto é necessário para se fabricar a bananada. Resumindo, um quilo de bananada é mais caro do que um quilo de banana porque a bananada é igual banana mais tecnologia agregada, e a sua fabricação criou mais empregos do que simplesmente colher o cacho de bananas da bananeira.
Agora vamos falar de outro exemplo que acontece no dia-a-dia no comércio mundial de mercadorias. Em média: um quilo de soja custa US$ 0,10 (dez centavos de dólar), um quilo de automóvel custa US$ 10, isto é, 100 vezes mais, um quilo de aparelho eletrônico custa US$ 100, um quilo de avião custa US$1.000 (10 mil quilos de soja) e um quilo de satélite custa US$ 50.000. Veja, quanto mais tecnologia agregada tem um produto, maior é o seu preço, mais empregos foram gerados na sua fabricação.
Os países ricos sabem disso muito bem. Eles investem na pesquisa científicae tecnológica. Por exemplo: eles nos vendem uma placa de computador que pesa 100 gramas por US$ 250. Para pagarmos esta plaquinha eletrônica, o Brasil precisa exportar 20 toneladas de minério de ferro. A fabricação de placas de computador criou milhares de bons empregos lá no estrangeiro, enquanto que a extração do minério de ferro, cria pouquíssimos e péssimos empregos aqui noBrasil.
O Japão é pobre em recursos naturais, mas é um país rico.O Brasil é rico em energia e recursos naturais, mas é um país pobre. Os países ricos, são ricos materialmente porque eles produzem riquezas. Riqueza vem de rico. Pobreza vem de pobre. País pobre é aquele que não consegue produzir riquezas para o seu povo. Se conseguisse, não seria pobre, seria país rico.
Gostaria de deixar bem claro três coisas: 1º) quando me refiro à palavra riqueza, não estou me referindo a jóias nem a supérfluos. Estou me referindo àqueles bens necessários para que o ser humano viva com um mínimo de dignidade e conforto; 2º) não estou defendendo o consumismo materialista como uma forma de vida, muito pelo contrário; 3º) e acho abominável aqueles que colocam os valores das riquezas materiais acima dos valores da riqueza interior do ser humano.
Existem nações que são ricas, mas que agem de forma extremamente pobre e desumana em relação a outros povos. Creio que agora posso falar do ponto principal. Para que o nosso Brasil torne-se um país rico, com o seu povo vivendo com dignidade, temos que produzir mais riquezas. Para tal, precisamos de conhecimento, ou tecnologia já que temos abundância de recursos naturais e energia. E quem desenvolve tecnologias são os cientistas e os engenheiros, como estes jovens que estão se formando hoje.
Infelizmente, o Brasil é muito dependente da tecnologia externa. Quando fabricamos bens com alta tecnologia, fazemos apenas a parte final da produção. Por exemplo: o Brasil produz cinco milhões de televisores por ano e nenhum brasileiro projeta televisor. O miolo da TV, do telefone celular e de todos os aparelhos eletrônicos, é todo importado. Somos meros montadores de kits eletrônicos. Casos semelhantes também acontecem na indústria mecânica, deremédios e, incrível, até na de alimentos. O Brasil entra com a mão-de-obrabarata e os recursos naturais. Os projetos, a tecnologia, o chamado pulo do gato, ficam no estrangeiro, com os verdadeiros donos do negócio. Resta ao Brasil lidar com as chamadas caixas pretas.
É importante compreendermos que os donos dos projetos tecnológicos são os donos das decisões econômicas, são os donos do dinheiro, são os donos das riquezas do mundo.Assim como as águas dos rios correm para o mar, as riquezas do mundo correm em direção aos países detentores das tecnologias avançadas. A dependência científica e tecnológica acarretou para nós brasileiros a dependência econômica, política e cultural. Não podemos admitir a continuação da situação esdrúxula, onde 70% do PIB brasileiro é controlado por não residentes.
Ninguém pode progredir entregando o seu talão de cheques e a chave de sua casa para o vizinho fazer o que bem entender. Eu tenho a convicção que desenvolvimento científico e tecnológico aqui no Brasil garantirá aos brasileiros a soberania das decisões econômicas, políticas e culturais. Garantirá trocas mais justas no comércio exterior. Garantirá a criação de mais e melhores empregos. E, se toda a produção de riquezas for bem distribuída, teremos a erradicação dos graves problemas sociais.
O curso de engenharia da Uerj, com todas as suas possíveis deficiências, visa a formar engenheiros capazes de desenvolver tecnologias. É o chamado engenheiro de concepção, ou engenheirode projetos. Infelizmente, o mercado nacionalizado nem sempre aproveita todo este potencial científico dos nossos engenheiros. Nós, professores, não podemos nos curvar às deformações do mercado. Temos que continuar formando engenheiros com conhecimentos iguais aos melhores do mundo. Eu posso garantir a todos os presentes, principalmente aos pais, que qualquer um destes formandos é tão ou mais inteligente do que qualquer engenheiro americano, japonês ou alemão. Os meus trinta anos de magistério, lecionando desde o antigo ginásio até a universidade, me dá autoridade para afirmar queo brasileiro não é inferior a ninguém, pelo contrário, dizem até que somos muito mais criativos do que os habitantes do chamado primeiro mundo.
O que me revolta, como professor cidadão, é ver que as decisões políticas tomadas por pessoas despreparadas ou corruptas são responsáveis pela queima e destruição de inteligências brasileiras que poderiam, com o conhecimento apropriado, transformar o nosso Brasil num país florescente, próspero esocialmente justo. Acredito que o mundo ideal seja aquele totalmente globalizado, mas uma globalização que inclua a democratização das decisões e a distribuição justa do trabalho e das riquezas. Infelizmente, isto ainda está longe de acontecer, até por limitações físicas da própria natureza.
Assim, quem pensa que a solução para os nossos problemas virá lá de fora, está muito enganado.O dia que um presidente da República, ao invés de ficar passeando como um dândi pelos palácios do primeiro mundo, resolver liderar um autêntico projeto de desenvolvimento nacional, certamente o Brasil vai precisar, em todas as áreas, de pessoas bem preparadas. Só assim seremos capazes de caminhar com autonomia e tomar decisões que beneficiem verdadeiramente a sociedade brasileira. Será a construção de um Brasil realmente moderno, mais justo, inserido de forma soberana na economia mundial e não como um reles fornecedor de recursos naturais e mão-de-obra aviltada.
Quando isto ocorrer, e eu espero que seja em breve, o nosso País poderá aproveitar de forma muito mais eficaz a inteligência e o preparo intelectual dos brasileiros e, em particular, de todos vocês, meus queridos alunos, porque vocês já foram testados e aprovados.
Finalmente, gostaria de parabenizar a todos os pais pela contribuiçãopositiva que deram à nossa sociedade possibilitando a formação dos seus filhos no curso de engenharia da Uerj. A alegria dos senhores, também é a nossa alegria. Muito obrigado.

