*

*

Venda antecipada no Orient Cineplace Boulevard

Venda antecipada no Orient Cineplace Boulevard
14 - 16h20 - 18h40 (Dub) - 21 (Leg)

Lançamento nacional em 26 de abril

Lançamento nacional em 26 de abril
Venda antecipada no Orient Cineplace Boulevard

segunda-feira, 23 de abril de 2018

"Nada a Perder": Quase R$ 100 milhões nas bilheterias

Em sua quarta semana de exibição,  o filme "Nada a Perder: Contra Tudo. Por Todos", de Alexandre Avancini, que conta a história de Edir Macedo (interpretado por Petrônio Gontijo), fundador da Igreja Universal do Reino de Deus, mantém a liderança nas bilheterias nacionais, com renda acumulada de R$ 92,278 milhões, até domingo, 22.
Em Feira de Santana, está em exibição no Orient Cineplace Boulevard, em duas salas com oito sessões diárias, às 12 horas, 12h30, 14h50, 15h20, 17h40, 18h10, 20h30 e 21 horas.

Boulevard Shopping lança Campanha de Gentileza


Ação faz parte das comemorações pelos 19 anos do empreendimento

Nesta segunda-feira, 23, o Boulevard Shopping em Feira de Santana completa 19 anos de atividades. Para marcar o início das comemorações pela data, o empreendimento está lançando a Campanha Movimento Gentileza.
Idealizada pelo Instituto de Responsabilidade e Investimento Social (Iris) a campanha tem o intuito de promover simpatia e cortesia em Feira de Santana e região com frases e sugestões de pequenas atitudes de gentileza que geram efeito positivo. Seja no trânsito, no trabalho, na escola, ou no próprio Shopping, a ideia central é que todos podem fazer o bem sendo gentil a alguém.
E para que esta "onda de gentileza" tome conta da cidade, algumas ações já foram ou serão realizadas pelo Boulevard, como: comunicação visual instalada em todo o Shopping, empena no centro da cidade e mídia interna em ônibus urbanos.
Duas outras ações vão incentivar a gentileza de forma prática: a partir de hoje um balcão para cadastro de voluntários será instalado na praça de eventos do Shopping para registrar aqueles que queiram doar o seu tempo para trabalhar em instituições de Feira de Santana. A ideia é criar um banco de cadastros para as instituições, para que eles acionem estes contatos quando tiverem necessidade de voluntários. Este cadastro também poderá ser feito pela Internet através do site www.boulevardfeira.com.br/cadastro. A outra ação acontecerá nas principais faixas de pedestre da cidade, incentivando os motoristas a praticarem a gentileza de parar na faixa para a travessia de pedestres.
Buscando uma ação inovadora, em sintonia com as novas tecnologias digitais, e considerando a popularização dos dispositivos móveis, o Boulevard pretende utilizar estes recursos para difundir o conceito da campanha e enviar mensagens de gentileza para telefones celulares ou tablets conectados à Internet na nossa cidade.
Juntos podemos construir uma cidade mais gentil. Já fez uma gentileza hoje?
(Com informações da ComunicAtiva Associados)

Trailer de "Meu Ex É Um Espião"


Assista ao trailer
Kate McKinnon e Mila Kunis em "Meu Ex É um Espião"
Foto: IMDb

Em "Meu Ex É um Espião" (The Spy Who Dumped Me), de Susanna Fogel, Audrey e Morgan, duas melhores amigas de trinta anos que vivem em Los Angeles são empurradas inesperadamente para uma conspiração internacional quando o ex-namorado de Audrey aparece em seu apartamento com uma equipe de assassinos. Surpreendendo a si próprias, a dupla entra em ação e percorre toda a Europa fugindo de assassinos e um agente britânico suspeito, mas charmoso, enquanto traçam um plano para salvar o mundo.
Lançamento da Paris Filmes para 9 de agosto nos cinemas.

"Deputados mal trabalham, mas gastam milhões"


O trabalho na Câmara só começou mais de 100 dias após o início do ano, com a indicação dos membros das comissões permanentes, mas os deputados federais já consumiram este ano mais de R$ 14 milhões somente na "divulgação da atividade parlamentar". Eles têm uma verba extra de até R$45 mil mensais para ressarcimento de qualquer despesa, inclusive divulgar o trabalho que praticamente não houve.
Farra é gigante
"Divulgação de atividades" é a maior valor das despesas ressarcidas. É mais do dobro dos R$ 6,8 milhões já gastos com passagens em 2018.
Imbatível
O campeão, segundo dados da Operação Política Supervisionada, é o deputado Rubens Pereira Júnior (PCdoB-MA): R$127,1 mil.
Trio gastador
Entre os partidos, o MDB já não tem a maior bancada, mas gastou como gente grande, seguido pelo PT e o PP.
Não deixam por menos
Desde que voltaram do recesso, os deputados federais já apresentaram 3.124 notas fiscais pedindo ressarcimento de despesas.
Fonte: Cláudio Humberto

