Venda antecipada de ingressos no Orient Cineplace Boulevard

Venda antecipada de ingressos no Orient Cineplace Boulevard

Em lançamento mundial no Orient Cineplace Boulevard

Em lançamento mundial no Orient Cineplace Boulevard
13 - 15h40 - 18h25 (Dub) - 21h10 (Leg) no Orient Cineplace Boulevard

quinta-feira, 27 de setembro de 2007

Resenha de Técnicas de Comunicação Escrita

BLIKSTEIN, Izidoro. Técnicas de Comunicação Escrita. 22 ed. - São Paulo: Ática, 2006. 103p.

Izidoro Blikstein atualmente é professor titular da Universidade de São Paulo, consultor da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo e professor adjunto da Fundação Getúlio Vargas - SP. Tem experiência na área de Comunicação, atuando principalmente nos seguintes temas: Semiótica - Intertextualidade.
Publicou o livro "Kaspar Hauser ou a Fábrica de Realidade", além de textos, resumos, capítulos e outros escritos.
Fonte: Currículo do Sistema de Currículos Lattes

Publicada originalmente na década de 1980, a obra de Blikstein é composta por cinco pequenos capítulos, vocabulário crítico e bibliografia comentada. É um livro que aborda os problemas e soluções possíveis no contexto da comunicação escrita, usando uma linguagem dinâmica e clara.
Ao iniciar, o autor conta uma historinha sobre um gerente apressado e sua nova secretária. Este gerente escreve um bilhete à secretária pedindo-lhe que reserve um lugar num trem rumo ao Rio de Janeiro. Acontece que o gerente não consegue embarcar porque o bilhete que ele escreveu estava com vários erros de gramática, o que impedia a transferência de sua idéia à mente de sua secretária novata.
É bem comum que tais erros - explicitados no livro em questão - ocorram dentro do processo da comunicação escrita. Os tais erros podem provocar o não recebimento da resposta esperada pelo remetente ou uma falsa compreensão.
Através do exemplo do tal bilhete e de outras situações enfrentadas pelas mesmas personagens da historinha, o autor trata de várias outras questões que podem fazer com que a comunicação escrita seja eficaz ou não.
Na obra, Blikstein trata de uma importante questão a ser analisada: Quando usar um código aberto (significante com mais de um significado) e quando usar um código fechado (significante com significado único).
No livro é afirmado que para fazer com que a mensagem se torne comum ao destinatário, faz-se importante conhecer o repertório do mesmo. Vale ressaltar que nem sempre se pode saber qual é o repertório de quem vai receber a mensagem, porém a mensagem terá mais chance de ser eficaz se o remetente souber com quem ele está falando.
Em fins do 3° capítulo, o autor oferece ricos conselhos que podem valorizar qualquer mensagem: Ter cuidado com estereótipos, saber qual o veículo ideal para cada mensagem, evitar redundância etc.
O professor Izidoro blikstein ensina, no 4° capítulo, como conseguir prender a atenção do destinatário através da diminuição da linearidade e da utilização da iconicidade - estes termos são explicados, detalhadamente, pelo autor, no mesmo livro. Fala ainda como “temperar” a mensagem com elementos poéticos e emotivos, a fim de sensibilizar o leitor da mensagem.
O 5° capítulo - se é que pode chamá-lo de capítulo - foi dedicado a mostrar uma breve recapitulização do conteúdo da obra através de uma “Receita para a eficácia da comunicação escrita” (título do capítulo citado, p. 96). Nela é mostrado, de um modo muito simples, do que a comunicação escrita é formada e como se deve prepará-la para que haja a resposta esperada.
Por fim, Blikstein compara o gerente, da tão citada história, com qualquer indivíduo que se comunica através da escrita: “O gerente [...] é um pouco de cada um de nós, seres humanos, lutando sempre por comunicar as nossas idéias e sentimentos. É difícil. Mas vamos tentando”. (BLIKSTEIN, 2006, p.98)
Esse livro é uma excelente ajuda para todas as pessoas que fazem o uso da comunicação escrita e, em especial, para estudantes dos cursos de Comunicação, Lingüística, Letras Vernáculas e alguns cursos da área de Ciências Humanas e Filosofia. Dado que esses estudantes pesquisam e necessitam conhecer mais sobre a comunicação, Técnicas de Comunicação Escrita é uma boa introdução à análise da mesma.

“Lutar com palavras é a luta mais vã, entanto lutamos mal rompe a manhã”.
(DRUMMOND, apud BLIKSTEIN, 2006, P.98)

* Resenha feita pela estudante de Comunicação Social em Publicidade e Propaganda da Unef, Fabiana Andrade, em 2007.

3 comentários:

Anônimo disse...

Estava procurando informações sobre o livro e achei esta resenha neste blog. Muito bacana o texto. Adorei! Parabéns!

Luciana Daitx disse...

Estou lendo este livro, e me deparei com uma pequena dificuldade para formular um resumo do mesmo... Procurando mais informações, encontrei este texto maravilhoso que pode me ajudar muito no entendimento e na formação do meu resumo. Obrigada

Anônimo disse...

Qqdwqdsaas ascaassc fdrewe:
"Astonishing, isn't it? Why, I never thought those people would get
humanitarian and you're not fair-minded, but you're human--at least