sábado, 27 de outubro de 2007

Unef realiza II Semana Universitária

Com o objetivo de integrar e expandir o conhecimento, a Unidade de Ensino Superior de Feira de Santana (Unef) realiza entre os dias 19 e 23 de novembro, a sua II Semana Universitária. Com o tema “Comunicação Organizacional: Uma necessidade na Era da Informação”, a proposta é fazer uma interação entre os alunos dos cursos de Comunicação Social e Administração. A promoção também será aberta para outras instituições de Ensino Superior e comunidade local.
No decorrer da semana, diversas oficinas, mini-cursos e palestras serão ofertadas, como "Planejamento Pessoal", "Balanced Scorecard", "Composição Visual Gráfica", "Oficina de TV", "Métodos Lícitos X Métodos Ilícitos Para Obtenção de Informação Jornalística", "Modelagem Financeira, "A Importância da Comunicação nas Relações Humanas", "Projeto Teatro Virtual" etc.
Entre os participantes estão: Pola Ribeiro, diretor do Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia (Irdeb); Marcílio Costa, gerente de jornalismo TV Subaé; Madalena Braga, repórter da TV Subaé e âncora do "Bahia Meio-Dia"; Augusto Cézar Orrico, diretor presidente da Fundação Cultural Municipal Egberto Costa; Dário Rios, da Yazaki; além de apresentações diárias do Galpão de Arte.
Para participar do evento, os interessados devem efetuar a inscrição no Setor Financeiro, no campus da Unef, das 8 às 12 e das 14 às 19 horas. É cobrada uma taxa de R$ 10,00 para manutenção, despesas e materiais utilizados e um quilo de alimento não-perecível para ser doado à comunidade carente do bairro Aviário.
Segundo a coordenadora acadêmica dos cursos de Comunicação Social da Unef, professora-mestra Élica Paiva, a realização será importante para adquirir novos conhecimentos. “Além do conhecimento, os alunos irão conhecer outras dos outros cursos e da comunidade”, disse.
“Convidamos a todos para participarem do evento que é importante para a formação acadêmica” afirmou a coordenadora adjunta dos cursos de Comunicação Social da Unef, professora Andréa Souza. Ela complementa ainda que serão oferecidos certificados de participação com total de 20 horas aula.

Sobre curtura

Na Bahia, com o governo Wagner - como no Brasil, com o governo Lula -, está em andamento uma investida contra o que se chama "alta cultura". Apoio e incentivo só para a curtura popular ou periférica, como mostram os editais e até mesmo a II Conferência Estadual de Cultura. É o viés da quantidade pela qualidade.

Ruído na comunicação

Nenhuma linha no jornal "Correio da Bahia" deste sábado, 27, sobre a II Conferência Estadual de Cultura, que acontece até este domingo, 28, em Feira de Santana. O mesmo acontece com o jornal "Tribuna da Bahia", que não dedicou nenhum espaço em suas páginas sobre o evento. Também nenhuma importância foi dada à conferência pelo jornal "A Tarde". Nem o jornal local "Folha do Estado" fez algum registro sobre o que acontece no campus da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs).
Deve estar havendo algum ruído na comunicação do governo petista com a mídia. Ou a imprensa não está dando a importância que se esperava, talvez pela conferência estar sendo realizada no interior?

sexta-feira, 26 de outubro de 2007

Outro vexame

Outro vexame foi sofrido pelo reitor da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) José Carlos Barreto de Santana na solenidade de abertura da II Conferência Estadual de Cultura, na noite de quinta-feira, 25. Além de ter seu nome trocado pelo cerimonial, que chamou o "magnífico reitor José Gurjão Boavista da Cunha" para a formação da mesa, a ele - anfitrião do evento - não foi dada a palavra.
.

DEM contra CPMF

O Governo Federal está contando com a aprovação da prorrogação da CPMF. Precisa de no mínimo 49 votos dos senadores para aprovar a emenda 49, nos dois turnos. Ainda bem que o Democratas fechou questão contra a prorrogação da CPMF. Com base nessa decisão, pode até expulsar infiéis.

Um feirense no Conselho Estadual de Cultura

No novo Conselho Estadual de Cultura, empossado pelo governador Jaques Wagner na quinta-feira, 25, durante a abertura da II Conferência Estadual de Cultura, um integrante é natural de Feira de Santana. Trata-se do antropólogo e poeta Washington Queiroz, como suplente na Câmara de Políticas Sócio-Cultural, ele ligado à Antropologia e Cultura Sertaneja.
Estudioso da cultura sertaneja, Washington Queiroz tem mestrado em Antropologia Social pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), com especialização em Etnologia Indígena. Em 1984 conviveu com os índios Parakanã, um grupo Tupi da Amazônia, estudando seus rituais de cura. Em Salvador, criou e coordenou entre 1985 e 1991 o projeto "História de Vaqueiros: Vivência e Mitologias", editado em livro pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural. Como funcionário do Ipac, foi subgerente de Estudos Históricos e Etnohistóricos (1991), coordenador de Manifestações Literárias (1984-1989), subcoordenador de Desenvolvimento Social (1983-1984), e autor e coordenador do projeto "Bahia: Raízes Indígenas", convênio do Ipac com o Museu de Arqueologia da Universidade Federal da Bahia (Ufba) e o Instituto Nacional do Folclore (INF). É pintor e poeta (integrou do grupo Hera, em Feira de Santana), tendo publicado os livros "Cantata" (Edições Cordel, 1976) e "Cinco Tempos de Homem" (Coleção dos Novos, 1982). Também teve obras publicadas em diversas revistas literárias do Brasil e exterior, entre 1972 e 2007. Em 1980 realizou no Instituto Cultural Brasil-Alemanha (Icba) a exposição de poemas-quadros "Conclusões do Azul", retomada em 1991 com a exposição "Conclusões do Azul II", no Desenbanco. Nesse mesmo ano, foi premiado na Bienal do Recôncavo com a instalção "Projetos Retalhos: Uma Antropologia do Improviso". Em 2005, lançou "A Dança dos Véus: Fantasia e Fuga" (coleção Selo Editorial Letras da Bahia, pela Secretaria da Cultura e Turismo e Fundação Cultural do Estado).

Políticas afirmativas na aula magna da Uefs

O secretário de Promoção da Igualdade da Bahia, Luiz Alberto Silva dos Santos, profere nesta segunda-feira, 29, às 9 horas, a aula magna do semestre 2007.1 da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs). O tema abordado será "A Importância das Políticas Afirmativas no Ensino Superior". O evento será realizado no Anfiteatro José Coutinho Estrella, no Módulo II.
Luiz Alberto dos Santos foi eleito deputado federal pelo PT baiano nas três últimas legislaturas, tendo se afastado, em 2007, para exercer o cargo de secretário de Estado. É sociólogo pela Universidade Federal da Bahia (Ufba), técnico químico da Petrobrás e técnico em administração da Escola Técnica Estadual de Comércio, em Salvador.
Com vida pública vinculada a movimentos sindicais e sociais, de igualdade em gênero, raça e etnia, foi representante de classes e associações, como o Sindicato dos Petroleiros da Bahia. Participou de atividades no Brasil e no exterior como palestrante ou representante do Governo do Brasil. Parlamentar, atuou como titular de comissões como as de Ciência e Tecnologia, de Comunicação e Informática, Constituição e Justiça e de Cidadania.

Maria Joana

Pelo que narram os sites (até com fotografias) e programas de rádio desta sexta-feira, 26, a cultura que mais se manifestou na abertura da II Conferência Estadual de Cultura foi a de participantes fumando maconha livremente no auditório improvisado da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs). Dizem até que o artista Tom Zé, em sua apresentação, na noite de quinta-feira, 25, fez apologia à chamada erva maldita.