domingo, 22 de abril de 2018

O céu enriquecido com mais uma estrela



Por Olneyzinho São Paulo
Tem tempo que não escrevo nada. Eu sei. A última vez que escrevi foi quando vi urubus, garças, carcarás e outros pássaros voando juntos em "meu espaço aéreo". É… Eu tenho um espaço aéreo imaginário. É o céu que cobre minha roça. Mas enfim… Há muito não escrevia nada, talvez mais por incapacidade de saber como dizer do que ter o que dizer. Mas tem tanta coisa no peito, tanto choro calado tanta coisa que a gente quer saber porque acontece ainda. E eu aqui na minha roça pensando que sou tranquilo, pensando que sou feliz, inventando um jeito de viver, aliás, tentando inventar um jeito de viver. O país está uma merda, as elites burras (desculpem o pleonasmo) novamente a tona, dando o seu tom e não é Jobim. E eu quieto esquecendo que nada disso é real. E é por isso que não escrevo, mas me chega a notícia da morte de Nelson. Certa vez assisti uma entrevista onde Nelson, pedindo outra cachaça em um bar dizia: "Cultura não tem ministro" e eu gostei disso. Eu sou muito novo para ser amigo do Nelson. Nelson era amigo de meu pai, padrinho de meu irmão, me dirigiu em "A Missa do Galo" nos anos 1980, e nos encontramos muitas vezes em muitos lugares. Em Paris, com Marcinha, como lembra Laurence, a mãe de meu filho Joris, em Paris na casa de Marcinha, quando não mais estava com Laurence, em Brasília em um festival, em Ouro Preto em outro festival, lá em NIterói, quando eu era pequeno e dormia lá, aliás, dormia nada, brincávamos Marcinha e eu de se vestir com as roupas dos adultos e Nelsinho fazia misto quente com coca-cola, Lá em Niterói, quando eu era grande e Nelsinho quebrou as clavículas numa queda de moto-caminhão. Sim. as motos com os pneus furados estavam junto com ele e um amigo  sobre o caminhão que virou num acidente. Nelsinho saiu bem arranhado. Estava em Angers, aliás, na minha roça a 20 km de Angers na França quando liguei pro Nelson (ele estava dirigindo) chorando a morte de Laurita, estive com o Nelson em St Sulpice, quando Laurita estava de cama, muito gripada no inverno parisiense, Dei um beijo na testa dela e lembrei que eu era menino, lembrei como era bom saber que essas pessoas existiam. Lembro agora como era bom quando essas pessoas existiam. lembro agora os pedaços de Olney, meu pai, que se vão nessas perdas. Lembro agora que estou chorando e não dá pra reler o que escrevo, lembro que não quero mais escrever nada, lembro que não quero mais me perder onde não devo andar, por não saber como caminhar por esses rastros de alma e saudade. Lembro que em algum lugar no passado botas esmagaram o meu universo feliz. Botas e capacetes passeavam pelas ruas desmanchando as noites onde Maria Augusta tocava piano no apartamento da Cristovão Barcelos onde bebiam, conversavam, riam e inventavam o mundo, Laurita, Elke (sempre) Maravilha, Alex Viany, Orlando e Conceiça de Frutas (Conceição Sena), Cosme Alves Neto, Glauber, Tuninha Espinheira, Nelson, Olney e tantos outros, enquanto as botas, que marcham novamente sobre nossos sonhos, desmanchavam, em Lilas, como Aurelina que não entendia de leis, uma ideia de bandeira nacional.
Nelson. Obrigado por um bocado de coisas, mas sobretudo por  me fazer chorar esse meu choro calado. Esse meu choro que me afogava sem saber sair. Companheiro, a gente se encontra por aqui, tomando uma cachaça olhando para nesse meu espaço aéreo imaginário onde vivem juntos urubus, garças e pássaros, céu enriquecido com mais uma estrela. 

sábado, 21 de abril de 2018

Morre cineasta Nelson Pereira dos Santos

O cineasta Nelson Pereira dos Santos (Foto), 89 anos, morreu neste sábado, 21, no Rio de Janeiro. Ele era considerado um dos precursores do movimento do Cinema Novo. 
Em 1961 Nelson Pereira dos Santos estava para fazer "Vidas Secas", realizado posteriormente (em 1963), no interior da Bahia, mas as chuvas, em abundância, impediram que isso ocorresse. Então ele improvisou um outro roteiro e resultou no "Mandacaru Vermelho", rodado em Juazeiro. 
Nesse filme, Olney São Paulo foi seu assistente e a experiência serviu como porta de entrada para a sétima arte.
Olney atuou como ator em "O Amuleto de Ogum", junto com seu filho Ilya São Paulo. Esse filme de Nelson  teve locações em Feira de Santana.
Filmografia
A Luz do Tom (Documentário)                                                                    2013
2012 A Música Segundo Tom Jobim (Documentário) 
1986 Jubiabá 
1982 A Missa do Galo (Curta) 
1980I nsônia (segmento "O Ladrão") 
1968 Fome de Amor 
1967 El Justicero 
1963 Boca de Ouro 
1963 Vidas Secas 
1955 Rio 40 Graus 
Fonte: IMDb

