*

*

No Orient Cineplace

No Orient Cineplace
13h20 - 15h50 - 16h30 - 18h20 - 19 - 21h30 (Dub) - 20h50 (Leg)

Rede Orient - 14 de dezembro

Rede Orient - 14 de dezembro
Orient Cineplace Boulevard - 15 - 18 (Dub) - 21 (Leg)

terça-feira, 31 de julho de 2007

Viva à vaia

Está no o Podcast de Diogo Mainardi:
No sábado, 4 de agosto, haverá uma passeata de protesto contra Lula. Ela ocorre uma semana depois da marcha que homenageou os mortos do acidente da TAM. Mais de seis mil pessoas participaram do evento e vaiaram Lula. Janice, que perdeu dois amigos na tragédia em Congonhas, disse que Seu Jorge embalou os manifestantes cantando Pra não dizer que não falei das flores, de Geraldo Vandré, numa tentativa malfadada de “esquerdizar” o movimento. Esse é o melhor atributo das passeatas contra Lula, que pipocam aqui e ali: quem participa delas é uma gente nem sabe direito como protestar. Nos últimos trinta anos, os piqueteiros profissionais do petismo, bancados pelo imposto sindical, garantiram para si o monopólio do protesto. Agora surgiu essa outra turma, que quer protestar contra Lula, mas nunca fez isso antes. Uma turma desajeitada, sem prática, sem know-how, sem liderança, que é obrigada a recorrer até à medonha Pra não dizer que não falei das flores, apropriando-se do hino cafona do inimigo.(...)
Outra peculiaridade desse movimento contra Lula é que ele já nasce acuado. Os organizadores da passeata de 4 de agosto se comunicam pela internet. Há uma página no Orkut em que eles se reúnem e trocam notícias. Inicialmente, a marcha no Rio de Janeiro estava marcada no centro da cidade. Poucos dias atrás, um de seus organizadores, muito tímido, envergonhado, quase pedindo desculpas, sugeriu transferir a passeata para Copacabana, porque poderia atrair mais gente. No Orkut, os manifestantes se perguntaram preocupados se isso não facilitaria o trabalho do departamento de propaganda do petismo, que poderia caracterizar o movimento contra Lula como elitista e restrito à Zona Sul. O petismo se entranhou de tal maneira na política, na cultura, na igreja, na universidade, no jornalismo e no sistema judicial que tudo o que não pertence ao petismo acaba por ser considerado espúrio, ilegítimo, praticamente criminoso. Inclusive uma passeata.

"Ela É Poderosa"

Jane Fonda entre Felicity Huffman e Lindsay Lohan em "Ela É a Poderosa": Laços de família
Divulgação


O drama “Ela É a Poderosa”, que já está no circuito nacional. é a novidade nesta semana cinematográfica, no Orient Cineplace.
Em “Ela É a Poderosa”, Jane Fonda faz o papel título (do original “Georgia Rule”), uma mulher inflexível, que segue regras rígidas de moral, bons costumes e trabalho duro. Rachel (Lindsay Lohan) é uma adolescente, que vive trazendo problemas para sua mãe, Lilly (Felicity Huffman). Sem saber o que fazer com a filha, Lilly decide apelar para uma decisão extrema que é ir para a cidade do interior onde mora sua mãe, Georgia, algo que ela tinha prometido a si mesma jamais fazer. Juntas, as três mulheres descobrem antigos segredos de família e reatam os laços que foram um dia quebrados.
O diretor do filme é Garry Marshall, o mesmo de “Uma Linda Mulher”. Um filme a conferir.

Não sobra nenhum terrorista

Bruce Willis faz policial politicamente incorreto
Divulgação

“Duro de Matar 4.0” entra em lançamento nacional, nesta sexta-feira, 3, no Orient Cineplace. Foi visto no segundo dia da pré-estréia (sábado, 28), com sala cheia.
Bruce Willis pela quarta vez como John McClane. No filme, os Estados Unidos sofrem um ataque terrorista, através da informática, quando um hacker invade o controle das comunicações, dos transportes e da energia do país. Ele volta à ativa para impedir que terroristas instalem o caos com os sucessivos apagões, confrontando o autor do ataque planejou todos os passos.
Filme de ação vertiginosa, com situações implausíveis, agrada em cheio ao público, inclusive pelas tiradas do personagem, naturalmente que politicamente incorreto, como convém.

Quatro continuações

"Rataouille", animação deliciosa

Divulgação
A partir desta sexta-feira, 3 de agosto, no Orient Cineplace, as continuações de “Harry Potter e a Ordem da Fênix”, em quarta semana; “Transformers” e “Ratatouille”, ambos em terceira semana; e o filme de terror “Luzes do Além”, em segunda semana. Todos os quatro filmes permanecem atraindo grande público às salas.
A animação "Ra-ta-tu-i" (é assim que se pronuncia) é deliciosa, como a comida francesa que é seu tema.

Dois gênios do cinema

Bibi Anderson e Liv Ulmann em "Persona - Quando Duas Mulheres Pecam"
Divulgação

Dois grandes cineastas europeus, realmente gênios do cinema como arte, faleceram no mesmo dia, na segunda-feira, 30.

O sueco Ingmar Bergman, aos 89 anos de idade, e o italiano Michelangelo Antonioni, aos 94 anos. Ambos são autores de filmes que compõem duas das mais importantes filmografias do século passado.
Dos filmes de Bergman assistimos: “Mônica e o Desejo”, 1952; “O Sétimo Selo”, 1956; “Morangos Silvestres”, 1957; “Persona - Quando Duas Mulheres Pecam”, 1966; “A Hora do Lobo”, 1967; “A Hora do Amor”, 1971; “Gritos e Sussurros”, 1972; “Cenas de um Casamento”, 1973; “A Flauta Mágica”, 1975; “Face a Face”, 1976; “O Ovo da Serpente”, 1977; “Sonata de Outono”, 1978; e “Fanny e Alexander”, 1982.
De Antonioni, vimos apenas os filmes: “A Noite”, 1961; “Blow Up - Depois Daquele Beijo”, 1967; “O Passageiro - Profissão: Repórter”, 1974; e “Identificação de uma Mulher”, 1982.

Esculhambação

Crônica de João Ubaldo Ribeiro, publicada no "Estado de S. Paulo", em 29 de julho:
Tive de enfrentar um certo trauma de infância, para conseguir usar o título acima. Sou do tempo em que essa palavra era chula mesmo e, como diz o Houaiss, tabuísmo. Menino que a pronunciasse na frente de senhoras estava arriscado a ter a boca lavada com sabão. Agora se escreve e publica em jornal praticamente qualquer coisa e ela já faz parte do vocabulário cotidiano. Assim mesmo, sou obrigado a evitar os olhares de reprovação dos fantasmas de meu pai e meu avô, ambos eméritos xingadores de jornal, mas xingadores finos, que raspavam palavrões polissilábicos em textos barrocos e nunca escreveriam nada com o título que escolhi hoje.
Mas, honestamente, que outra palavra pode ser usada para a sensação que nos acomete, diante do que vem sucedendo no Brasil? Só esculhambação mesmo. Desgoverno também, mas desgoverno é pouco, esculhambação é mais plurívoca, mais conotativa, mais colorida. Acho que basta qualquer um ligar a tevê para ver o noticiário ou abrir o jornal e a sensação de esculhambação é avassaladora, nos engolfa por todos os lados.
O pavoroso desastre de Congonhas: cada dia uma coisa, ninguém sabe de nada. O governo, em vez de interessar-se genuinamente pela tragédia, resolve concentrar-se na preservação da própria imagem. Aí a gente vai ver as notícias e os responsáveis por órgãos envolvidos com o tráfego aéreo estão sendo condecorados por serviços prestados à aviação. Quer dizer, uma pessoa desesperada com a perda de parentes ou amigos pensa que pelo menos o governo deve tomar alguma providência, ainda que tardia, e o que vê é a condecoração. Como puderam ter a insensibilidade de fazer isso? A não ser que o "relaxe e goze" tenha sido mesmo uma palavra de ordem, ou a atitude geral dos governantes para conosco seja mesmo resumível nesse deboche.
A esculhambação, nas companhias que desprezam o viajante e no governo que as fiscaliza, já tinha brilhado assim que se teve notícia do desastre. Pois o presidente da República, que por acaso se encontrava no País, não sumiu por três dias, num gesto de pusilanimidade, grossura e falta de grandeza para o cargo? Enquanto desastres bem menores, sob chefes de Estado e governo conscientes de suas obrigações morais e políticas, levam aos atingidos as visitas pessoais de reis, rainhas, primeiros-ministros, ministros, primeiras-damas e assim por diante, aqui todo mundo, a começar pelo presidente, se escondeu.
Não há nada que justifique isso. Segundo tenho ouvido comentar, o principal fator foi o medo de vaias. Nosso líder, nosso guia, o presidente de todos os brasileiros, não cumpre seu dever moral de estar presente e à frente nos momentos difíceis vividos pelo País porque tem medo de vaias. Não pode ser, não acredito - mas que outra razão ele teria? E já li nos jornais que, na semana que passou, entre ir a lugares onde poderia receber as ingratas vaias e a outros onde o Bolsa-Família o escuda, dá exclusividade a estes últimos.
Que coisa, os lugares onde ele é vaiado não devem pertencer à realidade. A realidade é outra, é a do aplauso. Agora me ocorre que, no vasto e doce jardim de mordomias trazido pelo poder, está, tradicionalmente e em importante posição, a possibilidade de, se a realidade for desagradável ao governante, trocar-se a realidade. Dizem que, quando Catarina da Rússia viajava pelo seu vastíssimo império, auxiliares construíam cidades prósperas - cenográficas, por assim dizer - para ela ver em sua passagem e dessa forma não ter idéia da desagradável miséria de muitas daquelas regiões. Semelhantemente, o presidente escolhe a realidade nacional a que prefere ser exposto. Junto a este o argumento de que esse negócio de crise aérea só interessa a barão que viaja de avião e não ao povo mesmo, alegação que já ouvi vociferada por admiradores do governo. E pronto, está tudo certo, Deus tenha piedade de nós.
Ouvimos as mais desvairadas versões sobre o que aconteceu e as medidas que foram ou serão tomadas. A única coisa de que se tem certeza, segundo depreendo do que venho lendo, é que as passagens aumentarão de preço. É uma mudança, não se pode negar. Contam-nos que os órgãos criados para administrar a aviação civil são frondosos cabides de empregos, onde pouca gente sabe falar mais sobre um avião do que "ele tem asas", assim como há cabides de empregos em toda parte, todo mundo "colocado" e ninguém sabendo fazer nada. A capacitação é requisito suntuário ou inexistente, nesta administração.
Administração é modo de dizer, pois, a começar pelo presidente, ninguém no governo sabe administrar. Administrar é viajar, discursar e ser ovacionado, parece pensar o presidente de um governo que vive mais de reagir do que de agir e que, tudo bem avaliado, não fez foi nada até agora, além do que estamos vendo aí. E ninguém administra nada, ninguém é competente em nada daquilo a que está ligado, ninguém sabe nada, a impressão é de um viveiro de baratas tontas semitartamudas ou arrogantes. Estamos testemunhando o apagão aéreo - tudo bem, coisa da repulsiva classe média, não interessa verdadeiramente ao povo que aplaude. Mas será que ficaremos por aí?
Não custa lembrar um dos poetas mais populares do Brasil, Augusto dos Anjos, e um de seus versos mais conhecidos: "A mão que afaga é a mesma que apedreja." Porque, pelo arrastar-se da carruagem e pela aceleração quelônia do PAC, pode-se ter uma razoável expectativa do apagão rodoviário, do apagão portuário, do apagão da saúde, do apagão da educação etc. Está tudo acontecendo, só não vê quem não olha. E, como apoteose, o apagão literal, um apagão de energia lá para 2010 ou até antes. É, talvez venha a ser difícil, em futuro relativamente próximo, achar lugar para se esconder, muito menos das vaias. Se bem que a escuridão, inclusive a do apagão mental, ajude bastante.