Índios contam em livro experiências com a cultura digital

Índios de diversas etnias lançam durante a II Conferência Estadual de Cultura da Bahia, no campus da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), o livro “Arco Digital - Uma Rede Para Aprender a Pescar”. Nesta sexta-feira, 26, às 17 horas, Yakuy Tupinambá estará dialogando com o público sobre o projeto "Arco Digital".
A publicação realizada pela ong Thydewas, em parceria com o Oi Futuro, instituto de responsabilidade social da Oi, aborda a cultura digital dos indígenas e suas experiências com as novas tecnologias no dia-a-dia dentro e fora das aldeias. O livro é resultado do projeto "Arco Digital", uma das ações aprovadas pelo programa "Novos Brasis do Oi Futuro". Os textos e as fotografias foram feitos pelos próprios índios, autores do trabalho.
O "Arco Digital" é desenvolvido pela Thydewas em parceria com o Oi Futuro. A organização, uma aliança entre sete nações indígenas do nordeste brasileiro, permite aos índios se conectarem à Internet desde 2004 através de uma antena via satélite e um computador em cada uma das aldeias. Desde então, eles podem dialogar entre eles e outros internautas através de chats, pesquisar e projetar matérias no portal.

FTC participa do Dia do Ensino Responsável

Uma série de ações de conscientização ambiental e prestação de serviços à comunidade vão marcar este sábado, 27, na Rede de Ensino FTC, na unidade Paralela e demais cidades sedes - Feira de Santana, Vitória da Conquista, Jequié e Itabuna.
É o Dia da Responsabilidade Social das Instituições de Ensino Superior Privadas. Organizado pela Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (Abmes), o evento tem como tema “Ensino Responsável 2007” e o objetivo é desenvolver ações que possam contribuir com a melhoria da qualidade de vida e a formação do cidadão.
Dentre os serviços oferecidos estão: atendimento jurídico sobre Direitos do Cidadão (núcleos de Família, Trabalho e Direitos Humanos), e relacionado ao Direito Previdenciário e do Idoso, oficina de lixo reciclável, noções de Internet, word e excel, cadastro de isenção de CPF, ações de conscientização para economia de energia, aula demonstrativa sobre doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), coleta seletiva de lixo - palestra sobre uso de equipamentos de proteção individual (EPIs), prevenção à saúde bucal, tipagem sanguínea; avaliação física e orientação nutricional, além de muitos outros serviços.
O Dia da Responsabilidade Social é fruto da iniciativa de instituições como a FTC, que sabe a importância do seu papel para as comunidades. Através do atendimento comunitário diário e de ações realizadas no campo social, milhares de pessoas são beneficiadas.
Compromisso de uma faculdade que está sempre em dia com a sua responsabilidade e que faz da educação uma ferramenta de apoio para aqueles que mais precisam.

Obra do governo

O espaço improvisado do auditório no campus da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) foi dado como inaugurado pelo governo petista na quinta-feira, 25, durante a II Conferência Estadual de Cultura.

Mais apresentações do Projeto Teatro Virtual

Mais duas apresentações programadas na próxima semana do projeto Teatro Virtual, primeira etapa do Museu Parque do Saber. Nesta segunda-feira, 29, o diretor-presidente da Fundação Cultural Egberto Costa, Augusto Cézar Orrico, atendendo a convite do presidente Pedro Neto, visita o Rotary Club Feira de Santana Olhos d'Água, na reunião almoço, no Restaurante Casa do Sertão. Ainda na segunda, à noite, apresenta o projeto aos integrantes do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Feira de Santana (Sindihr), no Restaurante Paraíso da Carne de Sol.
Passo a passo, segmentos interessados da cidade vão conhecendo o investimento que o prefeito José Ronaldo de Carvalho faz em ciência, tecnologia, conhecimento e lazer, com a implantação do planetário ZKP4 Quinto encomendado pela Prefeitura de Feira de Santana.

Governador do Rotary contemplado com a Medalha do Mérito Rotário


Governador Germínio Orlando Braga agradece depois de receber honraria da Câmara
Fotos: Vicen Ferreres/Ascom




A entrega da Medalha do Mérito Rotário ao governador do Distrito 4390, Germínio Orlando Sampaio Braga, em sessão solene da Câmara Municipal de Feira de Santana, na noite de quinta-feira, 25, marcou a passagem do Dia Municipal da Consciência Rotária. Rotarianos, autoridades e lideranças políticas e empresariais prestigiaram o evento, que foi presidido pelo vereador Antônio Alcione da Silva Cedraz.
O homenageado, que foi indicado pelos clubes rotários da cidade para receber a medalha, e convidados foram saudados pelo vereador Fábio Fernandes de Moraes Lucena, que também é rotariano, integrante do Rotary Club Feira de Santana Olhos d’ Água. Ele falou sobre a história da instituição, cuja origem foi um clube de homens de negócios para desenvolverem entre si relações de companheirismo e amizade.
“O objetivo inicial do Rotary, criado por Paul Harris em fevereiro de 1905, era o auxílio mútuo, que foi acrescido e suplantado pelo ideal de servir”, contou Fábio Lucena, lembrando que no Brasil o primeiro Rotary Club, sediado no Rio de Janeiro, foi implantado em 1917. Em Feira de Santana, a instituição teve a primeira representação em 1941. Hoje, são cinco clubes, mais as organizações vinculadas – Rotaract, Interact e Casa da Amizade.
Mereceu destaque de Fábio Lucena, ainda, a Escola do Rotary e a Fundação Jonatas Telles de Carvalho, atualmente dirigida pelo ex-governador distrital José Raimundo Pereira de Azevedo. Tudo isso, conforme frisou, justifica a reverência ao Rotary, através da entrega da Medalha do Mérito Rotário. “A escolha de Germínio Orlando se deu por seu trabalho, suas ações e sua determinação”, considerou.
“Sempre pensei que o desempenho de uma função na vida pública ou privada e especialmente em favor da causa rotária com dedicação e responsabilidade não é favor é dever”, ensinou o homenageado, ao agradecer a honraria que, segundo ele, é fruto da generosidade dos que compõem a Câmara. Ligado à instituição desde 1982, membro do Rotary Club Feira Leste, Germínio, se definiu como “um rotariano comum, com erros e acertos”.
Em seu discurso de agradecimento, ele compartilhou a medalha com todos os rotarianos da cidade e contou como foi descobrindo e compreendendo, aos poucos, toda a dimensão da organização onde “quem mais se beneficia é quem melhor serve”. Orlando Braga destacou algumas ações rotárias em Feira de Santana, a exemplo da Escola de Deficientes Visuais, a Campanha Pólio Plus e o Passeio Ciclístico da Primavera.
Além do vereador Alcione Cedraz, fizeram parte da mesa durante a solenidade o homenageado e a esposa, Lígia Marina Souza Braga, o procurador geral do Município, Carlos Lucena, representando o prefeito José Ronaldo de Carvalho, o governador assistente do Distrito 4390, Christian Alves de Souza, Theódulo Bastos de Carvalho Júnior, representando os ex-governadores do Rotary, e o suplente de deputad federal Jairo Carneiro.

