*

*

*

*

segunda-feira, 30 de abril de 2007

"Homem-Aranha" entra em duas salas

Nesta sexta-feira, 4 de maio, conforme adiantamos em postagem de sexta-feira, 27, estréia mundial de “Homem-Aranha 3” (Spider-Man 3), terceira aventura do popular herói da Marvel, novamente com Tobey Maguire como Peter Parker/Homem-Aranha, Kirsten Dunst fazendo Mary Jane Watson e com Sam Raimi de novo na direção. Na verdade, no Japão, onde se celebrou a première mundial no dia 16 de abril, o filme entra em cartaz nesta terça-feira, feriado do Dia do Trabalho. Assim, três dias antes do que no resto do mundo. O filme será lançado também em Feira de Santana, no Orient Cineplace, com duas cópias, uma legendada (na Sala 1), outra dublada (na Sala 4).

Desta vez, Peter Parker consegue encontrar um equilíbrio entre seu relacionamento com Mary Jane e seus deveres como super-herói. Os problemas surgem quando entra em cena Gwen Stacy, a rival de Mary Jane, além de novos vilões: Venom; o Capitão Stacy, pai de Gwen; Flint Marko, também chamado de Homem-Areia; e a mulher dele, Felicia Hardy, conhecida como Gata Negra.
Primeiro, “Homem-Aranha”, em 2002, depois “Homem-Aranha 2”, em 2004. Agora, “Homem-Aranha 3” para o deleite dos fãs do personagem criado por Stan Lee para a Marvel. Esta nova aventura do super-herói chega para tentar ser um dos filmes de maior bilheteria deste ano. Lembrar que os dois primeiros filmes da série arrecadaram mais de 1,6 bilhão de dólares em todo o mundo. O orçamento do filme foi de 250 milhões de dólares. Trata-se do mais caro filme já produzido até então.


Outra grande novidade a partir desta sexta-feira é o drama “Maria Antonieta” (Marie Antoinette), de Sophia Coppola, que recebeu o Oscar de Melhor Figurino este ano. No filme, a princesa austríaca Maria Antonieta é enviada ainda adolescente para se casar com o príncipe francês Luís XVI. Reprimida pelo ambiente da corte, ela cria seu próprio universo. como parte de um acordo entre os países. Na corte de Versailles ela é envolvida em rígidas regras de etiqueta, ferrenhas disputas familiares e fofocas insuportáveis, mundo em que nunca se sentiu confortável. Praticamente exilada, decide criar um universo à parte dentro daquela corte, no qual pode se divertir e aproveitar sua juventude. Como pano de fundo, fora das paredes do palácio, a revolução francesa não pode mais esperar para explodir.Ainda tem o filme chinês de ação “O Mestre das Armas”, com Jet Li e a continuação, em terceira semana, de “Ó Pai, Ó”.

Para reflexão

“Estudar é como polir uma pedra preciosa, cultivando o espírito o purificamos”. Confúcio, pensador chinês (551 a.C.-479 a.C.).

“A mais nobre missão do ser humano é prestar sua ajuda ao semelhante por todos os meios ao seu alcance”. Sófocles, dramaturgo grego (496 a.C.-406 a.C.).

“A verdadeira sabedoria consiste em se conhecer a própria ignorância”. Sócrates, filósofo ateniense (470 a.C-399 a.C.).

“O talento não basta para fazer o escritor, atrás do livro deve haver um homem”. Emerson (1803-1882).

“Conselho é aquilo que pedimos quando já sabemos a resposta, mas gostaríamos de não saber”. Erica Jong, escritora americana.

Desunião evangélica

A primeira diretoria da União de Evangélicos Políticos de Feira de Santana (Unepofs) toma posse na noite desta segunda-feira, 30. Pelo que se viu em informação e contra-informação de jornal local, a entidade já começa contrariando seu nome, com a desunião de seus membros, uns envenenando outros, inclusive com uma suposta chapa majoritária para as eleições municipais.

Desconfortável

Deu no “Informe da Bahia”, coluna do “Correio da Bahia”, edição de domingo, 29 de abril:

No final, a situação ficou bastante desconfortável para o deputado baiano Colbert Filho (PMDB). Ele deu voto favorável, como relator, ao recurso do PT que impedia a CPI do Apagão Aéreo na Câmara. Seu parecer foi para o lixo com a decisão do Supremo Tribunal Federal, por unanimidade, ao determinar a instalação da comissão.

sexta-feira, 27 de abril de 2007

Convites para "Caçados" e "Sunshine - Alerta Solar"

Cenas de "Sunshine - Alerta Solar" e "Caçados"


Colocadas no ar duas promoções de ingressos de filmes. Uma de “Caçados”, outra de “Sunshine – Alerta Solar”. Trata-se de mais uma parceria do Blog Demais com a Espaço/Z Marketing de Entretenimento, através da PlayArte, no primeiro filme, e Fox, no segundo.
A promoção é para os leitores deste blog e ouvintes do programa “Rádio Repórter”, da Rádio Subaé. Os dois filmes estão em cartaz no Orient Cineplace, desde esta sexta-feira, 27. O convite é válido - de segunda-feira a quinta - para qualquer cinema do Brasil onde estiver sendo exibido.
Para participar o interessado deve enviar mensagem para o e-mail oliveiradimas@bol.com.br. Ou ligar para o programa “Rádio Repórter”, telefone 3623-1080.

Clássico de Visconti

Maria Schell e Marcelo Mastroianni: Romantismo em "Noites Brancas"

Baseado em conto do escritor russo Fiódor Dostoiévski, o filme “Noites Brancas”, é uma bela obra de Luchino Visconti, realizada em 1957. Acabo de assistir ao filme, em DVD. Vencedor do Leão de Prata no Festival de Veneza, o filme é ambientado numa atmosfera onírica e poética, criada com maestria pelo autor italiano.
Em Livorno, numa noite de inverno, o solitário Mario (Marcello Mastroianni) conhece a ingênua Natália (Maria Schell), que chora à espera de seu grande amor. Nas noites seguintes, ele apaixona-se por ela, sem saber o que o destino reserva para eles.
O livro foi escrito em 1848, antes da prisão do autor. O personagem vaga errante pela “noite branca” de São Petersburgo. O título se refere a um fenômeno comum na Europa em que, mesmo à noite, o sol não chega a se pôr completamente, causando uma atmosfera onírica. Um encontro fortuito com a ingênua e também sonhadora Nástenka, que aos prantos, espera aquele a quem um ano antes tivera prometido o seu amor, muda a sua vida.
Interessante no filme a inclusão da canção "Mulher Rendeira", de Alfredo Ricardo do Nascimento, o Zé do Norte, conhecida por ser tema do filme "O Cangaceiro", de Lima Barreto, 1953. Está como música incidental. Nos créditos aparece como "O Cangaceiro", de Nascimento, pela Orquestra de Luiz El Grande. Detalhe é que nos comentários vistos sobre o filme, nenhuma citação ao fato de uma canção brasileira estar inserida na trilha de um filme europeu.

"Quórum alto durante farra em Brasília"

Deu no jornal “O Globo”, edição desta sexta-feira, 27:
“O quórum de parlamentares no salão de uma casa de shows na noite de anteontem, no jantar-show do deputado-cantor Frank Aguiar (PTB-SP), era maior do que o do plenário da Câmara em dia de votação. Com bailarinos, homens e mulheres, em trajes sumários e coreografias ousadas, o “Cãozinho dos Teclados”, como o deputado é conhecido pelos uivos estridentes que emite, sentia-se o próprio presidente da Câmara.
A certa altura, Aguiar anunciou que concederia um aparte a Arlindo Chinaglia (PT-SP), presidente da Câmara, acomodado numa mesa logo abaixo do palco. Depois do artista, Chinaglia foi a estrela da noite. Ao chegar, foi ao camarim do astro-deputado. Disse que só atendera ao convite para prestigiar o colega, não o cantor, e que há mais de 40 anos não ia a um show”.

Urna não é pia batismal

(Texto de Lucia Hippolito, postado nesta sexta-feira, 27, no Blog do Noblat)

O Conselho de Ética da Câmara aprovou o arquivamento do processo contra três deputados: dois acusados de envolvimento com o mensalão (Waldemar da Costa Neto e Paulo Rocha) e um de envolvimento na máfia das sanguessugas (João Magalhães).
Os três deputados fazem parte da base governista.
Suas excelências, membros do Conselho de Ética, concordaram com o parecer do relator, que afirma que os três deputados foram reeleitos, portanto absolvidos pelo eleitorado.
E a soberania popular, segundo este argumento, não pode ser cassada pela Câmara.
Lamento muito, mas este argumento não fica em pé. Suas excelências estão confundindo urna eleitoral com pia batismal. Como se bastasse ser eleito para ser absolvido de todas as malfeitorias.
O sistema eleitoral brasileiro elege deputados federais pelo voto proporcional. Isto significa que o eleitor vota num candidato e pode eleger outro, completamente diferente. Isto porque as coligações distorcem a vontade do eleitor. Sem contar o mecanismo perverso de distribuição das sobras eleitorais.
No limite, o eleitor brasileiro pode votar em alguém da extrema esquerda e seu voto servir para eleger um candidato da extrema direita.
Segundo dados do TSE, dos 513 deputados federais eleitos em outubro de 2006, apenas 39 foram eleitos com seus próprios votos, atingindo o quociente eleitoral de seus estados.
Os restantes 474 deputados foram eleitos com votos de legenda, das coligações e das sobras eleitorais.
Isto mesmo: apenas 39, entre os quais não estão os três deputados cujos processos foram arquivados, foram eleitos com votação própria. Portanto, alegar que as três Excelências foram absolvidas pela vontade do eleitorado é tratar a soberania popular de forma torta e maliciosa.
Se o voto no Brasil fosse distrital, ainda se poderia insistir no argumento, mas com voto proporcional é apenas cinismo.
O papel do eleitor não é condenar ou absolver ninguém. Isto cabe aos organismos políticos, ao Ministério Público, ao Poder Judiciário.
Até porque, segundo a lei brasileira, um cidadão pode ser candidato a qualquer cargo eletivo enquanto não for julgado culpado em última instância.
Por isso é que a atividade política passou a constituir enorme atrativo para acusados de estupro, assassinato, formação de quadrilha, quebra de sigilo bancário de cidadão indefeso, peculato, corrupção. E por aí vai.
Não se deve jogar nas costas da soberania popular uma responsabilidade que não é dela.
Isto tem ar de deboche.
Pois é. O deputado federal feirense Colbert Martins Filho, com certeza, não está entre os 39 eleitos com seus próprios votos. Assim, ele foi eleito com votos do partido, o PPS. Pela traição cometida, indo para o PMDB, tem mais é que perder o mandato, que não é dele.

Oito anos de Shopping Iguatemi

Da Coordenação de Marketing do Shopping Iguatemi, este Blog recebeu o seguinte texto:

Oito anos de Shopping Iguatemi. Oito anos de cumplicidade, de encontros, amizades, surpresas, festas, inovações e muitos sonhos. Quase seis anos de cinema. Oito anos de música, diversão, desfiles, moda, prêmios, presentes. Oito anos que marcaram o início de novos tempos em Feira de Santana, mas que já dizem muito em nossos corações.
Seu aniversário é marcado por aqueles que fizeram a história do Shopping Iguatemi em nossa cidade, aqueles que são parte integrante de um sucesso compartilhado ao longo desses oito anos. São aqueles que acompanham, que prestigiam e que entendem os propósitos e desafios deste empreendimento.
O maior shopping do interior do Estado da Bahia comemorou seu octogésimo aniversário na segunda-feira, 23 de abril. Oito anos que marcaram o início de novos tempos em Feira de Santana.
Totalmente inserido no cotidiano da cidade, o Iguatemi é hoje um empreendimento em fase de maturação e franco crescimento. Ao ser instalado em Feira de Santana, o shopping promoveu uma mudança nos hábitos e costumes de seus moradores e visitantes. Encontros, amizades, festas, inovações, cinema, música, diversão, desfiles, moda, prêmios, presentes. Hoje, o feirense não consegue imaginar o seu dia-a-dia sem o Iguatemi.
Grandes marcas exclusivas fazem parte de seu mix, tais quais a McDonald’s, C&A, Orient Cineplace (com quatro salas de exibição), Hiper Bompreço, Arezzo, Levi’s, Lojas Americanas, dentre outras. Com tanto sucesso, a administração do shopping já pensa no seu plano de expansão. Novas marcas, mais lojas, conforto, lazer e diversão para os seus clientes.Neste momento de comemoração, os nossos agradecimentos vão à você, sempre presente em todos os momentos inesquecíveis. Não importa o dia, o momento, a ocasião. Não importa de que forma, de que jeito, com qual finalidade. Enquanto existir Iguatemi, você será parte dessa história.