Capa da "Veja"


quinta-feira, 19 de abril de 2018

Filmes em Exibição no Orient Cineplace Boulevard

Período até quarta-feira, 25 de abril
LANÇAMENTO NACIONAL

EXORCISMOS E DEMÔNIOS (The Crucifixion), de Xavier Gens, 2018. Com Sophie Cookson, Corneliu Ulici, Ada Lupu e Brittany Ashworth. Thriller de horror. Um padre é sentenciado à prisão após a morte de uma freira que praticou exorcismo. Uma jornalista investigativa se esforça para devendar se de fato uma pessoa mentalmente doente foi assassinada ou se perdeu uma batalha contra uma força demoníaca. Não recomendado para menores de 14 anos. Duração: 90 minutos. Horários: 16h40 e 18h50, com cópia dublada, e 20h50, com cópia legendada. Sala 2 (158 lugares).
CONTINUAÇÕES
NADA A PERDER:  CONTRA TUDO. POR TODOS, de Alexandre Avancini, 2018. Com Petrônio Gontijo, Beth Goulart , Dalton Vigh e Day Mesquita. Drama. A vida do bispo Edir Macedo, empresário fundador da Igreja Universal do Reino de Deus e proprietário da TV Record, um homem que rompeu com a tradição religiosa e se tornou um dos maiores líderes do país. Quarta semana. Não recomendado para menores de 10 anos. Duração: 130 minutos. Horários: 12 horas, 14h50, 17h40 e 20h30, na Sala 1 (240 lugares); 12h30, 15h20, 18h10 e 21 horas, na Sala 3 (165 lugares).
UM LUGAR SILENCIOSO (A Quiet Place), de John Krasinski, 2018. Com Emily Blunt, John Krasinski, Noah Jupe e Millicent Simmonds. Thriller de horror. Uma família é perseguida por uma entidade fantasmagórica, em uma fazenda dos Estados Unidos. Para se protegerem, eles devem permanecer em silêncio total, pois o perigo é ativado pela percepção do som. Terceira semana. Não recomendado para menores de anos. Duração: 90 minutos. Horário: 14h40. Sala 2.

O HOMEM DAS CAVERNAS (Early Man), de Nick Park, 2018. Animação. No início dos tempos, quando dinossauros e mamutes ainda vagavam pela Terra, um valente homem das cavernas une sua tribo contra um poderoso inimigo. Terceira semana. Cópia dublada. Classificação: Livre. Duração: 90 minutos. Horário: 14 horas. Sala 4 (261 lugares).

RAMPAGE: DESTRUIÇÃO TOTAL (Rampage), de Brad Peyton, 2018. Com Dwayne Johnson, Jeffrey Dean Morgan, Naomi Harris e Malin Ackerman. Ação, aventura e ficção científica. O primatologista Davis Okoye compartilha um vínculo inabalável com George, o gorila extraordinariamente inteligente que está sob seus cuidados desde o nascimento. Mas um experimento genético errado transforma esse macaco gentil em um monstro furioso, destruindo tudo em seu caminho. Segunda semana. Não recomendado para menores de 12 anos. Duração: 107 minutos. Horários: 16h20, 18h30 e 20h40, com cópia legendada. Sala 4.
ENDEREÇO E TELEFONE
Orient Cineplace Boulevard - Multiplex do Boulevard Shopping, telefax 3225-3185 e telefone 3610-1515 para saber informações sobre programas e horários.
(Com informações do Departamento de Marketing de Orient Cinemas)

"Suspeita é que passaporte serviria à fuga de Lula"


A suspeita de investigadores é que o passaporte e outros pertences de Lula, furtados em Curitiba, estariam em poder de auxiliar petista com papel central em um provável plano de fuga para outro país. Na data do julgamento do seu habeas corpus no Supremo Tribunal federal, 22 de março, Lula estava com sua "caravana" no sul gaúcho, bem próximo à fronteira com o Uruguai. "Costeando o alambrado", como se diz no sul.
Adiou, abortou
O adiamento do julgamento do habeas corpus, provocado por uma viagem do ministro Marco Aurélio, teria abortado a operação de fuga.
Acenos para fuga
Em discurso no sindicato de São Bernardo, antes de entregar-se, Lula citou os acenos à fuga enquanto estava na fronteira com o Uruguai.
Monitoramento
Viaturas da Polícia Rodoviária Federal escoltando a "caravana" de Lula, também teriam o papel de mantê-lo sob monitoramento.
Caso pensado
O julgamento do habeas corpus, duas semanas depois, deu tempo a Lula para planejar a "resistência", entocando-se na sede do sindicato.
Fonte: Cláudio Humberto

"É apenas um detento"


A senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) acusa a Justiça de negar a Lula o direito de receber visitas. Ela sabe que isso não é verdade. O ex-presidente é tratado como hóspede, mas é apenas um detento cumprindo pena, e submetido às regras do sistema penitenciário.
Fonte: Cláudio Humberto

quarta-feira, 18 de abril de 2018

Jolival Soares em Conferência Internacional

Em viagem à Bolívia com finalidades acadêmicas e científicas, o especialista em Análises Clínicas pela Sociedade Brasileira de Analistas Clínicos (Sbac) Jolival Soares (Foto) participa da Conferência Internacional Síndrome Metabólica será realizada na quarta-feira, 25, entre 19 e 22 horas, por quatro horas acadêmicas, no auditório do Colegio de Bioquimica y Farmacia de Santa Cruz.
Jolival Soares é graduado em Química e Farmácia Bioquímica pela Universidade Federal da Bahia (Ufba), professor de Bioética, master em Bioética, pós-graduado em Medicina Quântica Integral, em Medicina Integrativa e em Endocrinologia e Nutriologia Funcional. 
"Sem dúvida, Síndrome Metabólica é um tema altamente sugestivo. Como sabem as modernas teorias imunológicas consideram nosso intestino como segundo cérebro. Macrobiomas são transtornos que causam a síndrome metabólica, que afeta indiscriminadamente a população", diz o folheto do evento.

Venda antecipada para "Deadpool 2"


Assista ao trailer
Ryan Reynolds e Zazie Beetz em "Deadpool 2"
Foto: IMDb

A Orient Cinemas anunciando a venda antecipada de ingresso para o filme de ação, aventura, comédia e ficção científica "Deadpool 2" (Deadpool 2), de David Leitch, que tem lançamento no Orient Cineplace Boulevard,  no dia 17 de maio, com sessões às 14 horas, 16h20 e 18h40, com cópia dublada, e 21 horas, com cópia legendada. O horário de funcionamento do complexo, todos os dias, é das 12h30 às 21h30.
Trata-se de sequência das aventuras do Mercenário Tagarela (Ryan Reynolds). Em "Deadpool", de 2016, ele adquire superpoderes após uma experiência científica e decide se vingar da pessoa responsável por sequestrar sua namorada.
Neste novo filme, ele precisa lutar contra ninjas, a yakuza e um bando de caninos agressivos, enquanto viaja pelo mundo para descobrir a importância da família, amizade e sabor.
No elenco, a atriz brasileira Morena Baccarin, T. J. Miller e Brianna Hildebrand do primeiro filme, mais Josh Brolin e Zazie Beetz.

Arábia Saudita inaugura sala de cinema após mais de 35 anos de proibição

Filme escolhido é "Pantera Negra" e ingresso custa R$ 45,00

A capital da Arábia Saudita, Riad, terá nesta quarta-feira, 18, a primeira exibição de um filme em uma sala de cinema após mais de três décadas de suspensão devido à imposição de severas restrições no país.
A tão aguardada cerimônia de inauguração do primeiro cinema contará com a presença de vários nomes da indústria cinematográfica e cultural. O filme escolhido para a estreia é "Pantera Negra" e os ingressos custarão 50 riales (R$ 45,00), segundo decisão da AMC Entertainment.
A empresa americana assinou no dia 12 de dezembro do ano passado um memorando de entendimento com o Fundo de Investimentos Públicos na Arábia Saudita para explorar formas de exibir e distribuir conteúdo cinematográfico. A exibição do filme ocorrerá em uma sala de 620 assentos. O Ministério de Cultura e Informação saudita não anunciou mais detalhes sobre a inauguração nem sobre a venda de entradas.
Ainda não foi divulgado se homens e mulheres se juntarão na mesma sala, já que no reino saudita há normas de comportamento muito restrito e nos espaços públicos é exigida a separação de sexos.
O governo saudita prevê que o setor do cinema pode contribuir com 90 bilhões de riales (R$ 82 bilhões) ao PIB e que possa criar 30 mil postos de trabalho permanentes e mais de 130 mil temporários até 2030.
As salas de cinema foram fechadas na Arábia Saudita no início dos anos 1980 após a imposição de severas restrições às liberdades individuais, à cultura, ao lazer e a todas as manifestações artísticas.
A decisão das autoridades sauditas de dar licenças para abrir salas de cinema ocorre em meio à política de "abertura" adotada pelo príncipe herdeiro, Mohammed bin Salman, em junho de 2017.

Foto: UrduPoint / Pakistan Point News
Fonte: veja.abril.com.br

Três manchetes desta quarta-feira


1. "TRF4 rejeita recurso final de Lula em segunda instância"
2 "Justiça nega pedido de Prêmio Nobel da Paz para fazer inspeção na sala da PF onde Lula está preso" 
3. "Tribunal nega pedido de Cunha para afastar Moro de processo"


"Visita de senadores a Lula foi tiro que saiu pela culatra"

Carceragem da Polícia Federal em Curitiba ganha selo de qualidade

Por Ricardo Noblat
Cadê a foto com Lula? A Justiça não permitiu. Os senadores limitaram-se a posar para uma foto diante da fachada da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba.
Cadê declarações sobre eventuais condições precárias a que Lula está submetido há mais de 10 dias? Não houve. Os senadores foram obrigados a reconhecer que ele está sendo bem tratado e em local adequado.
A princípio, esperava-se a ida a Curitiba de 15 a 17 senadores. Foram 11. Só um deles, Lindbergh Farias (PT-RJ), saiu dizendo que Lula é um preso político e não um político preso.
Fonte: Blog do Noblat