"Democracia" à cubana

O governo comunista cubano deve vetar a viagem de uma comissão de deputados brasileiros a Havana para ouvir os boxeadores Guilhermo Rigondeaux e Erislandy Lara, deportados do Brasil há dois meses. Os dois estão abandonados e à espera de uma decisão oficial das autoridades esportivas do regime cubano.
O anúncio oficial da decisão de não conceder vistos aos deputados ainda não foi feito, mas o embaixador de Cuba no Brasil, Pedro Núñes Mosquera, disse ao presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara, Vieira da Cunha, que não quer nenhum brasileiro entrevistando os boxeadores no seu país.
Os dois atletas integravam a delegação cubana que veio ao Brasil participar dos Jogos Pan-Americanos, no Rio de Janeiro, em julho. Eles abandonaram a equipe de boxe antes de enfrentar os adversários. Em contato com empresários, eles aventaram a possibilidade de ir para a Alemanha.
Pressionados pelo governo cubano, foram localizados, presos pela polícia e deportados, no dia 4 de agosto. Exatamente como solicitou o regime de Fidel Castro. Um avião com prefixo da Venezuela levou os boxeadores do Rio.
O requerimento para a Comissão de Relações Exteriores ir a Cuba foi apresentado pelo deputado Raul Jungmann e aprovado no início de setembro. Ele não concorda com a idéia de que é uma interferência na soberania de Cuba. “Nós não queremos investigar o governo cubano. Nós queremos saber como é que se comportou o governo brasileiro no episódio da deportação dos boxeadores. Queremos ouvi-los, porque essa não é a tradição brasileira”, disse Jungmann ao jornal “Estado de São Paulo”.
Pelos trâmites da Câmara dos Deputados, a tendência é de se criar um contencioso diplomático. A presidência da Casa tem de enviar o requerimento à embaixada cubana e esperar que o regime cubano se manifeste de forma oficial.
Assim, funciona o regime - que alguns consideram "democrático" - de Fidel Castro.

Desencontro de contas

Matéria no jornal "Tribuna Feirense", edição desta sexta-feira, 26, dá conta que o auditório da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) recebeu "uma injeção financeira de R$ 250 mil", para ganhar condições de sediar a programação da II Conferência Estadual de Cultura.
Na quinta-feira, 25, no programa "Rádio Repórter", o deputado estadual José Neto garantiu que foram alocados recursos da ordem de R$ 400,00 para colocar o espaço em condições mínimas de utilização.
A obra está incompleta - assim o espaço está sendo improvisado - e depende de cerca de R$ 2 milhões para ficar pronta.

Retrovisor

"Eu continuo lamentando que todas as frustrações do governo atual (de Jaques Wagner) sejam atribuídas como uma responsabilidade de antecessores". Do ex-governador Paulo Souto sobre o olhar no retrovisor do governo petista.

Quantidade em vez da qualidade

"Acho que nunca tivemos tanta gente envolvida para discutir cultura e construir um plano de trabalho". A consideração que está nos jornais desta sexta-feira, 26, é do secretário da Cultura, Márcio Meirelles, que tende para a quantidade em vez da qualidade. Ele disse mais que "ao todo, ao longo dos encontros preparatórios e territoriais, quase 40 mil pessoas foram ouvidas e 91,8% dos municípios foram visitados".
Resta aguardar o resultado do novo viés que é dado à cultura na Bahia.

Gafe

Pelo que contaram ao Blog Demais, na solenidade de abertura da II Conferência Estadual de Cultura, no auditório improvisado da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), na noite de quinta-feira, 25, o cerimonial chamou para formação da mesa o "magnífico reitor José Gurjão Boavista da Cunha".
Naturalmente que o reitor José Carlos Barreto de Santana e demais convidados ficaram constrangidos.

quinta-feira, 25 de outubro de 2007

Medalha do Mérito Rotário

Foi realizada na noite desta quinta-feira, 25, na Câmara Municipal, sessão solene que marcou o Dia Municipal da Consciência Rotária. Na oportunidade, o governador 2007-2008 do Distrito 4390 de Rotary International, Germínio Orlando Braga, foi condecorado com a Medalha do Mérito Rotário.
O vereador Alcione Cedraz presidiu a sessão e o vereador Fábio Lucena, que é rotariano, fez a saudação ao homenageado, que agradeceu fazendo referências à sua atuação no clube de serviço.
A data, criada por Lei 2.322, de 27 de março de 2003, é 27 de outubro (dia de criação do Rotary Club de Feira de Santana, em 1941), autoria do vereador Maurício Carvalho. Este ano, a comemoração foi antecipada pela data cair num sábado.
O Blog Demais voltará a comentar sobre o evento, com cobertura fotográfica de Vicen Ferreres.

Direito x dever

"Na Constituição do Brasil, a palavra direito aparece 76 vezes enquanto que a palavra dever aparece apenas quatro vezes. A palavra produtividade duas vezes e eficiência uma vez. O que se pode fazer com um país que tem 76 direitos, quatro deveres, duas produtividades e uma eficiência?".
A constatação e a questão estão no artigo "Educação: o papel do capital social", do sociólogo José Pastore, especialista em relações do trabalho e pesquisador da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, da Universidade de São Paulo, publicado na revista "Bahia Indústria", da Federação das Indústrias do Estado da Bahia (Foeb), edição de setembro.

Roteiro de Filmes




Período de 26 de outubro a 1º de novembro




LANÇAMENTOS NACIONAIS
JOGOS MORTAIS 4
(Saw 4), de Darren Lynn Bousman, 2007. Com Tobin Bell, Shawnee Smith e Angus MacFayden. Terror. No rastro da notícia do assassinato da detetive Kerry, dois oficiais do FBI chegam na assustada unidade policial para ajudar o veterano detetive Hoffman a analisar e resolver o último quebra-cabeça deixado por Jigsaw. A situação piora quando o comandante da Swat se envolve no jogo e é obrigado a superar uma série de armadilhas dementes ou encarar conseqüências fatais. Classificação indicativa: 18 anos. Duração: 92 minutos. Horários: 13h20 (sábado e domingo), 15h20, 17h20, 19h20 e 21h20. Sala 1 (243 lugares).
TÁ DANDO ONDA (Surf’s Up), de Ash Brannon e Chris Buck, 2007. Animação. Cadu Maverick é um jovem pingüim, que tem o lendário surfista Big Z como ídolo. Um dia ele decide deixar sua família e sua cidade, Shiverpool, na Antártida, para participar do Big Z Memorial Surf Off, um torneio realizado na ilha Pen-Gu. Ele acredita que caso vença o torneio ganhará respeito e admiração, seu grande sonho. Mas lá ele conhece um veterano surfista, com quem aprende que o campeão nem sempre é aquele que chega em primeiro lugar nas competições. Cópia dublada. Classificação: Livre: 16 anos. Duração: 85 minutos. Horários: 13h30 (sábado e domingo), 15h20, 17h10, 19 horas e 20h50. Sala 4 (264 lugares).
CONTINUAÇÕES
BRATZ - O FILME
(Bratz - The Movie), de Sean McNamara, 2007. Com Logan Browning, Janel Parrish, Nathalia Ramos e Skyler Shaye. Comédia. As bonecas Cloe, Jade, Sasha e Yasmin ganham vida e enfrentam situações de perigo no colégio. Baseado em linha de bonecas norte-americana. Em segunda semana. Cópia dublada. Em segunda semana. Classificação indicativa: Livre. Duração: 105 minutos. Horários: 14h20 (sábado e domingo) e 16h30. Sala 2 (160 lugares).
SUPERBAD - É HOJE (Superbad), de Greg Mottola, 2007. Com Jonah Hill, Michael Cera, Bill Hader, Seth Rogen, Emma Stone e Aviva. Comédia. Dois amigos inseparáveis, que estão terminando o colegial. Eles vão para faculdades diferentes e são obrigados a se separar. Um é amável, esperto e normalmente aterrorizado com o que acontece à sua volta, enquanto que o outro é desbocado, frívolo e obcecado pela sexualidade. Cada um de sua forma, precisará superar suas frustrações com as mulheres na nova fase de suas vidas. Em segunda semana. Classificação indicativa: 16 anos. Duração: 116 minutos. Horários: 18h35 e 21 horas. Sala 2 (160 lugares).
TROPA DE ELITE, de José Padilha, 2007. Com Wagner Moura, Caio Junqueira, André Ramiro, Fernanda de Freitas, Fernanda Machado, Maria Ribeiro. Ação. O dia-a-dia do grupo de policiais e de um capitão do Bope, que quer deixar a corporação e tenta encontrar um substituto para seu posto. Paralelamente dois amigos de infância se tornam policiais e se destacam pela honestidade e honra ao realizar suas funções, se indignando com a corrupção existente no batalhão em que atuam. Em terceira semana. Classificação indicativa: 16 anos. Duração: 120 minutos. Horários: 14 horas (sábado e domingo), 16h20, 18h45 e 21h10. Sala 3 (167 lugares).