Exasperante

Por falar em Waldir Pires, ele exasperou os ouvintes do programa "Bom Dia, Feira", na Rádio Princesa FM, na manhã de segunda-feira, 30. O âncora Dilson Barbosa só conseguiu fazer três perguntas e ele não respondeu nenhuma. Fez o velho discurso diversionista de falar muito e não dizer nada.

Poço de mágoa

Um poço de mágoa e ressentimento. É o que se pode dizer do ex-ministro da Defesa Waldir Pires, que ainda não absorveu ter sido demitido pelo presidente Lula. Um caso típico de apego ao cargo. Waldir devia ter tido desprendimento de sair antes. Aliás, ele nem devia ter aceitado ser ministro de uma pasta para a qual não tinha a menor capacidade.

Minúsculas

Em caderno especial de jornal local sobre a padroeira do lugar, mensagem do deputado federal Colbert Martins Filho coloca "senhora santana" e "feira de santana" com letras iniciais minúsculas.

Yazaki realiza Congresso de CCQ

A Yazaki Autoparts do Brasil em Feira de Santana estará realizando no dia 11 de agosto, a partir das 14 horas, o Teatro da Câmara de Dirigentes Lojistas, o 2º Congresso de Círculos de Controle de Qualidade (CCQ). Estamos sendo convidados para participar acompanhando as apresentações dos trabalhos de equipe, movimentações culturais e mais.

Passeata da Grande Vaia

Circula na Internet uma convocação para a “Passeata da Grande Vaia”. O endereço no Orkut é: http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=1423854
A manifestação tem data marcada: sábado, 4 de agosto, às 14 horas. Em São Paulo, concentração na avenida Paulista (c/ Pamplona) - Metrô Trianon/Masp; no Rio de Janeiro, em Copacabana, Forte do Leme; em Belo Horizonte, na praça da Liberdade; em Vitória, na praça do Papa; em Brasília, no Aeroporto JK; em Porto Alegre, no Aeroporto Salgado Filho; em Curitiba, na rua XV; em Belém, na praça do Can; em Natal, no Aeroporto Internacional Augusto Severo.
Não se tem notícia da realização da manifestação em Salvador e em Feira de Santana. Seria muito interessante fazer a cobertura de manifestação como esta.

Preconceito contra o Rádio AM e a hipocrisia dos paladinos da moralidade

Nesta terça-feira, 31, o jornalista e radialista Renato Ribeiro postou um contundente e necessário artigo contra segmentos da imprensa local - que nem precisa ser revelado aqui -, que vale a pena transcrever. O Blog Demais assina embaixo e está solidário com o colega:
Não é de hoje, nem é uma novidade, que determinados setores da imprensa que vivem no ostracismo e frustração e precisam desesperadamente aparecer, tentam imputar alguns rótulos ao trabalho desenvolvido pelos radialistas de Feira de Santana. Costuma-se nivelar por baixo a classe como se todos que fazem do rádio seu meio de vida e sustentação fossem desonestos e meras prostitutas a espera da oferta mais tentadora para expor suas idéias e emitir conceitos, tendo sempre a política como cenário. Na verdade este inexpressivo segmento da comunicação que insiste em atacar os profissionais do rádio revela um falso moralismo e muita hipocrisia além é claro de outras facetas de reportagens tendenciosas a mando de políticos neófitos e oportunistas que se pudessem calariam a imprensa radiofônica.
É obvio que o preconceito está escancarado por causa do incômodo que audiência que os programas radiofônicos causam principalmente a políticos incompetentes e idealistas radicais que não estão acostumados ao poder e as cobranças constantes, eles acham que os radialistas são obrigados a concordar a todo custo com os argumentos inconcistentes de políticos medíocres que ao invés de fazer alguma coisa pela população, só fazem falar besteiras e enganar o tempo todo o público.
No dicionário Michaelis a definição de preconceito é conceito ou opinião formados antes de ter os conhecimentos adequados, superstição, crendice, prejuízo. No dicionário Aurélio é possível encontrar outras definições muito interessantes, dentre as quais destaco algumas: julgamento ou opinião formada sem se levar em conta o fato que os conteste; suspeita, intolerância, ódio irracional ou aversão a outras raças, credos, religiões etc.
Aos senhores paladinos da moralidade que estão tão preocupados com trabalho dos radialistas procurem disfarçar mais o jabaculê e o trabalho serviçal com o governo vermelho que está distribuindo a fatia dos 65 milhões de reais destinadas aos diletos companheiros fiéis ao estilo canino que se espelham na dignidade de pseudo-autoridades que esgordaram contas bancárias com o dinheiro do 'mensalão' e outros escândalos que muitos destes sonhadores deixaram de noticiar.

Constatação

"De 1971, seu primeiro mandato como governador, a 2006, quando seu grupo político deixou o poder, o PIB da Bahia pulou de US$ 10 bilhões para US$ 52 bilhões. Um crescimento de 420%, maior que o do país e do Nordeste". A constatação sobre o senador Antonio Magalhães está na revista "Veja".
Para os que consideram que ACM representou o atraso.

A grave problemática da corrupção

Mais uma mensagem transcrita do site "Momento de Reflexão":
"O que mais preocupa não é o grito dos violentos, nem dos corruptos, nem dos desonestos, nem dos sem-caráter, nem dos sem-ética. O que mais preocupa é o silêncio dos bons!"
Martin Luther King
Conforme o dicionário, corrupção é adulterar, corromper, estragar, viciar-se.
Nos dias em que vivemos, muito se tem falado a respeito da corrupção. E, quase sempre, direcionando as setas para os poderes públicos.
Pensamos que corrupção esteja intimamente ligada aos que exercem o poder público.
Ledo engano. Está de tal forma disseminada entre nós, que, com certeza, muito poucos nela não estejamos enquadrados.
Vejamos alguns exemplos.
Quando produzimos algo com qualificação inferior, para auferir maiores lucros, e vendemos como de qualidade superior, estamos sendo corruptos.
Quando adquirimos uma propriedade e, ao procedermos a escrituração, adulteramos o valor, a fim de pagar menos impostos, estamos disseminando corrupção.
Ao burlarmos o fisco, não pedindo ou não emitindo nota fiscal, estamos nos permitindo a corrupção.
Isso tem sido comum, não é mesmo? É como se houvesse, entre todos, um contrato secretamente assinado no sentido de eu faço, todos fazem e ninguém conta para ninguém.
Com a desculpa de protegermos pessoas que poderão vir a perder seus empregos, não denunciamos atos lesivos a organizações que desejam ser sérias.
Atos como o do funcionário que se oferece para fazer, em seus dias de folga, o mesmo serviço, a preço menor, do que aquele que a empresa a que está vinculado estabelece.
Ou daquele que orienta o cliente, no próprio balcão, entregando cartões de visita, a buscar produto de melhor qualidade e melhor preço, segundo ele, em loja de seu parente ou conhecido.
Esquece que tem seu salário pago pelos donos da empresa para quem deveria estar trabalhando, de verdade.
Desviando clientes, está desviando a finalidade da sua atividade, configurando corrupção.
Corrupção é sermos pagos para trabalhar oito horas e chegarmos atrasados, ou sairmos antes, pedindo que colegas passem o nosso cartão pelo relógio eletrônico.
É conseguir atestados falsos, de profissionais igualmente corruptos, para justificar nossa ausência do local de trabalho, em dias que antecedem feriados.
Desvio de finalidade: deveríamos estar trabalhando, mas vamos viajar ou passear.
É promovermos a quebra ou avaria de algum equipamento na empresa, a fim de termos algumas horas de folga.
É mentirmos perante as autoridades, desejando favorecer a uns e outros em processos litigiosos. Naturalmente, para ser agradáveis a ditos amigos que, dizem, quando precisarmos, farão o mesmo por nós.
Corrupção é aplaudir nosso filho que nos apresenta notas altas nas matérias, mesmo sabendo que ele as adquiriu à custa de desavergonhada cola.
E que dizer dos que nos oferecemos para fazer prova no lugar do outro? Ou realizar toda a pesquisa que a ele caberia fazer?
Sério, não?
Assim, a partir de agora, passemos a examinar com mais vagar tudo que fazemos.
Mesmo porque, nossos filhos têm os olhos postos sobre nós e nossos exemplos sempre falarão mais alto do que nossas palavras.
Desejamos, acaso, que a situação que vivemos em nosso país tenha prosseguimento?
Ou almejamos uma nação forte, unida pelo bem, disposta a trabalhar para progredir, crescer em intelecto e moralidade?
Em nossas mãos, repousa a decisão.
Se desejarmos, podemos iniciar a poda da corrupção hoje mesmo, agora.
E se acreditamos que somente um de nós fazendo, tudo continuará igual, não é verdade. Os exemplos arrastam. Se começarmos a campanha da honestidade, da integridade, logo mais os corruptos sentirão vergonha. Receberão admoestações e punições, em vez de aplausos. E, convenhamos, se não houver quem aceite a corrupção, ela morrerá por si mesma. Pensemos nisso. E não percamos tempo.
Equipe de Redação do site www.momento.com.br

O presidente em seu reduto

Vale a pena transcrever editorial do jornal "O Estado de São Paulo", edição de 26 de julho:
Às 20h30 de 17 de julho de 1996, um Jumbo da TWA explodiu sobre o Atlântico minutos depois de levantar vôo de Nova York. Todos os 212 passageiros e 18 tripulantes morreram. Nas caóticas horas que se seguiram, as famílias das vítimas que convergiram para o Aeroporto Kennedy reagiam com ira e desespero à falta de notícias sobre a tragédia. Levadas para um salão, viram a porta abrir-se para o presidente dos Estados Unidos, Bill Clinton. O que se passou em seguida foi um dos momentos mais fortes dos seus oito anos na Casa Branca. Desacompanhado, ele foi de grupo em grupo, abraçando e confortando as pessoas em voz baixa. Ouviu protestos, cobranças, desabafos. Quando enfim se retirou, o ambiente era apenas de quieta resignação.
Não se pode exigir de chefes de governo convencionais a naturalidade quase sobre-humana com que ele se entrosa com gente do povo, mesmo nos piores momentos, evocando o sentido original do termo grego simpatizar: sentir com. Nas situações de luto coletivo, esse talento dos chefes de governo para a comunhão produz um efeito terapêutico que não se limita aos atingidos mais de perto pelo acontecimento doloroso. Transmite, para toda a sociedade traumatizada, o sinal confortador de que o dirigente maior da nação, além de solidário no sofrimento, é alguém em cujos cuidados se pode confiar.
Clinton é um caso à parte, mas agora mesmo outros governantes o imitaram - e não foi pela primeira vez. Na manhã do último domingo, um ônibus que transportava 50 peregrinos poloneses ao santuário de Notre-Dame de la Salette, perto de Grenoble, a 700 quilômetros de Paris, mergulhou num rio, matando 26 deles. Duas horas depois, ali já se encontravam o primeiro-ministro François Fillon e outros membros do governo francês. Pouco mais tarde, quando chegou ao local, o presidente da Polônia Lech Kaczynski encontrou à sua espera o colega Nicolas Sarkozy. Depois de visitar os sobreviventes hospitalizados, ele anunciou que acompanhará pessoalmente o inquérito sobre o acidente.
Impossível não comparar tais condutas com o sumiço do presidente Lula depois da catástrofe de Congonhas em que morreram 199 pessoas. Principalmente porque, transmitidas as condolências em rede nacional, após 72 horas de relutância, ele tornou a submergir. Passou o fim de semana trancado na residência oficial e só voltou à tona no programa de rádio das segundas-feiras 'Café Com o Presidente', gravado no seu gabinete. Tornou a dizer, então, o óbvio ululante sobre a impropriedade de se fazer “julgamentos precipitados” sobre a explosão do Airbus da TAM. E, na contramão até do senso comum, considerou “quase irresponsável” que se debatam publicamente as causas da tragédia.
Hoje, o quase emudecido Lula volta à vida normal - à sua maneira, bem entendido. Viaja à noite para o Nordeste, seu reduto por excelência, para um giro por Aracaju, João Pessoa, Natal e Teresina. À época do escândalo do mensalão, o Nordeste era o pouso preferido do presidente. O pretexto, desta vez, é o lançamento de projetos do PAC, o que rende a discurseira para platéias prontas a aplaudir seja lá o que lhes diga o seu ídolo, embora, pelo retrospecto, isso não garanta futuras realizações práticas. O lançamento do PAC na Região Sul, com a presença de Lula nos três Estados da região, estava previsto para a semana passada. Compreensivelmente, foi adiado em razão do desastre da TAM - mas compreensivelmente apenas à luz do seu oportunismo - para depois de 10 de agosto, no regresso de uma viagem ao exterior.
O fato é que, desde a sexta-feira que precedeu a tragédia, quando foi vaiado no Maracanã, o chefe de governo que deixou correr à solta o apagão aéreo, fiel ao princípio de que “a gente faz quando pode, e se não pode deixa como está para ver como é que fica”, parece ter dividido os brasileiros em dois grupos. De um lado, aqueles junto aos quais procura se reconfortar - certo de que lhe são gratos e não lhe negarão aplausos em quaisquer circunstâncias.
De outro, aqueles que, não lhe devendo nada, o aplaudem quando julgam que merece aplausos, mas vaiam quando julgam que merece vaias, como aconteceu na abertura do Pan. Resta saber por quanto tempo Lula evitará as cidades que congregam as parcelas do povo mais críticas do seu desempenho.