Luta do Homem-Aranha

Em “Homem-Aranha 3” (foto divulgação), o personagem luta contra seu lado mais sinistro ao ser possuído por uma substância negra que transforma seu traje e sua atitude. O Homem-Aranha tem que redescobrir quem é realmente, enquanto cuida de sua namorada e enfrenta dois novos imimigos: Homem-Areia e Venom.
Esta nova aventura do Homem-Aranha chega para tentar ser um dos filmes de maior bilheteria deste ano. Lembrar que os dois primeiros filmes da série arrecadaram mais de 1,6 bilhão de dólares em todo o mundo

Japão na frente

A informação sobre a data - 4 de maio - para o lançamento mundial de “Homem-Aranha 3”, na postagem anterior, está correta, mas em parte. Acontece que no Japão, onde se celebrou a première mundial no dia 16 passado, o filme entrará em cartaz no dia 1º de maio. Assim, três dias antes do que no resto do mundo.

Lançamento mundial de "Homem-Aranha 3"

Homem-Aranha em ação
Divulgação


Na próxima sexta-feira, 4 de maio, estréia mundial de “Homem-Aranha 3”, terceira aventura do popular herói da Marvel, novamente com Tobey Maguire como Peter Parker/Homem-Aranha, Kirsten Dunst fazendo Mary Jane Watson e com Sam Raimi de novo na direção. O filme deve ser lançado também em Feira de Santana, no Orient Cineplace.
Desta vez, Peter Parker consegue encontrar um equilíbrio entre seu relacionamento com Mary Jane e seus deveres como super-herói. Os problemas surgem quando entra em cena Gwen Stacy, a rival de Mary Jane, além de novos vilões: Venom; o Capitão Stacy, pai de Gwen; Flint Marko, também chamado de Homem-Areia; e a mulher dele, Felicia Hardy, conhecida como Gata Negra.
Primeiro, “Homem-Aranha”, em 2002, depois “Homem-Aranha 2”, em 2004. Agora, “Homem-Aranha 3” para o deleite dos fãs do personagem criado por Stan Lee para a Marvel.

"Não Deixe Esta Chama Se Apagar" tem lançamento


O livro “Não Deixe Esta Chama Se Apagar: História do Jornal da Bahia”, de João Falcão, será lançado em Feira de Santana,na próxima quinta-feira, 3 de maio, às 18 horas, no foyer da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL). Este livro conta a história do “Jornal da Bahia”, fundado nos anos 50 por João Falcão, que o dirigiu durante 25 anos. É considerada uma das mais belas e dramáticas histórias da imprensa brasileira, na qual se registram momentos do mais puro idealismo do Partido Comunista e de outros mais jovens, irmanados pelo ideal de fundar um jornal livre de injunções partidárias e de grupos econômicos que dominavam a imprensa da Bahia e de quase todo o país.
Não obstante esta chama de idealismo dos seus fundadores, em poucos anos o “Jornal da Bahia” consolidou-se como empresa, realizando uma campanha vitoriosa de assinantes por dez anos e construindo uma bela sede própria no seu terceiro ano de funcionamento. Nos anos difíceis de repressão por parte do governo e sem publicidade o jornal contou com o apoio da imprensa nacional, de jornais como “O Estado de S. Paulo” e “A Tarde”, e de personalidades, entre as quais deputados estaduais e federais; de órgãos representativos da imprensa, como a Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e a Associação Interamericana de Imprensa.
Em sua trajetória encontra-se a memória de homens idealistas e brilhantes como Zittelmen de Oliva, Milton Caíres de Brito, Glauber Rocha, João Batista de Lima e Silva, Flávio Costa, Ariovaldo Mattos, Alberto Vita, Osvaldo Peralva, Heron de Alencar, Rafael Pastore e outros. E de grandes jornalistas que o jornal formou e continuaram militando na imprensa baiana e nacional, como João Ubaldo Ribeiro, Muniz Sodré, Florisvaldo Mattos, João Carlos Teixeira Gomes, Antônio Torres, Sebastião Néri, Newton Sobral, Anísio Felix, e tantos outros.
QUEM É
João Falcão nasceu em 1919 em Feira de Santana. Formou-se em Direito e atuou na vida política brasileira dos anos 30 a 60. Militou durante vinte anos no Partido Comunista do Brasil, inclusive como elemento de ligação com a Internacional Comunista (Komintern). Fundou, em 1938, a revista “Seiva”, fechada pela ditadura Vargas em 1943, e, em 1942, o matutino “O Momento", que, superando dois fechamentos pela mesma ditadura, só encerrou suas atividades por decisão de seus integrantes, após a divulgação, em 1956, do relatório em que Nikita Kruschev acusava Stalin de cometer contra o socialismo. Responsável de 1947 a 1950 pelo aparelho clandestino do ex-senador Luiz Carlos Prestes no Rio de Janeiro, foi em 1955, deputado federal, chefe da Delegação Brasileira ao Congresso Mundial da Paz em Helsinque e visitante da União Soviética e da China Popular.
Abandonando a militância no Partido Comunista, fundou, depois de 1956, o “Jornal da Bahia”, cuja trajetória heróica é tema deste livro, lançado pela Editora Revam, com 252 páginas e preço de R$48,00.

Documentário sobre vaqueiro na tela

Depois de reunir cerca de 800 pessoas na praça central da cidade de Canudos, chegou a hora do público de Salvador conferir o documentário “Vaqueiros Canudos”. Nesta sexta-feira, 27, às 20 horas, na Sala Walter da Silveira, os diretores Manoel Neto e Miguel Teles apresentam o resultado de uma pesquisa que percorreu seis mil quilômetros no meio do Sertão baiano, inclusive Feira de Santana.
O filme propõe a discussão sobre a formação da cultura sertaneja, através da trajetória da figura do vaqueiro. Os diretores partiram do processo de colonização, passando pela formação da “civilização do couro”. O trabalho mostra de que forma a chegada de novas tecnologias e novas formas de manejo dos rebanhos tem contribuído para o progressivo desaparecimento da atividade do vaqueiro.
A equipe conta ainda com o diretor de fotografia Roque Araújo, que, dentre outros títulos, participou de clássicos como “Deus e o Diabo na Terra do Sol”, “São Bernardo” e “Menino de Engenho”. Outras atrações do filme são a narração do jornalista José Raimundo e a trilha sonora que conta com nomes como Elomar.
O filme é o resultado do projeto “Aboio: Imagens e Vozes do Sertão de Canudos”, idealizado pelo Centro de Estudos Euclydes da Cunha (Ceec) e produzido pela Universidade do Estado da Bahia (Uneb) em parceira com a Prefeitura Municipal de Nova Canudos. A Diretoria de Artes Visuais e Multimeios (Dimas), órgão ligado à Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb), também participou do projeto dando apoio técnico.

Toda oposição vai ao Supremo para reaver vagas de infiéis

Além do PPS, o Democratas e PSDB devem ingressar com um mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal (STF) na semana que vem, logo depois do feriado do Dia do Trabalho, contra a decisão do presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), que se recusou na quinta-feira, 26, a dar posse as suplentes dos deputados que trocaram de legenda.
No mês passado, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu que os mandatos pertencem aos partidos e não aos políticos. No dia que essa decisão foi tomada, o saldo de trocas partidárias já era de 36 infiéis, incluindo o deputado federal feirense Colbert Martins Filho, que trocou o PPS pelo PMDB. Com base na decisão do TSE, a oposição tomou a decisão de pedir formalmente a Chinaglia que desse posse aos suplentes.
O presidente da Câmara respondeu de uma vez a PSDB, PPS e Democratas. Agora, com as cartas de Chinaglia nas mãos, os oposicionistas vão ao Supremo.
“Sempre soubemos que essa polêmica teria de ser dirimida pelo STF. Agora, esse é o caminho”, disse o presidente nacional do Democratas, deputado Rodrigo Maia (RJ).
Nesta semana, Maia almoçou com o presidente nacional do PSDB, senador Tasso Jereissati (CE). “Nossos advogados já estavam preparados para a recusa da Câmara e os textos do recurso estão quase prontos. O Democratas e o PSDB devem entrar possivelmente de forma conjunta no Supremo”, declarou Maia. O PPS também será convidado a participar da mesma operação.
O STF deve demorar algumas semanas para tomar a decisão final. Foi apurado que já existem cinco votos dentro do Supremo a favor da decisão do TSE. Com mais uma adesão essa posição deve prevalecer.

Primeiro foi Diogo, agora é Jabor, e ainda será você

(Transcrito do Blog Reinaldo Azevedo, postagem de quinta-feira, 26):