"Jornalistas estrangeiros agora condenam corrupção de Lula"


Por Jorge Oliveira
A imprensa estrangeira ainda tem uma visão distorcida do Brasil. Acha que isso aqui é uma selva povoada de índios, onde habitam só jacarés, macacos e outras espécies tropicais. Gosta de folclorizar os nossos costumes, mas amam o futebol, a música e as mulatas. Alguns dos seus dirigentes são tão ignorantes, que confundem o Brasil com outro país, caso do Ronald Reagan, ex-presidente do EUA, ao brindar "o povo da Bolívia" em um jantar oficial em Brasília, em 1982. Pois bem, foi nesse cenário exótico que essa imprensa moldou a figura do Lula no exterior: retirante nordestino, ex-sindicalista, desbocado, analfabeto, jeito atarracado, que chegou a Presidência do Brasil.
Os jornais alimentaram essa imagem do Lula e, durante muito tempo, esconderam dos seus leitores os malfeitos dele e da sua organização criminosa, pois seus correspondentes no Brasil eram simpáticos ao PT. Ao deixar o governo, imagine!, Lula foi convidado pelo 'New York Times' para escrever artigos semanais tal era a admiração dos seus editores pelo ex-presidente. Perdoou, inclusive, a ameaça que ele fez de expulsar um dos seus correspondentes que escreveu sobre o seu vício de beber. 
Agora a mídia americana e europeia está dando o braço a torcer e, aos poucos, diante da realidade, retrata os fatos verdadeiros que esconderam dos seus leitores e revela, sem truques, a real face de Lula e de seus asseclas. Em editoriais, eles se posicionam a favor da Lava Jato e consideram justa a prisão dele por corrupção. O 'NYT', por exemplo, enaltece a coragem do juiz Sérgio Moro e diz que "o Brasil tem em suas instituições os meios necessários para encarar até os mais poderosos - e populares malfeitores". Na mesma linha, o 'Le Monde', um dos mais influentes jornais franceses, diz no seu editorial intitulado "A desgraça de um presidente" que "a prisão de Lula mostra que ele não está acima da lei e que não é um ato político. A Lava Jato deve continuar a combater a corrupção".
Até o impeachment da Dilma, a imprensa estrangeira fazia uma cobertura equivocada dos fatos políticos no Brasil. Torcia pela dupla Lula/Dilma pelo passado de ambos: um retirante e uma ex-presa política, finalmente, chegavam ao poder no Brasil dos selvagens e dos orangotangos. Até as gafes dos dois eram toleradas porque, afinal de contas, o país era governado por "trabalhadores" de esquerda, uma façanha para os padrões políticos na América do Sul, considerado o quintal do capitalismo.
Na Europa, os jornais torciam discretamente pela permanência da Dilma no poder e condenavam as instituições de golpistas. Órgãos do governo, até então nas mãos do PT, encarregaram-se de fazer uma campanha sórdida lá fora. A Ancine, por exemplo, a agência de cinema, antes dominada pelo PCdoB, financiou passagens para diretores e produtores de filmes medíocres, mas engajados com a causa dilmista com o objetivo de denunciar o impeachment nos festivais de cinema. Esses cineastas, a soldo do dinheiro público, eram porta-vozes do governo petista nos eventos internacionais patrocinados pela agência.
Embaixadores brasileiros e estudantes de renomadas universidades lá fora também se juntaram a esses cineastas panfletários para falar do golpe como se não pesassem contra o PT as investigações que culminariam na descoberta da maior organização criminosa do país. Demorou para que os correspondentes estrangeiros deixassem suas paixões de lado para escrever com imparcialidade sobre a Lava Jato. O resultado disso é o convite das universidades hoje para que juízes e procuradores falem sobre a operação nas universidades dos Estados Unidos e da Europa, antes abertas aos investigados.
Com a prisão de Lula, os jornais estrangeiros fazem mea-culpa.  Uma autocritica quando utilizam os seus editoriais para escrever que a prisão de Lula é justa pelos crimes de corrupção que ele cometeu, o que, aliás, os brasileiros também já reconheceram, segundo a última pesquisa do Datafolha, quando aprovaram a prisão. Não à toa, outro jornal norte-americano, o Washington Post, no seu editorial, também apoia a prisão do Lula, fala da prisão de mais de 120 pessoas na Lava Jato e do êxito do combate a corrupção no Brasil.
Enfim, o mundo se curva aos fatos.
Fonte: http://www.diariodopoder.com.br

"Alkmin pressionado a expulsar Aécio do PSDB"