"Roque dentão"

Se o que corre nos bastidores da mídia feirense for verdade, Edson Borges e Cau Preto têm razão em renunciarem à direção regional do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado da Bahia (Sinjorba). Reginaldo Pereira diria em sua coluna que foi um autêntico "roque dentão". A presidente Kardé Mourão e o delegado Guto Jads teriam armado contra eles.

"Duro de Matar 4.0" não está em cartaz

O filme de ação "Duro de Matar 4.0" teve pré-estréia aberta ao público entre sexta-feira, 27, e domingo, 29, no Orient Cineplace. Mas, os dois jornais diários locais, ainda dão o filme como estando em cartaz. Assim, quem seguir a orientação, quebra a cara. O filme será lançado normalmente em cartaz na próxima sexta-feira, 3 de agosto.
Insistentemente, temos observado neste Blog Demais sobre os equívocos no roteiro de filmes dos jornais e sites locais. A Orient Filmes informa nas terças-feiras a programação de cada semana, salientando detalhes como o caso de pré-estréias.

Oficina de Teatro Adolescente mostra resultado

O resultado da oficina de Teatro Adolescente do Programa Arte de Viver que tinha apresentação pública marcada para os dias 21 e 22, será apresentado nesta quarta-feira, 1º de agosto, e na quinta, 2. As apresentações inicialmente marcadas foram adiadas em função do luto oficial pela morte do senador Antonio Carlos Magalhães. O espetáculo “Os Melhores Anos de Nossas Vidas” será encenado nos dois dias às 19h30, no Teatro Ângela Oliveira, do Centro de Cultura Maestro Miro, com entrada franca.
O programa é desenvolvido há sete anos pela Prefeitura de Feira de Santana, através da Secretaria da Cultura, Esporte e Lazer e da Fundação Cultural Municipal Egberto Tavares Costa.
O texto do espetáculo é de Domingos de Oliveira, considerado um dos maiores dramaturgos brasileiros. A direção é de Luciano Freire, oficineiro do programa. Ele conta que “foram cinco meses de preparação com técnicas corporais e de interpretação”. Luciano Freire diz que “buscamos atuar através de uma interpretação naturalista nos caminhos de Stanislawski. Esse texto tem muito em comum com a realidade da época e que se repete nos dias de hoje”.
Segundo o diretor, “foi dada na montagem ênfase na interpretação do que qualquer outra coisa e com alguns recursos de mímica”. Para Luciano, em linguagem “fácil e agradável”.
Os alunos da oficina que participam do elenco são: Aline Santos, Ana Carolina Carvalho, Ana Paula Amaral, Arlane Marinho, Camila Ferreira, Camila Souza, Eliandra Portugal, Érika Vanessa, Ingrid de Miranda, Jéssica Assunção, Laíse Nery, Larissa Pedra, Lyon Guimarães, Maria das Graças, Marla Namíbia, Mayana Sacramento, Melk Portinolly, Moab Barros, Murilo Macedo e Thaís Brito. Ainda no elenco, os atores convidados Dailine Lima, Ralf Nascimento e Thaís Spielberg.

segunda-feira, 30 de julho de 2007

"Capitu - Memória Editada" pelo Palco Giratório

Com a marca do pioneirismo, o Serviço Social do Comércio (Sesc) criou há dez anos, o projeto Palco Giratório, um circuito de espetáculos - único do gênero no país - que mostra o Brasil para o Brasil, uma mistura de sotaques com a marca da diversidade que pode ser vista no teatro de palco, de bonecos e de rua, no circo, na dança de palco e de rua, entre outras manifestações.
São dez anos de arte, valorização da cultura, de contato direto com públicos diversificados e de aprendizado singular com esse grande projeto que propicia aos grupos e companhias uma experiência única, uma verdadeira volta à arte de mambebear.
Nesta década, vários artistas levaram as suas experiências e trouxeram na bagagem uma pitada dos locais visitados, vivenciando uma troca de valores e cultura que não serão esquecidos.
Nos seus dez anos de existência o projeto Palco Giratório já contabilizou, 150 espetáculos, 100 grupos participantes, 800 trabalhadores das artes cênicas, duas mil apresentações e debates, seis mil horas de oficinas, 60 intercâmbios culturais, 50 mesas redondas, 30 intervenções urbanas, 500 mil espectadores, 100 espaços cênicos, 90 cidades, 24 estados mais o distrito federal, e 24 aldeias (mostras de Artes Cênicas espalhadas pelo país).
Na Bahia já são cinco anos do projeto com muito êxito e sucesso. Para a terceira etapa o Palco Giratório traz o Grupo Delírio Cia de Teatro, do Paraná, com o espetáculo “Capitu - Memória Editada”. Em Feira de Santana o grupo paranaense ministrará uma oficina de criação cênica, e realizará o Pensamento Giratório - painel sobre a relação da obra Dom Casmurro com a cena.
O grupo
O Grupo Delírio CIA de Teatro foi fundado em Curitiba, em 1984. Já encenou mais de 20 espetáculos dos autores mais diversos, entre eles, Nelson Rodrigues, Peter Shaffer, William Shakespeare, Plínio Marcos, além de espetáculos e textos inéditos escritos pelo diretor da companhia, Edson Bueno. O grupo já foi premiado mais de 60 vezes pelos seus espetáculos em Curitiba. O espetáculo "Capitu - Memória Editada" foi premiado com o troféu Gralha Azul do Teatro Paranaense, de melhor espetáculo, direção e texto. É inspirado na obra "Dom Casmurro", de Machado de Assis. A trama é contada pela memória de Bentinho, por personagens paralelos e contemporâneos que interagem com o texto e fazem referência ao autor. A sensação de mistério, dúvida, memória e fantasia da obra de Machado é mantida na peça.
Ficha Técnica
Texto e Direção: Edson Bueno. Elenco: Janja, Regina Bastos, Edson Bueno, Marcelo Rodrigues e Tiago Luz. Preparação Corporal: Barsha Kim. Preparação Vocal: Edith de Camargo. Cenografia e Figurino: Fernando Marés. Iluminação: Beto Bruel. Trilha Sonora Original: Marcelo Torrone. Operação de Luz: Victor Sabbag. Operação de Som: Célio Sávia. Programação Visual: Adriana Alegria. Fotografia: Elenize de Barro
Programação:
Segunda-feira, 6 de agosto: Oficina de Criação Cênica - Grupo Delírio Cia de Teatro, no Espaço Cultural CDL, das 9 às 13 horas;
Terça-feira, 7: continuação da Oficina de Criação Cênica - Grupo Delírio Cia de Teatro, das 9 às 13 horas.
Valor único: R$5,00
Pensamentos Giratórios - Painel “Literatura e Teatro: Machado de Assis Editado Para a Cena”, no Espaço Cultural CDL, às 19 horas, com acesso livre.
Quarta-feira, 8: Espetáculo "Capitu - Memória Editada", no Espaço Cultural CDL, às 20 horas. Valor do ingresso: Inteira R$6,00 e meia R$3,00 (extensiva a comerciários (com carteira do Sesc), estudantes (carteira de estudante), classe artística, e servidores do Sistema Fecomércio - Bahia (com crachá funcional).

Mais aplaudido

O prefeito José Ronaldo de Carvalho foi a autoridade mais aplaudida na aula inaugural do curso de formação técnica para agentes comunitários de saúde, nesta segunda-feira, 30, pela manhã, no Mega Fest. Quando foi convidado para compor a mesa, José Ronaldo foi ovacionado apoteoticamente por todos. Presentes, o governador Jaques Wagner e o secretário de Saúde Jorge Solla sentiram a força popular do prefeito feirense.

Volta ao normal

Este Blog Demais esteve bloqueado pelos robôs de prevenção contra spam do Blogger. Não conseguimos publicar nossas postagens entre quinta-feira, 26, e esta segunda-feira, 30. Agora, tudo voltou ao normal.

quinta-feira, 26 de julho de 2007

Três pontos de vantagem

Com a vitória do São Paulo na noite desta quintas-feira, 26, o time tricolor passa o Grêmio e assume a segunda colocação no Campeonato Brasileiro, com o Botafogo na liderança e com três pontos de vantagem.

Roteiro de Filmes

Período de 27 de julho a 2 de agosto


PRÉ-ESTRÉIA
DURO DE MATAR 4.0
(Live Free Or Die Hard), de Len Wiseman, 2007. Com Bruce Willis, Timothy Olyphant, Maggie Q, Justin Long e Jeffrey Wright. Ação. O ex-policial John McClane volta de sua aposentadoria para impedir que terroristas instalem o caos pela Internet, depois que um hacker invade a infra-estrutura que controla as comunicações, os transportes e a energia dos Estados Unidos. Pré-estréia aberta ao público. Classificação indicativa: 14 anos. Duração: 129 minutos. Horários: 18h45 e 21h20, entre sexta-feira e domingo. Sala 3 (167 lugares).
LANÇAMENTO NACIONAL
LUZES DO ALÉM
(White Noise 2: The Light), de Patrick Lussier, 2007. Com Nathan Fillion, Katee Sackhoff e Tammy Gillis. Terror. Homem volta à vida com o poder de identificar as pessoas que estão prestes a morrer. Classificação indicativa: 14 anos. Duração: 99 minutos. Horários: 15 e 17 horas, 19h05 e 21h10. Sala 4 (264 lugares).
CONTINUAÇÕES
HARRY POTTER E A ORDEM DA FÊNIX
(Harry Potter and the Order of the Phoenix), de David Yates, 2007. Com Daniel Radcliffe, Rupert Grint e Emma Watson. Aventura. Harry Potter retorna à Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts, para cursar o quinto ano letivo. Logo descobre que parte da comunidade bruxa foi levada a acreditar que o retorno de Voldemort foi uma mentira inventada por ele, o que põe em dúvida sua credibilidade. Incentivado por seus colegas, Harry decide praticar magia em segredo e passa com seu grupo a ser visto como uma ameaça ao Ministério da Magia. Cópia dublada. Em terceira semana. Classificação indicativa: 10 anos. Duração: 138 minutos. Horários: 15h30, 18h15 e 21 horas. Sala 1 (243 lugares)
TRANSFORMERS (Transformers), de Michael Bay, 2007. Com Shia LaBeouf, Josh Duhamel, Megan Fox, Tyrese Gibson e John Turturro. Aventura. Inspirado em brinquedos que fizeram sucesso na década de 80, o filme mostra a guerra entre dois grupos de robôs, um que acredita na paz e na tolerância, e outro que quer varrer a raça humana do planeta. Cópia dublada. Em segunda semana. Classificação indicativa: 10 anos. Duração: 143 minutos. Horários: 15h10, 18 horas e 20h50. Sala 2 (160 lugares).
RATATOUILLE (Ratatouille), de Brad Bird, 2007. Animação. Em Paris, um simpático ratinho sonha em se tornar um grande chef, mas sempre é expulso das cozinhas que visita, até encontrar um atrapalhado ajudante de cozinheiro que não tem a menor habilidade com temperos e panelas. Juntos, eles formarão uma inusitada parceria. Cópia dublada. Em segunda semana. Classificação: Livre. Duração: 120 minutos. Horários: 14 horas, 16h20, 18h45 e 21h20 (Esses dois últimos horários, exceto entre sexta-feira e domingo). Sala 3 (167 lugares).