Leia atentamente, muito atentamente, o que segue, no "Estadão On Line". Volto em seguida. Por Denise Madueño:
O presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT), anunciou nesta quinta-feira (26), que vai processar o comentarista Arnaldo Jabor pelas críticas feitas aos deputados, na terça-feira passada, na Rádio CBN, ao comentar reportagem publicada na véspera pelo “Estado”. A matéria informava que os deputados gastaram, só nos dois primeiros meses deste ano, R$ 11,2 milhões com gasolina.
Jabor chamou os deputados de “canalhas” e disse: “Todos sabemos que os nossos queridos deputados têm direito de receber de volta o dinheiro gasto com gasolina, seja indo para os seus redutos eleitorais, ou indo para o hotel com suas amantes, ou seus amantes”.
Chinaglia se referiu diretamente ao comentário de Jabor e foi aplaudido pelos deputados ao anunciar, no plenário da Casa: “Chegou ao nível do inadmissível. E, como é inadmissível, vamos, em nome da Casa, processar o jornalista Arnaldo Jabor”. O presidente da Câmara anunciou que a iniciativa de mover o processo tem o objetivo de “defender a democracia e o povo brasileiro”, e acrescentou: “A desqualificação da política não é um ato ingênuo, é retirar da mão popular e da sociedade o único instrumento para dirimir conflitos ou defender legítimos interesses”. Chinaglia anunciou também que pretende pôr em votação, em breve, a proposta de emenda constitucional (PEC), já em tramitação, que cria uma advocacia para a Câmara, a exemplo da Advocacia Geral da União. Segundo a reportagem do “Estado”, os deputados gastaram, só em janeiro e fevereiro, 1 milhão de litros de gasolina, combustível suficiente para se dar a volta ao mundo 250 vezes - num percurso de 11 milhões de quilômetros. "Todos sabemos”, disse Jabor, “que os nossos queridos deputados têm direito de receber de volta o dinheiro gasto com gasolina (...). A Câmara, ou, melhor, você e eu, pagamos o custo, desde que eles levem notas fiscais para comprovar o gasto da gasosa”. E concluiu: “Quando é que vão prender esses canalhas? Ah, eu esqueci. Eles têm imunidade, têm foro privilegiado. É isso, aí, amigos otários como eu”.
Chinaglia foi aplaudido também ao afirmar que está defendendo a instituição, que todos ali têm representação popular. “Não pretendemos passar a idéia para a sociedade de que somos obscuros. Aqui estão os que têm a legitimidade de representar o povo brasileiro. Partimos do pressuposto de que são homens e mulheres honrados, assim como são os brasileiros que os elegem”, disse o presidente da Câmara. Ele afirmou que todas as instituições cometem erros, mas que, “na Câmara, não há compromisso com qualquer o erro”.
Voltei
A boa notícia é que a imprensa, ao menos, está noticiando o caso. Uma má notícia, claro, é a disposição do presidente da Câmara de processar um comentarista. A outra má notícia é a seletividade do jornalismo. Um juiz confessa, num ofício, que julga antes da “juntada formal” das petições aos autos. Um juiz confessa ter “idealizado” um sistema próprio para conduzir seus processos. A imprensa silencia, fazendo de conta que não é com ela.
Na primeira vez em que me manifestei sobre o caso Diogo-Franklin, incluindo o “furo” de Kennedy Alencar, que anunciou a sentença antes de ela existir, escrevi: “Hoje é Diogo; amanhã pode ser Kennedy”. E pode. Quem brinca com ditadura, autoritarismo, bonapartismo, acaba se queimando. O triste exemplo, no terreno conservador, foi o brilhante Carlos Lacerda. Foi fazer proselitismo à porta do quartel, deu no que deu. Há os que ficam abanando o rabicó para os bolcheviques disfarçados de democratas, achando que prestam um serviço à causa. Ainda acabam se danando. O chato é que, quando eles se derem mal, nós já teremos ido.
O comentário de Jabor é duro? É, sim. Mas vergonhoso mesmo é os deputados gastarem R$ 11,2 milhões com gasolina em dois meses. Seus comentários não podem fazer mal nenhum a não ser a si mesmo - tomam-no por exagerado, destemperado -; já a gastança dos deputados é a contraparte da miséria institucional e material brasileira e dizem respeito a todos nós. Se alguém afirmar que os jornalistas são todos uns canalhas, vou discordar. Sou jornalista e não sou canalha. Há muitos outros que conheço que também não são. Mas há canalhice que sobra nesta profissão, como há entre caminhoneiros, padres, professores... Não, não vou entrar no mérito da defesa que os advogados de Jabor farão. Meu ponto é outro.
O ambiente
Há tempos alerto aqui para um ambiente hostil à imprensa. Quem puxa o coro é o Executivo, é Luiz Inácio Lula da Silva. A ação contra Jabor e as óbvias ilegalidades de que Diogo Mainardi está sendo objeto estão inseridas numa seqüência de eventos. De forma mais saliente, remonta à tentativa de expulsar Larry Rohter do Brasil, sob o silêncio cúmplice das entidades que dizem defender os direitos dos jornalistas. Depois veio a proposta de se criar o Conselho Federal de Jornalismo - não custa lembrar que a autora intelectual é uma entidade de caráter sindical ligada à CUT e ao PT. Agora, vem Franklin Martins com a sua BBC - que chamo de PTT...
Chinaglia é um petista. A sua disposição atenderia aos reclamos de seus pares, nem todos do seu partido. Para ele, é o melhor dos mundos: cumpre uma disposição de sua legenda, de encabrestar a imprensa, e, ao mesmo tempo, navega nas águas tormentosas do corporativismo bronco. Acharam o quê? Que a ação contra Diogo era um fato isolado? Que se tratava, enfim, de coibir alguém por seus “exageros”? O que não suportam no colunista da “Veja” nem é tanto o que ele diz, mas a possibilidade de que ele venha a dizer sabe-se lá o quê. Os petistas têm medo é da liberdade.
IntoxicadosDiogo tem a fama de não ter papas na língua. Jabor também - embora pensem coisas muito distintas sobre os mais variados assuntos. O cineasta, por exemplo, acredita que Lula é uma espécie de remédio que combate o bolchevismo petista. Diogo, tenho certeza, não. Pouco importa: o esforço dos petistas para puni-los serve como um sinal, uma ameaça, uma tentativa de criar bodes expiatórios, exemplos. A idéia é acenar com uma contenção: “Vocês, da imprensa, tenham calma”. Como sabemos, o ministro Franklin Martins acha que a imprensa está “intoxicada”.
Ele quer nos mandar para o hospital, para uma clínica de recuperação, para um internamento. Eles não aceitam os toxicômanos do pensamento livre. Acham que devemos fazer uso moderado das drogas lícitas que eles nos oferecem. Estamos só no começo. O Executivo não gosta da imprensa. Em breve, teremos de falar e escrever com notas de rodapé, explicando quando recorremos a uma metáfora. Ou, então, aderir ao estilo do juiz Sérgio Wajzenberg, lotando o texto de aspas para ter pontos de fuga: “Não quis dizer bem isso; desculpem-me se pareci ambíguo”.
O Legislativo não gosta da imprensa. O Judiciário não gosta da imprensa. O estado não gosta da imprensa. E, infelizmente, boa parte da imprensa não gosta de si mesma, tomada que está pelos esbirros desse misto de bolchevismo bocó e mercadismo do governo Lula. Os contínuos do partido fazem o trabalho de purificação para seus chefes ideológicos, abanando seu rabinho cheio de falsa dignidade. Os bobos da corte, em vez da ética do moleiro, escolhem a dos puxa-sacos. Acharam o quê? Que a coisa pararia em Diogo Mainardi? Que vai parar em Arnaldo Jabor? Estamos assistindo apenas ao capítulo de um longo confronto.
Não é preciso ser a Mãe Dinah do jornalismo para saber aonde isso vai dar se não houver reação.

quinta-feira, 26 de abril de 2007

PPS vai ao STF para recuperar mandatos

O PPS entrará na próxima semana com um mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal (STF) contra o ato da Mesa Diretora da Câmara dos Deputados que negou a devolução dos mandatos que o partido perdeu quando oito parlamentares deixaram o partido e para aderir à legendas da base governista, a exemplo do deputado federal feirense Colbert Martins Filho, que saiu para o PMDB.
A ação, de acordo com o presidente do partido, Roberto Freire, será baseada na interpretação dada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de que o mandato eletivo pertence às agremiações às quais os deputados foram eleitos.Conforme entendimento do TSE de 27 de março de 2007, os partidos políticos e as coligações “conservam o direito à vaga obtida pelo sistema eleitoral proporcional, em pedido de cancelamento de filiação e conseqüente transferência do candidato eleito por um partido para outra agremiação”.Segundo a Secretaria-Geral da Mesa da Câmara, o presidente Arlindo Chinaglia (PT-SP) justificou que o pedido do PPS foi indeferido porque a hipótese de perda de mandato apontada pela legenda não encontra respaldo constitucional, nem regimental.Roberto Freire não concorda com os argumentos da Câmara e diz que o PPS tentará resgatar no Supremo um direito constitucional já reconhecido pela justiça eleitoral. “Quem perdeu foi o partido, com a cooptação de deputados pelas legendas da base. Então o parlamentar não pode alegar que perderá o mandato, já que este não o pertence”, sustenta.

Roteiro de Cinema

LANÇAMENTOS


CAÇADOS (Prey), de Darrell Roodt, 2007. Com Bridget Moynahan, Peter Weller e Carly Schroeder. Terror. Uma família de férias na África se perde durante um safári e é perseguida por leões famintos, até encontrar ajuda de um viajante misterioso. Classificação indicativa: 14 anos. Duração: 99 minutos. Horários: 15h10, 17h10, 19h10 e 21h10. Sala 2 (160 lugares).














ARTHUR E OS MINIMOYS (Arthur et les Minimoys), de Luc Besson, 2006. Com Freddie Highmore e Mia Farrow. Aventura com parte em animação digital. Garoto de 10 anos tem por missão evitar que a casa de sua avó seja destruída. Fascinado pelas histórias de seu avô sobre a terra dos Minimoys, o pequenino povo que habita seu jardim, ele decide procurar seus tesouros escondidos. Porém a terra dos pequenos seres também está ameaçada, o que faz com que Arthur tenha que ajuda uma princesa a enfrentar o vilão. Cópia dublada. Classificação: Livre. Duração: 97 minutos. Horários: 14h30 e 16h35. Sala 3 (167 lugares).









SUNSHINE - ALERTA SOLAR (Sunshine), de David Boyle, 2006. Com Chris Evans, Cillian Murphy, Rose Byrne e Michelle Yeoh. Ficção científica. O Sol corre o risco de desaparecer e, caso isto ocorra, será o fim de toda a humanidade. A última esperança é a nave espacial Icarus II e sua tripulação de oito pessoas, que transporta uma bomba atômica do tamanho da ilha de Manhattan, que teoricamente alimentará uma nova vida dentro do Sol. Durante a viagem e sem contato com a Terra, eles descobrem o sinal de S.O.S. da Icarus I, a nave enviada sete anos antes com o mesmo objetivo. A descoberta divide a tripulação sobre o que fazer. Classificação indicativa: 14 anos. Duração: 108 minutos. Horários: 18h35 e 20h50. Sala 3.








CONTINUAÇÕES

HANNIBAL: A ORIGEM DO MAL
(Hannibal Rising), de Peter Webber, 2007. Com Gaspard Ulliel, Gong Li e Dominic West. Suspense. Pouco depois o fim da Segunda Guerra Mundial, Hannibal Lecter assiste de perto a morte violenta de seus pais. Ele é obrigado a morar em um orfanato soviético, onde sua família morava anteriormente. Logo parte para Paris na tentativa de encontrar seu tio, mas é recebido por uma viúva bela e misteriosa que lhe dá carinho e amor. Hannibal decide estudar Medicina, como forma de aumentar suas habilidades para poder fazer justiça contra os criminosos de guerra que o perseguem. Em segunda semana. Classificação: 14 anos. Duração: 121 minutos. Horários: 14 horas, 16h25, 18h50 e 21h20. Sala 1 (243 lugares).
Ó PAÍ, Ó, de Monique Gardenberg, 2007. Com Lázaro Ramos, Dira Paes, Stênio Garcia, Wagner Moura e Emanuelle Araújo. Comédia. Em um cortiço do centro histórico do Pelourinho, em Salvador, tudo é compartilhado pelos seus moradores, especialmente a paixão pelo Carnaval e a antipatia pela síndica do prédio. Todos tentam encontrar um lugar nos últimos dias do Carnaval, seja trabalhando ou brincando. Incomodada com a farra dos condôminos, a síndica decide puni-los, cortando o fornecimento de água do prédio. Em segunda semana. Classificação indicativa: 14 anos. Duração: 96 minutos. Horários: 14h50, 16h55, 19 e 21 horas. Sala 4 (264 lugares).

Obs.: Semana de 27 de abril a 3 de maio.


ENDEREÇO E TELEFONES
Orient Cineplace - Shopping Iguatemi, telefax 3225-3056 e telefone 3610-1515 para saber informações sobre programas e horários. As informações sobre programação e horário são prestadas pela empresa exibidora, a Orient Filmes.

Último dia de "300"

Gerard Butler e Lena Headey em "300"
Divulgação

Em exibição até esta quinta-feira, 26, no Orient Cineplace, o épico “300”, que já rendeu 264.558.500 dólares, em sete semanas, no mundo. Nos Estados Unidos, a arrecadação é de 204,657 milhões de dólares no mesmo período. No Brasil, em três semanas, até o dia 15, arrecadou cerca de R$ 16,5 milhões, sendo visto por 1.920.767 espectadores. Com esses números, este ano, é o segundo melhor lançamento do circuito, atrás da comédia "Uma Noite no Museu".

quarta-feira, 25 de abril de 2007

PPS pede vagas perdidas

Através de requerimento, o PPS pediu à Câmara dos Deputados a imediata posse dos suplentes dos oito parlamentares que deixaram o partido para ingressar em legendas da base governista, incluindo o deputado federal feirense Colbert Martins Filho, que aderiu ao PMDB, depois que foi reeleito, em 2006. O presidente da Casa, Arlindo Chinaglia, prometeu responder o requerimento até esta quinta-feira, 26.
“Se a resposta for negativa, vamos entrar imediatamente na Justiça e impetrar Mandado de Segurança junto ao Supremo Tribunal Federal (STF)”, avisou Roberto Freire, presidente do Partido Popular Socialista. Na avaliação do PPS, é preciso que a interpretação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de que o mandato é do partido e não do eleito seja colocada logo em prática.

Gol mil

Como disse José Simão em sua coluna na “Folha de S. Paulo”, desta quarta-feira, 25, “tem até filme sobre o gol mil de Romário: Mil São Impossível”.

Kit "benza você mesmo"

Diante da escassez de padres, uma paróquia do norte da Itália está oferecendo aos fiéis um kit “faça você mesmo” para que eles possam benzer sua casa, uma tradição ainda muito arraigada na sociedade italiana. O informe é do jornal “La Stampa”, edição desta quarta-feira, 25.
O pacote idealizado pela Paróquia de Saluzzo, perto de Gênova, contém a imagem da Sagrada Família, o texto de uma oração e uma garrafinha plástica com água benta. “Invocar a bênção do Senhor também pode torná-los chefes de família”, justificou o padre Michelangelo Priotto.
“Já é muito bom que a família se reúna para um momento de meditação. O pai deve ler a oração e, em seguida, fazer o sinal da cruz com a água benta em cada cômodo da casa”, acrescentou o padre, que preparou mais de três mil kits por causa de falta de padres na região.