O presidente do PSDB, Geraldo Alckmin, tem sido pressionado a promover a expulsão do senador Aécio Neves (MG) do partido, como forma de reduzir os dados causados às candidaturas tucanas em outubro, principalmente a presidencial, após a decisão unânime da Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF), tornando o político mineiro réu por corrupção passiva e também obstrução da Justiça.
Avesso a trombadas
Alckmin até gostaria de ver Aécio pelas costas, nunca foram grandes amigos, mas o político paulista é avesso a atitudes incisivas.
Prática comum
A história política recente registra vários casos de políticos expulsos dos respectivos partidos por fatos semelhantes ou até menos graves.
Tasso não hesitou
Quando presidia o PSDB, em 2006, Tasso Jereissati não hesitou em expulsar três deputados tucanos citados na CPI dos Sanguessugas.
DEM expulsou senador
Em 2012, o DEM tomou a decisão em poucos dias de expulsar o então senador Demóstenes Torres (GO), acusado na Operação Monte Carlo.
Tá feia a coisa
A decisão por 5x0 dos ministros da Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF), que tornou o senador Aécio Neves (PSDB-MG) réu, é prenúncio devastador do julgamento que vem por aí.
Fonte: Cláudio Humberto

"Invasão do tríplex leva PF inaugurar nova atitude


A decisão da Polícia Federal de investigar o crime de invasão do edifício Solaris, onde fica a cobertura tríplex que o ex-presidente Lula recebeu de propina da empreiteira OAS, representa uma mudança animadora de atitude de órgãos de segurança em relação a ações violentas desse tipo. Em Brasília, são frequentes as invasões de prédios públicos, seguidas de depredação, sem qualquer punição.
Impunidade garantida
Em diversas manifestações, delinquentes tentaram incendiar e destruir sedes de ministérios, incluindo móveis e equipamentos, impunemente.
Desocupou, esqueceu
Casos de esbulho possessório seguido de depredação, como no tríplex de Lula, são consideradas "resolvidos" após os vândalos irem embora.
Me engana que eu gosto
Raros detidos são liberados após "termo circunstanciado", prometendo comparecer em juízo se intimados, como se pudessem não fazê-lo.
Fonte: Cláudio Humberto

Qual a necessidade de passaporte na prisão?


Está na mídia que ítens pessoais de Luiz Inácio Lula da Silva foram furtados em Curitiba, na terça-feira, 17. O petista está preso na capital do Paraná. A informação foi dada pela presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffman.
A Polícia Civil do Paraná registrou boletim de ocorrência. Os frutos do roubo estavam em carro da assessoria do PT, que foi arrombado.
Interessante que do carro foram levados roupas que seriam entregues ao condenado, além de seu passaporte.
A pergunta que não quer calar: qual a necessidade de passaporte na prisão?

"Benjamin Netanyahu: aos 70 anos, Israel está 'mais poderoso do que nunca'"


                    Primeiro-ministro responde às ameaças do Irã

Poucos dias após o Irã ter ameaçado atacar Israel em consequência dos conflitos na Síria, o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu afirmou que Israel está "mais poderoso do que nunca".
Teerã ameaçou destruir cidades israelenses para revidar um ataque a uma de suas bases militares em solo sírio.
Em seu discurso na Conferência Mundial Anual Keren Hayesod - que reúne líderes e ativistas do mundo todo -, na noite de segunda-feira,16, Netanyahu lembrou que o país está completando 70 anos esta semana.
"Os fundadores do sionismo moderno não disseram que os ataques ao povo judeu cessariam quando estabelecêssemos um Estado judeu. Eles disseram que poderíamos nos defender contra esses ataques. E foi exatamente isso que o Estado de Israel fez", discursou.
O premiê diz que "a capacidade do povo judeu de se defender sozinho, contra qualquer ameaça, foi restaurada".  Ele continuou: "Vivemos nosso melhor momento na economia e usaremos nosso poder econômico e nosso poder militar para estabelecer um apoio diplomático sem precedentes nas relações de Israel em todo o mundo". 
Com informações de Times of Israel
Fonte: https://noticias.gospelprime.com.br

"País do Carnaval: o velho entrudo como política de estado"