ENDEREÇO E TELEFONES
Orient Cineplace - Shopping Iguatemi, telefax 3225-3056 e telefone 3610-1515 para saber informações sobre programas e horários.
As informações sobre programação e horário são prestadas pela empresa exibidora, a Orient Filmes.

Antônio Manoel de Araújo, in memoriam

Neste domingo, 29, um ano de morte de Antônio Manoel de Araújo.
Natural de Feira de Santana, mais propriamente do distrito de Tiquaruçu, ele nasceu no dia 9 de julho de 1924. Filho de José Gregório de Araújo e Julieta Frutuoso de Araújo. Casou-se com Regina Ricci de Araújo, com quem teve dois filhos: o engenheiro agrônomo José Caetano e o administrador Antônio Marcelo, e quatro netos.
Era professor pela Escola Normal Rural, contador pelo Colégio Santanópolis, poeta, tabelião do Cartório do 1º Ofício, por mais de 40 anos, quando se aposentou em 1998 e comerciante de tecidos no distrito de Tiquaruçu e Feira de Santana.
Na política, foi vereador por quatro legislaturas. Também exerceu o cargo de secretário de Finanças. Candidatou-se a prefeito de Feira de Santana, mas não teve êxito.
Colaborou na imprensa, publicando artigos no jornal "Vanguarda", que foi um dos fundadores. Até sua morte, por quase 50 anos, foi destacado integrante do Rotary Clube de Feira de Santana sendo seu presidente em 1969-1970, chegando a governador do Distrito 455, no ano rotário 1985-1986. Foi sócio fundador do Clube de Campo Cajueiro, sendo um dos 10 primeiros diretores e membro da Filarmônica 25 de Março.
Como professor lecionou Pedagogia e Didática, na Escola Normal Rural de Feira de Santana.
Como poeta, participou das antologias: “Florilégio”, “Poetas Feirenses” e “Memorial Poético de Feira de Santana”.
Recebeu o título Companheiro Paul Harris, conferido pelo Rotary International; a Comenda Maria Quitéria e a Comenda Vereador Dival Machado, outorgadas pela Câmara Municipal.
Na reunião do Rotary Clube de Feira de Santana, na terça-feira, 24, Antônio Manoel de Araújo foi lembrado pelo seu filho Antônio Marcelo.
O salão principal da Fundação Jonathas Telles de Carvalho, mantida pelos clubes de Rotary locais, leva o nome de Antônio Manoel de Araújo, com a instalação de uma placa alusiva no local. Araújo já nominava um programa da Fundação, que é a Escola de Informática mantida pela instituição, com núcleos no Cruzeiro e na Queimadinha.

Botafogo

Mesmo jogando sem torcida, o Botafogo venceu o Juventude por 3 a 1 na tarde desta quinta-feira, 26, e continua na liderança do Campeonato Brasileiro da Série A. O time tem quatro pontos à frente do segundo colocado, o Grêmio, mesmo com um jogo a menos. São 28 pontos ganhos, oito vitórias, quatro empates e apenas uma derrota, 29 gols marcados (é o segundo ataque mais positivo). É chato estar repetindo, mas continua como o melhor time do Brasil no momento.

Sem limites

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, afirmou na quarta-feira, 25, que a reforma constitucional será "decidida pelo povo" e destacou que a reeleição presidencial sem limites não é um objetivo pessoal, "porque amanhã será outro ou outra" na Presidência.
Para quem não desconfiava: ele quer é mesmo se perpetuar no poder. A Constituição da Venezuela permite uma reeleição. Hugo Chávez cumpre o segundo mandato e quer modificar a carta para permanecer na Presidência por tempo indeterminado.

Claque cara

Está no Blog de Cláudio Humberto:
Sob os auspícios do Planalto, governadores petistas recrutam os pobres beneficiados pelo Bolsa Família para aplaudir Lula em Sergipe e no Piauí.

"Eu vaiei Lula no Pan"

Está à venda uma camiseta que lembra das vaias que Lula levou na abertura do Pan.
Os interessados devem clicar:
http://www.camisaonline.com.br/estampa_info.php?imgF=arquivos/cat/Esportes/jogos%20panamericanos/p/af_5514_37263.jpg&a=100&l=100&img_id=37263&c=F
ou
http://www.camisaonline.com.br/estampa_info.php?imgF=arquivos/cat/Esportes/jogos%20panamericanos/p/af_5514_37262.jpg&a=100&l=100&img_id=37262&c=F

Carta de uma mãe a Lula

Extraído do Blog de Ricardo Noblat:
A administradora de empresas gaúcha Adi Maria Vasconcellos Soares, de 58 anos, mãe de Luís Fernando Zacchini, de 41 anos, um dos mortos na tragédia de Congonhas, remeteu a Lula uma carta emocionada com data de 21 de julho que começa assim: "Aos governantes e à família brasileira. Perdi meu único filho.”
Seguem trechos da carta:
* “Ninguém, a não ser outra mãe que tenha passado por semelhante tragédia, pode ter experimentado dor maior”
* “Um governo alheio a vaias é responsável pelo desmonte de uma das mais respeitáveis e confiáveis empresas áreas do mundo, a Varig, em benefício da TAM”
* “Assessores do presidente deste país eximem-se da responsabilidade e do compromisso com a segurança de nosso povo exibindo gestos pornográficos”
* “Ao invés de se arrependerem de uma conduta chula, incompatível com a dignidade de um povo doce e amável como o brasileiro, ainda alardeiam indignação, único sentimento ao alcance dos indignos”
* “Aqueles que deveriam comandar a responsabilidade pelo tráfego aéreo no Brasil nada fazem exceto conchavos”
* “Não pensei que teria de passar por mais um insulto: ouvir a falsidade de um presidente, sob a forma de ensaiadas e demagógicas palavras de conforto (…) Que soaram tão falsas quanto a forçada e patética tentativa que demonstrou ao simular uma lágrima”.

Quem falta

Depois da demissão de Waldir Pires do Ministério da Defesa está faltando as demissões do presidente da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Milton Zuanazzi, do presidente da Infraero, brigadeiro José Carlos Pereira, de Denise Abreu e de Leur Lomanto, esses dois diretores da Anac.

quarta-feira, 25 de julho de 2007

Demissão "a pedido"!

Está no Blog do Ricardo Noblat:
O Diário Oficial da União publicará amanhã que Waldir Pires pediu demissão do ministério da Defesa, e que o pedido foi aceito pelo presidente da República. Como se sabe, não foi assim. Primeiro Lula acertou com Nelson Jobim a ida dele para o lugar de Waldir. Então chamou Waldir para conversar e disse que precisava do cargo.
A "demissão a pedido" é uma maneira cortês que têm os presidentes de demitir auxiliares incômodos.

Solla não inclui saúde de Feira em balanço

O secretário da Saúde Jorge Solla fez um balanço das ações dos primeiros seis meses de governo Jaques Wagner na área, para profissionais e dirigentes das representativas entidades médicas da Bahia. O encontro aconteceu esta semana, na sede do Conselho Regional de Medicina da Bahia (Cremeb).
Na matéria veiculada pela Agecom, o secretário não cita Feira de Santana em nenhum momento, apesar de Solla estar constantemente na cidade para tentar resolver os problemas do Hospital Geral Clériston Andrade.
Ele destacou a ativação de leitos de UTI no Hospital Universitário Professor Edgard Santos, em Salvador, a implantação de 20 novos leitos no Hospital Carvalho Luz, do Samu, em Porto Seguro, e o projeto Rastreamento do Câncer de Mama, em Juazeiro.Também destacou as obras de reforma e ampliação que foram retomadas ou iniciadas em hospitais como o Ana Nery, em Salvador, Geral de Juazeiro e Mário Dourado Sobrinho, em Irecê. Também citou que estão sendo feitas pequenas reformas na Central de Regulação e nos hospitais Couto Maia, Geral de Camaçari e Luiz Viana Filho, em Ilhéus, na Unidade de Emergência de São Caetano e no Cefar.

Adiada para 15 de agosto licitação para construção de viadutos

A concorrência internacional promovida pelo Governo Municipal visando a contratação de empresa para construção de cinco viadutos em Feira de Santana foi remarcada para o próximo dia 15 de agosto. A decisão foi anunciada na noite de terça-feira, 24, depois da abertura dos envelopes das quatro empresas concorrentes, durante reunião no Centro de Atendimento ao Feirense (Ceaf). Depois de ser inabilitada por falta de atestado de capacidade técnica, a empresa Construterra entrou com recurso visando ganhar prazo para apresentar os documentos comprobatórios.
Também concorrem nesta licitação a empresa OAS e os consórcios TOP – Tranenge e Celi GMEC. As obras para construção dos cinco equipamentos englobam recursos da ordem de R$ 48 milhões, sendo metade oriunda da Prefeitura de Feira de Santana e os outros 50% obtidos através de financiamento.
Na reunião da Comissão de Licitação, foram abertos os envelopes da documentação técnica. Neles cada empresa ou consórcio apresentou nomes de engenheiros com Crea e capacidade técnica do engenheiro, volume mínimo de obras já realizadas e capacidade de execução de obras de grande porte por parte da empresa.
Com documentação incompleta, a Construterra solicitou prazo de cinco dias para apresentar os documentos necessários, sendo que os demais concorrentes ainda podem recorrer ao prazo de mais cinco dias em caso de contestação. Caso a contestação não ocorra, no próximo dia 15 serão abertos os envelopes com as propostas de valores, sendo que ganha a concorrente que apresentar o melhor preço para execução das obras, ou seja, o menor custo para os cofres do Município pela execução do mesmo serviço.
É a segunda vez que a licitação para escolha da empresa que deverá executar as obras foi adiada. A primeira ocorreu no dia 28 de junho. Mesmo assim, o secretário de Planejamento, Carlos Brito, observa que o processo para realização da licitação ocorre seguindo os trâmites legais. “O recurso é um direito que assiste as empresas e não atrapalha porque são instrumentos legais”, frisou.
A Comissão de Licitação é presidida pela advogada Deise Cristiane Brandão e composta também por Arcênio Oliveira, Lodtone Borges, Alfredo Rego, Maria do Socorro e Sônia Melo. Todo processo também é acompanhado pelo secretário de Planejamento, Carlos Brito.
A licitação pública visa a construção de cinco viadutos, sendo um no centro da cidade, no cruzamento entre as avenidas Getúlio Vargas e João Durval Carneiro e os outros quatros situados no Anel de Contorno, cruzamento com as avenidas João Durval Carneiro, Maria Quitéria e Getúlio Vargas, e na rotatória do bairro Cidade Nova.