ENDEREÇO E TELEFONES
Orient Cineplace - Shopping Iguatemi, telefax 3225-3056 e telefone 3610-1515 para saber informações sobre programas e horários.
As informações sobre programação e horário são prestadas pela empresa exibidora, a Orient Filmes.

Em defesa do patrimônio de Natal

Natal, capital do Rio Grande do Norte, está agitada com protestos contra uma festa que será realizada neste sábado, 27, na Fortaleza dos Reis Magos.
O Blog Demais recebeu e-mail assinado por uma indignada Maria Brasileira da Silva:
É com pesar que os envio este e-mail, pois não queria ter que escrever isso. Gostaria de pedir que todos de mobilizassem contra algo absurdo que acontecerá sábado, dia 27, na Fortaleza dos Reis Magos. Trata-se da festa de quatro anos do Bob Flash. Obviamente, isso não se trata de um ato contra a festa de seu ninguém, mas sim em defesa da conservação e preservação do patrimônio histórico brasileiro. Obviamente trata-se de um absurdo, uma depredação contra o patrimônio histórico do Brasil.
Imaginem este tipo de evento acontecendo entre as estruturas de uma construção de quase 400 anos. Levantada sobre arrecifes, a Fortaleza dos Reis Magos não tem estrutura pras festas noturnas regadas a djs e bandas. Isso implica obviamente toda uma montagem de palco, som, tendas etc. que abalam a estrutura da construção.
Uma coisa é montar uma peça de teatro, um cortejo de leitura ou algum outro tipo de evento cultural, que convide as pessoas a visitar nosso belíssimo forte, e que a construção possa suportar sem sofrer depredação.
Confesso que me surpreende saber que a Fundação José Augusto, gestora do patrimônio histórico que é a fortaleza, permita que este tipo de evento aconteça lá.
Gostaria de saber o que é cobrado pelo uso da fortaleza e que fins são dados a esta verba.
Algo que me deixou indignada foi quando escutei a reclamação (com toda a razão) dos guias de turismo e guias voluntários que trabalham dentro da fortaleza reclamando que quando há "festas privadas" deste tipo, a Fortaleza dos Reis Magos é fechada ao público que visita o espaçpo durante todo o dia, ou seja, simplesmente fecha, já que os organizadores tem que montar a estrutura para o evento. Isso quer dizer que não é a primeira vez que este tipo de evento acontece. Eu fico imaginando as latas de cerveja, as piúbas de cigarro, o risco de tudo isso cair no mar ou no rio, porque claro, pessoas trafegarão pela ponte que chega até a entrada da fortaleza. Um dos guias loluntários se prontificou a dar entrevista contra esse tipo de evento lá.
Bom gente, acho que não é preciso ser nenhum gênio pra saber que esse evento deve ser realizado em outro lugar e não dentro da Fortaleza dos Reis Magos, não é? Peço a todos aqueles que tenham um pouco de consciência, que divulguem este e-mail e ajudem a impedir este uso indevido do patrimônio histórico brasileiro. Queremos explicações!





Espaço improvisado

Será aberta nesta quinta-feira, 25, e vai até domingo, 28, a II Conferência Estadual de Cultura. Vai acontecer em espaço improvisado no campus da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs).
Se o governo petista não fosse tão lento em suas realizações, o evento poderia estar ocorrendo no Teatro e Centro de Convenções, complexo iniciado no governo Paulo Souto, que teve obra interrompida pelo governo Jaques Wagner.

Para reflexão

"Como o esquerdista não tem princípios, apenas interesses, nada mais fácil do que endireitá-lo. Dê-lhe um bom emprego. Não pode ser trabalho, isso que obriga o comum dos mortais a ganhar o pão com sangue, suor e lágrimas". Frei Betto, no texto "Como Endireitar um Esquerdista".

Novidades Le Biscuit

A Le Biscuit está oferecendo horário especial de funcionamento aos sábado das 9 às 22 horas e nos domingos das 9 às 21 horas. Uma outra novidade são os cursos de artesanato que a loja oferece: tem curso de pintura, de embalagens natalinas, de tricô, crochê, biscuit e vários outros, a preços acessíveis. "Quem sabe essa não é a hora de você descobrir mais uma habilidade?". Só participando para saber. Para maiores informações entre no site www.lebiscuit.com.br compareça até a loja do Shopping Iguatemi localizada na alameda Oscar Marques. Contatos pelo telefone 3603-6550.

Candidato a Papai Noel

O Natal está se aproximando e, para abrilhantar ainda mais este período, o Shopping Iguatemi está abrindo seleção para vaga de Papai Noel, personagem marcante desta festa. Se você deseja trabalhar como Papai Noel do Shopping Iguatemi, envie seu currículo com fotos para o e-mail: marketing@iguatemifeira.com.br ou faça contato pelo telefone 3225-3000.

Embromação de governo petista

Está nos jornais desta quinta-feira, 25, que a privatização de rodovias na Bahia foi adiada. É a embromação típica de governo petista e aliados em curso. Assim, a licitação de trechos da BR-116 e da BR-324, prevista para dezembro, não se sabe quando acontecerá - se é que vai acontecer.

quarta-feira, 24 de outubro de 2007

Pendor

A realidade está sendo artificialmente inventada em Feira de Santana. São órgãos de comunicação que não estão refletindo a realidade em seus espaços. A estratégia é distorcer as notícias em favor de uma causa (?). Também utilizar um padrão de omissão. Outros fatos noticiados são desconectados entre si. Ainda têm a pretensão de tentar influenciar outros meios com a defesa dessa lavra enviesada.

São Paulo em baixa

O São Paulo, que é tido como o melhor time brasileiro no momento, acaba de perder outra vez para o Milionários, da Colômbia, e dar adeus à Copa Sul-Americana, na fase de quartas-de-final. O Brasil está fora da competição continental. O jogo terminou em 2 a 0. O primeiro, na semana passada, foi 1 a 0 para o time colombiano, no Morumbi.