Guido Araújo em Festival de Cinema na Espanha

O cineasta Guido Araújo, criador da Jornada de Cinema da Bahia, foi convidado a integrar o júri do 4º Festival de Cinema Africano, na cidade de Tarifa, na Espanha. Ele embarca para a Espanha nesta quinta-feira, 26.
Entre os 90 títulos a serem exibidos no festival espanhol, estão dez filmes que já participaram da Jornada, compondo a mostra "A Diáspora Africana".
O convite partiu de um dos curadores do evento, o colombiano Orlando Aguillera, responsável pelo primeiro cineclube a receber o nome de Glauber Rocha, em Bogotá.
Após o festival de Tarifa, Guido Araújo planeja cruzar o Mediterrâneo e chegar ao Marrocos, país que o cineasta não visita desde os anos 50, quando foi estudar na Europa.
A Jornada de Cinema da Bahia deste ano será realizada de 12 a 18 de setembro e as inscrições já estão abertas.

"Reminiscências" de Geraldo Leite

O professor Geraldo Leite, primeiro reitor da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), em 1976-1979, lança nesta quarta-feira, 25, o livro "Reminiscências", no hall do prédio da administração central da Uefs, no campus universitário. A solenidade está prevista para as 15 horas.
A obra é organizada em duas partes. Na primeira, Geraldo Leite aborda a própria história de vida. Depois, o autor faz referências a momentos históricos da Uefs, até 1979. O livro é composto de textos, inclusive depoimentos, e fotos de época.

terça-feira, 24 de abril de 2007

A fraude do aquecimento global

Por Thomas Sowell
Publicado no site “Mídia Sem Máscara” (www.midiasemmascara.org), em 20 de abril de 2007.

O Canal 4 britânico produziu um documentário devastador intitulado “A Grande Fraude do Aquecimento Global”. Ele não foi, ao que parece, exibido por nenhuma das redes de televisão nos EUA. Mas, felizmente, ele está disponível na Internet, no YouTube.
Eminentes cientistas, especialistas em clima e em áreas relacionadas ao clima, falam em linguagem simples e apresentam gráficos bastante compreensíveis que mostram o contra-senso da histeria do aquecimento global.
Dentre os cientistas, se incluem alguns do MIT e outros das melhores universidades de outros países. Alguns desses são cientistas cujos nomes são citados em publicações que promovem o aquecimento global - mas que afirmam claramente que nunca escreveram o que essas publicações descrevem e que não as aprovam.
Um dos cientistas ameaça processar uma das publicações, a menos que seu nome seja retirado de lá.
O público é levado a acreditar que “todos” os principais cientistas embarcam na histeria e na agenda política do aquecimento global, por meio de relatórios oficiais das Nações Unidas e da Academia Nacional de Ciências que são escritos por burocratas - e são, então, adornados com os nomes dos eminentes cientistas que foram “consultados”, mas cujas conclusões contrárias são ocultadas.
Não há dúvida de que o globo está aquecendo, mas ele já aqueceu e esfriou antes e não está tão quente hoje quanto esteve séculos atrás, antes que houvesse automóveis e antes que houvesse a queima de combustíveis fósseis.
Nenhuma das terríveis conseqüências previstas hoje aconteceu então.
O documentário britânico analisa alguns dos muitos fatores que causaram o aquecimento e esfriamento da Terra por séculos, incluindo mudanças em atividades do sol, que fica a 150 milhões de quilômetros da Terra e, portanto, totalmente fora da jurisdição do Tratado de Kyoto.
De acordo com esses cientistas do clima, as atividades humanas têm muito pouco efeito no clima, quando comparadas com muitos outros fatores que vão dos vulcões às nuvens.
Além disso, esses cientistas do clima desmascaram os modelos matemáticos que têm sido usados como combustível para a histeria do aquecimento global, uma vez que as evidências dos fatos, coletados ao longo de séculos, contradizem esses modelos.
O que é ainda mais preocupante do que ver o público, a mídia e os políticos sendo manipulados e atemorizados é descobrir quanto esforço é despendido em silenciar cientistas que ousam dizer que o rei está nu.
Professores e pesquisadores das universidades que decidem viajar no trem do aquecimento global têm muito mais chance de conseguir fundos de pesquisa do que aqueles que expressam dúvidas - e pesquisa é o fluido vital de uma carreira acadêmica nas melhores universidades.
Movimentos ambientalistas mundo afora estão comprometidos com a histeria do aquecimento global e, em nenhum outro lugar, tanto quanto nos campi universitários, onde eles podem perseguir aqueles que se opõem. Um dos cientistas entrevistados no documentário britânico relata ter recebido até ameaça de morte.
Na política, mesmo conservadores republicanos parecem pensar que, se você não pode vencer o inimigo junte-se a ele. Assim também pensam grandes empresas, que se juntaram à histeria.
Isso somente possibilita que os cruzados verdes declarem, em todas as oportunidades, que “todos” acreditam no cenário do aquecimento global, exceto alguns poucos “negadores” que são como os negadores do Holocausto.
A diferença é que temos a evidência verdadeira e dolorosa de que houve um Holocausto. Mas, em relação ao aquecimento global que causa tal histeria, temos apenas um filme, feito por um político, e modelos matemáticos cujos resultados mudam drasticamente quando se mudam algumas poucas variáveis, arbitrariamente selecionadas.
Ninguém nega que as temperaturas se elevaram de aproximadamente um grau centígrado nos últimos cem anos.
O que os cientistas do clima negam no documentário britânico, é que você possa descuidadamente extrapolar isso ou que você possa afirmar que nos aproximaremos de uma catástrofe climática se não tomarmos medidas drásticas que poderiam causar uma catástrofe econômica.
“Aquecimento global” é apenas a mais recente de uma longa lista de cruzadas histéricas a que estamos, parece, crescentemente suscetíveis.

* Thomas Sowell é doutor em Economia pela Universidade de Chicago e autor de mais de uma dezena de livros e inúmeros artigos, abordando tópicos como teoria econômica clássica e ativismo judicial.
Atualmente é colaborador do Hoover Institute.
Este artigo foi publicado por townhall.com
Tradução de Antônio Emílio Angueth de Araújo.

O que entra em cartaz na sexta-feira

Freddie Highmore e Mia Farrow em "Arthur e os Minimoys", a partir desta sexta-feira
Divulgação
“Sunshine - Alerta Solar”, ficção científica inglesa de Danny Boyle, é o principal programa da 18ª semana cinematográfica, que inicia nesta sexta-feira, 27. Outra novidade é o filme de aventura que em parte é em animação digital, “Arthur e os Minimoys”, do francês Luc Besson. Ainda tem o filme de terror realizado pela África do Sul, “Caçados”. Continuam em cartaz, ambos em segunda semana, “Hannibal - A Origem do Mal” e “Ó Pai, Ó”.
Segundo Isabela Boscov, da revista “Veja”, a produção inglesa “Sunshine - Alerta Solar” é um filme que “devolve à ficção científica o que ela já teve de grandioso”, sendo até comparado ao clássico “2001 - Uma Odisséia no Espaço”, de Stanley Kubrick, de 1968. Assim, um referencial e tanto para atração de público. Pelo trailer, o visual causa fascínio. A produção teve custo de cerca de 30 milhões de dólares.
Na trama, o Sol corre o risco de desaparecer, o que faz com que uma nave espacial seja enviada da Terra na tentativa de evitar que isto ocorra. Porém a descoberta do sinal de socorro de uma nave enviada antes divide a tripulação sobre o que fazer.
Pelo trailler, “Arthur e os Minimoys” tem animação digital muito bem realizada e a história parece ser sensível. Um filme para toda a família, com cópia dublada. No elenco, Freddie Highmore e Mia Farrow. A produção teve o custo de 80 milhões de dólares.

Corrupção brasileira na tela

Thiago Fragoso e Giovana Antonelli em "Caixa Dois"
Divulgação

O filme “Caixa Dois”, de Bruno Barreto, em cartaz no Orient Cineplace, parece mais um programa de televisão - é inspirado em peça teatral homônima lançada em 1998, que foi vista por mais de um milhão de pessoas.
Tudo começa com uma transação desonesta de lavagem de dinheiro. A partir daí todos - ou quase todos - personagens querem levar alguma vantagem financeira com a falcatrua.
O filme fala do Brasil atual, abordando uma questão que não sai dos noticiários: a corrupção em diversos níveis e a falcatrua. Mas, não convence muito como cinema. Bruno Barreto já fez coisas melhores em sua carreira, inclusive nos Estados Unidos. Nas duas primeiras semanas, até o dia 15, foi visto no país por pouco mais de 150 mil espectadores.

Traição de Colbert questionada em Aracaju

A infidelidade do deputado federal feirense Colbert Martins Filho, que saiu do PPS - e não pode mais voltar, pois lhe fecharam a porta - para aderir ao PMDB e às benesses do governo Lula -, foi motivo de questionamento de rotariano na palestra “O Papel da Sociedade no Processo Político”, ministrada pelo presidente do Conselho Nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), César Brito, durante a XV Conferência Distrital de Rotary International, realizada entre 19 e 22, em Aracaju-SE.
Naturalmente que o palestrante respondeu de forma transparente sobre esse tipo de traição que políticos brasileiros praticam.

Visão petista é tacanha

“O governo anterior não fez o estudo de viabilidade do projeto para dimensionar sua necessidade e impacto econômico social”. Esta uma das justificativas do governo Jaques Wagner para a paralisação da obra do Centro de Convenções e Teatro de Feira de Santana.
Pois é, Feira de Santana não tem nenhuma necessidade de um Centro de Convenções e de um Teatro na visão tacanha do governo petista. Triste Bahia, coitada de Feira.

segunda-feira, 23 de abril de 2007

Forfait interestadual de Jaques Wagner

Na programação de sábado, 21, da XV Conferência Distrital de Rotary International, em Aracaju, a realização pela manhã de um painel com a participação dos governadores de Alagoas, Bahia e Sergipe. O governador baiano Jaques Wagner não compareceu, não mandou representante, muito menos uma mensagem justificando a ausência, numa demonstração de descaso para um convite de uma importante organização.
Talvez pelo tema proposto, a transposição do rio São Francisco, do qual Rotary é frontalmente contrário.
Para os rotarianos presentes ao evento, principalmente os baianos, uma gafe indesculpável.
Em relação à Feira de Santana, o governador petista já cometeu dois forfaits. Não veio ser paraninfo de uma turma de Direito da Uefs e não participou como anunciado do lançamento da campanha de vacinação contra a febre aftosa.

Internacionalidade de Rotary

Na ida para a XV Conferência Distrital do Distrito 4390 de Rotary International, em Aracaju, a presença dos integrantes do Intercâmbio de Grupo de Estudo do Distrito 4840 do Paraguai e Argentina: o professor de idiomas Oscar Arturo Penayo, do Rotary Club Fernando de La Mora, líder do grupo; jornalista Cristian R. Oliveira, indicado pelo Rotary Club MonteCarlo, da Argentina; jornalista Miguel Angel Rodriguez Silvero, indicado pelo Rotary Club Coronel Oviedo, do Paraguai; e o contador público Oscar Ismael Ramirez, indicado pelo Rotary Club Asunción, também do Paraguai.
No retorno da viagem, integrantes do Intercâmbio de Grupo de Estudo do Distrito 3290 da Índia e Nepal: administrador de empresa Tapan Gooptu, do Rotary Club de Calcutá-Metropolitan-Leste, líder do grupo; Krishna G. Mallick, dono de empresa de informática, da Índia; Priyanka Bhotika, educadora especial, também da Índia; e Rabin Shrestha, que trabalha com turismo ecológico, no Nepal. Os dois fatos são significativos para demonstrar na prática a internacionalidade de Rotary.

Rotary é companheirismo

Um dos pilares de Rotary, o companheirismo foi consolidado entre integrantes do Rotary Clube de Feira de Santana (Theódulo Bastos de Carvalho Júnior e Consuelo, José Raimundo de Azevedo e Sara, Hugo Dórea e Cristina, Antônio Gonçalves da Silva e Elisabete, Dimas Oliveira e Doralice), do Rotary Clube de Feira de Santana-Leste (Germínio Orlando Braga e Lígia, Juarez Fernandes e Suzana, Aurino Melo e Zirca, João Martins e Mara) e José Deodato Peixinho e Maria das Graças (Rotary Clube de Feira de Santana-Subaé).
Companheirismo durante a viagem para Aracaju e todos os momentos da XV Conferência Distrital, entre quinta-feira, 19 e domingo, 22 de abril. Também com outros companheiros do Distrito 4390, inclusive nos almoços, jantares, coffee breaks e happy hours realizados, culminando com o Baile de Confraternização, realizado na noite de sábado.

quinta-feira, 19 de abril de 2007

Diferença de público

Em três semanas em cartaz, com 89 cópias no país, “Ó Pai, Ó” foi visto até domingo passado por 203.268 pagantes. Para se ter um parâmetro, o filme “300”, somente na sua terceira semana, foi visto por público de 272.490 espectadores, alcançando no igual período de três semanas a 1.920.767 espectadores.