Diário de uma criança que não nasceu

Texto do site Momento de Reflexão, que reproduzimos:
05 de outubro.
Hoje teve início a minha vida. Papai e mamãe não sabem. Eu sou menor que um alfinete, contudo, sou um ser individual. Todas as minhas características físicas e psíquicas já estão determinadas. Terei os olhos de papai e os cabelos castanhos e ondulados da mamãe. E isso também é certo: eu sou uma menina.
19 de outubro.
Hoje começa a abertura de minha boca. Dentro de um ano poderei sorrir quando meus pais se inclinarem sobre meu berço. A minha primeira palavra será “mamãe”. Seria verdadeiramente ridículo afirmar que eu sou somente uma parte de minha mãe. Isso não é verdade, pois sou um ser individual.
25 de outubro.
O meu coração começou a bater. Ele continuará sua função sem parar jamais, sem descanso, até o fim dessa minha existência. De fato, é isso uma grande dádiva de Deus.
02 de novembro.
Os meus braços e as minhas perninhas começaram a crescer até ficarem perfeitas para o trabalho; isto requererá algum tempo, mesmo depois de meu nascimento. Assim que for possível, enroscarei meus bracinhos no pescoço da mamãe e lhe direi o quanto eu a amo.
20 de novembro.
Hoje, pela primeira vez, minha mãe percebeu, pelo seu coração, que me traz em seu seio. Acho que ela teve uma grande alegria.
28 de novembro.
Todos os meus órgãos estão completamente formados. Eu sou muito grande.
02 de dezembro.
Logo mais poderei ver, porém, meus olhos ainda estão costurados com um fio. Luz, cor, flores... como deve ser magnífico! Sobretudo, enche-me de alegria o pensamento de que deverei ver minha mãe... Oh! Se não tivesse que esperar tanto tempo! Faltam ainda mais de seis meses.
12 de dezembro.
Crescem-me os cabelos e as sobrancelhas. Já imagino como minha mãe ficará contente com a sua filhinha!
24 de dezembro.
O meu coraçãozinho está pronto. Deve haver crianças que nascem com o coração defeituoso. Neste caso, precisam sujeitar-se a delicada cirurgia para corrigir o defeito. Graças a Deus o meu coração não tem nenhuma anomalia, e serei uma menina cheia de vida e forças. Todos ficarão alegres com meu nascimento.
28 de dezembro.
Hoje minha mãe amanheceu diferente, está um pouco angustiada. Mas uma coisa é certa: nós vamos sair para um passeio.
Creio que ela quer se distrair um pouco, talvez comprar roupinhas para mim. É isso mesmo, estamos saindo para algum lugar.
Ih! Acho que estamos entrando em uma clínica. Deve ser para checar se a minha saúde vai bem. Que ótimo! Quando eu sair daqui, direi à minha mamãe o quanto lhe sou grata.
O médico está chegando...
Mas... esses instrumentos não são para um exame... Não mamãe! Não deixe ele se aproximar!
Ai, que horror! Esta é uma clínica de aborto! Socorro! Deixem-me nascer!
... Ninguém escuta meus gritos!
E meus sonhos de felicidade...
Minha vontade de ver a luz, as flores, as cores...
Tudo acabado...
Sim... Hoje... Hoje minha mãe me assassinou...
***
A história é dramática e triste, mas, infelizmente, se repete diariamente nas clínicas de aborto do nosso país ou em casas de pessoas que se alimentam com o dinheiro ganho com o sangue de vítimas indefesas. Hoje já não se pode mais alegar que o feto não é um ser individual, distinto da mãe, pois a ciência afirma o contrário todos os dias. Assim, tanto quem pratica o aborto quanto quem o consente, deverá responder perante as Leis Divinas sobre esse crime. Pensemos nisso!
Equipe de Redação do site www.momento.com.br, com base em artigo de H. Schwab, "Nur Ein Hinderland ist ein Vaterland", Ed, Herder, 1956, publicado na revista Seleções do Reader’s Digest.

Já sai tarde

Até que enfim o presidente Lula demitiu Waldir Pires do Ministério da Defesa, o que deveria ter feito há muito tempo, pela incompetência e falta de habilidade e capacitação para ocargo. Já sai tarde

Aéreo, avoado

Na coluna de José Simão, edição desta quarta-feira, 25:
"E o Waldir Pires? O ministro da Defesa do Palmeiras. Ele é demitido quantas vezes por dia? E sabe por que ele é o único brasileiro que consegue voar? Porque ele é aéreo, avoado! Rarará! E troca o Pires por Xícara. Pires não voa, xícara tem asa! Waldir Xícara".

Não acredito em governo petista

Só mesmo sendo ingênuo ou besta para acreditar que o restaurante Carro de Boi e a boate Jerimum vão ser recuperadas, daqui a um ano - em período pré-eleitoral.
Não acredito em bruxas, em Papai Noel, em duendes e, principalmente não acredito em governo petista, de esquerda e que tais.
Ainda mais um governo que que suspendeu as obras do Teatro e Centro de Convenções, complexo que já era para estar em funcionamento.

Parecendo mesmo armação

O Supremo Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) puniu Dodô por 120 dias. Por unanimidade, o tribunal considerou o jogador culpado por ter ingerido um inibidor de apetite. “O atleta é responsável por tudo o que ingere”, considerou o órgão, mesmo com o atleta alegando não saber que usava substância proibida, conforme provou exames da Universidade de São Paulo.
O Departamentro Jurídico do clube tem que recorrer da decisão, pois uma injustiça praticada. Fica parecendo mesmo uma armação contra o líder do Campeonato Brasileiro, para desfalcar o time de seu mais importante jogador.

terça-feira, 24 de julho de 2007

A competência dos incompetentes

Artigo de Olavo de Carvalho, publicado pelo "Diário do Comércio", em 18 de julho, e no site "Mídia Sem Máscara", em 23 de julho:
Não faltará, como nunca falta, quem atribua o monstruoso acidente do aeroporto de Congonhas à incompetência pura e simples. Mas a incompetência do governo federal, nessa como em outras áreas, não é nem pura nem simples. Ela é o efeito da dupla agenda estratégica que orienta todas as ações do esquema petista já desde antes de sua ascensão ao poder.
Nas semanas que antecederam as eleições de 2002, só três pessoas na mídia anunciaram a formação da aliança revolucionária continental Lula-Castro-Chávez. Resultado: eu perdi o meu emprego, o analista estratégico Constantine Menges foi xingado até à enésima geração e o herói nacional cubano Armando Valladares foi rotulado de “picareta”. Menções ao “pequeno eixo do mal” foram declaradas anátema. Nos debates nominalmente destinados a informar o público sobre os candidatos em que iria votar, nem mesmo os adversários de Lula quiseram tocar no assunto. Dos entrevistadores, só um - Boris Casoy - ousou perguntar algo a respeito, e mesmo assim muito educadamente, muito discretamente, quase pedindo desculpas. Lula mandou-o calar a boca.
Ao longo dos dois mandatos lulianos, o eixo, que já vinha sendo preparado nas reuniões do Foro de São Paulo desde 1990, tornou-se uma realidade patente, e nenhum dos iluminados que o haviam negado apareceu na mídia confessando-se um idiota ou um mentiroso contumaz. Todas as ridículas tentativas do governo George W. Bush de jogar Lula contra o esquema castrochavista só serviram para provar a solidez da aliança revolucionária, não só entre aqueles três governantes esquerdistas, mas entre todos os membros do Foro, inclusive as Farc e outras organizações criminosas.
Mas, numa campanha eleitoral, a duplicidade moral consiste apenas em dizer uma coisa e fazer outra. Uma vez eleito, o sujeito tem de governar, e aí a incongruência entre a fala e os atos torna-se discordância entre duas séries de atos, uma destinada a implementar os objetivos nominais do seu governo, outra a realizar as finalidades secretas, ou discretas, do esquema de poder que o elegeu. De um lado, trata-se de administrar o país relativamente bem, para se manter alto nas pesquisas. De outro, busca-se desmantelar o Estado e a própria sociedade, para que o partido revolucionário possa se sobrepor a ambos e engoli-los. Não se pode dizer que o governo Lula tenha duas cabeças, porque só uma cabeça única, e bem organizada, pode coordenar esse delicado e complexo jogo duplo. Mas o processo tem um limite natural.
Não é possível desmantelar o Estado e manter o governo funcionando; nem anarquizar a sociedade e continuar indefinidamente dando a impressão de ordem e progresso. Mais dia, menos dia, um dos lados vai ter de predominar. A lógica interna da estratégia revolucionária espera que esse momento só chegue quando as “forças populares” estiverem prontas para rasgar sua própria máscara e partir para a tomada ostensiva do poder. No segundo mandato de Lula, porém, o limite natural do processo foi atingido antes disso.
O Estado e a sociedade já estão bagunçados de alto a baixo, mas a esquerda radical não está madura para o grande golpe. Nada funciona - nem mesmo a estratégia revolucionária. A velha ordem morreu, a nova transformou-se num gigantesco aborto.
Que fazer?, perguntaria Lênin. E responderia: se não for possível adiar o desenlace, deve-se tirar proveito revolucionário do aborto mesmo, lançando as culpas dele no adversário. Não existindo adversário, a parte mais comprometida do esquema revolucionário deve ser ela própria jogada às feras, acusada de traição e direitismo.
Isso já começou a acontecer. Não havendo uma direita capaz de liderar a revolta popular contra o pior governo brasileiro de todos os tempos, essa revolta será muito provavelmente capitalizada pelo mesmo esquema esquerdista que o gerou. Se o próprio Lula tiver de ser sacrificado para esse fim, não haverá aí surpresa nenhuma. Criar o fantoche custou caro, mas quem vai pensar em economizar dinheiro numa hora dessas?
Olavo de Carvalho é jornalista, escritor, filósofo e editor do Mídia Sem Máscara.

Crítica do "Financial Times"

O correspondente do jornal britânico "Financial Times" no Brasil, Jonathan Wheatley, em artigo assinado, na edição de segunda-feira, 23, criticou duramente a resposta do governo brasileiro ao acidente envolvendo o avião da Tam, na terça-feira, 17. A "Folha Online" tratou da matéria:
Com o título "Desastre envolvido em farsa", o texto começa dizendo que "é difícil decidir qual das ações do governo após o pior desastre da história da aviação brasileira é mais representativa da incompetência de sua resposta a uma crise que já durava pelo menos dez meses".
O jornalista pergunta, em seguida: "terá sido a decisão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de não aparecer em público até três dias depois do acidente ou a de não fazer nenhuma declaração nas primeiras quatro horas (sua mensagem de condolências chegou depois, por exemplo, do que aquela do presidente Néstor Kirchner da Argentina)?"
O texto segue listando uma série de críticas ao governo, citando o fato de que o ministro da Defesa Waldir Pires negou ter responsabilidade pelo acidente repetidas vezes e afirmando que ele deveria ter sido afastado do cargo em setembro do ano passado, após o acidente com o avião da Gol que deixou 154 mortos.
O artigo fala ainda do fato de os diretores da Anac, a Agência Nacional de Aviação Civil, terem sido condecorados "quando deveriam receber reprimendas ou as demissões que merecem" e comenta ainda o episódio da filmagem que registrou o momento em que o assessor especial da presidência Marco Aurélio Garcia comemorava a notícia de um possível problema mecânico na aeronave.
A conclusão do correspondente é que "qualquer que seja a causa do acidente, ele era uma tragédia esperando para acontecer".
"A extrema necessidade de um governo mais eficiente no Brasil nunca esteve tão clara".

Projeto de urbanização da Lagoa Grande tem adequações

O projeto de revitalização da Lagoa Grande vai passar por adequações para atender as determinações do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). O engenheiro civil João Paulo Schedler, da Magna Engenharia, empresa contratada para elaborar o projeto, está em Feira de Santana, onde se reúne com arquitetos e engenheiros da Secretaria de Planejamento.
“O projeto foi feito em 2002, por isso necessita de ajustes. Alguns setores não são contemplados pelo PAC, por isso o projeto original necessita ser readequado”, afirmou o secretário de Planejamento, Carlos Brito. Não serão construídos, com recursos do PAC, um pavilhão de negócios e os bares. “Mas todos os equipamentos comunitários foram mantidos”. O projeto com as adequações vai ser encaminhado à Companhia de Desenvolvimento Regional (Conder), para ser analisado e posteriormente licitado.
O secretário explicou que a atualização do projeto significa, também, a adequação do orçamento para a execução da obra. “Este realinhamento vai apresentar os custos atualizados, porque como o projeto foi elaborado há quase cinco anos, foi considerado defasado”. Ele salientou que neste período o prefeito José Ronaldo de Carvalho sempre buscou alternativas para a sua execução.
João Paulo Schedler diz que a atualização do projeto é fundamental para a sua execução. “Vamos adequá-lo à realidade financeira atual, porque como foi elaborado há alguns anos já apresenta alguma defasagem, mas os seus objetivos continuam os mesmos”. disse. O ajuste, neste caso, é considerado normal e necessário. “O projeto foi pensado para o futuro”, considerou.
O projeto prevê a urbanização de toda área. Às margens da lagoa será construída uma pista, pista de cooper, praças, ciclovias, parques infantis, postos de saúde, posto policial, concha acústica, local para a prática de atletismo, entre outros vários equipamentos. “É uma obra que vai beneficiar toda Bacia do Pojuca, que vai ser contemplada com esgotamento sanitário”, disse o engenheiro.
Ele salientou que o projeto inicial será pouco mudado. “Foi pensado para atender as necessidades ambientais e urbanísticas dos moradores dos bairros próximos. Todo tecido urbano será reorganizado, bem como a lagoa vai ser revitalizada. As casas que estão localizadas na área de intervenção serão relocadas para local adequado”, afirmou. Ao todo serão investidos R$ 68 milhões na obra.