Público de "Tropa de Choque"

Wagner Moura em "Tropa de Choque"

Divulgação
Nos três primeiros dias de exibição, entre 5 e 7, somente nos estados do Rio de Janeiro e São Paulo, "Tropa de Elite", em 170 salas, foi visto por 177.933 espectadores. Na segunda semana, entre 12 e 14, lançado nas demais capitais e cidades mais importantes do país, incluindo Feira de Santana, o filme foi visto por 410 mil espectadores, em 336 salas. Entre sexta-feira, 19, e domingo, 21, em 314 salas, público de 257.550 pessoas. O público total até domingo passado, incluindo os demais dias, é de 1.278.305 espectadores.

Emendas de R$ 86 milhões de Fernando de Fabinho para Feira de Santana

O vice-líder do Democratas na Câmara dos Deputados, deputado federal Fernando de Fabinho, apresentou seis emendas ao Plano Plurianual (PPA) do Governo Federal para o período de 2008 a 2011. As emendas chegam a R$ 86 milhões e são destinadas a investimentos para a infra-estrutura do município de Feira de Santana, bem como para as áreas esportiva e educacional.
O parlamentar, ao elaborar as emendas, ouviu antes as reivindicações de diversas comunidades deste município, além de conversar com setores organizados da sociedade civil, que lembraram ao político da necessidade de a cidade dar um grande passo para o futuro, no que concerne à melhoria de seu sistema viário e a criação de novas unidades de ensino e esportivas.
“Elaborei emenda que destina recursos para a construção da Universidade Federal de Feira de Santana (Uefs) e que tem por objetivo ampliar o acesso ao ensino de graduação, à pesquisa e à extensão, porque considero essencial a disseminação do conhecimento” - acredita Fernando de Fabinho ao ressaltar ainda que a emenda para a edificação da unidade universitária é de R$ 20 milhões.
Ele informou ainda que outra emenda de sua autoria, no valor de R$ 5 milhões, tem o propósito de facilitar a construção do Núcleo de Esportes Recreativos e de Lazer da cidade. Para o deputado, democratizar o acesso aos esportes significa inclusão social, porque ocupa o tempo ocioso das crianças e dos jovens, afastando-os da criminalidade e das drogas, motivos pelos a sociedade brasileira tem enfrentado graves problemas, no que concerne à violência e à degradação da família.
Saneamento
Outra emenda que o deputado Fernando de Fabinho considera importante para Feira de Santana é a que trata do esgotamento sanitário. O político quer a implantação e a melhoria do sistema público de saneamento, por meio da ampliação do sistema de esgotamento e de resíduos sólidos, bem como do abastecimento de água potável para a população. Para isso, Fabinho elaborou emenda ao PPA de R$ 28 milhões, que, de acordo com ele, vai ajudar o município a melhorar a oferta de saneamento básico à população, principalmente a carente.
“A pavimentação das ruas da cidade de Feira também foi objeto de emenda assinada por mim. Destinei R$ 10 milhões com o propósito de melhorar as ruas e as avenidas de Feira e, conseqüentemente, promover eficiência e segurança no fluxo de carros e caminhões que trafegam pela cidade. Com isso, diminuiremos os acidentes e promoveremos a paz no trânsito”, afirmou.
Fernando de Fabinho também elaborou emenda que prevê recursos no valor de R$ 20 milhões para o Anel de Contorno, obra que conforme o parlamentar vai melhorar muito o trânsito, pois vai evitar que carros e caminhões que precisam passar pela região de Feira não entrem na cidade e, por conseguinte, não engarrafem seu trânsito, o que vai melhorar, e muito, a qualidade de vida da população local.


Obra de governo

A única obra visível do Governo Federal em Feira de Santana é a reforma do prédio dos Correios e Telégrafos, na avenida Getúlio Vargas. Iniciada, como informa a placa, no dia 25 de junho, tem prazo de 150 dias corridos para ser entregue.
Nesta quinta-feira, 25, completam-se 120 dias corridos. Pela ausência de movimentação no prédio, não dá para afirmar que ficará pronta em 30 dias.

terça-feira, 23 de outubro de 2007

Terror e animação são novidades nas telas


"Tá Dando Onda", a partir desta sexta-feira
Divulgação

"Jogos Mortais 4", em lançamento nacional
Divulgação
O filme de terror “Jogos Mortais 4” (Saw 4) entra em lançamento nacional no Orient Cineplace, nesta sexta-feira, 26. Precedido por “Jogos Mortais” (2004), “Jogos Mortais 2” (2005) e “Jogos Mortais 3” (2006), tem público certo. O vilão Jigsaw é um serial killer. Todos os quatro São filmes de baixo orçamento e realizados em poucos dias.
Na animação “Tá Dando Onda”, já lançado no circuito nacional, um jovem pingüim decide viajar para participar de um torneio de surf. Ele sonha com fama e admiração, até conhecer um veterano surfista que faz com que mude sua mente.
Continuam em cartaz: “Tropa de Elite”, em terceira semana e continuando a atrair muita gente ao cinema; “Bratz - O Filme” e “Superbad - É Hoje”, comédias, ambas em segunda semana

Título de Cidadã para Lília Campos

A colunista social, radialista e estudante de jornalismo Lília Márcia Queiroz de Cavalcante foi homenageada pela Câmara Municipal com o Título de Cidadã Feirense. A iniciativa foi dos vereadores Fábio Lucena e Genésio Serafim, e a solenidade aconteceu na noite de segunda-feira, 22.
Natural de Salvador, Lília Cavalcante veio morar em Feira de Santana há 17 anos. Ela estreou na comunicação como colunista social do jornal "Tribuna Feirense", depois, escreveu para o jornal "NoiteDia", mais tarde, fez o curso de Radialismo da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs). Lília Campos, como assina, faz 6º semestre do curso de Comunicação Social com ênfase em Jornalismo na Unidade de Ensino Superior de Feira de Santana (Unef).
Atualmente, a homenageada produz e apresenta o programa "Sábado Com Você", na Rádio Sociedade de Feira de Santana - antes, tinha participação aos sábados no "Bom Dia, Feira", programa ancorado por Dilson Barbosa na Rádio Princesa FM -, e tem uma coluna no jornal on line "Feira Hoje". Ainda na segunda-feira, Lília Campos promoveu o lançamento da revista "Glamour", na Mansão 888.

segunda-feira, 22 de outubro de 2007

Maria Vai Com os Outros na TVE

Uma equipe do programa "Soterópolis", da TV Educativa, esteve em Feira de Santana na semana passada, em busca de expressões artísticas que representassem a cultura da cidade. Um dos grupos gravados foi o Maria Vai Com os Outros. O resultado será visto nesta quinta-feira, 25, às 21h40, com reapresentações no sábado, às 11 horas, e no domingo, às 18 horas. Quem passou a informação para o Blog Demais foi Luciana Boeira, mestranda em Desenho, Cultura e Interatividade e professora de Informática Aplicada, do curso de Comunicação Social da Unef.
O grupo nasceu em 2000, quando estudantes de música passaram a se encontrar na casa de Maria (Solange Targino, que faz flauta e vocal), periodicamente, para praticar suas habilidades através das emoções e imagens sonoras de grandes compositores - como Vinícius de Moraes e Tom Jobim.
Amantes da música popular brasileira, eles se reuniam na cozinha da casa da flautista, dedicaram-se aos sons consagrados, enquanto ali mesmo, criaram seus primeiros acordes. Sobre as trilhas dos grandes mestres, Matheus Pessoa (que também compõe, faz o vocal e violão), Victor Moraes (segundo violão além de parceiro para as novas músicas), Daniel Minduin (percussão) e Ewerton Sapo (contra-baixo) não escondem, inspiram-se neles para dar vida e continuidade a esta grande paixão: a bossa nova.
Misturadas ao samba de raiz, as novas composições que nascem da parceria entre Matheus e Victor, trazem influências tradicionais, porém representam a luz da contemporaneidade, a contraditoriedade do homem moderno. Através do estilo bossa, eles traduzem amores, dores, cores e alegrias.
Inicialmente esses encontros não saíram da cozinha, mas com o decorrer do tempo, passaram a se apresentar em bares, amostras em escolas, festas e shows. E ao passo que representavam outras composições, expressaram suas poesias em sons, despertando assim grande admiração de todos que os assistem.
O Maria Vai com os Outros foi um nome que partiu de uma brincadeira entre estes amigos, quando resolveram embarcar juntos nesta grande aventura: compor e expressar seus sonhos musicais.
O primeiro cd, composto por seis faixas, está em processo de produção. E a liderança do grupo está com Matheus Pessoa, cujo telefone de contato é (75) 8138.5822. Outros contatos pelos endereços virtuais matheusemaria@gmail.com e Maria Vai Com os Outros, no site de relacionamento Orkut.

"Lula É Minha Anta"


Diogo Mainardi Reprodução


Estou para ler "Lula É Minha Anta", da Editora Record, recebido nesta segunda-feira, 22, pelo meu filho Thomas Oliveira. Trata-se do mais novo livro de Diogo Mainardi, que é o colunista mais lido da "Veja". O livro reúne uma coletânea de crônicas publicadas na revista sobre o período mais espantoso da democracia brasileira, o "mensalão". No livro, os inteligentes textos do autor são alinhavadas com seus comentários inéditos.



Audiência pública

A Prefeitura Municipal de Feira de Santana e o Centro Federal de Educação Tecnológica da Bahia (Cefet-Ba) estão convidando para participação na audiência pública sobre a implantação da Escola Técnica Federal neste município, que será realizada nesta quinta-feira, 25, às 19 horas, no auditório da Secretaria de Saúde. O convite é assinado pelo vice-prefeito Antônio Carlos Borges Júnior.

Cuca abre inscrição para Oficina de Cinema Documental

O Centro Universitário de Cultura e Arte (Cuca), órgão da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) abre inscrições, a partir de 5 de novembro, para a Oficina Realização de Cinema Documental com Trabalho Prático, ministrada por Johny Guimarães e Volney Menezes, tendo Dimas Oliveira como convidado. A atividade será realizada no período de 26 de novembro a 7 de dezembro. O investimento é R$ 60,00.
O objetivo é a pesquisa de equipe, estudo de linguagem, fomento da cultura cinematográfica, prática de cinema documental e leitura de textos que discutem a história e as formas de documentário. Desse modo, a oficina capacita o aluno a desenvolver e transformar uma idéia em projeto, com a percepção das possibilidades narrativas do filme documentário e seus diferentes resultados. Visa também, dar ao aluno os instrumentos necessários para a descoberta das noções básicas do fazer cinematográfico (ponto de vista, planos, som, a entrevista, a narração) e nas diversas questões que envolvem a produção do filme documental. Enfim, fornecer conhecimento teórico e prático sobre linguagem cinematográfica.
Segundo a artista plástica Maristela Ribeiro, que coordena as Oficinas de Criação Artística (OCA), o projeto é que todos vivenciem o processo de realização de um curta-metragem em vídeo, desde a criação do roteiro até a finalização, sendo capazes de interpretar, desenvolver idéias e roteiros, dirigir e organizar equipes de realização e outras etapas práticas que envolvem a concepção de um filme. Estudantes e interessados em geral formam o público alvo da oficina, que será ministrada no Cuca. Todos os participantes vão receber apostila, certificado e um DVD com o material gravado durante o curso.
Johnny Guimarães - É professor de História Contemporânea da Uneb e documentarista. Produziu dissertação de mestrado sobre o filme “Sob os Ditames de Rude Almagesto”, de Olney São Paulo. Foi um dos fundadores do Cine Clube Olney São Paulo, em Feira de Santana, nos anos 90. Coordena o Laboratório de Imagens da Uneb, campus I. Co-diretor do filme “Chuvas de Março”, sobre as conseqüências do golpe militar em Feira de Santana. Ainda dirigiu o documentário “Minas de Sapé” e o filme experimental “Infância Bélica”.
Volney Menezes - É professor de História graduado pela Uefs, leciona na rede estadual de ensino, ministra a disciplina Análise e Produção da Imagem no curso de Design do Ceteb. É pós-graduado em Potenciais da Imagem pela Ufba. Atua como documentarista e cinegrafista. Co-diretor do filme “Chuvas de Março”. Participou do making off de “Lua Violada”, de José Umberto.
Dimas Oliveira (como convidado) - É jornalista especializado e estudioso de Cinema. Escreve sobre cinema desde 1967. Foi um dos fundadores do Cine Clube de Feira de Santana, existente nos anos 70 e 80. Realizou trabalhos ficcionais e documentais em Super 8 e vídeo e foi assistente de direção nos documentários “Ser Tão” e “Cantos Flutuantes”, ambos de José Umberto.

domingo, 21 de outubro de 2007

"DEM vai ao STF contra MP que cria a Lula News"

Da Agência Estado:
O partido Democratas (DEM) anunciou hoje que vai questionar no Supremo Tribunal Federal (STF) a criação da TV Pública por meio de Medida Provisória (MP). O partido vai ingressar com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) usando três argumentos. Na avaliação do partido, a criação da tevê não atende aos princípios da urgência e relevância exigidos para que o governo use a MP.
Em nota, o partido diz que "o Estado dispõe do sistema Radiobrás que integra emissoras de rádio e tevê em funcionamento, logo não há urgência e muito menos relevância que justifique a criação de sistema complementar ao sistema privado de serviços de radiodifusão por meio de MP".
No texto, o DEM lembra que a economia de mercado admite a intervenção do Estado em caso de interesse público relevante ou interesse nacional. "Pode intervir, mas quando não está em causa um domínio que seja suficientemente realizado pela livre iniciativa".
Por fim, diz a sigla em nota distribuída ontem que a MP repactua "de forma unilateral e inconstitucional, contrato do governo com a Fundação Roquete Pinto". E adverte: "Lei posterior não pode atingir contrato em perfeitas condições legais".

66 anos do Rotary Club de Feira de Santana

O Rotary Club de Feira de Santana completa 66 anos de criado no dia 27 deste mês. A comemoração, antecipada, será realizada com companheirismo na noite desta terça-feira, 23, na Boate Caju, no Clube de Campo Cajueiro. Na oportunidade serão outorgados títulos Companheiro Paul Harris e Benemérito Antônio Manoel de Araújo adquiridos neste primeiro trimestre do ano rotário 2007-2008.
Desde maio de 1983, há mais de 24 anos, que este jornalista integra o clube de serviço mais antigo de Feira de Santana, tendo sido seu presidente no ano rotário 2000-2001.