Axé music na trilha

Em “Ó Pai, Ó” tem muita axé music, ritmo que conduz a trilha sonora, a partir canção-título, “Ó Paí, Ó”, que dá nome ao filme - trata-se de expressão baiana que significa “olhe para isso, olhe”. Ela é de autoria de Caetano Veloso e Davi Moraes, interpretada pelo próprio Caetano e Jauperi. Mas a trilha também tem Margareth Menezes, Mariene de Castro, Banda Calypso, Tatau e Virgínia Rodrigues, esses dois que aprecem no filme, e outros.
A farra do Carnaval incomodando a dona de um cortiço no Pelourinho é o mote do filme.

Filme sobre Carnaval na Micareta

Depois de três semanas de lançado, o filme “Ó Paí, Ó” (foto), de Monique Gardenberg, afinal entra em cartaz em Feira de Santana, a partir desta sexta-feira, 20. Um filme sobre o Carnaval baiano que passa durante a Micareta de Feira de Santana.
Como se sabe, o Multiplex do Iguatemi funciona normalmente neste período de festa, com sessões normais.

Triste país

O texto abaixo é de Roberto Mangabeira Unger, escrito em 15 de novembro de 2005, cobrando uma decisão do Congresso contra o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Agora, ele vai ocupar no governo Lula, a Secretaria Especial de Ações de Longo Prazo:
Afirmo que o governo Lula é o mais corrupto de nossa história nacional. Corrupção tanto mais nefasta por servir à compra de congressistas, à politização da Polícia Federal e das agências reguladoras, ao achincalhamento dos partidos políticos e à tentativa de dobrar qualquer instituição do Estado capaz de se contrapor a seus desmandos.
Afirmo ser obrigação do Congresso Nacional declarar prontamente o impedimento do presidente. As provas acumuladas de seu envolvimento em crimes de responsabilidade podem ainda não bastar para assegurar sua condenação em juízo. Já são, porém, mais do que suficientes para atender ao critério constitucional do impedimento. Desde o primeiro dia de seu mandato o presidente desrespeitou as instituições republicanas. Imiscuiu-se, e deixou que seus mais próximos se imiscuíssem, em disputas e negócios privados. E comandou, com um olho fechado e outro aberto, um aparato político que trocou dinheiro por poder e poder por dinheiro e que depois tentou comprar, com a liberação de recursos orçamentários, apoio para interromper a investigação de seus abusos.
Afirmo que a aproximação do fim de seu mandato não é motivo para deixar de declarar o impedimento do presidente, dados a gravidade dos crimes de responsabilidade que ele cometeu e o perigo de que a repetição desses crimes contamine a eleição vindoura. Quem diz que só aos eleitores cabe julgar não compreende as premissas do presidencialismo e não leva a Constituição a sério.
Afirmo que descumpririam seu juramento constitucional e demonstrariam deslealdade para com a República os mandatários que, em nome de lealdade ao presidente, deixassem de exigir seu impedimento. No regime republicano a lealdade às leis se sobrepõe à lealdade aos homens.
Afirmo que o governo Lula fraudou a vontade dos brasileiros ao radicalizar o projeto que foi eleito para substituir, ameaçando a democracia com o veneno do cinismo. Ao transformar o Brasil no país continental em desenvolvimento que menos cresce, esse projeto impôs mediocridade aos que querem pujança.
Afirmo que o presidente, avesso ao trabalho e ao estudo, desatento aos negócios do Estado, fugidio de tudo o que lhe traga dificuldade ou dissabor e orgulhoso de sua própria ignorância, mostrou-se inapto para o cargo sagrado que o povo brasileiro lhe confiou.
Afirmo que a oposição praticada pelo PSDB é impostura. Acumpliciados nos mesmos crimes e aderentes ao mesmo projeto, o PT e o PSDB são hoje as duas cabeças do mesmo monstro que sufoca o Brasil. As duas cabeças precisam ser esmagadas juntas.
Afirmo que as bases sociais do governo Lula são os rentistas, a quem se transferem os recursos pilhados do trabalho e da produção, e os desesperados, de quem se aproveitam, cruelmente, a subjugação econômica e a desinformação política. E que seu inimigo principal são as classes médias, de cuja capacidade para esclarecer a massa popular depende, mais do que nunca, o futuro da República.
Afirmo que a repetição perseverante dessas verdades em todo o país acabará por acender, nos corações dos brasileiros, uma chama que reduzirá a cinzas um sistema que hoje se julga intocável e perpétuo.
Afirmo que, nesse 15 de novembro, o dever de todos os cidadãos é negar o direito de presidir as comemorações da proclamação da República aos que corromperam e esvaziaram as instituições republicanas.
Assim caminha o Brasil...

Um marco para Feira de Santana

O Monumento ao Caminhoneiro, projeto doado ao Município pelo artista plástico Gil Mário, vai se constituir quando concretizado num marco de Feira de Santana. A obra está sendo implantada na praça Jackson do Amaury e bem próxima de se tornar uma realidade que vai mudar o visual do local, causando grande impacto estético.
Mas, tem gente que nunca viu o arrojo e a beleza do projeto e fica escrevendo e falando besteira em jornais e rádios, até sugerindo mudança de formato e de local.
Numa cidade de poucos monumentos é muito bem-vindo o que faz homenagem ao caminhoneiro. Vai se juntar ao belo Monumento à Maria Quitéria, doado pelo Rotary Clube de Feira de Santana, implantado na confluência da avenida Getúlio Vargas com a avenida Maria Quitéria.

O tempo dirá

Depois de Yvone Matos Cerqueira e Maria Lúcia Cintra, o Centro Universitário de Cultura e Arte (Cuca), órgão da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) será dirigido pela professora Selma Soares de Oliveira, do Departamento de Letras. Trata-se da mulher do artista plástico Juraci Dórea, que é museóloga. A posse será em 15 de maio e o tempo dirá sobre a escolha.

PT tem alergia à imprensa

A decisão de Arlindo Chinaglia (PT-SP), presidente da Câmara dos Depurados, de mudar o local de trabalho dos jornalistas que cobrem o Legislativo, reforça a tese de que o PT tem “alergia” à imprensa, como afirma nesta quinta-feira o diário espanhol “El País”.
No texto “O Parlamento do Brasil ‘confina’ a imprensa”, o diário afirma que o petista pretende reverter uma tradição de 30 anos - que já existia desde o período militar - segundo a qual os jornalistas assistem às sessões em local privilegiado.
Agora, a imprensa será relocada em uma sala menor e distante do plenário. “Faz tempo que Chinaglia já tentava evitar que os jornalistas pudessem entrar na Intranet parlamentar, uma página interna na qual aparecem as decisões administrativas do Congresso, se bem que uma rebelião dos jornalistas o fez desistir”, diz a matéria.
“O certo é que o PT sempre demonstrou certa alergia à excessiva presença dos jornalistas no Parlamento. Recentemente, enviou uma circular aos novos deputados na qual os aconselhava a evitar longas conversas com jornalistas”, diz mais.

Épico de amor e traição

Cartaz francês de "Sansão e Dalila"
Reprodução
“Sansão e Dalila”, de Cecil B. De Mille, 1949, foi o quarto filme que assisti. Foi em 1955, com sete anos de idade, no Cine Plaza. Depois, foi revisto no Cine Timbira, em meados dos anos 70, e também em vídeo. Agora, acabei de fazer uma outra revisão, em DVD, com a constatação de que realmente é um filme que pode ser considerado clássico, um épico que conta uma história de amor e traição, baseada em texto bíblico do Velho Testamento.
Os cenários são magníficos e impressionam pela suntuosidade, quase 60 anos depois de realizado. São desses filmes que valem a pena ver de novo.
O filme ganhou dois Oscar, nas categorias de Melhor Direção de Arte e Melhor Figurino. Foi também indicado em três outras categorias: Melhor Fotografia, Melhor Trilha Sonora (de Victor Young, que inclui a maravilhosa “Delilah’s Theme”) e Melhores Efeitos Especiais.
Victor Mature faz o papel de Sansão e a belíssima Hedy Lammar o de Dalila.

quarta-feira, 18 de abril de 2007

Estilo PT de governo

Deu no “Painel” da “Tribuna da Bahis” desta quarta-feira, 18:
Trocadilho
A demora do preenchimento de cargos estaduais rendeu ao governador, entre deputados insatisfeitos, o apelido de Jaques Vagas.
Nada mais apropriado, bem ao feitio petista de governo.

Intercâmbio de Grupo de Estudos

Oscar Arturo Penayo Chamorro, do Rotary Club de Fernando De La Mora, cidade paraguaia, é o líder do Intercâmbio de Grupo de Estudos do Distrito 4840, da Argentina e Paraguai, que está em Feira de Santana desde a semana passada e até esta quinta-feira, quando seguem para Aracaju, Sergipe. O jornalista argentino Cristian Ramon Oliveira, o comunicador e pedagogo Miguel Angel Rodriguez Silvero e o contabilista Oscar Ismael Ramirez, os dois paraguaios, são os integrantes do grupo, recebido pelos clubes de Rotary locais.
Na manhã desta quarta-feira, acompanhei a visita do grupo às instalações da TV Subaé. Durante uma hora, eles foram recebidos por Marcílio Costa, diretor de Jornalismo da emissora afiliada da Rede Globo, e ficaram impressionados com o que viram e com as respostas aos questionamentos feitos sobre o funcionamento da TV Subaé, principalmente por Cristian Oliveira, que é noticiarista de emissora de Misiones, sua cidade.

Farsa da esquerda

O chamado “massacre de Eldorado dos Carajás” foi lembrado na terça-feira, 17, 11 anos depois. Trata-se, como considera Reinaldo Azevedo, de uma “farsa perfeita da esquerda. Tão perfeita, que as pessoas vêem o vídeo e não acreditam no que vêem; antes que qualquer tiro seja disparado, fica evidente que os ditos sem-terra avançam para cima dos policiais com foices, paus e pedras. E são recebidos à bala, numa reação obviamente desproporcional. Mas não se tratou de um confronto entre santos e demônios. De todo modo, o episódio rendeu o que a esquerda mais preza em sua luta e aquilo de que ela mais necessita: cadáveres, mártires. É claro que morreram os pobres, os miseráveis. A luta de intelectuais do movimento, como João Pedro Stedile, precisa de carne humana”.
Na “comemoração”, uma onda de invasões, depredações e afronta à lei promovida pelo MST, com seus líderes parecendo pretender novas vítimas.

Roteiro de Cinema

Semana de 20 a 26 de abril

LANÇAMENTO NACIONAL
HANNIBAL: A ORIGEM DO MAL (Hannibal Rising), de Peter Webber, 2007. Com Gaspard Ulliel, Gong Li e Dominic West. Suspense. Pouco depois o fim da Segunda Guerra Mundial, Hannibal Lecter assiste de perto a morte violenta de seus pais. Ele é obrigado a morar em um orfanato soviético, onde sua família morava anteriormente. Logo parte para Paris na tentativa de encontrar seu tio, mas é recebido por uma viúva bela e misteriosa que lhe dá carinho e amor. Hannibal decide estudar Medicina, como forma de aumentar suas habilidades para poder fazer justiça contra os criminosos de guerra que o perseguem. Classificação: 14 anos. Duração: 121 minutos. Horários: 14 horas, 16h25, 18h50 e 21h20. Sala 1 (243 lugares).