Criada Unidade de Gerenciamento de Projeto para supervisionar viadutos

Visando desenvolver, acompanhar e supervisionar a execução do contrato de empréstimo a ser celebrado com a Corporação Andina de Fomento (CAF), para construção de viadutos na cidade, o Governo Municipal criou a Unidade de Gerenciamento do Projeto de Integração Urbana de Feira de Santana (UGP). Decreto neste sentido, de número 7.335, foi baixado pelo prefeito José Ronaldo de Carvalho e publicado em jornal de circulação local, no sábado, 21.
A Unidade de Gerenciamento do Projeto de Integração Urbana fica criada no âmbito da Secretaria de Planejamento. A unidade terá como estrutura um coordenador geral, um coordenador técnico e um coordenador administrativo, cargos a serem indicados posteriormente por ato administrativo do prefeito José Ronaldo.
Compete à UGP atuar como interlocutora junto à Corporação Andina de Fomento (CAF), aos órgãos dos governos federal e estadual e com as empresas contratadas para desenvolver atividades de interesse na execução do projeto; controlar, acompanhar, supervisionar e avaliar a execução do projeto e do contrato de empréstimo; e preparar o Plano Operativo para cada ano de execução do projeto.
Além disso, a Unidade de Gerenciamento será incumbida de subsidiar a comissão especial de licitação na preparação de editais e na seleção e contratação de obras, bens e serviços relacionados à execução do projeto; supervisionar o fiel cumprimento dos contratos firmados no âmbito do projeto. Ainda deverá preparar pacotes técnicos para as licitações de obras, equipamentos e serviços a serem executados no âmbito do projeto; realizar todas as atividades de acompanhamento da execução das obras e demais ações previstas no projeto e zelar para o fiel cumprimento do acordo de empréstimo celebrado com a CAF.
As atribuições ainda se estendem a controlar e exigir o fiel cumprimento dos contratos que sejam firmados no âmbito do projeto; controlar a execução orçamentária e financeira do projeto; preparar e solicitar os desembolsos de recursos junto à CAF; manter os registros e arquivos da documentação referente ao projeto e ao contrato de empréstimo e controlar e avaliar os recursos e produtos dos serviços, estudos, trabalhos e atividades que se executem no âmbito do projeto.
Outras atribuições são desenvolver, implantar e operar um Sistema de Informações Gerenciais de Avaliação do Projeto (SIG); propor modificações operacionais na execução do projeto, quando necessário; manter em perfeitas condições de uso os equipamentos adquiridos para a execução do projeto; divulgar as realizações do projeto e proceder a prestação de contas final do projeto, quando do seu encerramento.

Pré-estréia de "Duro de Matar 4.0"

Bruce Willis no cartaz do quarto filme da série

Divulgação

Entre esta sexta-feira, 27, e domingo, 29, em dois horários, às 18h45 e 21h20, pré-estréia aberta ao público do filme de ação “Duro de Matar 4.0”, no Orient Cineplace. Ainda nesta semana, a 31ª do ano, o lançamento nacional do filme de terror canadense “Luzes do Além”. Continuam em cartaz: “Harry Potter e a Ordem da Fênix”, “Transformers” e “Ratatouille”, os três com cópias dubladas.
Depois de 12 anos, Bruce Willis volta ao papel de John McClane, agora aposentado que volta à ativa para impedir que terroristas instalem o caos nos Estados Unidos pela Internet, depois que um hacker invade a infra-estrutura que controla as comunicações, os transportes e a energia do país.
Primeiro, em 1988, teve “Duro de Matar”. Em 1990, a seqüência “Duro de Matar 2”; e em 1995, “Duro de Matar: A Vingança”. Todos são filmes de ação vertiginosa.
Com a programação de “Duro de Matar 4.0”, nos três dias (sexta, sábado e domingo) e dois horários (18h45 e 21h20) não haverá exibição de “Ratatouille”.
Com elenco de atores desconhecidos “Luzes do Além” é seqüência de “Vozes do Além”, lançado em 2005, que pelo menos tinha Michael Keaton (que já fez Batman no cinema). Neste filme, homem volta à vida com o poder de identificar as pessoas que estão prestes a morrer.Das continuações, a indicação da animação “Ratatouille”, que é realmente um excelente programa para todas idades. Simplesmente delicioso.

No Fly Day

O Objetivo do No Fly Day é fazer um ato de protesto da população (um ato pacífico e apartidário) contra a incompetência do Governo Federal, agências e empresas aéreas para dar uma solução ao problema aéreo que já vem dando claros sinais de colapso muito antes do acidente da Gol e, depois de nada feito, culminando com o acidente da Tam dia 17/7.Este ato de protesto será um dia “greve de passageiros” em todo o Brasil – No Fly Day (18 de agosto).
Com isso mostraremos aos governantes e responsáveis por este caos que o público não é bobo e sabe se organizar. Em São Paulo, faremos uma passeata do Ibirapuera a Congonhas em homenagem as vítimas. Esse protesto é uma forma da população dar uma demonstração organizada e forte sobre o absurdo que estamos vivendo: as empresas aéreas não fazem nada por terem interesses econômicos em jogo, as agências estão corrompidas e ineficientes, o Congresso Nacional atrapalhado e submisso, e o Governo Federal apático e inábil.
E nós, os usuários do sistema, temos como única forma de protesto gritar nos balcões das empresas aéreas (o que nada resolve) e colocar notas e cartas nas colunas de leitores dos jornais.
Se você é mora fora de São Paulo-SP, faça um ato de protesto neste dia e não viaje de avião. Convença um amigo ou parente a fazer o mesmo, e diga a ele/ela para convencer o próximo. Se você mora em São Paulo-SP, além de não voar neste dia vá ao obelisco do Ibirapuera, sábado, 18 de agosto, às 16 horas. Às 17 horas será iniciada uma marcha pela Washington Luis até a cabeceira da pista de Congonhas, local do acidente da Tam. Vá de camiseta branca. Lá será prestada uma homenagem às vítimas dos vôos Tam 3054 e Gol 1907.
Como ajudar mais? Envie este site e notícia a algum amigo e peça que ele faça o mesmo.www.noflyday.com.br.

Dignidade exemplar

Íntegra da Nota Oficial de Cláudio Candiota Filho, presidente Associação Nacional em Defesa dos Passageiros do Transporte Aéreo (Andep):
"Constrangido, em face da concessão de Medalhas de Santos Dumont a diretores da Agência Nacional de Aviação Civil, comunico a Vossa Excelência que estarei devolvendo a mesma condecoração que tive a honra de receber pelos serviços que ao longo de minha vida prestei à nossa querida Força Aérea Brasileira e à aviação civil do País. Tomo esta atitude, com profunda dor, pois muito me orgulho de possuir tão relevante distinção. Entretanto, os fatos não me oferecem alternativa. Assim procedo em respeito à memória das vítimas das tragédias da Gol e da Tam, e em nome do que simboliza para todos nós, aviadores, a consagrada história de Santos Dumont. Porto Alegre, 21 de julho de 2007".

Museu de Arte Contemporânea ano 11

O Museu de Arte Contemporânea Raimundo de Oliveira (MAC) completa 11 anos de atividades nesta quarta-feira, 25. Para comemorar a data a Prefeitura de Feira de Santana, através da Secretaria da Cultura, Esporte e Lazer e da Fundação Cultural Municipal Egberto Tavares Costa, promove exposição dos artistas plásticos José Arcanjo (instalação), Pithon (escultura), Davi Bernardo (desenho), e Maristela Ribeiro (pintura).
Ainda na oportunidade, o Departamento de Atividades Culturais promoverá a entrega do CD do sexto Vozes da Terra, realizado no ano passado, aos vencedores e finalistas do festival de música. O CD consta com os seguintes trabalhos: “O Mistério das Cinco Estrelas”, primeiro lugar no festival, interpretação de Josh, letra e música de Jocélio de Morais; “Meu Coração É o Seu Lugar”, segundo lugar, interpretação de Juliana Greyce, também autora da letra e música; “O Rio”, terceiro lugar, interpretação de Edir, com letra e música de sua autoria.
Também “Minha Rosa”, que deu a Thalita Costa o prêmio de Melhor Intérprete Feminina; “Ó Tempo”, prêmio de Melhor Intérprete Masculino para Scooby Black; e “Festa dos Orixás”, que deu a Paty Lima o prêmio de Melhor Performance.
Ainda consta do CD do “Vozes da Terra” as músicas melhores classificadas: “Nó na Garganta”, interpretação de Heidy Raidi; “Livros” (“Paraísos Artificiais”), interpretação de Dudu das Candongas; “Incógnita”, interpretação de Alissan Paixão; e “Preto no Branco”, interpretação de Claudiana Cruz.
É como parte da premiação que os melhores classificados recebem exemplares do CD, em número de 50.

Estevam Moura tem centenário comemorado

No dia 3 de agosto, o centenário do maestro Estevam Moura. Uma série de eventos marcará a data de nascimento do músico, em realização da Prefeitura de Feira de Santana, através da Secretaria da Cultura, Esporte e Lazer e da Fundação Cultural Municipal Egberto Tavares Costa, em parceria com a Câmara Municipal.
A abertura da programação alusiva ao centenário se dará no dia 1º de agosto, às 11 horas, no saguão da Câmara, com exposição do Acervo Musical de Estevam Moura e palestra da historiadora Lélia Vitor Fernandes de Oliveira.
Em 3 de agosto, dia maior das comemorações, estão programadas missa solene, às 19 horas, na Catedral Metropolitana, com participação do Coral Estrela de Belém, e tocata no coreto da praça Monsenhor Renato Galvão, às 20 horas, com participação da Sociedade Filarmônica Estevam Moura, de Santo Estevão; Sociedade Filarmônica Euterpe Feirense e Sociedade Filarmônica 25 de Março, ambas de Feira de Santana; e Oficina de Frevos e Dobrados do Maestro Fred Dantas, de Salvador.
No dia 6 do próximo mês, às 8h30, no plenário da Câmara, sessão especial tendo como preletor o médico Carlos Estevam Moura Dórea, neto do homenageado in memoriam, com Hino a Feira em solo de Celiah Zaiin.
No dia 7, a programação será transferida para Salvador, com concerto em homenagem a Estevam Moura, iniciativa do maestro Fred Dantas, na Reitoria da Universidade Federal da Bahia (Ufba), às 20 horas.
Filho de João pedreira de Moura e Minervina Carvalho de Moura, Estevam Pedreira de Moura nasceu em Santo Estevão em 3 de agosto de 1907. Desde cedo teve o pendor pela música, pois fabricava flauta com o talo do mamoeiro, para acompanhar a Zabumba da Vila.
Ele foi aprendiz da Filarmônica 26 de Dezembro e depois chegou a maestro. Ele executava vários instrumentos, como piano, violão, flauta, sax e trombone, deixando um grande número de composições.
Aos 18 anos, veio para Feira de Santana, residir no distrito de Bonfim de Feira. A concite, passou a dirigir a Filarmônica Minerva. Depois, transferiu-se para Conceição do Almeida, onde regeu a filarmônica local. De volta a Feira de Santana, foi professor de Canto Orfeônico do Colégio Santanópolis e regeu a Sociedade Filarmônica 25 de março, onde permaneceu até sua morte, em 9 de março de 1951.
A programação do centenário conta com apoio da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), através do Centro Universitário de Cultura e Arte (Cuca), Academia de Letras e Artes de Feira de Santana, Instituto Histórico e Geográfico de Feira de Santana, Fundação Senhor dos Passos, Sociedade Filarmônica Euterpe Feirense, Sociedade Filarmônica 25 de Março, Sociedade Filarmônica Estevam Moura, Banda Sinfônica da Universidade Federal da Bahia e Oficina de Frevos e Dobrados Maestro Fred Dantas, Palácio da Música e Sociedade Filarmônica Lira 8 de Setembro, de Riachão do Jacuípe.