A evolução tecnológica e o desenvolver das ciências nos elevam a condições de vida cada vez mais sofisticados, mas não se alteraram no homem sua características, desejos e necessidades mais essenciais. Dentre as quais, está a capacidade de confrontar sua condição enquanto integrante de uma sociedade. Tal capacidade é o grande empecilho encontrado pelos aspirantes ao pleno poder político desde os tempos do antigos imperadores até hoje.
Uma das estratégias políticas mais emblemáticas e conhecidas de Roma, a política do "pão e circo" visava conter possíveis distúrbios sociais decorrentes das péssimas condições de vida geradas pelos próprios governantes. Consistia em saciar a fome e conter os ânimos dos cidadãos através do entretenimento em arenas como o Coliseu, com lutas de gladiadores, encenações, corridas de bigas e quadrigas. Cada César que subia ao poder, tinha, dentre suas metas de governo, o patrocínio de mais dias de entretenimento seguidos do que o César anterior. Quem controla a massa, controla o poder e nele se mantém.
Passados os séculos, a manipulação por meio do espetáculo ainda é usada pelo estamento político, que faz uso de antigos e novos entretenimentos coletivos, conjugados com modernas técnicas de persuasão e inoculação anestésica de novos modos de pensar e agir.
Dentre tudo o que o colonizador português legou ao Brasil, consta a tradição europeia do Entrudo, uma série de jogos e brincadeiras populares realizados de forma espontânea pela população nos três dias anteriores à Quaresma. Por volta do século XIX, governantes passaram a tentar acabar com essa festa popular, considerada grosseira, suja e violenta, tendo com isso perdido força nos primeiros anos do século XX.
Não obstante, e como fruto das influências positivistas e iluminsitas que o estamento político brasileiro herdou da Revolução Francesa, houve o reavivamento da tradição portuguesa do Entrudo, sob o nome de Carnaval. O festejo então deixa de ser uma festa do povo para constituir-se parte da política do Estado. Fartamente patrocinada por verbas estatais através dos três entes da federação, a simples manifestação popular torna-se uma ferramenta política para conduzir as massas como gado.
Em Roma, césares patrocinavam com as verbas dos impostos pão e circo; hoje, o Estado Entrudo Brasileiro patrocina camisinhas e circo através do esperado Carnaval. Vale destacar que tanto no Entrudo original quanto na política do pão e circo, o entretenimento estava ligado a jogos e interpretações de situações do cotidiano e da história. No Estado Entrudo Brasileiro, os festejos carnavalescos se estendem por todo o ano, através dos campeonatos de futebol e das novelas que trazem implícita a agenda política. Com uma agenda de entretenimento como essa, o estamento político brasileiro supera os Césares de Roma.
O estamento sabe que a exposição contínua a essa série de entretenimentos induz uma petrificação do imaginário, que anestesicamente retira do cidadão sua ínsita capacidade de, por si, criar, destruir e recriar sua auto-determinação conforme o que a realidade lhe impõe, pois perde o ímpeto de confrontar hipóteses opostas às versões dos fatos que lhe são apresentadas. Seu entendimento fica, a cada dia, menos operado por si mesmo e cada vez mais dependente das agendas da elite política disseminadas pela mídia de massa.
A elite domina o processo tal qual o escritor de um romance direciona e conduz os personagens de sua obra, e sabe que um estado de indignação e de cansaço dos cidadãos para com os desmandos do governo, quando intermediado por um festejo, é revertido: as tendências agressivas são neutralizadas, e o cidadão, após extasiar-se nos folguedos, não só retorna para seus afazeres diários com "ânimo renovado" para enfrentar as dificuldades geradas pelo próprio estamento político, mas tende à conformação, e a julgar que pouca coisa pode fazer para mudar o estado de coisas. Como se já não bastasse o massacre midiático que obstrui sua capacidade de percepção da realidade política - a primeira arma de um cidadão vivendo numa democracia -, e que é exatamente aquilo que pode fazer, num segundo momento, fazer alastrar-se a rede de contrapontos capaz de sanear, aos poucos, uma cultura manipulada pela elite.
O domínio do imaginário e do comportamento da população por parte da elite, que usa Estado Entrudo com o trio carnaval, futebol e novela, chegou ao ponto de não só esses entretenimentos serem tidos como caracterizadores da identidade nacional, mas de influenciar a massa de tal forma que, em muitos ambientes, tudo o que, a essas três coisas e a mais algumas irrelevâncias não se refira, causa instantâneo repúdio. Não se pode pôr em discussão  algum tema mais relevante, ou simplesmente que se critique a desproporcional importância e tempo diário que estão perdendo com tais distrações até mesmo em detrimento do crescimento pessoal. E o fenômeno não se restringe à massa inculta. Acomete também cidadãos letrados.
Nos dias correntes, nada mais eficiente para apaziguar os ânimos exaltados pela corrupção exposta pela Operação Lava Jato e pela calamidade em que se encontra a economia do que festejos e entretenimento.
Ao povo brasileiro, transformado em folgazão através do Estado Entrudo, totalmente representativo do seu atual estado de embriaguez psicológica e moral, cito trecho do livro 'As Ilusões Perdidas', de Honoré de Balzac:
No dia seguinte pela manhã, Lucien, que acabara de compor sua última canção, procurou cantá-la segundo uma música então em voga. Ao ouvi-lo cantar, Bérénice e o padre tiveram medo que tivesse enlouquecendo:
Amigos, a moral na canção 
Causa-me e me entedia; 
Quando é à Loucura que se serve? 
Aliás, diz Epicuro, todos os refrãos são bons 
Quando se brinda com folgazões 
Não procuremos Apolo 
Quando Baco nos entretém; 
RIAMOS! BEBAMOS! E ZOMBEMOS DE TUDO O MAIS. 
Hipócrates a todo bom bebedor 
Prometia cem anos. 
Que importa, ao final, se por desgraça 
A perna vacilante não mais pode perseguir sua gatinha? 
Basta que, para entornar uma garrafa, 
A mão seja sempre ágil! 
Bebendo e brindando assim
Até os sessenta anos chegaremos. 
RIAMOS! BEBAMOS! E ZOMBEMOS DE TUDO O MAIS. 
Deseja saber donde viemos, 
É muito fácil: Mas, para saber onde iremos, 
É preciso ser astuto. 
Enfim, sem nos inquietar, 
Usemos até o final, da bondade celeste! 
É certo que morreremos; 
Mas é igualmente certo que vivemos; 
Riamos ! Bebamos! E zombemos de tudo o mais.
Não é sem motivo que dizem que "Deus é brasileiro". Para o estamento, ótimo. A elite não quer cidadãos conscientes, e sim folgazões, indiferentes, viciados e amorais: quatro tipos não apenas facilmente maleáveis, mas que também infestam as instâncias de poder e governo no país.
O povo transformou-se num amontoado de pessoas as mais epidérmicas possíveis, sem nenhum valor universal relevante a legar a seus descendentes e ao mundo; o legado é o maior caso de corrupção governamental já constatado na história, sendo esse o maior exemplo do que ocorre quando a população tem suas ações e conclusões substituídas pelas que foram inoculadas pelo estamento.
É difícil saber quando isso vai mudar. Pois depende do insurgir-se de cada um face ao Estado Carnavalesco em que vivemos, dando, cada indivíduo, o devido grau de importância a tudo, e também a formas melhores e mais enriquecedoras de entretenimento.
Até esse dia chegar, infelizmente, continuará a massa agindo como no poema de Balzac, rindo, bebendo e zombando de tudo. Afinal, o carnaval, e, junto com ele, o Estado Entrudo, está aí, para proporcionar a festa que afunda o povo brasileiro cada vez mais no mar da insignificância e da subserviência.
Adalberto Salvador Perillo Kühl Júnior é advogado e reside em São Paulo.
Fonte: "Mídia Sem Máscara"