LANÇAMENTOS

CAIXA DOIS, de Bruno Barreto, 2007. Com Fulvio Stefanini, Giovana Antonelli, Zezé Polessa, Cássio Gabus Mendes, Daniel Dantas e Thiago Fragoso. Comédia. Em uma transação de precatórios, banqueiro consegue um ganho extra de R$ 50 milhões. Como o doleiro que geralmente desconta o cheque e envia os dólares para sua conta na Suíça está em coma, ele decide usar sua secretária como “laranja”. Porém se vê em apuros quando um funcionário, que levaria R$ 2 milhões da transação, coloca um dígito errado ao fazer o depósito, fazendo com que o dinheiro caia justamente na conta de uma mulher, cujo marido foi recentemente demitido pelo banco. Ao saber do caso ela se recusa a fazer o estorno, gerando complicações para todos. Classificação: 12 anos. Duração: 83 minutos. Horários: 13h50, 15h40, 17h30 e 19h20. Sala 2 (160 lugares).






Ó PAÍ, Ó, de Monique Gardenberg, 2007. Com Lázaro Ramos, Dira Paes, Stênio Garcia, Wagner Moura e Emanuelle Araújo. Comédia. Em um cortiço do centro histórico do Pelourinho, em Salvador, tudo é compartilhado pelos seus moradores, especialmente a paixão pelo Carnaval e a antipatia pela síndica do prédio. Todos tentam encontrar um lugar nos últimos dias do Carnaval, seja trabalhando ou brincando. Incomodada com a farra dos condôminos, a síndica decide puni-los, cortando o fornecimento de água do prédio. Classificação indicativa: 14 anos. Duração: 96 minutos. Horários: 14h50, 16h55, 19 e 21 horas. Sala 4 (264 lugares).









CONTINUAÇÕES
AS FÉRIAS DE MR. BEAN
(Mr. Bean’s Holiday), de Steve Bendelack, 2007. Com Rowan Atkinson, Max Baldry, Emma de Caunes Willem Dafoe. Comédia. Mr. Bean ganha em uma rifa uma filmadora e uma semana de férias no sul da França. Durante a viagem ele pede a um passageiro que o filme embarcando. O trem parte e acaba ficando com o filho do passageiro, o que o faz ir até a polícia. Em terceira semana. Classificação indicativa: Livre. Duração: 90 minutos. Horários: 14h40 e 16h35. Sala 3 (167 lugares).
300 (300), de Zack Snyder, 2007. Com Gerard Butler, Rodrigo Santoro, Lena Headley e Dominic West. Épico. O rei Leônidas e seus 300 guerreiros de Esparta lutam até a morte contra o numeroso exército do rei Xerxes, na Batalha de Termópilas. O sacrifício e a dedicação destes homens uniu a Grécia no combate contra o inimigo persa. Em quarta semana. Classificação indicativa: 18 anos. Duração: 117 minutos. Horários: 18h30 e 20h50. Sala 3.

ENDEREÇO E TELEFONES
Orient Cineplace - Shopping Iguatemi, telefax 3225-3056 e telefone 3610-1515 para saber informações sobre programas e horários.As informações sobre programação e horário são prestadas pela empresa exibidora, a Orient Filmes.

Informação equivocada

A programação de filmes no Orient Cineplace que o jornal “Folha do Estado” publica nesta quarta-feira, 18, está equivocada e prejudica quem procura se orientar pela informação. Na verdade, a programação divulgada é a da semana de 5 a 12 de abril e não a semana de 13 a 19 deste mês. A desinformação causa transtornos tanto ao público quanto ao cinema.
É preciso cuidado com a informação, pois um serviço ao leitor, que deve ser correta. A empresa informa a programação da semana com antecedência, nas terças-feiras ou, no mais tardar, nas quartas-feiras.

terça-feira, 17 de abril de 2007

Derrubada alegação de Colbert

Como relator do recurso do PT contra a CPI do Apagão Aéreo, o deputado federal Colbert Martins Filho (PMDB) deu parecer defendendo que a CPI não fosse instalada “por não ter cumprido requisitos previstos pelo regimento da Câmara e pela Constituição”. Aliado do Governo Federal, o parlamentar feirense alegou que o requerimento que pedia a abertura da CPI não obedecia três itens fundamentais: não trouxe a indicação do número de membros da comissão, não indicou o prazo em que a CPI funcionaria, além de não estabelecer fato determinado para a instalação da comissão.A estratégia da base aliada não durou muito, pois nesta terça-feira, 17, a oposição comemorou o parecer do procurador-geral da República, Antônio Fernando de Souza, dado ao Supremo Tribunal Federal (STF), favorável à instalação da CPI do Apagão Aéreo na Câmara. O presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), admite que agora aumentam as chances do plenário do STF determinar a criação da comissão de investigação pelos deputados.

XV Conferência Distrital de Rotary em Aracaju

Entre esta quinta-feira e domingo, em Aracaju-SE, a realização da XV Conferência Distrital do Distrito 4390 de Rotary International. De Feira de Santana, principalmente do Rotary Clube de Feira de Santana e do Rotary Clube Feira de Santana-Leste, a participação de vários companheiros e cônjuges, que acompanham o governador eleito Germínio Orlando Sampaio Braga.
Programa
Quinta-feira, 19
Inscrições no Centro de Convenções de Sergipe, ente 14 e 18 horas; às 19h30, no Teatro Tobias Barreto, apresentação do Coral da Petrobrás, e às 20h30, sessão solene de instalação, com a composição da mesa, presidida pelo governador Carlos Fernandes de Melo Filho, desfile das bandeiras, execução do Hino Nacional, entrega de Títulos Paul Harris, pronunciamentos, execução do Hino de Sergipe, e encerramento, no Centro de Convenções de Sergipe. Coquetel e apresentação musical e show artístico, às 22h30.
Sexta-feira, 20
No Centro de Convenções de Sergipe, inscrições e apresentação musical, às 8 horas; primeira sessão plenária, às 8h45, composição da mesa; abertura pelo governador Carlos Fernandes de Melo Filho, às 9 horas, com saudação aos participantes e convidados pelo EGD Antônio Fernandes Viana de Assis, do Rotary Clube de Aracaju-Norte, coordenador da Conferência; palestra “A Família Rotária: O Rotary na Família e a Família no Rotary”, pelo professor Guilhermino Cunha, do Rotary Clube do Rio de Janeiro, às 9h15, apresentador do palestrante: EGD José Raimundo Pereira de Azevedo, do Rotary Clube de Feira de Santana, às 9h55, debate, tendo como moderador o EGD Aldo Casado Costa, do Rotary Clube de Maceió; palestra “Voluntarismo e transformação Social”, pela Dra. Silvia Lousâ Naccache, presidente do Centro de Voluntariado de São Paulo, apresentador da palestrante: Marcílio Siqueira Pinto, do Rotary Clube de Aracaju-Jardins, às 10h50, debate, tendo como moderador o GDE Germínio Orlando Sampaio Braga, do Rotary Clube de Feira de Santana-Leste; às 11h05, coffee break.
Às 11h35, retomada dos trabalhos com a palavra do governador eleito 2007/2008 Germínio Orlando Sampaio Braga; às 11h45, palestra “A Petrobras e as Fontes Alternativas de Energia”, por Aládio Antônio de Souza, consultor da Petrobrás; apresentador do palestrante: Almiro Sérgio Araújo, do Rotary Clube de Aracaju-Leste, às 12h15, debate, tendo como moderador o EGD Juarez Fernandes Oliveira, do Rotary Clube de Feira de Santana-Leste; às 12h25, apresentação dos integrantes do Intercâmbio de Grupo de Estudos (IGE) do Distrito 4840 da Argentina e Paraguai, às 12h45; apresentação dos intercambistas do Programa de Intercâmbio Internacional de Jovens, pelo chairman Leandro Araújo, do Rotary Clube de Recife; às 13 horas, almoço com o representante do presidente de Rotary International, EDRI Luiz Coelho de Oliveira, no Restaurante do Centro de Convenções; em paralelo, almoço com os cônjuges e convidados dos rotarianos, no Hotel Haras Boa Luz, onde será proferida uma palestra pela Dra. Ana Cecília Góis Franco, sobre o tema “Estresse”, incluindo companheirismo e confraternização, além de realização de bingo.
Segunda sessão plenária, no Centro de Convenções de Sergipe
Às 14h30, iniciando com composição da mesa, presidida pelo EGD Carlos Augusto Carvalho de Bulhões, do Rotary Clube de Maceió-Farol; seguida da palestra “O Papel das Micro e Pequenas Empresas no Desenvolvimento do Seu Município”, pelo professor Romualdo Batista de Melo, consultor do Sebrae-SE e presidente do Conselho Regional de Contabilidade do Estado de Sergipe, apresentador do palestrante: Manoel Messias Peixoto, do Rotary Clube de Itabaiana, às 15 horas, debates, tendo como moderador o EGD José Boa Sorte Farias, do Rotary Clube de Feira de Santana-Novo Horizonte; às 15h10, palestra “A Imagem Pública do Rotary”, pelo EDRI Mário de Oliveira Antonino, do Rotary Clube de Recife-Largo da Paz, apresentador do palestrante: Sérgio Rodrigues, do Rotary Clube de Aracaju-Siqueira Campos, às 15h40, debate, tendo como moderador o EGD Theódulo Bastos de Carvalho Júnior, do Rotary Clube de Feira de Santana; às 16 horas, palavra do governador indicado 2008/2009, Geraldo Pimentel de Lima, do Rotary Clube de Maceió-Leste; às 16h10, palestra “A Fundação Rotária e o Servir”, pelo EGD Bemvindo Augusto Dias, chairman 06-09 da Comissão Distrital da Fundação Rotária Distrito 4570, apresentador do palestrante: Carlos Eduardo Lázaro Traversa, do Rotary Clube de Aracaju, às 16h40, debate, tendo como moderador o GA Antônio Raimundo Dantas Ramiro, do Rotary Clube de Juazeiro; às 16h50, indicação da Comissão Fiscal para o ano rotário 2007/2008; às 17 horas, apresentação, discussão e deliberação sobre o Relatório Financeiro do ano rotário 2005/2006; às 17h10, promoção da XVI Conferência Distrital; às 17h20, considerações do representante do presidente do RI, EDRI Luiz Coelho de Oliveira, do Rotary Clube de Limeira; às 17h40, reunião de companheirismo; às 21 horas, jantar de companheirismo, onde os visitantes serão recepcionados pelos companheiros rotarianos de Aracaju.
Sábado, 21, terceira sessão plenária, no Centro de Convenções de Sergipe
Às 8h30, apresentação musical; às 9 horas, composição da mesa, presidida pelo GD Carlos Fernandes de Melo Filho; painel com a participação dos governadores dos estados de Alagoas Teotônio Vilela Filho, da Bahia Jacques Wagner, e de Sergipe Marcelo Deda Chagas; apresentador dos painelistas pelo EGD Eliziário Silveira Sobral, do Rotary Clube de Aracaju-Norte, secretário geral da Conferência, às 11 horas, debate, tendo como moderador o EGD Marcelo Bonfim Cavalcante, do Rotary Clube de Maceió-Leste; às 11h20, coffee break; às 11h50, palestra “O Papel da Sociedade no Processo Político”, pelo advogado Raimundo César Brito Aragão, presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), apresentador do palestrante: Roberto Baldo Cunha, do Rotary Clube de Aracaju-Norte. Às 12h20, debate, tendo como moderador o GDI Geraldo Pimentel de Lima, do Rotary Clube de Maceió-Leste; às 12h35, apresentação de moções e estatística da Conferência, seguida de prêmios e reconhecimentos; às 13h15, palavra do representante do presidente do RI, EDRI Luiz Coelho de Oliveira, do Rotary Clube Limeira; às 13h35, encerramento pelo GD Carlos Fernandes de Melo Filho; às 14h30, reunião/almoço do Colégio de Governadores; e às 21h30, Baile de Confraternização, no Clube Social da AABB, no bairro Aruana.
Domingo, 22
No Hotel Parque dos Coqueiros, às 9 horas, plantio de árvore com aposição de placa alusiva à XV Conferência Distrital.

América Latina ameaçada pelo neopopulismo

O ex-primeiro ministro da Espanha, José Maria Aznar, lamentou o crescimento do neopopulismo e considerou que o regime é uma nova ameaça aos avanços políticos e econômicos na América Latina por usar os meios democráticos para esvaziar a democracia e eliminar a igualdade de direitos entre as pessoas para estabelecer regimes autoritários. A preocupação dele foi manifestada na segunda-feira, 16, em discurso para uma platéia de cerca de 700 pessoas, na abertura da 20ª edição do Fórum da Liberdade, em Porto Alegre-RS. Em sua fala, Aznar não citou a Venezuela e a Bolívia. Mas já havia deixado claro, horas antes, ao almoçar com dirigentes do Instituto de Estudos Empresariais (IEE), promotor do evento, que sua crítica é dirigida à política dos presidentes Hugo Chávez e Evo Morales. Segundo um dos participantes do encontro, o político espanhol também disse que o Brasil está no momento de definir se acompanha, tolera e aceita essas condutas ou se mostra contrário, não se deixa influenciar e mantém uma linha de respeito às liberdades individuais e à democracia.