Artigo na Revista Jurídica

"O Início da Personalidade Jurídica da Pessoa Natural: Uma Questão do Século XXI" é o título do artigo escrito por Ruy Sandes Leal Júnior, contido na Revista Jurídica dos Formandos em Direito da Universidade Federal da Bahia (Ufba) 2007.1, Volume VII, número X. A edição é em homenagem ao professor Raul Chaves.
Ruy Júnior é leitor deste Blog Demais.

Lilia Campos recebe honraria e lança "Glamour"

Lilia Campos, que recebe honraria e lança revista, com Alexandre Garcia
Divulgação
Nesta segunda-feira, 22, às 19h30, em sessão solene, a Câmara Municipal outorga o Título de Cidadã Feirense à Lília Márcia Queiroz de Cavalcante. Trata-se de Lilia Campos, que em seguida, às 21 horas, na Mansão 888 lança a sua revista "Glamour", que é "diferente como você".

sábado, 20 de outubro de 2007

O triunfo do medo

Texto de João Luiz Mauad transcrito do site "Mídia Sem Máscara" (midiasemmascara.org):

Alguns meses depois de abocanhar um Oscar, o ex-vice-presidente norte-americano Al Gore foi agraciado, semana passada, com o Prêmio Nobel da Paz. De acordo com os responsáveis pela escolha, "por seus esforços no combate às mudanças climáticas".
Muito interessante, e sintomático, foi o fato de que, na mesma semana, o venerando máximo da religião do aquecimento global esteve nas manchetes inglesas por uma outra razão. É que a alta corte daquele país decidiu que o famigerado documentário "Uma Verdade Inconveniente" somente poderia ser exibido nas escolas britânicas com a devida explicação, prévia, de que o mesmo contém nada menos que – comprovados – "nove erros científicos". Também segundo a referida sentença, os professores ingleses deveriam chamar a atenção dos estudantes para certos "exageros" e para o caráter "alarmista" da película.
Mas o que são meros nove erros, não é mesmo? Nada que tire a importância e a beleza de um filme que nos apresenta a uma "verdade maior", qual seja: somos responsáveis pelas mudanças climáticas que destruirão o mundo, se nada for feito imediatamente. O que, afinal, representam alguns "pequenos" equívocos científicos, desde que eles estejam a serviço de uma verdade maior? Simples acidentes de percurso, sem maiores conseqüências. A exemplo de vários outros veículos de imprensa, engolidos pela onda catastrofista, o Jornal do Brasil estampou a seguinte "pérola", em editorial publicado no dia 16/10: "Embora com alguma imprecisão de dados, o documentário protagonizado pelo político arrancou aplausos da crítica e fez o grande público refletir sobre a questão ambiental. Talvez aí esteja o maior mérito de Al Gore."
Os erros - tanto factuais quanto conceituais - expostos naquela película propagandista manchariam a biografia de qualquer cientista. No entanto, Gore não é um cientista, mas um político cuja intenção não é outra senão politizar a ciência. Em seu mundo, a climatologia não gira em torno da investigação, dos métodos, dos experimentos ou testes de hipóteses. Na práxis goreana, evidências empíricas ou lógicas dão lugar a (in)convenientes verdades e a estranhos consensos.
É difícil ignorar um forte apelo moral nos discursos de Al Gore. A exemplo de um certo líder tupiniquim, ele jamais perde uma oportunidade que seja para vender ao público sua autoproclamada vocação de grande guia dos povos. Sua cruzada, segundo ele mesmo, está voltada a prevenir uma catástrofe global que, por sua vez, é sustentada por verdades irrefutáveis, as quais lhe foram "reveladas" não por entidades supranaturais, mas por um pretenso consenso científico. Seus ataques incessantes contra os chamados "céticos" se devem justamente à necessidade de afirmar este famigerado consenso. Assim, a investigação científica, cujo pressuposto básico é – ou pelo menos deveria ser – a própria dúvida, e nunca a certeza, acaba transformando-se num dogma espiritual. Na religião deste verdadeiro profeta do medo só há espaço para o bem e para o mal, para o comportamento "virtuoso" dos engajados ou "vicioso" dos céticos.
Num mundo onde a razão foi seqüestrada pela paranóia e o apocalipse nos é vendido como iminente, nada mais natural que a busca desesperada por heróis, salvadores da humanidade, líderes espirituais que nos guiarão e protegerão das intempéries provocadas pela nossa própria ganância. Mas isso só não basta. A humanidade está em guerra e, como é natural em tempos de guerra, todo poder e dinheiro deverá ser entregue aos Leviatãs, sem esquecer que, neste caso, como o inimigo é comum a todos, a grande divindade mística, a suprema burocracia supranacional será chamada a descer do Olimpo, às margens do Rio Hudson, para liderar as forças nacionais rumo à vitória final.
O mais estúpido desse prêmio, no entanto, não é tê-lo concedido a um animador de auditórios, mascate de uma "verdade" muito conveniente (para alguns) e nada científica, mas, como bem frisou o Wall Street Journal, preterir alguns personagens cujas causas são muito mais importantes e urgentes, e cujo mérito das ações são inquestionáveis - pelo menos para os amantes da liberdade.
Eis uma pequena lista de alguns destes homens e mulheres, preparada pelo WSJ:
- Os monges budistas de Myanmar, recentemente brutalizados pela junta militar que governa aquele país há anos, em razão de suas ações em defesa da liberdade e da democracia;
- Morgan Tsvangiari, Arthur Mutambara e outros líderes oposicionistas do Zimbábue, presos e espancados no início do ano pela polícia política do ditador Robert Mugabe;
- Nguyen Van Ly, padre católico preso e condenado a oito anos de prisão no Vietnã por sua luta pró-democracia;
- Álvaro Uribe, presidente colombiano, por sua luta incansável contra os terroristas de extrema esquerda (Farc) e os barões da droga naquele país;
- Garry Kasparov e outras centenas de cidadãos russos, presos em abril e continuamente ameaçados por sua resistência ao regime autoritário de Vladmir Putin;
- Vitor Yushchenko e Mikheil Saakasshvilli, presidentes da Ucrânia e da Geórgia, respectivamente, por sua resistência em face dos constantes esforços do Kremlin para subjugar aqueles Estados soberanos.
- (postumamente) Walid Eido, Pierre Gemayel, Antoine Ghanen, Rafik Hariri, George Hawi, Gibran Tueni, Samir Kassir e outros cidadãos libaneses, assassinados desde 2005, em razão de sua luta para libertar o Líbano do controle sírio.
- Reverendo Phillip Buck, pastor Chun Ki Won e sua organização Durihana; Tim Peters e a Organização Helping Hands Korea, que ajudam refugiados norte-coreanos a escapar do brutal regime comunista da Coréia do Norte.
Esperemos que eles, bem como outros milhares de homens e mulheres que põem suas vidas cotidianamente em risco, na tentativa de banir do mundo a violência e a opressão, sobrevivam mais um ano e - quem sabe? - possam ser lembrados pelo comitê do Prêmio Nobel, na edição de 2008.
O autor é empresário e formado em administração de empresas pela FGV/RJ.