Representatividade

Uma semana depois, o resultado da eleição da Delegacia Nordeste do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (Sinjorba). A chapa ganhadora obteve dez dos 12 votos registrados nas urnas.

Reparo

Diferentemente do que saiu publicado na matéria "Prorrogada até 3 de agosto inscrição do Vozes da Terra", postada no dia 19, a data da final do festival é 22 de setembro e não 12 de setembro.

Combinação

Está nas colunas políticas dos grandes jornais que o governador Jaques Wagner e o ministro da Integração Geddel Vieira Lima vão concentrar esforços para unir o PT e PMDB em "todos os rincões da Bahia e nas grandes cidades" durante as eleições municipais de 2008.
O que indicaria candidato único das oposições, em Feira de Santana, por exemplo. Resta saber se o trato foi combinado também com os petistas José Neto e Sérgio Carneiro e o pemedebista Colbert Martins Filho, todos os três candidatíssimos.

Passadinha

Até o deputado estadual José Neto (PT) esteve no velório do senador Antonio Carlos Magalhães (DEM), no sábado. "Vim dar uma passadinha, né?", registrou a coluna "Tempo Presente", em "A Tarde", desta terça-feira, 24.

segunda-feira, 23 de julho de 2007

Comentarista desmerece campanha do líder

Em comentário feito há pouco no programa "Golaço Com Milton Neves", na Rede Mulher, foi dito que a leitura do Campeonato Brasileiro deve ser pelos últimos três jogos. Assim, o Botafogo estaria em baixa, pois empatou com Goiás e Sport e perdeu para o Santos, fazendo dois pontos nos nove possíveis. Só que o jogo do Goiás foi antes da vitória de 2 a 0 sobre o Atlético-PR. O comentarista depois tentou consertar (emenda pior que o soneto) incluindo a vitória do Botafogo sobre o Atlético-MG (que foi o segundo jogo do Botafogo na competição) e mantendo a consideração que o líder está em baixa, pois em doze pontos só ganhou cinco, não considerando toda a campanha de sete vitórias, quatro empates e uma derrota.
Os comentários do programa só relevam os paulistas, mesmo com os times de São Paulo realmente em baixa, à exceção do São Paulo.

Sem influência

O Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap) divulgou a lista 2007 com os parlamentares mais influentes do Congresso Nacional. Entre os "100 cabeças" - 17 do PMDB - não está o deputado federal Colbert Martins Filho.

Notas coincidentes

No sábado, 21, às 11h48, o Blog Demais postou a nota "Encruzilhada do destino":
O ministro da Defesa Waldir Pires ainda não foi demitido. Mas tudo indica que desta vez será exonerado pelo presidente Lula. A questão voltou à tona com a sua imobilidade (e a do governo) no caos aéreo instaurado. Na sexta-feira, 20, dia em que o senador Antonio Carlos Magalhães faleceu, a mídia chegou a informar de sua saída do ministério.
Confirmada a demissão, seria uma verdadeira encruzilhada do destino dos dois adversários políticos, com um falecendo e outro morrendo definitavamente na política, na mesma data.
Na home de Cláudio Humberto, no domingo, 23, postada à zero hora, a nota "Encruzilhada baiana":
Os caminhos dos desafetos ACM e Waldir Pires se cruzaram no último momento: enquanto o cacique baiano agonizava, Pires enfrentava seu eclipse no Ministério da Defesa.

domingo, 22 de julho de 2007

Título da Argentina

No Mundial de Futebol Sub-20, no Canadá, a Argentina foi campeã, neste domingo. O Brasil saiu nas oitavas-de-final.

Botafogo continua na liderança

O Botafogo empatou em 3 a 3 com o Sport na noite deste domingo, 22, no Recife, e mantém a liderança do Campeonato Brasileiro da Série A, com três pontos à frente do segundo colocado, o São Paulo, e um jogo a menos. Agora, em 12 jogos, são sete vitórias, quatro empates e uma derrota. O time tem o ataque mais positivo, com 26 gols marcados, saldo de 11 gols. Tem 69% de aproveitamento.
Todos os outros 19 times que disputam o certame estão secando o Botafogo...

sábado, 21 de julho de 2007

Brasil perde até para Equador

A equipe do Brasil sub-17 perdeu por 4 a 2 para o Equador neste sábado, e deu adeus ao sonhado título pan-americano. A torcida presente no Maracanã chamou a seleção de timinho. Bastava um empate para chegar na semifinal, o que não aconteceu.

Barbie cinematográfica

Cinematográfica. É que se pode dizer também da interessante e fascinante exposição “Barbie na Moda”, que está montada na praça Raimundo Assis, do Shopping Iguatemi até o próximo dia 29, com apoio da Le Biscuit.
Tem Vivien Leigh e Clark Gable em “E o Vento Levou”; Elizabeth Taylor em “Cleópatra” e “O Pai da Noiva”; Audrey Hebpurn em “Minha Querida Dama” e “Bonequinha de Luxo”; Fay Wray em “King Kong”; Olívia Newton-John em “Nos Tempos da Brilhantina”; além de astros e estrelas como James Dean, Elvis Presley, Fred Astaire e Ginger Rogers, Lana Turner, Frank Sinatra, Rita Hayworth, Sally Field, Cher e Diana Ross.

Espera de um ano para confirmação

Está se fazendo o maior estardalhaço com o compromisso firmado entre a Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) e a Fundação Cultural do Estado da Bahia, que prevê a recuperação da parte física do Centro de Cultura Amélio Amorim, em especial a parte que envolve o restaurante Carro-de-Boi e a boate Jerimum, que estão abandonados e em ruínas.
Foi até anunciado o prazo estimado para alocação de recursos, que é de um ano.
Só dá para acreditar vendo - e a espera é longa e prevista para período pré-eleitoral. Afinal, a promessa parte de um governo que suspendeu as obras do Teatro e Centro de Convenções, complexo que já era para estar em funcionamento, sob várias alegações absurdas.
Ainda mais com o conhecimento de que o restaurante e a boate não têm nada de cultural, apesar da defesa de alguns de que os espaços podem se transformar para essa necessidade.

Encruzilhada do destino

O ministro da Defesa Waldir Pires ainda não foi demitido. Mas tudo indica que desta vez será exonerado pelo presidente Lula. A questão voltou à tona com a sua imobilidade (e a do governo) no caos aéreo instaurado. Na sexta-feira, 20, dia em que o senador Antonio Carlos Magalhães faleceu, a mídia chegou a informar de sua saída do ministério.
Confirmada a demissão, seria uma verdadeira encruzilhada do destino dos dois adversários políticos, com um falecendo e outro morrendo definitavamente na política, na mesma data.

Como será o final dos tempos

Artigo de Dimas Oliveira, publicado em agosto de 1999, no jornal "Diário da Feira", do qual foi editor:
O homem não conhece tudo. Sobre o fim do mundo, o homem não sabe nada. "Daquele dia e hora, porém, ninguém sabe, nem os anjos do céu, nem o Filho, senão só o Pai" (Mateus 24: 42). Em Marcos 13: 24-27, juntamente com as passagens paralelas de Mateus 24: 29-41 e Lucas 21: 21-33, o centro da reflexão evangélica sobre a história do fim do mundo. São ensinamentos sobre as "últimas coisas", sobre o que se chama escatologia.
Por isso que os crentes não crêem que o mundo possa acabar amanhã. Numerosas previsões humanas já foram feitas e todas inevitavelmente fracassaram. "Não lhes compete saber os tempos ou datas que o Pai estabeleceu pela Sua própria autoridade", disse Jesus (Atos 1: 6 e 7).
Os crentes esperam a segunda vinda de Jesus, o arrebatamento. Aqueles que aceitaram Jesus Cristo como Messias, como o Filho de Deus terão vida eterna no mundo futuro, com a Igreja que será arrebatada por Jesus.
Marcos 13: 24-27 diz: "Mas naqueles dias, depois daquela tribulação, o sol escurecerá, e a lua nãodará a sua luz; as estrelas cairão no céu e os poderes que estão nos céus serão abalados. Então verão vir o Filho do Homem nas nuvens, com grande poder e glória. E logo enviará os seus anjos, e ajuntará os seus eleitos, desde os quatro ventos, desde a extremidade da terra até a extremidade do céu". Lucas 21: 25-28 diz: "E haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas; e sobre a terra haverá angústia das nações em perplexidade pelo bramido do mar e das ondas; os homens desfalecerão de terror, e pela expectação das coisas que sobrevirão ao mundo; porquanto os poderes do céu serão abalados. (...) Ora, quando essas coisas começarem a acontecer, exultai e levantai as vossas cabeças, porque a vossa redenção de aproxima".
Assim, resta ao crente, como exorta Mateus (24: 42), que "Vigiai, pois, porque não sabeis em que dia vem o vosso Senhor".
Os que não aceitam esta verdade, de que Jesus é o Rei dos reis e Senhor dos senhores não vão escapar do período de provação, da grande tribulação, que se seguirá à segunda vinda de Jesus, para a redenção fina no fim dos tempos.

"De devagar a Dorival Caymmi"

"Não há nenhuma chance mais de que o PT comande as próximas eleições arrostando um Brasil descontente e decepcionado. Aqui na Bahia, o governo vai de devagar a Dorival Caymmi". De Ildásio Tavares, na nota "Uma vergonha", na "Tribuna da Bahia", edição deste sábado, 21.