Criação da CPI do Apagão recomendada

O procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, deu parecer favorável à criação da CPI do Apagão Aéreo na Câmara dos Deputados. O parecer será enviado para o Supremo Tribunal Federal (STF), que vai analisar o mandado de segurança ajuizado pela oposição pedindo a instalação da comissão.No final de março, o ministro do STF Celso de Mello determinou o desarquivamento do pedido de criação da CPI. No entanto, ele não determinou a instalação da comissão e disse que essa decisão caberia ao plenário do STF.Então, a oposição queria que o presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), instalasse imediatamente a CPI. Mas ele disse que só poderia instalar a comissão após a decisão do plenário do STF. Para julgar o mandado de segurança, o STF precisava do parecer do procurador-geral.
A expectativa da oposição é que o STF aceite a recomendação e determine que a Câmara instale a CPI.

domingo, 15 de abril de 2007

O que é que há em cinema em Feira de Santana?

Ou duas ou três coisas que precisam ser
ditas para fazer algum barulho por nada

Nos distantes anos 50 a 80, Feira de Santana teve intensa atividade cinematográfica, com realização de filmes e estudo de cinema. Mas hoje não se pode dizer que Feira tenha um movimento cinematográfico. O que existe no momento, na verdade, são pessoas aqui a ali com o interesse na realização de filmes (mais correto dizer vídeos?). Pois o que se tem feito é mais gravação em vídeo do que em filme, celulóide. Como é o caso de Johnny Guimarães e Volney Menezes que realizaram um trabalho documental sobre os anos cinzentos da ditadura, “Chuvas de Março”. Agora, tem grupos que se reúnem para o estudo de cinema, como é o caso do Coletivo Olney São Paulo, dentro da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), e o Cine Clube Dimas Oliveira, no Colégio Modelo Luís Eduardo Magalhães, promovendo debates, seminários e mostras.
Ontem e hoje, quem sabe amanhã, o que Feira tem sido é cenário, com locações de filmes. Como o caso mais recente de “Lua Violada”, que o cineasta José Umberto realizou no primeiro semestre de 2003 e mostrou o filme pronto em julho, em evento artístico-cultural marcante no Orient Cineplace, Multiplex do Iguatemi, com presenças do prefeito José Ronaldo de Carvalho - a Prefeitura deu apoio logístico à produção - e do então secretário de Estado da Cultura, Paulo Gaudenzi.
Antes, o próprio José Umberto, que tem raízes em Feira de Santana, utilizou a cidade como cenário de três filmes: “Urubu”, “Ser Tão” e “Brabeza”. Outros filmes com locações nesta cidade são: “O Pistoleiro”, de Oscar Santana, “O Amuleto de Ogum”, de Nelson Pereira de Souza, “Deus e o Diabo na Terra do Sol”, de Glauber Rocha, e “A Rosa dos Ventos”, de Alex Viany. Todos utilizando Feira como referencial de locações.
O nome de Olney São Paulo deve ser lembrado. Ele viveu em Feira, como profícuo realizador de cinema, colocando a cidade que o abrigou na tela, como no pioneiro “Um Crime na Rua”, de 1955. Também em “O Grito da Terra”, “O Profeta da Feira de Santana”, “Como Nasce uma Cidade”, “Ciganos do Nordeste”, “Pinto Vem Aí”. Nos seus tempos na terra, havia a Associação de Críticos Cinematográficos de Feira de Santana e também surgiu o Clube de Cinema de Feira de Santana - que no início dos anos 80 ressurgiu, mas durou pouco tempo.
Nos anos 80, o surgimento de um muito barulhento (por nada?) movimento de cinema Super 8 na cidade, contando com os nomes de Dimas Oliveira (que também editou praticamente todos os filmes realizados na época), das dupla Juraci Dórea & Everaldo Cerqueira e Zé Maria & Ideval Alves, mais Antônio Carlos Carvalho, Antônio Miranda, Ivan Dórea, Nailson Chaves. A bitola superoitista era meio e fim para as idéias que tinham na cabeça de cada um deles. Os títulos de então: “Corpo a Corpo”, “Palhaços”, “Tapera”, “Anjanil”, “Wa Okum”, “Etérito”, “O Rumbeira” (ou “A Rumbeiro”), “A Divina Maravilhosa e o Vampiro Celestial”, “Coisas do Destino”, “Denúncia”, “Vestibular, O Bicho Papão”, entre outros.
A exibição dos experimentos era feita em paredes de escolas e associações, que viravam telas de exibição. Lançamentos eram feitos onde hoje está instalado o Museu Regional de Arte, no Centro Universitário de Cultura e Arte (Cuca). Também eram mostrados em festivais e jornadas de cinema. Os experimentos eram realizados e vistos, discutidos e muitas vezes arrasados nos comentários. A maioria desses filmes nem existe mais, alguns tendo desaparecido e destruídos. Era tempo de censura contra a criação artística e os filmes tinham que passar pelo crivo dos censores.
O certo é que Feira de Santana que sempre teve arte e cultura, também viveu seus dias de cinema. Tem quem lamente que hoje não exista mais movimento. As coisas mudam, não é mesmo?

sábado, 14 de abril de 2007

Al Gore: Uma Verdade Hipócrita

Por Eduardo Ferreyra

Na noite do Oscar, o anticientífico documentário de Al Gore, “Uma Verdade Inconveniente”, recebeu um Oscar político da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas como Melhor Documentário do ano. Porém, o Centro de Investigações Políticas de Tennesse (o Estado de Al Gore) descobriu que ele merece, na realidade, um Oscar da Hipocrisia.
A mansão de Gore, localizada no elegante bairro de Belle Meade de Nashville, consome mais eletricidade por mês do que o lar médio americano em todo o ano, segundo a Companhia de Eletricidade de Nashville.
Em seu documentário, o ex-vice-presidente faz um chamado ao povo americano para conservar a energia reduzindo seu consumo elétrico em casa. Aconselha a reduzir o consumo inútil desligando todos os aparelhos eletrodomésticos que estão em “stand by”, quer dizer, as televisões e monitores de computador que estejam esperando que se faça um clique com o controle remoto para religá-los, e o mesmo com as lavadoras de roupa que têm esse led, as cafeteiras elétricas, os equipamentos de música, os aparelhos de DVD, os vídeo-cassetes...
É evidente que o Sr. Aquecimento Global, Al Gore, pratica o costume preferido do ecologismo: “Faça o que eu digo mas não faça o que eu faço”.
Segundo nos informa a organização de Tennesse, o lar médio americano consome 10.656 kiloWatts/hora (kWatt/h) por ano, de acordo com o Departamento de Energia dos Estados Unidos. Em 2006, Gore devorou quase 221.000 kW/h - mais de 20 vezes que a média nacional.
Comparando com a média argentina de 300 kW/h mensal, ou 3.600/k por ano (e somos muito generosos!), o consumo do lar médio norte-americano é três vezes maior que o argentino. Não é em vão que os americanos ganham mais e vivem melhor que os argentinos e que qualquer outro povo no mundo - e a idéia de Al Gore é que os países sub-desenvolvidos limitem seu miserável consumo de energia -, para que ele e seus amigos possam gastar seus 18 mil kW/mensais sem que se diminua a imagem de seus televisores de 50 polegadas.
Só em agosto passado Gore queimou CO² pelo valor de 22.619 kW/h - esbanjando em um mês mais que o dobro do que usam os pobres americanos em média em um ano inteiro. O resultado é que a média mensal da fatura de eletricidade do Sr. Al “Aquecimento Global” Gore é de 1.359 dólares. Quase o mesmo cobrado a um aposentado argentino em todo um ano. Não está nada mal - oxalá pudéssemos nos dar esse luxo aqui no distante sul...
Desde a estréia de “Uma Verdade Inconveniente”, o consumo de energia de Gore aumentou de uma média de 16.200 kW/h mensal em 2005, para 18.400 kW/h em 2006. O uso extravagante que Al Gore faz da eletricidade não fica só em sua conta de luz. A fatura do gás natural de sua casinha em Nashville (e a “casinha de hóspedes”) é de 1.080 dólares mensais em média. Comparado com uma média generosa de 30 dólares mensais dos pobres argentinos, Al Gore vem a ser o Luís XV do século 20 e este Luís XV nos aconselha: “Poupem energia - ou o mundo se acaba”.
Em 2006, o total combinado de eletricidade e gás natural usado e pago por Gore em sua casa de Nashville totalizou quase 30 mil dólares. Se acrescentarmos o gasto em combustível para suas viagens de avião, suas limusines, as de sua família e de seu pessoal, a cifra gasta - e o CO² emitido! - chega a cifras apavorantes.
Vendo a maneira com que o Campeão Mundial da Conservação da Energia usa a eletricidade e o gás às mancheias, não é maluquice dizer que trata-se de um Hipócrita Categoria Galáctica. “Como o porta-voz eleito pelo movimento ecologista da mudança climática”, disse Drew Johnson, presidente do Tennesse Center For Policy Research, “Al Gore teria que trilhar seu caminho e fazer o que prega, quando se refere ao uso de energia em seu próprio lar”. É certo. Seria o justo e o honesto.
Nas pesquisas que se fazem nos Estados Unidos, acerca de seu filme e sua alegação em “defesa do planeta”, quase sempre aparece a pergunta: “O que você diria ao Sr. Al Gore depois de ver o filme?” Eu lhe diria: “Cara de Pau!!!”. Certamente, ele já está acostumado...
Eduardo Ferreyra é presidente da Fundación Argentina de Ecologia Cientifica (Faec).
Fonte: Texto publicado no site “Mídia Sem Máscara”, publicado originalmente no site da Faec.

Que tremam e temam

O vereador Osdival Gomes da Costa, de Guarapuava, no Paraná, tornou-se o primeiro político a ter o seu mandato cassado por trocar de partido. Ele deixou o PMDB para se filiar ao PP. Ele perdeu o mandato por Ato Administrativo da Câmara Municipal, assinado pelo presidente Admir Strechar, que atendeu a um requerimento da Executiva Municipal do PMDB.
A decisão deflagra processo jurídico em torno da fidelidade partidária, devendo ser decisiva na redefinição do quadro partidário do Brasil.
Que tremam e temam todos os políticos infiéis, inclusive os feirenses, nos quais de inclui o deputado federal Colbert Martins Filho, que foi eleito pelo PPS e se bandeou para o PMDB.

PPS barra reingresso de Colbert

O PPS decidiu barrar o reingresso na legenda de parlamentares eleitos e não eleitos (suplentes) em 2004 e 2006 na chapa da sigla e que mudaram de partido. É que muitos deles, temendo a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de que o mandato é do partido e não do eleito, estão tentando retornar ao PPS. Os eleitos buscam garantir a permanência nos mandatos e os suplentes estão de olho na possibilidade de assumirem as vagas dos que correm o risco de perder a cadeira legislativa.
“A medida visa bloquear o ingresso no partido de políticos já reconhecidamente oportunistas de ocasião, que não tem compromisso com o programa do PPS e mudam de legenda de acordo com vantagens pessoais”, afirmou o secretário-geral do partido, o ex-deputado federal Rubens Bueno.
A medida tomada pelo partido vai ao encontro de um novo momento da vida político-partidária do país, onde a questão da ética, do fortalecimento das legendas e do compromisso com a sociedade está em primeiro plano. “A decisão tomada pelo TSE na questão dos mandatos é moralizadora. Por isso, precisa ser apoiada em todos os sentidos e os partidos têm um papel importante nesse caminho. O PPS está fazendo a sua parte para evitar o troca-troca e a transformação de partidos em verdadeiras barrigas de aluguel como estamos assistindo no governo Lula”, disse Bueno.
A medida adotada pelo PPS visa fortalecer os quadros verdadeiramente compromissados com o partido e está alicerçada no planejamento estratégico da legenda para 2007/2008 que prevê a formação política dos filiados, a formação de chapas fortes para disputar as eleições municipais de 2008 e a construção de um novo projeto para o país visando a disputa eleitoral de 2010. “Não nos interessa, portanto, abrigar oportunistas na legenda”, frisou Rubens Bueno.Muitos políticos que deixaram a legenda estavam “de olho em benesses” oferecidas por governos federal, estaduais e municipais, onde o PPS está na oposição. Na Câmara dos Deputados, por exemplo, oito dos 22 parlamentares eleitos pela legenda embarcaram em partidos da base de Lula. Porém, em setembro, quando vencerá o prazo de filiação para a disputa do pleito municipal de 2008, muitos deles se preparam para bater à porta do PPS de olho no tempo de televisão da legenda (que agora é igual ao do PT, PMDB, PSDB e DEM) e na força das chapas da legenda em vários estados. “Isso nós não vamos permitir”, frisou o secretário-geral do partido.
O deputado federal feirense Colbert Martins Filho, que aderiu ao PMDB, não é citado nominalmente, mas é um dos oito que abandonaram o partido e considerado como “oportunista de ocasião” e que muda de legenda de acordo com “vantagens pessoais”, por estar “de olho em benesses” do Governo Federal. Assim, um dos que estão temendo a decisão do TSE.

Rubinho, o 2º piloto de uma das últimas equipes

Mais uma corrida de Fórmula 1 e nada de Rubens Barrichello dar o ar de sua graça. No treino classificatório do Grande Prêmio de Bahrein, disputado neste sábado, 14, no circuito de Sakhir, ele ficou em 15º lugar, na frente de seu companheiro de equipe Jenson Button.
Rubinho está sendo o segundo piloto da Honda, opção que fez em vez de ser o segundo piloto da Ferrari, equipe de ponta. Natural que ele ainda não tenha pontuado em nenhuma das provas realizadas. Ele está em 19ª colocação entre os 22 pilotos, atrás de Button, em 16ª.

sexta-feira, 13 de abril de 2007

Lília Campos faz ping-pong com Dimas Oliveira

Em sua coluna "Pela Cidade", seção "Perfil da Sociedade Feirense", na edição desta sexta-feira, 13, do jornal "NoiteDia", a colega Lília Campos entrevista este jornalista, material que reproduzimos a seguir:
Nome: Dimas Boaventura de Oliveira
Data de Aniversário: São duas: 9 de julho (de fato), 5 de agosto (de direito), ano de 1948
Signo: Câncer (mas não sou ligado nisso)
Onde nasceu: Mairi, no distrito de Angico
Um lugar na Bahia: Feira de Santana, cidade onde vivo
Um lugar no mundo: Veneza, que conheci em 1988
Restaurante: Flor do Maracujá Gril
Comida: Maniçoba
Bebida preferida: Coca-Cola
Perfume: Connexion, de O Boticário
Cantora: Aline Barros
Cantor: Gutemberg Guarabira, cantando “Margarida”
Uma música: “Via Dolorosa”
Mulher bonita: A minha, Doralice
Homem bonito: Jesus
Um livro: A Bíblia
Uma superstição: Não tenho
O que ama fazer: Escrever
Vício: Não tenho nenhum
Qualidade: Procurar sempre a verdade
Defeito: Ser muito crítico
O que não gosta: Desfaçatez
Um arrependimento: Ter sido de esquerda
Um medo: Cobras, batráquios e lagartos
Sonho: Continuar imprimindo qualidade no meu trabalho, pois tem tudo a ver com a qualidade de minha vida
Uma frase: “Toma cuidado com teu nome, pois ele permanecerá contigo por mais tempo do que uma grande quantidade de ouro” - Bíblia Sagrada

O show deve continuar

Oscar de Melhor Filme e Melhor Roteiro em 1952, “O Maior Espetáculo da Terra”, de Cecil B.de Mille (12.08.1881-21.01.1959), visto esta semana, é a dica de DVD que vamos dar neste sábado, 14, na nossa participação no programa “Bom Dia, Feira”, na Rádio Princesa FM, ancorado por Dílson Barbosa.
Penúltimo filme de Cecil B. de Mille, realizador de superproduções - a última foi “Os Dez Mandamentos”, em 1956, “O Maior Espetáculo da Terra” é um grandioso retrato do circo, com seus bastidores e a rivalidade entre seus integrantes. De Mille dizia que o circo é “um incansável gigante em movimento”. O espírito é que o show deve continuar, aconteça o que acontecer. O circo utilizado no filme é o Ringling Brothers and Barnum e Bailey. O elenco é formado por Charlton Heston, Betty Hutton, Cornel Wilde, James Stewart, Dorothy Lamour e Gloria Grahame, entre outros. Além dos dois prêmios recebidos, foi indicado nas categorias de Diretor, Figurino e Edição.

Lula, Jáder, Jucá, Sarney, Quércia e Colbert

Segundo nota no jornal “Estado de S. Paulo”, desta sexta-feira, 13, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva “não só deu esperanças ao PMDB de que poderá indicar o candidato à sua sucessão, como fez afagos nos principais nomes do partido durante o jantar de anteontem (quarta-feira, 11) com 183 peemedebistas”. Lula disse que o deputado Jader Barbalho (PA) e o líder do governo no Senado, Romero Jucá (RR), “são exemplos de pessoas progressistas que foram injustiçadas no processo político”.
A matéria lembra que “Jader chegou a ser preso pela Polícia Federal, acusado de desvio de dinheiro público; Jucá responde a processo sob acusação de oferecer fazendas fantasmas como garantia para empréstimo”. Lula disse que “Jader, por exemplo, é um injustiçado. Todo mundo sabe que foi um dos mais destacados parlamentares do PMDB autêntico, o quanto foi importante para a conquista da democracia”. Mais Lula: “Quem no Pará não votou em Jader em 1974?”. Voltando-se para Jucá, o presidente afirmou: “Passei por momentos muito difíceis no primeiro mandato. Por isso sei, Romero, o que você passou. Meus adversários foram implacáveis, cruéis”.
A matéria diz ainda que o senador José Sarney (AP) recebeu carinho especial. “Sarney me apóia desde a campanha de 2002. É o único ex-presidente que se comporta como ex-presidente”. Já a administração de Orestes Quércia no governo de São Paulo foi qualificada por Lula de “altamente desenvolvimentista”.
Em seu blog, Reinaldo Azevedo comenta: “Jamais se esqueçam disto: Lula afirmou que Jader Barbalho é progressista e injustiçado. Depois de se comportar como Executivo e Legislativo na reunião com os prefeitos, Lula assume agora a condição de juiz - não só de eventuais suspeitas que recentes possam pesar contra seu aliado. Ele se toma como um tribunal da história. Até as rãs de Jader Barbalho devem ter coaxado de susto. Há muito tempo ninguém, nem mesmo um aliado, chamava Jader de inocente. Lula fez isso. É um marco”.
Este blog comenta que é com esse time que o deputado federal feirense Colbert Martins está envolvido desde que aderiu ao PMDB e ao governo Lula.

Na galeria dos famosos

Em sua visita a Feira de Santana, em 26 de março, depois de degustar carne de sol no Restaurante Casa do Sertão, o professor Muniz Sodré posa ao lado de Getúlio Andrade para o painel de famosos da casa. A foto é de Luluda Barreto.

Direito de matar em plebiscito?

O arcebispo de São Paulo e secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Odilo Scherer, afirmou no início desta semana que é contra um plebiscito para discutir a legalização do aborto no país. “Colocar em plebiscito o direito de matar é um absurdo”, considerou. “Não gostaria que o meu direito de viver fosse posto à prova”, falou mais.
Dom Odilo disse que o Brasil não precisa “imitar tudo o que os outros países fazem”, referindo-se à legalização do aborto em Portugal após a realização de um plebiscito. “Pessoas não nascidas são seres humanos inocentes e indefesos”argumentou.
No domingo, 8, pesquisa Datafolha mostrou que 65% dos brasileiros são contra a ampliação da lei atual, que só permite a interrupção da gravidez em casos de estupro ou de risco de morte para a mãe.

Biblioteca Simões Filho

Inaugurada no dia 29 de março deste ano, a Biblioteca Setorial Ernesto Simões Filho, especializada em museologia e instalada no Museu de Arte Regional (MRA), foi criada para dar suporte às funções didáticas desenvolvidas pelo órgão do Centro Universitário de Cultura e Arte (Cuca), para atender aos artistas locais e estrangeiros, bem como à comunidade acadêmica e interessados em geral.
Idealizada e implantada pelo artista plástico Gil Mário, curador do Museu Regional de Arte, a unidade oferece serviços de acesso à Base Sisbi/Uefs, visita orientada e pesquisa na área de museologia. O horário de funcionamento é das 8 às 12 e das 14 às 18 horas, de segunda-feira a sexta.

Sobre monumentos

Monumento é obra ou construção destinada a transmitir à posteridade a memória de fato ou pessoa notável. Resumindo, é qualquer obra notável. Feira de Santana, uma cidade de poucos monumentos, está ganhando um em homenagem ao caminhoneiro, na praça Jackson do Amaury, doado ao Município pelo artista plástico Gil Mário, um dos mais destacados da cidade.
Mas, sabe-se, que tem até um arquiteto local que está sugerindo, via representação no Ministério Público, que em vez do monumento a Prefeitura construa uma passarela no local.

quinta-feira, 12 de abril de 2007

Roteiro de Cinema

Semana de 13 a 19 de abril

LANÇAMENTOS

O BOM PASTOR (The Good Shepherd), de Robert De Niro, 2006. Com Matt Damon, Angelina Jolie, John Turturro, William Hurt, Alec Baldwin e Robert De Niro. Drama. A criação da Central Intelligence Agency (CIA), durante a Segunda Guerra Mundial, através do ponto de vista de um de seus idealizadores, Edward Wilson, encarregado de proteger o país e organizar uma rede de espionagem. Classificação: 14 anos. Duração: 167 minutos. Horário: 21h20. Sala 1 (243 lugares).



O PONTE PARA TERABÍTIA (Bridge To Terabithia), de Gabor Csupo, 2007. Com Josh Hutcherson, AnnaSophia Robb e Zooey Deschanel. Aventura. Dois amigos criam o reino secreto de Terabítia, um mundo encantado onde eles lutam com terríveis criaturas e conspiram contra as brincadeiras de mau gosto dos colegas de escola. Cópia dublada. Classificação: Livre. Duração: 91 minutos. Horários: 14h40, 16h40, 18h40 e 20h40. Sala 2 (160 lugares).


















CONTINUAÇÕES

A FAMÍLIA DO FUTURO
(Meet the Robinsons), de Stephen J. Andersen, 2007. Animação. Menino cria uma máquina que o ajudará a encontrar sua mãe biológica, mas ela é roubada antes mesmo de ser usada. É quando ele recebe a visita de um jovem do futuro, que o leva em uma viagem no tempo, onde conhece uma família muito especial no futuro. Em segunda semana. Classificação indicativa: Livre. Duração: 96 minutos. Horários: 15 e 17 horas, e 19h05. Sala 1.
AS FÉRIAS DE MR. BEAN (Mr. Bean’s Holiday), de Steve Bendelack, 2007. Com Rowan Atkinson, Max Baldry, Emma de Caunes Willem Dafoe. Comédia. Mr. Bean ganha em uma rifa uma filmadora e uma semana de férias no sul da França. Durante a viagem ele pede a um passageiro que o filme embarcando. O trem parte e acaba ficando com o filho do passageiro, o que o faz ir até a polícia. Em segunda semana. Classificação indicativa: Livre. Duração: 90 minutos. Horários: 15h20, 17h15, 19h10 e 21 horas. Sala 3.
300 (300), de Zack Snyder, 2007. Com Gerard Butler, Rodrigo Santoro, Lena Headley e Dominic West. Épico. O rei Leônidas e seus 300 guerreiros de Esparta lutam até a morte contra o numeroso exército do rei Xerxes, na Batalha de Termópilas. O sacrifício e a dedicação destes homens uniu a Grécia no combate contra o inimigo persa. Em terceira semana. Classificação indicativa: 18 anos. Duração: 117 minutos. Horários: 14h10, 16h30, 18h55 e 21h20. Sala 4 (264 lugares).
ENDEREÇO E TELEFONES
Orient Cineplace - Shopping Iguatemi, telefax 3225-3056 e telefone 3610-1515 para saber informações sobre programas e horários.
As informações sobre programação e horário são prestadas pela empresa exibidora, a Orient Filmes.