terça-feira, 17 de abril de 2018

Balanço do IPTU

A Prefeitura Municipal de Feira de Santana recebeu até quinta-feira, 12, último dia do prazo, mais de R$ 37 milhões dos contribuintes que optarem por pagar o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU 2018) em cota única - com 20% de desconto. Foram 47.044 contribuintes que procederam o pagamento.
O secretário da Fazenda Expedito Eloy (Foto) informa que o resultado representa 10% a mais em relação ao mesmo período do ano passado. Ele diz mais que a cada ano a arrecadação tem sido maior que a do ano anterior.
Até novembro, quando vence a última - oitava - parcela de quem não paga em cota única, a Prefeitura espera recolher no acumulado mais de 60 milhões.
Neste ano, o imposto está sendo pago com aumento de 2,8%, reajuste abaixo da inflação - 2,95%. "Sem aumento real", considera Expedito.
Em Feira de Santana, mais de 90 mil imóveis são isentos da tributação.

Trailer de "Exorcismos e Demônios"


Assista
Trailer do thriller de horror "Exorcismos e Demônios", que tem lançamento nacional nesta quinta-feira, 19, no Orient Cineplace Boulevard.

Malafaia diz que Datafolha está "a serviço da bandidagem"


Pastor critica pesquisa com Lula: "Um corrupto, chefe de quadrilha, tinha que ser ignorado"
A divulgação de uma nova pesquisa do Datafolha, instituto ligado ao jornal 'Folha de São Paulo', causou surpresa ao apresentar números que contrariam o senso comum e colocam o ex-presidente Lula em primeiro lugar.
Segundo o instituto, mesmo preso Lula teria a preferência de 31% dos eleitores, uma pequena queda em relação a seu melhor índice anterior (36%). Num cenário sem o petista, o deputado Jair Bolsonaro (PSL) e a ex-senadora Marina Silva (Rede) aparecem empatados na liderança, com, respectivamente 17% e 16% das intenções de voto.
Condenado em primeira e segunda instância, a inclusão do nome do ex-presidente na pesquisa gerou críticas de vários analistas, já que ele não poderia concorrer à presidência por ser "ficha suja".
O Datafolha também perguntou sobre a prisão, sendo que 54% dos entrevistados acham que ela foi "justa" contra 40% que discordam.
O pastor Silas Malafaia usou sua conta no Twitter para comentar os dados divulgados e foi enfático: "A pesquisa Datafolha é uma afronta ao povo brasileiro. Como um condenado e preso pela justiça pode entrar em uma pesquisa para presidente? Uma verdadeira vergonha! Um corrupto, chefe de quadrilha, tinha que ser ignorado".
Segundo o líder do Ministério Vitória em Cristo, a decisão da 'Folha' de incluir o nome de alguém que não concorrerá mostraria que o jornalismo no país está "a serviço da bandidagem!".
Minutos depois, voltou a opinar: "Como Lula pode estar em primeiro lugar, só anda cercado de militontos da CUT, vaiado aonde vai, diferente de Bolsonaro que é aclamado por onde passa. Pesquisa vergonhosa!".
Fonte: https://noticias.gospelprime.com.br