Desabafo

Recebemos como comentário esse "desabafo sobre a tragédia de ontem", que merece ser postado:
Abraços pesarosos aos que tiveram pessoas próximas entre as vítimas!
O desastre maior deste desastre de ontem é que ele é um desastre cuja ocorrência era apenas uma questão de cedo ou tarde. Infelizmente ficou trágicamente evidente que ocorreu ainda mais cedo do que o esperado...Madruguei hoje assistindo estarrecido pela CNN e Internet aqui em Abu Dhabi, Emirados Árabes onde estou voando agora, as imagens das labaredas pintando de amarelo e ocre a cabeceira 17 de Congonhas (16 na minha época) . Pousei lá inúmeras vezes de Boeing 727, Electra da Ponte Aérea e 737-200/300 quando eu ainda voava "na nacional" na minha, na nossa, "velha" Varig. Hoje sou um dos inúmeros pilotos experientes "exilados" pela babilônica incompetência Brasileira. Embora agora longe do Brasil, passei quase 30 anos voando na Varig no Brasil, 15 dos quais "na internacional" nos mais de 20 como comandante, e por isso assisto a estas imagens dominado por uma indigesta mistura de choque, tristeza e revolta como se ainda estivesse voando aí.
O choque é até previsível diante de imagens do inferno de chamas e corpos sendo retirados dos destroços, e a tristeza também é de certa forma natural, pois é consequencia dos dramas que sempre pontuarão as nossas vidas, salientado a falibilidade inerente à nossa condição de humanos. Mas a dor mais incômoda de todas para mim é a da revolta. Uma TREMENDA revolta diante deste absurdo "Apagão" aeronáutico Brasileiro que até recentemente destruía apenas patrimônios como a Varig, mas agora avança célere ceifando vidas e gerando perdas humanas irreparáveis, e ainda pior, na maior parte EVITÁVEIS!!!
Poucas outras atividades humanas brincam tanto com as nossas emoções quanto a aviação. Voar, viajar, cruzar o céu entre nuvens rumo a lugares exóticos, uma experiência fascinante possibilitada por tecnologias desenvolvidas e incorporadas a estas nossas máquinas maravilhosas, e normalmente trazendo conforto e segurança na "trip" dos nossos sonhos, ou apenas a uma trivial viagem de negócios.
Mas também poucas outras atividades são tão intensa e simultâneamente dependentes das forças da natureza, infraestrutura física e tecnologia, interesses econômicos, treinamento e fatores humanos, horários, e acima de tudo da capacidade de TODOS os responsáveis por cada setor em administrar tudo ao mesmo tempo, enquanto uma aeronave avança como uma flecha a 900km/h rumo ao seu destino. É um desafio contínuo, 24 horas por dia, 365 dias por ano, faça chuva ou sol, para que tudo isso não termine em tragédia...Só que mais esta tragédia recente prova que este não é o caso no Brasil de hoje. E o cidadão brasileiro precisa urgentemente realizar que o maestro maior desta "orquestra" precisaria estar executando a sua "partitura" com muita competência para que não tivessem morrido hoje os nossos colegas, familiares e amigos. E que este "maestro" é, ou deveria ser, o Governo que elegemos democráticamente. Nós pilotos sabemos que ao nosso colega comandante do vôo de ontem caberá a sua parcela de "culpa". Sempre nos caberá alguma como responsáveis últimos da operação de uma aeronave, jamais negamos este fato e muitas vezes também "pagamos" com as nossas vidas pelos êrros eventualmente cometidos! Mas o que os brasileiros precisam urgentemente entender é que a segurança e a pontualidade do seu vôo depende de uma complexa e extensa "corrente" de diferentes eventos e responsabilidades que precisam funcionar uníssonos e com alto grau de profissionalismo. No Brasil quem implementa, administra, regulamenta e fiscaliza a infraestrutura dos aeroportos e das empresas, e controla o nosso espaço aéreo é o Governo; assim como é ele também o poder concedente das linhas para as empresas. E mais: este mesmo Governo ainda cobra UMA FORTUNA em taxas do já aviltado contribuinte-passageiro e das empresas pelo utilização de seus péssimos serviços. Ou seja, PAGAMOS duas vezes para brincarem com as nossas vidas!!!
Cabe a nós Brasileiros exigir que este pateta megalômano e ignorante travestido de presidente pare de brincar com as nossas vidas perseguindo, processando e prendendo pilotos e controladores como se responsáveis fossem pelo estrondoso fracasso do Estado brasileiro entregue ao seu comando. E a indignação de todos os comentários que ouvi ontem na Internet/CBN me reacendeu uma pequena esperança de que a sociedade talvez reagirá desta vez a mais este descalabro governamental. A ÚNICA esperança de futuro para o nosso país é realizarmos que cabe a todos nós brasileiros reagir à sujeira política que destrói e mata no nosso país!
O Brasil é grande demais, lindo demais para deixarmos que um energúmeno e sua corja PTista e de sua "base de sustentação" entranhada nos diferentes órgãos públicos responsáveis pelo assassinato de ontem continuem matando impunemente. Não podemos admitir que mais esta tragédia e sofrimento causado às famílias sejam em vão!!!
Comandante Peter Lessmann - Votec Linhas Aéreas -Varig S/A - Etihad Airways, em 18 de julho de 2007.

sexta-feira, 20 de julho de 2007

Morte de ACM faz Prefeitura suspender inaugurações de obras

Em função da morte do senador Antônio Carlos Magalhães [DEM], ocorrida na manhã desta sexta-feira [20], o prefeito José Ronaldo de Carvalho [DEM] determinou a suspensão, neste final de semana, das inaugurações das obras promovidas pelo Governo Municipal.Com a decisão, as inaugurações da praça Monsenhor Mário Pessoa e José Borges Falcão, na rua Clodoaldo com a rua Brito, no bairro Cidade Nova, marcada para a noite desta sexta-feira, e da escola municipal na comunidade da Matinha, no distrito de Maria Quitéria, no domingo, 22, à tarde, serão remarcadas posteriormente

Apresentação de espetáculo suspensa no Centro de Cultura Maestro Miro

Com o falecimento do senador Antonio Carlos Magalhães, a Secretaria da Cultura, Esporte e Lazer e a Fundação Cultural Municipal Egberto Tavares Costa suspenderam a apresentação pública do espetáculo “Os Melhores Anos de Nossas Vidas”, do Oficina de Teatro Adolescente, do Programa Arte de Viver, que estava programada para ser encenado neste sábado, 21, e domingo, 22, às 19h30, no Teatro Ângela Oliveira, do Centro de Cultura Maestro Miro, com entrada franca.

Considerações sobre ACM

"O Brasil perdeu um dos maiores políticos contemporâneos". A afirmativa é do senador José Sarney (PMDB), ex-presidente da República. “É um homem que vai fazer falta à política brasileira porque ele tinha um grande espírito público. O senador ACM foi um homem que teve uma presença importante no momento da vida nacional”, disse mais.
Para Sarney, “ACM foi o construtor da Bahia moderna”. Ele afirmou ainda que “ACM vai fazer uma grande falta ao Congresso Nacional porque ele era uma voz permanente, de referência”. Para o ex-presidente, “as qualidades de Antonio Carlos Magalhães superavam muito os seus defeitos. Ele foi um político de posições muito definidas, muito claras. O Nordeste perde um homem que defendeu suas causas com a maior bravura, com a maior determinação”.
Outras considerações sobre ACM:
“É uma perda que vamos lamentar muito. O senador ACM é insubstituível” - Senador César Borges (DEM).
“É um legado muito importante para o Brasil. Durante a redemocratização, ele ajudou o país a reagir, quando apoiou a candidatura de Tancredo Neves. Isso foi importante para o Brasil, para nós vivermos a democracia que nós vivemos hoje” - Ex-governador Paulo Souto (DEM), presidente do Democratas na Bahia.
“Representa uma perda muito grande, de um homem que por mais de 40 anos ajudou seu estado e seu país. Quando o Brasil ainda era uma ditadura, o senador teve coragem de apoiar a candidatura de Tancredo Neves” - Ministro das Relações Institucionais Walfrido dos Mares Guia.
“É uma perda muito grande. Ela era, de longe, a maior liderança que o PFL, agora os Democratas, teve desde a sua fundação” - Prefeito do Rio de Janeiro César Maia (DEM).

Governador decreta luto oficial pela morte de ACM

O governador Jaques Wagner decretou luto oficial de cinco dias pela morte do senador Antonio Carlos Magalhães, ocorrida nesta sexta-feira, 20, às 11h40, em São Paulo. Em nota oficial, Wagner expressou o pesar à família do ex-chefe do Executivo baiano que, segundo o documento, “exerceu reconhecida liderança política na Bahia e no Brasil”.
“Ao tempo em que fica decretado luto oficial por cinco dias, em homenagem póstuma ao ex-chefe do Executivo baiano, apresento, em meu nome e no de minha esposa, Maria de Fátima Mendonça, as expressões de nosso pesar à família enlutada”, disse Wagner, na nota oficial.

Sonora Brasil Sesc com "Modos Novos"

O Serviço Social do Comércio está anunciando a segunda etapa 2007 do projeto Sonora Brasil Sesc - Formação de Ouvintes Musicais. Na oportundade, apresentação do Núcleo de Percussão da Universidade Federal da Bahia (Ufba), com o espetáculo "Modos Novos”, que é considerado um projeto-modelo na área de percussão no Brasil.
A apresentação será no sábado, dia 28 de julho, às 20 horas, tendo como local o Espaço Cultural da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL). "Você não pode perder", recomenda Ana Paula Barbosa Gonzaga, da área social do Centro Sesc Feira.

Parem de enviar correspondências erradas II

Em 30 de maio, postamos neste Blog Demais que no endereço onde moro, uma vila, na rua Monsenhor Moisés Gonçalves do Couto, no Campo Limpo (CEP 44023-000), a contínua e insistente chegada de correspondências com outros destinatários.
"Somente nesta quarta-feira, 30, na minha caixa de correio estavam sete correspondências para endereços na rua Bartolomeu de Gusmão (CEP 44020-240), rua Eduardo Spinola (CEP 44026-060), e avenida Riachuelo (CEP 44026-120)", contei.
Considerei então que "o fato causa incômodo para mim e deve causar prejuízos para os destinatários, pois são correspondências de bancos (avisos, boletos e carnês) e de operadoras de cartões de crédito, entre outras".
Lmbrei na postagem que "em caso anterior, com o aparecimento de correspondências de terceiros na minha caixa de correios, a entrega ao gerente da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, na rua Marechal Deodoro, que inclusive ficou de tomar providências junto aos carteiros da área".
Constatei que "nada foi feito, pois a entrega equivocada continua ocorrendo". Critiquei que "deve ser mais uma mostra do estilo PT de governar", e apelei "por favor, parem de enviar correspondências que não as minhas para meu endereço!".
Nesta semana, incluindo a manhã desta sexta-feira, 20, o problema reapareceu. Estou indo à agência dos Correios, na rua Marechal Deodoro, devolver seis correspondências entregues erradas no meu endereço. São correspondências destinadas para a rua Eduardo Spinola, avenida Riachuelo e travessa Artur Assis.
Continuo achando que isso deve ser uma mostra do estilo petista de governar.

Morte de ACM

Acaba de ser anunciada a morte do senador Antonio Carlos Magalhães (DEM), no Instituto do Coração (Incor) do Hospital das Clínicas de São Paulo. Ele estava internado há cerca de um mês.

Nota de protesto

O presidente do Democratas (DEM), Rodrigo Maia, divulgou nesta sexta-feira, 20, uma nota de protesto contra Marco Aurélio Garcia:
"É estarrecedor e inaceitável que Marco Aurélio Garcia, o assessor mais próximo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, falte com o respeito ao povo brasileiro e apareça, de público, fazendo gestos obscenos no interior de uma sala da Presidência da República. Todos fomos atingidos pelos gestos desqualificados. Não é mais possível tolerar tanta indignidade. Não é possível que o assessor do presidente Lula se julgue no direito de atingir as famílias e a memória das quase 200 vítimas do vôo 3054 comemorando a hipótese de o Airbus 320 da TAM ter voado com um defeito no reversor da turbina direita. Não há o que comemorar, Marco Aurélio. Tudo que estamos vivendo é lamentável, deplorável e indesculpável. Em vez de ter preocupação com a dor das pessoas, ou manifestar interesse na busca de saídas para o caos aéreo, o governo, lastimavelmente, só se importa com a popularidade do presidente da República. E a Nação, além da dor, convive com o desamparo. Mas não somos obrigados e nem vamos conviver com a obscenidade. Peça desculpas, Marco Aurélio. E reze para que as pessoas tenham, em relação a você, a tolerância e o respeito que você não teve em relação a elas".
Rodrigo Maia
residente do Democratas

Constatação

O gesto de Marco Aurélio Garcia traduz fielmente o que o presidente Lula e a petralha estão fazendo com o Brasil.

Sobre o estilo petista de governar

“Foi uma das cenas mais dantescas, mais cruéis que eu já vi. A nação inteira chorando e o Palácio festejando, querendo dizer que a culpa não é do governo. Claro que a culpa é do governo. Essa série de absurdos que está acontecendo é culpa do governo. Mesmo que não fosse, comemorar é uma bofetada no povo brasileiro”. A afirmação é do senador Pedro Simon (PMDB-RS).
A cena foi protagonizada pelo assessor especial da Presidência da República para Assuntos Internacionais, Marco Aurélio Garcia. Ele assistia no Palácio do Planalto à reportagem do "Jornal Nacional", na noite de quinta-feira, 19, que levantava a possibilidade de problemas mecânicos no avião da TAM que causou o maior acidente aéreo no país, terça-feira, 17, em São Paulo.
Ao final da matéria, Marco Aurélio Garcia, que estava acompanhado do assessor de comunicação Bruno Gaspar, reagiu ao conteúdo da reportagem com o gesto obsceno de bater uma mão fechada sobre a outra aberta.
É certo que foi uma reação privada, uma comemoração, como se o fato livrasse o governo Lula de responsabilidades. Mas uma reação que foi gravada e que agora está exposta em todo o mundo.
O pior no estilo petista de governar não é a incompetência nas ações. O pior são as explicações mirabolantes, as justificativas implausíveis, as desculpas esfarrapadas, as reações cínicas dos representantes do governo.
Sobre a tragédia anunciada em Congonhas só falta mesmo por parte do governo Lula a justificativa de que foi um ato terrorista, como o que aconteceu no 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos.